logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 18 jul 2013 às 15:47
Revisão da temporada – Charlotte Bobcats

Charlotte Bobcats (21-61) 14° na conferência Leste Time base Kemba Walker Gerald Henderson Michael Kidd-Gilchrist Byron Mullens Bismack Byombo Principais reservas Ramon Sessions Ben Gordon Brendan Haywood Jeff Taylor Josh McRoberts Líderes Pontos: Kemba Walker – 17.7 Rebotes: Bismack Byombo – 7.3 Assistências: Kemba Walker – 5.7 Roubadas: Kemba Walker – 1.9 Bloqueios: Bismack Byombo […]

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Tiago de Vasconcelos

Charlotte Bobcats (21-61) 14° na conferência Leste

Time base

Kemba Walker
Gerald Henderson
Michael Kidd-Gilchrist
Byron Mullens
Bismack Byombo

Principais reservas

Ramon Sessions
Ben Gordon
Brendan Haywood
Jeff Taylor
Josh McRoberts

Líderes

Pontos: Kemba Walker – 17.7
Rebotes: Bismack Byombo – 7.3
Assistências: Kemba Walker – 5.7
Roubadas: Kemba Walker – 1.9
Bloqueios: Bismack Byombo – 1.8

Agentes livres irrestritos: Josh McRoberts (renovou), Byron Mullens, Desagana Diop, Jannero Pargo, Reggie Williams

Agentes livres (player option ou qualifying offer): Ben Gordon (renovou)

Anistia: Tyrus Thomas

A temporada
Apesar de um bom começo de temporada, com sete vitórias nos 12 primeiros jogos, o Bobcats continuou como uma das piores equipes da Liga, inclusive perdendo 18 partidas seguidas logo após esse surpreendente início. Ainda no processo de reconstrução da franquia,  o torcedor de Charlotte não teve muito o que comemorar, já que a equipe fez a segunda pior campanha de toda a Liga, perdendo 61 das 82 partidas disputadas.

Com o processo de rebuild, a ideia dos dirigentes era dar mais tempo de jogo e espaço para seus jovens conseguirem se desenvolver com mais tranquilidade e alcançarem um maior entrosamento na quadra. A força da equipe vinha do seu trio de perímetro, que foi definido com a escolha do ala Michael Kidd-Gilchrist no Draft de 2012 para ser o ala do time ao lado de Gerald Henderson e Kemba Walker.

A maior dificuldade do Bobcats foi a falta de qualidade na área pintada; apesar de Byombo e o veterano Haywood serem bons defensores, o garrafão da equipe era desprovido de maior capacidade de ofensiva e a equipe sofreu muito para pontuar nessa região pela falta de alternativas. Com isso, o jogo da equipe ficou mais concentrado nos jogadores de perímetro que, sobrecarregados, eram alvos mais fáceis das defesas adversarias.


O que deu certo

O armador Kemba Walker. 

Selecionado com a nona escolha do Draft de 2011, o armador fez uma boa temporada, liderando a equipe em pontos, assistências e roubadas de bola. Walker apresentou números melhores em todas as estatísticas básicas. Ele ainda carrega nas suas costas a dúvida da torcida sobre ser um titular na posição 1 por tempo integral nos próximos anos. A melhora como cestinha e armador é um bom indício de que ele pode assumir esse posto.


O que deu errado

A falta de profundidade do elenco e a ineficiência ofensiva, principalmente dos jogadores de garrafão. Ofensivamente, o time de Charlotte teve uma das piores médias de pontos por partida (quarta pior) e o pior aproveitamento nos arremessos de quadra de toda NBA. Na defesa, o Bobcats foi a segunda equipe mais vazada da Liga, sofrendo 102 pontos por noite e apresentando uma grande dificuldade em reduzir o aproveitamento dos tiros de quadra dos adversários.


O futuro

Os dirigentes da equipe de Charlotte tinham um grande objetivo nesta offseason: adquirir jogadores de garrafão com qualidade ofensiva. E eles conseguiram cumprir essa meta com louvor.

Na noite do draft, com a quarta escolha geral, o Bobcats selecionou o ala-pivô Cody Zeller, da Universidade de Indiana. O jovem chega para assumir a posição quatro da equipe, adicionando muito atleticismo e uma boa variação de recursos ofensivos. 

No período de negociações, a equipe conseguiu o segundo sucesso em relação aos seus objetivos, acertando com o pivô Al Jefferson um contrato de três anos.

Apesar da melhora no garrafão, o time de Charlotte dificilmente ainda brigará por uma vaga na pós-temporada em 2013/2014. Como se espera um draft muito forte no próximo ano, os torcedores do Bobcats ainda devem ver um time com mais derrotas do que vitórias na próxima temporada.

  • Rodrigo

    Bem… com Zeller e Big Al já são um time de basquete e não mais um catadão ridículo…

    não vao aos offs, mas sem dúvidas o time melhorou…

    • Marco Fernandes

      Talvez as 6-7-8 posições do Leste sejam bem disputadas inclusive pelos Cats

  • quirlherme

    fans de basquete so tenho uma coisa a dizer . O CHARLOTE HORNETS VOLTOU

  • Piada Pronta

  • É uma franquia que todo mundo tem certo carinho… Eu torço pra crescerem sempre, mas parece que tá dureza… E gosto do Walker!

  • Daniel

    A revisão da temporada dos Cats tem se repetido ano após ano. Nunca saem do buraco.

  • Eric Andrade

    Gosto muito do Walker, o Henderson tambem eh bom de bola, com a adição de Al Jefferson e Zeller no garrafão o time cresce absurdamente de qualidade, so precisa o MKG começar a jogar bola, acredito que o futuro da franquia depende como vai evoluir o jogo do MKG.

  • Leonardo

    Vão surpreender, mas não a ponto de chegar aos playoffs.

  • Julio Zago

    Os Cats deixaram de ser uma piada nessa temporada, mas ainda há muito o que fazer. Kemba se mostrou um bom armador capaz de ser titular da franquia, já MKG foi uma decepção, acho que essa temporada será decisiva para sabermos o real potencial do jogador.
    Já o garrafão da equipe foi o grande ponto fraco, Byombo e Mullens são desastrosos no ataque.
    Com a adição de Al e Zeller, espera-se que esse problema seja resolvido e que um esboço de competitividade comece a surgir.
    O problema é tentar entender o que Cho pensa, considerando o draft do próximo ano e a próxima agência livre, seria hora do time pensar no futuro, ter uma escolha alta no próximo draft e dinheiro para gastar na agência livre, justamente nessa hora o time se reforça.

  • Luiz Henrique Santos

    Grande evolução do Bobcats nessa temporada com a adição de qualidade no garrafão, num futuro próximo o Hornets será uma das melhores equipes da liga, se manter e acreditar nesse projeto, mas nessa temporada prevejo uma campanha entre o décimo e o décimo quarto lugar…

  • Rodrigo

    fantástica análise Kaio Kleinhans vc é o cara rsrsss

  • Rodrigo

    Kemba, Wiggins (se conseguirem sorte no Draft), MKG (se corresponder), Zeller (idem ao MKG) e Big Al. Seria um quinteto de playoffs se tudo ocorrer da maneira mais otimista possível.

  • O bom é que Charlotte (provavelmente) terá 3 picks de primeira rodada em 2014. Então o time vai estar bem formatado para a temporada 2014-2015, na volta dos Hornets

  • Guilherme Varella

    Num tinha virado Charlotte Hornets de novo??

  • JJÚNIOR

    O time melhorou, mas falta ainda um SG de respeito e o MKG jogar o basquete que fez dele a segunda escolha. Time tem potencial se MKG render mais e se arrumarem um SG, sem falar que precisam melhorar o banco.

  • Jeferson

    Calma o MKG vai crescer de produção, muitos jogadores draftados nas suas primeiras seasons não vão bem, mas depois evoluem bastante.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados