logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 31 jul 2013 às 11:15
Revisão da temporada – Los Angeles Clippers

Los Angeles Clippers (56-26) 4° na Conferência Oeste, 1° na divisão do Pacífico  Time base Chris Paul Chauncey Billups Caron Butler Blake Griffin DeAndre Jordan Principais reservas Eric Bledsoe Willie Green Jamal Crawford Matt Barnes Grant Hill Lamar Odom Ronny Turiaf Ryan Hollins Líderes Pontos: Blake Griffin – 18.0 Rebotes: Blake Griffin – 8.3 Assistências: Chris Paul […]

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Tiago de Vasconcelos

Los Angeles Clippers (56-26) 4° na Conferência Oeste, 1° na divisão do Pacífico 

Time base

Chris Paul
Chauncey Billups
Caron Butler
Blake Griffin
DeAndre Jordan

Principais reservas

Eric Bledsoe
Willie Green
Jamal Crawford
Matt Barnes
Grant Hill
Lamar Odom
Ronny Turiaf
Ryan Hollins

Líderes

Pontos: Blake Griffin – 18.0
Rebotes: Blake Griffin – 8.3
Assistências: Chris Paul – 9.7
Roubadas: Chris Paul – 2.4
Bloqueios: DeAndre Jordan – 1.4

Agentes livres irrestritos: Chauncey Billups, Lamar Odom, Matt Barnes, , Ryan Hollins, Ronny Turiaf, Grant Hill

O Clippers conseguiu renovar com Barnes e Hollins e ainda negocia com Odom, já Billups acertou com o Pistons e Turiaf com o Timberwolves, enquanto Grant Hill anunciou sua aposentadoria.

Agentes livres (player option ou qualifying offer): Willie Green (renovou)

A temporada

Sem sombra de dúvidas o torcedor do Clippers jamais esteve tão orgulhoso de sua equipe, e jamais teve tanto o que comemorar. De longe, 2012-2013 foi a melhor temporada da história da franquia.

O Clippers teve um início de temporada espetacular, principalmente em dezembro, quando venceu nove partidas seguidas, batendo o recorde da franquia (a marca anterior era de oito vitórias seguidas em 91-92). Mas o time foi muito além, conseguindo chegar a uma sequência vitoriosa de 17 partidas, e se tornando, assim, uma das três equipes da história a terminar um mês inteiro sem derrotas.

Outros recordes foram anotados pela franquia nessa temporada, incluindo o de maior sequência de vitórias em casa (13), e o de primeira temporada na história da equipe com mais de 50 vitórias. Além dessas marcas. em 2012-2013, com a boa campanha de 56 vitórias e 26 derrotas, o Clippers conseguiu vencer pela primeira vez a Divisão do Pacífico.

Dentro de quadra, a equipe de Los Angeles demonstrou grande harmonia. Chris Paul e Blake Griffin jogaram de acordo com seus status de super estrelas, chegando ao  All Star Game mais uma vez. Além deles, o Clippers mostrou uma grande força vindo do banco de reservas com Eric Bledsoe, Matt Barnes e, principalmente, Jamal Crawford.

Apesar da bela campanha, o Clippers fechou a temporada regular na quarta posição da Conferência Oeste. Logo de cara, nos playoffs, teve um grande desafio: o Memphis Grizzlies, que acabou na quinta posição da conferência. As duas equipes fizeram uma grande série. O Clippers venceu o primeiro jogo com certa tranquilidade e, na segunda partida, encontrou mais dificuldades, tanto que venceu no último segundo, após grande jogada de Chris Paul em cima de Tony Allen para fazer a cesta da vitória no estouro do cronômetro.

Mas depois das duas vitórias em casa, a situação complicou para o Clippers. O Grizzlies acabou vencendo as duas partidas em seus domínios e empatou a série. Nos jogos 5 e 6, o time de Los Angeles perdeu Blake Griffin, com uma torção no tornozelo. Sem Griffin, o time parece que se perdeu em quadra. O Clippers não conseguiu muitas alternativas ofensivas para penetrar a defesa do time de Memphis e não conseguiu parar a dupla de garrafão adversária. Além disso, Jamal Crawford não conseguiu render como esperado. Resultado: a equipe acabou perdendo as outras duas partidas da série e foi eliminada.


O que deu certo

O armador Chris Paul. Menção honrosa para o banco de reservas.

Paul foi o grande jogador do Clippers na temporada, o segundo em toda a NBA na média de assistências por partida e o líder da defesa da equipe. Além disso, ele organizou o time na quadra e sempre conseguiu colocar e/ou encontrar os companheiros nas melhores situações para que eles pudessem render o seu melhor. Paul ainda pontuou sempre que foi preciso, principalmente em momentos decisivos.

Mas a principal contribuição do jogador para a equipe foi que ele se tornou basicamente um treinador dentro de quadra, um jogador com voz ativa nos pedidos de tempo da equipe. O espírito de liderança de Paul foi inquestionável.

O que deu errado

DeAndre Jordan. Menção honrosa para Vinny del Negro.

Para começar a falar do pivô, não podemos deixar de lado o contrato vantajoso que Jordan tem. São mais de US$ 10 milhões anuais para um jogador muito limitado e que é efetivamente de pouca ajuda para a equipe.

Jordan ganhou notoriedade por se transformar em um jogador de espetáculos, com muitos lances de enterradas e bloqueios nos adversários. Mas a verdade é que, além dos lances plásticos, ele contribui muito pouco para a equipe. Sua função primária seria defender o garrafão, coisa que ele não faz efetivamente.

Outra complicação foi o seu medíocre aproveitamento nos lances livres (apenas 38.6%). Por causa disso, em todos os finais de jogos ele ficava sentado no banco de reservas.

O futuro

O planejamento do Clippers começava com a missão de manter o seu principal jogador, Chris Paul, que seria agente livre irrestrito e havia despertado interesse de várias equipes ao redor da Liga. Paul renovou por cinco anos, com um contrato máximo, e, assim, o Clippers conseguiu manter o melhor armador da NBA em seu elenco.

Um ponto chave para o futuro do time foi a demissão do técnico Vinny del Negro, que claramente não estava a altura de comandar a equipe. Para o seu lugar veio o renomado e muito bom treinador Doc Rivers.

No draft, a equipe angelina selecionou o ala Reggie Bullock, de North Carolina. Ele deve ter minutos reduzidos nas primeiras temporadas, pois o perímetro da equipe está cheio de opções.

No período de negociações, procurando melhorar o seu perímetro, o Clippers fez uma troca tripla com Milwaukee Bucks e Phoenix Suns, enviando Eric Bledsoe e Caron Butler para o Suns, em troca de Jared Dudley e uma escolha de draft de segunda rodada, que foi enviada ao Bucks, juntamente com uma escolha sua de segunda rodada pelo ala-armador J J Redick.

Ainda no período de negociações, a equipe assinou com o armador Darren Collison. Assim como ocorreu na época de New Orleans Hornets, ele será o reserva de Chris Paul, com a missão de sair do banco e trazer velocidade e energia a quadra.  O ala-pivô Byron Mullens também foi contratado, dando, assim, uma opção de jogador de garrafão com bom arremesso, que sai mais para o perímetro e abre espaços na quadra.

O Clippers, na temporada 2013-2014, terá um novo e muito capacitado técnico, boas e importantes adições. Por isso, a equipe tem chances de fazer uma temporada melhor do que a última.  O perímetro melhorou consideravelmente. Reddick deve fazer a função de Billups, ser o ala armador com bom arremesso ao lado de Chris Paul. A vantagem é que Reddick não se machuca tanto. Na última temporada, Billups participou de apenas 22 partidas na temporada regular.

Com a dupla de armação formada, e com a presença de Jamal Crawford ainda como um dos melhores reservas da Liga, além de Collison e Willie Green como opções, o perímetro esta muito bem servido. Na ala, Jared Dudley chega para ser o titular e deve contribuir bastante para a equipe. Ele é um jogador que pode fazer de tudo na quadra e com competência. Matt Barnes foi importante na última temporada e renovou com a equipe. Ele é uma boa opção tanto para ser o substituto de Dudley como para jogar ao seu lado em uma formação mais baixa.

Mas a principal fraqueza do Clippers vem do garrafão. Jordan é muito limitado, e Griffin, apesar de ter mostrado boa evolução no seu jogo, ainda não é um jogador confiável nos rebotes e nos arremessos mais distantes do aro, o que facilita de certa forma a defesa dos adversários. Ryan Hollins renovou e deve continuar com minutos reduzidos. A adição de Byron Mullens é importante para dar uma opção diferente para o setor.

Se quiser chegar mais adiante na competição, o Clippers deve considerar trocar DeAndre Jordan. O time precisa adicionar um pivô que possa contribuir mais na defesa de garrafão da equipe, principalmente nos minutos cruciais das partidas.

  • Rodrigo

    Clippers trouxe mta gente para o perimetro e esqueceu do garrafão…

    Mullens vai ser útil, mas o reserva de Center vai ser o Hollins mesmo? Ele é fraco e serve so pra garbage time…

    Clippers perdeu chances com Blatche, Blair, Maxiell, so pra ficar em tres nomes que poderiam ser mto mais uteis que o Hollins como “porradeiro reserva pro garrafão”…

  • fabiohamza

    Para 2013 espero um Blake Griffin mais dominante no garrafão. Acredito que tenha condições de se impor jogando na posição 5 devido a sua explosão e velocidade comparadas aos outros atletas da posição. A renovação com C. Paul foi um golaço dos bastidores, imaginem só o quento seu agente não deve ter sido assediado.

  • viniciusbedra

    Um dos melhores elencos da liga, e com um ótimo treinador, acho que é postulante ao título.

  • JJÚNIOR

    Eu acredito que com o Doc o Jordan vai render mais, principalmente defensivamente. Clippers tem o melhor armador (para a maioria), um excelente banco de reservas (um dos melhores), vários bons jogadores no time e uma incógnita: Blake Griffin. Será que Blake vai conseguir chegar a um novo nível como jogador? Ou continuará sendo aquele jogador apenas de espetáculo?

  • Guilherme Varella

    Só não concordo com a parte que diz que o CP3 é o melhor armador da liga

  • Jeferson

    CP3 é o melhor armador da liga com certeza. É bom em diversos fundamentos.
    Mais de US$ 10 milhões anuais para D. Jordan??? O agente dele é o melhor do mundo…kkkkk

    • Marco Fernandes

      Menos no rebote :/

  • Thiago

    Afirmar que o DeAndre Jordan é muito limitado é um elogio! 10 milhões pra ele então… É com ctz um dos jogadores mais burros da NBA, não tem nenhum talento além do seu físico, que não é utilizado devido a sua limitadíssima capacidade mental. Resumindo, não entende o jogo (dos 2 lados da quadra), não tem QI de basquete, não é bom em nenhum aspecto do jogo.

    Quando vejo ele na quadra tenho vontade de matá-lo… é o câncer do Clippers! Realmente espero que seja trocado!

  • Pedrinhooo

    O CP3 é o melhor armador da NBA de longe. Ele é scorer da assistências, rouba bolas é completo. O seu jogo é identico ao Stockton um grande idolo meu a seguir ao Magic, Kobe, CP3 e Jordan.

    Agora com treinador espero uns Clippers na final de conferência sem menor das duvidas.

  • CP3 é fantástico, mas se o Rose voltar jogando o q jogava antes da contusão, fico com Rose. Não tenho a menor dúvida que o Rose trás muito mais impacto ou carrega uma franquia mais do que o CP3. E antes que venham dizer “ah, mas o Rose tá mais pra SG”, mas ele joga de PG!! Basta ver aonde cada um levou suas respectivas franquias em todos os anos que estiveram na liga. Respeito quem discorda, mas é minha opinião..

  • Gabriel”los mavs”

    Asik deve sair se o Clippers ou arrumar da ou então Super Greg.

    • Olavo

      ???

  • Marcos Gordinho

    Doc fará de DeAndre o mesmo que fez com Perkins no Celtics, uma porta que dá sustentabilidade a defesa. Acabará valendo no fim os 10MI. Crawford deveria ter arrastando o prêmio de melhor sexto homem, mas infelizmente o ataque titular fica muito limitado sem muitas opções, Odom não é sombra do que foi quando atuou no Lakers, e Barnes não recebia a bola como deveria, apesar de se movimentar constantemente sem a laranja. Se Doc Rivers conseguir azeitar a equipe que tinha um dos melhores banco de reservas teremos com certeza o Clippers no mínimo fazendo a final de conferência.

  • Luiz Henrique Santos

    Realmente o Garrafão deixa a desejar no Clippers, mas quem sabe com o Doc a coisa não melhora… minha previsão é que fiquem entre o terceiro e o sétimo lugar na temporada regular.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados