logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 1 fev 2014 às 10:51
Procura-se: o basquete de Danny Green

O ala-armador do Spurs precisa voltar a jogar como na temporada passada quando retornar de lesão

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Luiz Fernando Teixeira

“Só que agora, Green chegou em um outro patamar. Não, não estou dizendo que ele é um astro, mas sim, que está jogando como um. Com médias de 18.0 pontos e 4.0 rebotes, além de improváveis 65.8% de aproveitamento nos arremessos de três. Você pode até achar estranho e não gostar dessa possibilidade, porém Green é um sério candidato ao prêmio de MVP das Finais”

Quem escreveu isso sobre Danny Green foi o nosso glorioso Carlos Gustavo “Mastô” Freitas, logo após o jogo 5 das Finais da NBA de 2013, quando o San Antonio Spurs fez 3-2 sobre o Miami Heat  e estava a um passo do quinto título da franquia, o que coroaria o trabalho de Gregg Popovich, a longevidade de Tim Duncan e faria todos os esqueceram a pós-temporada horrível de Manu Ginobili.

Mas aí, isso aconteceu no jogo 6, e será lembrado por anos:

Embora o herói, com méritos, seja Ray Allen, esse também foi o jogo em que um LeBron James-sem-bandana-cobrindo-a-careca jogou em um Marshawn Lynch’s Beast Mode e anotou um triplo-duplo com 32 pontos, 10 rebotes e 11 assistências. Allen só marcou nove pontos.

Ginobili também conseguiu estragar tudo para o Spurs ao cometer dois desperdícios ridículos no último minuto da prorrogação, e é bom lembrar dos dois tocos de Chris Bosh em arremessos do Spurs que poderiam ter selado a vitória no fim, ou de Ray Allen sendo clutch mais uma vez ao matar os dois últimos lances livres…

Mas eu divago em um Jogo 6, e antes que resolva falar do jogo 7 paro por aqui, afinal o tema do artigo é outro: Danny Green, que deve retornar à franquia de San Antonio no próximo mês, já que se recupera de uma fratura no dedo.

Após as Finais, Green parece ter esquecido a velha forma de jogar basquete e vem batalhando contra a irregularidade nesta temporada. Seu aproveitamento nos arremessos (41.7%) é o pior desde o ano de calouro, e nas tentativas de três pontos ele está abaixo dos 40% desde o seu segundo ano de  Spurs – 38.4%.

Ele, que foi titular em todos os jogos de 2012-13, havia começado a perder a titularidade para Marco Belinelli, que chegou à equipe para esta temporada. Nenhum absurdo, já que Green tinha médias pífias de 7.4 pontos por jogo, contra mais de 10 do italiano.

Mas o que aconteceu ao Spurs para que o ala-armador tivesse uma queda de rendimento tão grande? O sistema de jogo não teve nenhuma mudança drástica, pelo contrário: evoluiu ainda mais para o que lhe favorecia, com Tony Parker sendo o maestro e Duncan deixado uma referência tão grande no ataque.

Green teria ainda mais liberdade para se movimentar sem a bola, receber o passe e arremessar (como Kyle Korver no Atlanta Hawks, por exemplo), mas o que aconteceu foi ele perder espaço na rotação, errar arremessos que não errava e ser esquecido.

No elenco do Spurs, não houve tanta mudança assim também. Além da chegada de Bellinelli, Gary Neal deixou o time, trocando seis por meia dúzia. Ginóbili voltou a jogar em alto nível vindo do banco de reservas, sendo até um bom candidato ao prêmio de Melhor Sexto Homem do ano novamente, mas nada disso justifica a queda de rendimento de Green.

Eu queria terminar o artigo chegando à uma conclusão sobre o que aconteceu com o basquete de Green, mas não achei. O Spurs soube contornar a sua má fase (como era de se esperar), mas com certeza ele pode aumentar ainda mais o poder de fogo da equipe quando voltar de lesão.

[polldaddy poll=7763595]

  • Cara, eu lembro disso e fico por entender o que aconteceu. Mas o que eu acho mesmo é que ele é um bom jogador, que estava fazendo chover no período mais importante da temporada. Seria surreal, mas eu li que tinha neguinho da “alta cúpula” da NBA preocupado com a possibilidade de dar o MVP para um jogador desse nível.

  • Big

    Eu sei que não é o tema desse post, mas é impressionante como não me canso de ver esse lance do Ray Allen… Incrível a vibração do lance… Que jogo memorável…

    • Nicolas

      O lance foi espetacular! Pior que quando estava assistindo o jogo, na hora que o Lebron arremessa achei por instantes que o Heat já tinha ido, aí o bosh pega o rebote e o allen faz aquilo! Na hora a reação foi tipo, o que aconteceu??? É sério isso? Simplesmente incrível!

  • Michel Moral

    Green é um jogador regular. O fato de ter feito uma boa série de playoffs poderia até colocá-lo em posição de destaque na história da liga, mas ele está longe de ser um fenômeno.

    Caiu de produção, mas nada que cause tanto espaço, na minha opinião.

    Não o vejo como um Robert Horry, por exemplo. Horry foi muito bom, nunca um astro, mas tinha sangue frio para resolver nos momentos decisivos.

    • Michel Moral

      Cause tanto espanto, corrigindo.

  • Acho que ele foi questão de momento. Tava empolgado e ponto.

    Mudando de assunto e deve sair uma matéria sobre, o Pacers assinou o Bynum.

  • A Finlandia, sim, isso mesmo, a Finladia recebeu o convite! E irão ficar fora do mundial Russia, e Itália… A FIBA é uma piada, assim como a CBB, que comprou esse convite, ao invés de investir em clínicas de basquete para os jovens, infra estrutura e crescimento do esporte, piada!!

    • Jogador Estrela!

      Acredite que a FIBA é melhor que a NBA 1000x. Em termos regulamentares, agora em jogadores é melhor a NBA.

      • Ricardo Aguiar

        Nada que parte do Brasil pode ser melhor, por conta da corrupção, que impregna nao so a política como os esportes.

  • Danny Green pode ter caído de produção no ataque, mas continua ao lado do Kawhi Leonard e o Duncan a base do tripé defensivo dos Spurs. Acredito que essa situação se inverta nos playoffs (ele jogando mais minutos que o Belinelli.

  • Bruno OKC

    MARSHAWN LINCH BEAST MODE! KKKKKK. Essa entrou pra história! Amanhã ele tá lá no Metlife Stadium dando show

  • O cara teve um bom momento e até agora só. Mas a turma se antecipa nos julgamentos…

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados