logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 16 fev 2014 às 23:59
O Jogo em Números (16-02-14)

Uma análise aprofundada sobre a produção dos melhores reboteiros da temporada e os esnobados do Jogo das Estrelas são destaques desta semana

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Ricardo Stabolito Jr.

Reboteiros: uma visão mais ampla

Média de rebotes é uma estatística facilmente acessível a todos não apenas porque qualquer site disponibiliza, mas porque é muito perceptível em jogo. Podemos notar com clareza quem são os melhores reboteiros em uma partida, até contabilizar o número de rebotes que pegam. Mas, hoje, vamos nos aprofundar nos números dos melhores reboteiros da temporada para buscar informações difíceis de contar a olho nu e que são até mais importante para avaliar a qualidade dos atletas no quesito.

Os 11 jogadores que possuem média de dez rebotes (R.J.) nesta temporada serão analisados aqui, mas este é apenas o ponto de partida. Nós vamos buscar outros cinco números (que dizem respeito à produtividade, eficiência e dificuldade) sobre cada um deles que ajudam a aprofundar a compreensão de sua excelência neste quesito:

– Rebotes por minuto (R.M.) – Número de rebotes coletados pelo atleta por minuto que atuou.

– Taxa de rebotes (T.R.) – porcentagem dos rebotes “disponíveis” em jogo que um jogador pega enquanto está em quadra.

– Oportunidades de rebotes aproveitadas (O.R.) – porcentagem de rebotes que um atleta pega quando em oportunidade real de pegá-lo (a um metro de distância, especificamente).

– Rebotes contestados (R.C.) – porcentagem de rebotes que um jogador pega quando oponentes também estão em condições reais de pegá-lo (um metro de distância).

– Rebotes ofensivos por defensivos (R.O) – número de rebotes ofensivos que um atleta pega para cada defensivo que coleta. Lembre-se que um rebote ofensivo quase sempre é contestado.

X

PRODUTIVIDADE

EFICIÊNCIA

DIFICULDADE

Jogador

R.J.

R.M.

T.R.

O.R.

R.C

R.O/D

DeAndre Jordan

14.0

0.389

21.6%

71.0%

39.1%

0.428

Kevin Love

13.2

0.364

19.6%

66.1%

37.9%

0.330

Andre Drummond

13.0

0.400

22.1%

70.1%

45.4%

0.710

Dwight Howard

12.5

0.363

20.2%

68.2%

37.6%

0.358

DeMarcus Cousins

11.7

0.360

20.4%

68.8%

35.2%

0.376

Joakim Noah

11.5

0.338

19.1%

62.8%

42.4%

0.493

LaMarcus Aldridge

11.4

0.307

16.7%

66.6%

27.2%

0.266

Andrew Bogut

10.7

0.389

21.2%

69.1%

37.3%

0.371

Zach Randolph

10.4

0.300

17.7%

57.6%

39.2%

0.450

Anderson Varejão

10.2

0.339

19.0%

57.5%

36.2%

0.436

Tim Duncan

10.0

0.339

19.4%

66.8%

38.9%

0.266

DeAndre Jordan é o líder absoluto em média de rebotes por jogo, mas note que, ao se avançar pelos números, Andre Drummond é quem se revela o melhor dos reboteiros – liderando quase todos os demais quesitos. Nos números de eficiência, além do pivô do Detroit Pistons, Jordan, Andrew Bogut e DeMarcus Cousins também se destacam. Já em termos de dificuldade, Zach Randolph e Joakim Noah fazem companhia a Drummond entre os melhores. E, de uma forma geral, note como LaMarcus Aldridge fica claramente para trás da concorrência na maior parte dos dados.

No fim das contas, sob os termos usados aqui, parece bem evidente que Andre Drummond é o melhor reboteiro desta temporada.

 

Em busca do “40-10-10”

O ala Kevin Durant flertou com triplos-duplos anotando 40 pontos ou mais em duas partidas na última semana. Diante do momento vivido pelo astro, isso pode não parecer uma marca tão impressionante. A história da NBA, porém, diz algo totalmente diferente. Desde 1985, a liga registrou apenas 13 atuações de triplo-duplo com 40 pontos ou mais e somente sete atletas foram responsáveis por elas:

Jogador

Número de atuações

Datas

Pts.

Reb.

Ass.

 

Larry Bird

 

3

14/02/1986

47

14

11

13/12/1989

40

11

10

15/03/1992

49

14

12

 

Michael Jordan

 

3

03/01/1989

41

10

11

09/04/1989

40

10

12

13/04/1989

47

11

13

 

LeBron James

 

3

09/04/2005

40

10

10

15/02/2006

43

12

11

18/02/2010

43

13

15

Michael Adams

1

31/01/1991

45

11

12

Chris Webber

1

27/12/1995

40

10

10

Tracy McGrady

1

23/02/2003

46

10

13

Vince Carter

1

07/04/2007

46

16

10

Durant já teve seis atuações com mínimo de 37 pontos, sete rebotes e sete assistências na carreira, sendo que quatro delas aconteceram nesta temporada. Parece ser questão de tempo para que entre no seleto grupo citado acima.

 

Quando Dwight Howard pontua…

O Houston Rockets vive uma série de sete vitórias consecutivas e Dwight Howard anotou 20 ou mais pontos seis delas. Mas não é apenas na série de resultados positivos que a pontuação do pivô está fazendo a diferença em favor dos texanos. Na verdade, a equipe ainda não perdeu em 2014 quando o astro alcançou a marca dos 20 pontos. Confira no quadro abaixo a variação do rendimento do time com a pontuação do titular como base:

Dwight Howard

Campanha (V-D)

Diferença de pontos média

Vinte ou mais pontos

19-5

+8.08

Menos de 20 pontos

17-12

+1.13

 A última derrota do Rockets em uma atuação de 20 ou mais pontos de Howard aconteceu no dia 23 de dezembro, contra o Dallas Mavericks. Desde então, são 13 vitórias consecutivas da equipe quando o pivô alcança a marca – incluindo triunfos sobre Phoenix Suns, San Antonio Spurs e Portland Trail Blazers.

 

Os eficientes que ficaram de fora

A convocação do Jogo das Estrelas nunca agrada completamente a todos. Sempre tem um jogador injustiçado, alguém que entrou pela votação popular sem merecer muito ou aquele veterano que ganha uma vaga entre os reservas mais por prestígio do que por rendimento. Ficamos aqui, então, lamentando por atletas como Goran Dragic, DeMarcus Cousins, Kyle Lowry, Al Jefferson e por aí. Cada um de nós faria uma ou mais mudanças na lista final. E, pesquisando, você verá que as estatísticas também têm seus esnobados – e nós vamos descobrir quem são eles.

Aqui, vamos trazer os dez melhores jogadores da liga que não foram convocados para o Jogo das Estrelas em quatro estatísticas que utilizam bases diferentes para “medir” a produtividade e importância de um jogador: eficiência (que se baseia em números brutos e está largamente em desuso), PER (eficiência baseada na produção por minutos), win shares (sintetiza o número de vitórias que um atleta agrega ao seu time) e PIE (uma mensuração do impacto do jogador em uma partida). Ao lado do nome, entre parênteses, está seu índice e – quando disponível – sua posição entre todos os atletas da NBA:

Pos.

EFF

PER

W.S.

PIE

1

DeMarcus Cousins (25.5 / 6º)

DeMarcus Cousins (26.15 / 6º)

Kyle Lowry (8.1 / 6º)

DeMarcus Cousins (17.6% / 5º)

2

Andre Drummond (22.37 / 10º)

Brook Lopez (25.72 / 7º)

DeAndre Jordan (7.5 / 8º)

Al Jefferson (16.1% / 9º)

3

DeAndre Jordan (22.27 / 11º)

Brandan Wright (24.27 / 11º)

Goran Dragic (7.1 / 10º)

Tim Duncan (15.6% / 13º)

4

David Lee (21.48 / 15º)

Goran Dragic (22.80 / 13º)

Andre Drummond (6.5 / 15º)

Al Horford (15.3% / 15º)

5

Tim Duncan (21.18 / 16º)

Andre Drummond (22.40 / 15º)

Serge Ibaka (6.5 / 16º)

Brook Lopez (15.3% / 16º)

6

Goran Dragic (20.58 / 19º)

Al Horford (22.19 / 16º)

 

 

 

Não encontramos ranking de win shares que vá além do TOP 20

Goran Dragic (14.5% / 19º)

7

Kyle Lowry (20.23 / 21º)

Al Jefferson (22.18 / 17º)

Russell Westbrook (14.5% / 20º)

8

Serge Ibaka (20.20 / 22º)

Tim Duncan (22.09 / 18º)

Eric Bledsoe (14.2% / 22º)

9

Ty Lawson (19.93 / 23º)

Russell Westbrook (21.64 / 20º)

Brandan Wright (13.9% / 24º)

10

Zach Randolph (19.20 / 24º)

Mike Conley (21.39 / 21º)

David West (13.9% / 25º)

É lógico que alguns nomes surgem e devem ser desconsiderados imediatamente por situações diversas (Brandan Wright não faz parte desta discussão; Lopez, Horford e Westbrook estão afastados). Mas muitos jogadores considerados esnobados no Jogo das Estrelas aparecem nas listas. Não surpreende, por exemplo, que Goran Dragic seja o único atleta que está nas quatro relações.

DeMarcus Cousins, Tim Duncan e Andre Drummond aparecem em três das relações. O pivô do Sacramento Kings, que muitos acreditam não ter sido convocado apenas pela campanha da equipe, lidera todos os quesitos em que está representado. Outro que foi apontado como grande esnobado, Kyle Lowry só aparece em dois números – mas é o líder em um deles.

 

Jogo rápido:

– O jovem pivô Andre Drummond, do Detroit Pistons, quebrou o recorde da carreira ao pegar 22 rebotes diante do Brooklyn Nets, no último dia 07. Com 20 anos e 181 dias, o “garoto” virou o quarto atleta mais novo da história da liga a ter uma atuação de 22 ou mais rebotes na NBA. Ele fica atrás apenas de John Drew (em 1974, com 20 anos e 89 dias), Dwight Howard (2006, com 20 anos e 128 dias) e Tyson Chandler (2003, com 20 anos e 136 dias).

Damian Lillard não conseguiu comandar o Portland Trail Blazers à vitória contra o Indiana Pacers, também no último dia 07, mas entrou para a história da franquia com seus 38 pontos e 11 assistências. Ele tornou-se o primeiro jogador a ter mais de uma atuação com mínimo de 35 pontos e dez assistências em uma mesma temporada com o time do Oregon.

– O Memphis Grizzlies não teve muita “ajuda” da arbitragem na vitória contra o Atlanta Hawks, no último dia 08. Isso porque a equipe comandada por Dave Joerger teve só um lance livre na partida inteira, igualando recorde da liga. As outras duas ocorrências de times com apenas um lance livre cobrado foi com o Cavaliers (novembro de 1994) e Hornets (novembro de 2004) – não por acaso, ambos perderam seus jogos.

– Os passes foram a chave da vitória do Charlotte Bobcats diante do Dallas Mavericks, na última terça-feira (11). As 42 assistências registradas pelo time na vitória por 114 a 89 são o novo recorde da história da franquia. Além disso, mais de 90% das cestas dos comandados de Steve Clifford vieram de assistências, maior marca de uma equipe nesta temporada.

– A temporada do Cleveland Cavaliers não tem sido fácil, mas o time parece estar tentando uma arrancada final para brigar pela oitava vaga do Leste com um momento, de certa forma, histórico: a atual sequência de quatro vitórias da equipe é a maior desde que LeBron James deixou a franquia.

  • hebert

    Alguns pivôs deram azar em estar na conferencia errada rs.
    Bosh pra mim é all star, mas essa temporada esta um pouco fora de sintonia, só melhorou nesse último mês, então a sua ausencia não seria absurdo.
    Porem falta pivôs de qualidade no leste.

  • Ramon

    Larry Bird , monstro sagrado dos Celtas !

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados