logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 27 fev 2014 às 11:00
Negócios…

Luiz Fernando Teixeira reflete sobre a saída de Danny Granger do Pacers, após nove anos como um dos líderes da franquia

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Luiz Fernando Teixeira

Danny Granger foi o grande ídolo do Indiana Pacers no período de transição entre os jogadores que faziam parte do elenco da franquia durante a famigerada briga com jogadores e torcedores do Detroit Pistons, em 2004, e a geração atual, que quase foi finalista da NBA na temporada passada. Draftado em 2005, foram nove anos dentro do time, sendo 2009 o seu melhor ano na carreira, quando foi convocado para o All-Star Game e eleito o Most Improved Player da liga.

Infelizmente, a partir daí ele não evoluiu mais, pelo contrário. Apesar de ter feito parte da seleção norte-americana que foi campeã mundial em 2010, na Turquia, Granger começou a sofrer com lesões, sendo a mais grave uma tendinite patelar, que o tirou das quadras por praticamente dois anos. 

O Pacers, porém, continuou com sua revitalização, sob o comando de Larry Bird, que montou o núcleo do time atual (Roy Hibbert em 2008, Paul George e Lance Stephenson em 2010, David West e George Hill em 2011), além de efetivar o treinador Frank Vogel no cargo em 2011, depois de ser assistente da própria franquia por quatro temporadas. Com essa base, o Pacers chegou muito perto de voltar à uma Final de NBA, perdendo para o Miami Heat no Jogo 7 das Finais do Leste na temporada passada.

Em 2013-14, o time, que já era bom, melhorou ainda mais. Novos jogadores chegaram para compor a rotação (Luis Scola, Andrew Bynum, C.J. Watson) e os que já estavam na equipe deram mais um salto de qualidade (George e principalmente Stephenson). Além deles, Danny Granger, ídolo da torcida e recuperado de lesão, era esperado para ser o líder dos reservas, pontuando sempre que possível para dar um descanso aos titulares e ser uma dor de cabeça para o técnicos adversários.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=2FNfkMozPLQ]

Mas não foi isso que aconteceu. Granger parecia estar fora de forma, sem ritmo de jogo, e com a mão descalibrada. Atuando 22.5 minutos, suas médias não passaram de 8.3 pontos, 3.6 rebotes, 1.1 assistência e pífios 35.9% de aproveitamento nos arremessos de quadra. Muito abaixo de suas próprias médias na liga, e aquém das expectativas em torno dele.

O que fazer quando o reserva mais atuante do time não contribui? Larry Bird aproveitou a chance na trade deadline e o despachou para o Philadelphia 76ers, em troca do mais jovem e disposto Evan Turner, que  está no seu último ano de contrato de calouro. Românticos talvez vejam a saída de Granger do time como uma espécie de traição, já que logo agora que o Pacers está mais próximo do que nunca do título, a estrela solitária de um time em reconstrução foi mandada embora.

Mas a NBA são negócios, e todos sabem disso. Bird quer ser campeão e Granger estava sendo um estorvo, com o seu salário gigante não correspondendo em quadra. Dessa forma, Turner se viu na melhor situação de sua carreira até o momento: saiu de um time que claramente não quer vencer nessa temporada, para o que tem mais chances de vencer o Miami Heat na conferência Leste.

Apesar de ter médias respeitáveis de 17.4 pontos, seis rebotes e 3.4 assistências em 2013-14, Turner sempre foi uma decepção na NBA. Por conta do período da faculdade, ele era altamente cotado no Draft de 2010, quando ficou atrás apenas de John Wall no recrutamento, e oito posições acima de Paul George, por exemplo.

Turner não conseguiu se destacar no Sixers, sendo coadjuvante de Andre Iguodala, Jrue Holiday, e até mesmo de Michael Carter-Williams dentro da franquia. Talvez isso tenha acontecido porque ele não era talhado para o protagonismo, no fim das contas, sendo que sua função seja “apenas” a de um role player. 

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=6wUieDPX-6o]

No Pacers, é justamente isso que ele vai ser. Se sua chegada foi também uma prevenção contra uma eventual saída de Lance Stephenson do time, não há como saber no momento. O fato é que ele vai produzir mais do que Granger nos minutos reduzidos a que vai ter direito no Pacers, sendo muito mais produtivo do que o ex-ídolo.

Quanto à Granger, seu futuro é incerto. Ele já foi dispensado do Sixers e agora deve jogar em um contender. Rumores dão conta de que Heat, Los Angeles Clippers, San Antonio Spurs, Chicago Bulls e Houston Rockets estão interessados nos serviços do ala. Espero apenas que, onde quer que ele vá, ele possa voltar a ser produtivo.

[polldaddy poll=7835440]

  • Acho que Clippers e Spurs correm na frente pra obtê-lo. Ele teve muitos momentos de tensão com James em quadra. Ele teria que estar muito chateado com o Pacers pra assinar com o Heat. Mas pra onde for, vai ser uma adição e tanto. Faz muito sentido pro Clippers e Bulls.

    • RafaelRox

      Esses dois realmente necessitam dele… tbm acho que seria bom em Dallas.

      • segundo o site da NBA o Clippers está na frente para receber o Danny

  • Perfeito o texto. Quem torce pro Pacers, obviamente, ficou chateado por Granger, o cara que carregou o piano nos anos difíceis, sair justamente agora que o time é um maiores favoritos ao título, mas NBA são negócios e ele não estava rendendo o que a franquia esperava, e muito longe do Danny de 4, 5 anos atrás. Na torcida pra ele ir para o Clippers, vai se encaixar muito bem lá. Turner tem tudo pra ajudar muito mais esse time do que Danny vinha ajudando.

    • Luiz

      Concordo contigo. É complicado ver aquele cara, que salvou teu time em vários momentos difíceis, ir embora quando tudo está indo bem. Mas também, entendo totalmente o lado de Larry Bird, que está buscando o título dessa temporada.
      É chato quando isso acontece, mas é completamente plausível.

      • Isso mesmo, mas não dá pra manter o cara por gratidão. O Pacers tem um objetivo claro essa temporada e perceberam que ele não poderia ajudar nisso, foram atrás de alguém que acham que vai. Espero que dê certo e espero ver o Danny num bom time.

  • Gostaria muito dele nos Bulls, com Granger jogando tudo o que sabe eu acreditaria em título nessa temporada, seria um substituto perfeito para o Luol Deng, e ano que vem poderiamos renovar com ele se não conseguirmos o Melo.

  • PacersWin

    Bulls título é piada amigo, fanatismo cega…
    Estou muito feliz com a chegada do Turner, o objetivo é título e insistir no que vinha fazendo o Granger com esse FG podia nos custar isso.

    • Blz cara, nos Playoffs a gente vê, não se esqueça que a camisa pesa na hora do aperto, mas eu sei que o Bulls não é favorito a nada nos Playoffs mas é um time que sempre surpreênde.

      • M Dias

        Eu gostaria de ver um Pacers vs Bulls nos offs só pra ver a cobra fumar kkkkkkkkkkk
        Até que não seria uma missão impossível para o Bulls passar pelo Pacers, já o Heat o negócio é totalmente diferente…

  • Pançudo

    Acho que ele encaixaria bem no Spurs. Poderia fazer uma variação, ele vindo do banco, com o K. Leonard jogando de 2. E em caso de melhora, ganhando mais minutos em relação ao D. Green que tá em baixa nessa temporada.

  • caio_l

    melhor time para ele é o clippers, iria ajudar muito o cp3.

  • Acho que o Pacers não chega a final do leste! O Time esta descendo a ladeira! PG acha que é Kobe e chuta demais; Hibert esta com algum desconforto físico, não rende o mesmo e LS é meio porra louca. Aposto no bulls ou nos nets.

    • M Dias

      Até que faz sentido seu comentário!
      “PG acha que é Kobe” foi f*** kkkkkkkkkkkkkk

  • marquin

    NBA não tem nada a ver com “ser justo”. NBA = business. E é o q é.

  • Michel Moral

    Eu, no lugar do Granger, ficaria puto com o Indiana. Eu iria para outro time que briga pelo título e torceria pra cruzar com o Pacers no caminho.

    Eu sei que a NBA é negócio, não tem amor que impressa um time de buscar algo melhor. Esse é o lado da franquia e dos seus dirigentes. Mas a verdade é que não houve reconhecimento nenhum pelo que o jogador representa para a franquia. E sinceramente? Granger saudável é um milhão de vezes mais jogador do que o Turner. Jogador por jogador, o Pacers se deu mal, na minha opinião.

    Mas por outro lado tem a posição do jogador. Eu ia querer calar a todos do meu ex-time. Competitivo como é Danny, deve pensar do mesmo jeito.

  • Guilherme

    Acabou de dar na transmissão do jogo no Sports+ que o Granger falou para o Doc Rivers que vai para o Clippers

  • Leandro Schultz

    Se eu fosse Bird faria a mesma coisa, e se eu fosse Granger também ficaria puto. rsrs

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados