logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 28 fev 2014 às 09:51
Eu tenho ideias

Gustavo Freitas propõe algumas ideias para fazer a NBA, no mínimo, mais divertida

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Freitas

Sim, eu tenho ideias. Nem sempre são boas, mas também acho que passam longe de péssimas. Ao menos, seriam tentativas de fazer com que a NBA alcance um patamar de maior grandeza. Como eu tenho certeza que ninguém da Liga vai ler isso aqui, queria saber um pouco mais das suas opiniões.

Semana das Estrelas

Sinceramente, não gostei do formato da votação para perímetro e garrafão. De onde saiu isso? Aí as seleções de Leste e Oeste acabam entrando em quadra sem um pivô de ofício e tudo bem? Parei. Tudo bem que a safra de jogadores da posição é ruim há alguns anos e não vejo, em um futuro próximo, uma mudança drástica nesse cenário. Mas que tem que ter um cara de garrafão, tem. No Oeste, todos sabem que se for fazer aos moldes antigos, Dwight Howard será o mais votado. Do outro lado, entretanto, o buraco é mais embaixo. Roy Hibbert, talvez, seja o nome mais apropriado. Que voltem os pivôs, por favor.

Acho que a ideia de termos um bônus para o vencedor do Jogo das Estrelas é muito válida. Que se faça como na MLB, liga de beisebol, onde a conferência vencedora ganha a vantagem de decidir em casa na final. É justo com um time que termina a temporada regular com 65 vitórias? Claro que não. Mas dá ao All Star game a chance de ter uma devida importância além do que é hoje, algo meramente festivo e sem graça.

Agora algo que provavelmente vai fazer você levantar a sobrancelha, mas tem um bom sentido. Colocar, frente a frente, os quatro melhores jogadores da NBA em enterradas para disputar o torneio. Sim, estou falando de LeBron James, Blake Griffin, Paul George, e John Wall, pelo menos hoje. Que se faça uma votação com dez ou 12 nomes e então, o público decide quais serão os que disputarão o evento.

Mas como convencer LeBron ou outros sujeitos por aí?

Aí é que está a questão. Ei, empresas gigantes, estou falando com vocês. Seja lá Samsung, Adidas, Nike, Sony, McDonald’s, qualquer uma. Peguem um cheque no valor de US$ 5 milhões de dólares para que o vencedor da competição doe para a instituição que quiser. Quero ver um jogador se negar a fazer um ato como esse. Simplesmente não tem como. É o famoso ganha-ganha. A NBA volta a ter um campeonato de enterradas atrativo de fato, a instituição recebe um cheque gordo, e o jogador ainda sai com a fama de filantrópico. É quase lindo isso.

Aumentar a distância da linha de três pontos

Hoje, a NBA está carente do jogo de garrafão e a gente só sabe culpar a geração, como eu o fiz acima. Mas será que é isso mesmo? Nas últimas décadas a Liga fez alguns testes. Inicialmente, trouxe essa linha para 6,7 metros em toda sua extensão, entre 1994-95 e 1996-97. O ala George McCloud (lembra dele?) conseguiu arremessar nada menos que 678 vezes de longa distância. Um absurdo! 

Então, isso foi revisto e passou a ter 7,22 metros e 6.70 nas bordas. O que aconteceu? Os arremessos dos lados da quadra cresceram de forma insana e os aproveitamentos, nem tanto. Claro que sempre vão existir aberrações como Steve Kerr ou Kyle Korver, convertendo algo próximo de 50%, mas aqueles jogadores que não são lá essas coisas, vão continuar tentando como se não houvesse amanhã. Do latim, foda-se o time.

Para se ter uma noção, teve time arremessando cerca de 29 vezes por jogo atrás da linha de três na temporada passada. Deixa de ser artifício e a equipe vira refém. Aí não tem como. 

A minha proposta é a seguinte: colocar a linha de três nos antigos 7,62 metros. Isso vai forçar aquele jogador cabeça de bagre parar de tentar esse artifício e deixar para os especialistas. Afinal de contas, todo time tem ao menos um atleta com maior capacidade na hora de executar o arremesso. Assim, você abre mais espaços, o garrafão fica menos congestionado, e a tendência é ver jogadores batendo cada vez mais para dentro da área pintada.

Acabar com a loteria do draft

Eu já posso sentir torcedores de times que estão fazendo o uso do tank me xingando. Tudo bem, eu torço para o Boston Celtics, antes de mais nada. 

Vamos fazer um exercício de imaginação. Todos os times possuem a mesma chance de pegar a primeira escolha e assim por diante. De cara, elimina a possibilidade de equipes perderem por querer. Por que, raios, vou dar um prêmio para aquele time que se esforçou em ser ruim o suficiente para ter mais chances nas bolinhas? Isso é insano. O teto salarial existe para tentar evitar que astros se juntem e formem dinastias. 

OK, entendo que o Los Angeles Lakers, Chicago Bulls, Los Angeles Clippers, Miami Heat, Celtão, entre outros, já fizeram o uso disso. Parabéns aos general managers, jogadores, e todos os envolvidos, por atrair estrelas para suas equipes. Mas loteria não quer dizer sorte? Então que todos tenham a chance de conseguir e ponto final. Azar de quem precisou perder intencionalmente. 

A chegada de Adam Silver pode ser um alento. Não que David Stern não fosse aberto a novas ideias e mudanças. Mas essas são algumas das que tive e que penso que a NBA possa ganhar com isso.

E aí, qual a sua opinião sobre isso?

  • Bruno#L.A.Lakers

    Mudança boa seria aumentar o cap pra uns 150 milhões , o Lakers msm recebe uma porrada de dinheiro e só pode gastar aquela mixaria que é o cap , o ibope da NBA tá nos times populares de massa Lakers , Bulls , Knicks , Celtics e Heat , esses times estando em alta e com o cap gigante pra formar verdadeiros times galácticos o Ibope da NBA estaria pipocando e quem era a NFL pra liderar essa bagaça , NBA rules !!

    • Caetano

      O problema de ter meia dúzia de times galáticos é que a grande maioria dos jogos não teriam muito interesse. Imagina só Jazz x Bucks, Kings x Raptors, Magic x Grizzlies e outros tantos jogos que não teriam apelo.

      Imaginem se Bird, Magic e Jordan tivessem jogados no mesmo time?

      O legal seria que cada time tivesse um all-star e que as rivalidades voltassem.

      Bons tempos de Malone e Stockton no Jazz, Barkley e Johnson no Suns, Kemp e Payton no Sonics, Drexler e Olajuwon no Rockets, Ewing e Starks no Knicks, Shaq e Hardaqay no Magic e tantos outros…

      • Bruno#L.A.Lakers

        Mano os outros times menos favorecidos de Money iam na base do draft msm , só que o cap tinha q ser maior , esse cap atual e uma vergonha pra times como Lakers e Knicks que arrecadam um absurdo !

      • Vinícius Maia

        “esse cap atual e uma vergonha pra times como Lakers e Knicks que arrecadam um absurdo”…é um absurdo para times grandes, mas ajuda times pequenos. É como o colega ali em cima falou, um cap gigantesco, faria jogos como Kings X Raptors, Magic x Grizzlies dentre outros, perderem a graça. Uma das grandes vantagens que eu vejo na NBA com relação a outras ligas de outros esportes é a competitividade coisa que existe, em partes, por causa do teto salarial. Eu fico olhando os times europeus de futebol por exemplo e não consigo ver graça em ver sempre os mesmo times tendo os melhores jogadores e brigando pelas primeiras colocações. Barcelona, Real Madrid, Milan, Manchester United são times que quase sempre contam com jogadores com status de estrela enquanto outros times com menos visibilidade dificilmente conseguem montar um elenco descente. Na NBA isso não existe, qualquer time tem chances de montar um time com bom elenco

    • Em pouco tempo iria ter os mesmos jogadores ganhando 2 ou 3 vezes mais do que ganham.
      Por exemplo, com esse cap ai, Lebron, Wade e o Bosh ganhariam 40mi cada.

      • Sim, para os Bulls e Lakers da vida seriam bons, mas time que eu mesmo simpatizo com o Magic e BobCats são seria tão bom assim, ficaria um campeonato espanhol, com Pacers, Bulls, Heat e Celtics de um lado, Spurs, Thunder, Lakers e Rockets do outro e o resto que se dane pra correr atrás.

    • marquin

      Beleza. Se for assim, é melhor que uns 22 times fechem as portas, e teríamos uma NBA com apenas 8 equipes e uma kcetada de bons jogadores desempregados ou tendo q jogar na D-League, na Europa ou na China. Amigo, um conselho pra você: o mundo não gira em torno do Lakers. Os amarelinhos já têm uma cidade atrativa, tradição, dinheiro, uma enorme torcida no mundo todo… E você ainda quer mais vantagens? Pensar como torcedor fanático é uma merda mesmo. Daqui a pouco você vai querer que os chutes de 3 do Lakers valham 5 pontos… afff

      Um pouquinho menos de fanatismo não machuca, sabia?

      • Cadu#5

        perfeito!

      • Matheus

        Como torcedor do Lakers,me deu vergonha desse comentário.

      • Vinícius Maia

        BRUTALITY! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • pedrokadf

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk piada !!

      • luisfernando

        Esse comentário merece um troféu de sensatez.

      • maia-bucks

        Morri.

        KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    • Vc quer um campeonato espanhol?????

      • Bruno#L.A.Lakers

        Calma pessoal só foi uma ideia , cada um tem a sua e todas devem ser respeitadas , abraço !

    • Marcos Efraim

      Se vc aumenta o Cap, você perde a chance de um time te surprender a ponto de ser campeão tipo O Detroit2003 o Heat2005 , vc provavelmente teria sempre os mesmo times brigando ,mesmo com o passar dos anos, por exemplo quem era o Spurs antes do Duncan ou o Okc antes do Durant e do Russel esses times alcançaram um nivel legal, 1º graças ao draft e depois por conseguir igualar-se aos grandes quando estavam crescendo

  • Caetano

    Clap! Clap! Clap!

  • A única coisa que me deixa receoso é a ideia de todos os times terem a mesma chance. Se pegarmos equipes de um mercado pequeno, que vão mal em um campeonato, a chance de repetir e repetir a campanha ruim é maior se ele não selecionar bons jogadores no draft. Mas equipes que claramente fazem o tank, devem ser punidas e não participarem do draft naquele ano.

    • Michel Moral

      Eu acho que é quase impossível se punir um tank.

    • Eu não concordo com o tank, jogar para perder despreza a essência do esporte e as leis da competitividade. É uma completa injustiça um time que suou a temporada inteira, foi pra uma final de conferência e morreu na praia, e outro que só zuou pegar uma escolha top 1 que pode ser um dos melhores jogadores da hitória.

    • É difícil provar que a esquipe está tankando. Não dá pra garantir que o 76ers, por exemplo, não ganha porque está se esforçando pra não ganhar ou não ganha porque o time não é bom. É complicado. Mudar o sistema do draft para uma loteria onde todos tenham a mesma chance não me parece ser a solução. Mas também não tenho ideias para mudar isso. hehe

  • rhafaheat

    To contigo e não abro Mastô! A unica pulga atras da orelha que tenho é com o bônus ao vencedor do ASG, eu sei que a MLB usa esse método, mas não sei se é tão justo assim, dar uma vantagem tão importante como o mando de quadra na decisão da liga, só pra tornar um jogo festivo mais interessante, não sei se é bom negócio.

    • rhafaheat

      Ah, faltou uma pergunta… Mastô, li alguma coisa na imprensa norte-americana a respeito de mudanças na NBA mesmo, a ampliação do tamanho da quadra e a introdução da linha de 4 pontos, procede isso? Já viu algo a respeito? E o que você acha disso?

      • Rafael Silva

        Essa linha de 04 é bem improvável, distorceria totalmente as estatísticas e faria do basquete um verdadeiro esporte de tiro ao alvo.

      • maia-bucks

        por mais improvavel que seja ha quem diga que na proxima reuniao dos cartolas da liga a linha de 4 estara em discussao.. Segundo o site do yahoo fonts de dentro da NBA estao considerando isso. Acho mais logico tornar a linha de 3 mais longe. Se colocar a linha de 4 pts como ficarao as estatisticas? vai ser uma viagem

      • Eu tenho uma ideia quanto a linha dos 4 pontos, e se cada time pudesse arremessar somente 5 bolas da linha dos 4 por jogo??? Aí ficaria interessante.

    • Peço desculpas aos que pensam assim, mas essa ideia é péssima. A liga deve pensar em algo melhor pra tornar o jogo das estrelas mais atrativo. Eu mesmo não gosto de ver.

  • Renon

    O que mais me incomoda na NBA é essa besteira de classificar 8 times de cada conferência nos playoffs. Os times do oeste que estão na 11a. posição às vezes tem campanha melhor que o 8o. do leste. Podiam classificar os melhores 16, independente da conferência, e foda-se se o leste ficar sem representantes.

    • Matheus

      Essa sim foi uma boa sugestão.

    • Vinícius Maia

      Faz muito sentido

    • MARCOS OKC

      ISSO FOI UMA BOA DICA !

    • maia-bucks

      boa ideia

    • Eu não achei boa, acho que já é bem sem graça a NBA quanto a rivalidade e tals, e outra, seria um rolo pra montar as tabelas dos Playoffs e tal, acho que está bom desse jeito.

  • Acho q um bom primeiro passo seria a diminuição do nº de jogos na temporada regular…. acho q 82 jogos é bem desgastante e por vezes prejudica a qualidade de muitos confrontos. Pra compensar a questão da menor arrecadação sou a favor q em alguns jogos as equipes estampem patrocínio na camisa ou q os jogadores façam mais campanhas comerciais p ajudar as franquias. Quanto ao draft acho q uma solução q pelo menos amenizaria o Tank seria que os 14 times q não se classificarem p os Play-offs competissem em pé de igualdade, sem privilégio p o pior deles. Os primeiros a serem sorteados levariam a melhor na escolha. Fuuuiii…

    • Douglas

      Gostei da idéia de qye todos os times que ficarem fora dos offs tenham a mesma chance no draft.

    • Bruno Ribeiro-DF

      Minhas propostas de mudanças;
      – Diminuição do número de jogos para 58 jogos, com cada time jogando contra todos os times 2x.
      – No All Star-Game premiação em dinheiro “gorda” para todos os ganhadores dos eventos, além de mando de quadra na final para a conferência que ganhasse mais eventos do All Star Weekend.
      – Em relação ao draft, o sorteio deveria ser com chances iguais apenas para os times que não classificarem para os playoffs, não podemos resolver um problema criando outro, imagine o Heat sendo campeão e ainda tendo a primeira escolha do draft?
      Enfim acho que essas mudanças e as outras que o Gustavo sugeriu acho que poderiam ser bem interessantes para deixar a liga mais atrativa., porque assistir o meu time, Sixers, “tankando” e fazendo um jogo ridiculo daqueles contra o Milwalkee Bucks foi triste, que time era aquele, certamente teria dificuldades de vencer o NBB.

    • Grande ideia essa do tank, valew.

  • Rafael Silva

    Draft foi feito para existir competitividade, algo que os esportes americanos leva meio sério, vide NFL.
    Se não rola draft e com os salários dos calouros sendo baixo, times podem se tornar verdadeiras aberrações.
    E a loteria só serve somente para as três primeiras escolhas, o resto é por campanha inferior.
    Não vejo muita distorção nisto, mas sim incapacidade de GMs aproveitarem as chances de criarem bons times.

  • Anderson Lakers

    A questão da linha dos três pontos é de elevada importância, ou até mesmo essencial. Não sei se é porque gosto de pivôs habilidosos que pontuam acima dos vinte pontos, mas está chato acompanhar os jogos e não ver um pivô dominante, e muito disso ocorre devido aos esquemas que priorizam os jogadores de perímetros em detrimento de jogadores de garrafão, esquemas esses ocasionados pelo que você, Gustavo, bem ressaltou. Os esquemas atuais “empurram” os pivôs para fora da zona pintada, fazendo-os meros “escravos” que servem, quase sempre, para fazer corta-luzes, e, para variar, abrem o garrafão deixando o aro desprotegido, fazendo com que jogadores de perímetros, com o poderio físico acima da média, invadam a cesta.

    Saudades das décadas anteriores, décadas que exaltavam os center’s.

  • discordo de tudo, abraço.

  • Seria interessante uma rega do tipo, um time não pode ter mais que dois jogadores que foram all star nos ultimos 5 anos. Isso nivelaria muito algumas equipes que tem 3 ou 4 all star.

    • Vinícius Maia

      Uma regra assim é meio utópica. Alguns times as vezes possuem 3 jogadores com status de estrela mas nem sempre é algo montado como no Lakers da última temporada ou no Heat. Alguns times, como o Bulls, alcançam isso aos poucos. Derrick Rose, Luol Deng e Joakim Noah nem sempre tiveram status de estrela, eles alcançaram isso aos poucos. Uma regra como essa que vc sugeriu, seria injusto para casos com esse

  • Douglas

    Uma idéia que tenho para equilibrar um pouco mais os times, seria a de limitar o número de All Stars nos times. Não pelo CAP (que continuará da maneira que está), mas por participação/convocação para o All Star Games mesmo.
    1ª Regra: Caso o time possua 2 jogadores com mais de 5 participações no ASG, não pode contratar mais nenhum jogador que tenha sido convocado para o evento.
    3ª Regra: Máximo de 3 jogadores com participações em ASG, obedecendo a seguinte contagem: 1 jogador com mais de 5 participações e 2 com menos de 5, ou os 3 jogadores com menos de 5 participações.
    Exemplos:
    – Se vc tem o Wade, e contrata o Bosh, não pode trazer o Lebron.
    – Se vc tem o Kobe (339 ASG) e o Gasol (4 ASG), não pode trazer o Nash nem o Howard, mas pode trazer o Love.
    – Se vc tem Curry, Iguodala e David Lee, já era, não pode ter mais nenhum All Star.

    As exceções seriam os veteranos, tipo o Jermaine O’Neal no GSW e o jogador que fosse convocado após a contratação dos outros, por exemplo, se o Klay Thompson fosse convocado hoje para o ASG.

    Outra coisa que poderia ser feita, é colocar um valor mínimo para o jogador, de acordo com o que ele produziu durante os últimos 4 anos. Por exemplo, o mínimo que o Lebron ou Durant poderiam assinar seria por 15 milhões por ano (por volta de 75% do valor máximo). A exceção poderia ser o jogador que já está no time, por exemplo o Carmelo hoje em dia.

    Pode até parecer, mas nada contra o Miami Heat, que montou o Big 3 dentro das regras da liga. São apenas idéias para o equilíbrio da mesma. Acho que melhorando um pouco essas idéias, é possível que as coisas fiquem mais equilibradas, e que mais times disputem o título.

  • Felipe

    Não concordo com a ideia de acabar com a loteria do draft. Acho q ao mesmo tempo que pode ser injusto o time q menos se esforçou pegar uma escolha alta, acho altamente prejudicial para a competitividade do campeonato um time como o miami heat, por exemplo, ter as mesmas chances de pegar um jabari parker da vida, que o Boston celtics ou o charlote bobcats(pelo menos nessa temporada). Claro que é interessante acabar com o tank dos times que ficam nas ultimas posições das conferencia, mas talvez seja interessante que os times como um todo que não foram aos playoffs(do nono ao ultimo) tenham chances mais parecidas, que o sorteio entre essas equipes seja mais parelho. Assim, eu acredito que não seria mais tão vantajoso “lutar pra perder” e mais times entrariam na briga por uma vaga nos playoffs.

  • Jogador Estrela!

    No primeiro sujeito abordado concordo em tudo menos na parte onde como convercer o LeBron a participar. Um prêmio de $5,000,000 para doar a uma instituição… é demasiado, a menos que fosse 50/50. Ou seja, $2,500,000 para o vencedor e a outra metade para a instituição.

    Aumentar a distância da linha de 3pontos era um erro colossal na NBA. Para isso mais vale meter a linha de 4pts… Em aumentar a distância da linha de 3pontos iria tornar o jogo mais secante. Imaginem um time a perder por 10pts, a tendência é sempre arremessar de 3 para reduzir e depois a linha de 3 pontos longinqua só iria haver chouriços e o jogo se tornaria menos técnico. Outra coisa é… arremessar da linha de 3pontos requer técnica e é cansativo nem todos os especialistas têm grande forma fisica, e se arremessar umas 4 ou 5 vezes da linha de 3 pontos já cança muito ao aumentar a distância só iria por os jogadores de gatas. Podiam por à candição de reduzir o tempo de cada quarto de 12minutos para 10minutos ai até poderia concordar agora sem redução de minutos iria ser super cansativo.

    Ora imaginem o draft de 2014 com todos os times com a mesma chance… Heat é campeão e pega a posição n1 no draft. Acham justo? É óbvio que não. O draft existe é para favorecer as piores equipes não para dar jogador à sorte. Isso é dar de comer a quem não tem fome.

    Por falar nesse careca do Silver… Ele parece que quer continuar com a ideia de meter mangas nas camisas de jogo. Eu acho ridiculo. Isso é contra a essência do basquete, basquete sempre foi sem-mangas e tem de continuar a ser sem-mangas. O basquete além de se destinguir dos outros esportes pelas regras também se destingue pelos equipamentos sem mangas. Continuar com essa ideia é matar o esporte.

  • Guilherme Lakers

    Concordo com tudo sobre a all star weekend.Sobre a linha dos três ainda não tenho uma posição definida.E em relação ao draft,acho que as porcentagens no sorteio deviam ser calculadas com o resultado dos times nas ultimas 3 temporadas.Assim evitaria times “tankando” quando rolar um draft forte(como o de 2014)!

  • L.Avila

    Sobre o Draft eu acho que deveria se estabelecer um numero minimo de vitorias. Ex: o time que não tiver 30 vitorias não terá direito as 5 primeiras escolhas, o sorteio sera feito em todas posições da loteria. isto obrigaria o time a vencer hoje o Lakers estaria a 10 vitorias de concorrer ao top five do draft o Bucks por exemplo se chega-se a 23 vitorias poderia ter só a sexta escolha, os gerentes não poderiam montar equipes tão ruins ao ponto de não chegar ao numero minimo de vitorias aumentando a competitividade.

  • Michel Moral

    All star weekend: alguma coisa tem que valer, pois do jeito que está existem grandes chances desse evento acabar com o tempo. Muito em breve, os próprios jogadores vão boicotar, assim como fez LeBron quando foi convidado para o slam dunk.

    Finais da NBA: sou da seguinte opinião: se é pra privilegiar o time de 65 vitórias, então tinha que ser por pontos corridos. Como existe mata-mata, tem que ser em uma final única em local pré-definido pela liga. É assim a champions e o super bowl, os dois maiores do planeta. A expectativa para o.evento seria muito maior, e a lucratividade também.

    Linha dos 3: muito interessante sua idéia, Gustavo. Até os pivôs estão saindo do garrafão pra chutar de fora, Gasol, Bosh, Hawes, etc. Além disso, uns caras que nem tem essa habilidade já estão arriscando e se dando bem.

    Draft: acho que poderia ser aleatório, já que o tank jamais será punido, até pela dificuldade de se punir. O Bucks está tankando ou o time que é ruim? Ou um pouco dos dois? Como punir? Qual o fundamento? “esse time está perdendo muito, suponhamos de propósito, portanto, será punido e não participará do próximo draft”. Existe segurança jurídica e administrativa nessa decisão? Jamais!!!
    Supondo que seja por sorteio e caísse, hoje, com o Miami. Seria injusto? Talvez, mas o teto salarial tá aí pra isso, segurar quando é preciso. Wiggins jogaria por um salário-mínimo? Não consegue segurar o jogador, então vai negociar. Se quiser ficar com o garoto, então que se desfaça do Wade, LeBron ou Bosh.

  • rodrigohawks

    Desculpa awee mas a NBA tem 30 times neh so 8 não 😉 LETS GO HAWKSSSSSS eu escolhi meu time e não a midia ou o modismo o/

  • maia-bucks

    clippers?

  • Leo

    A respeito do Draft, a melhor solução é fazer ajustes no sorteio. Hoje, a equipe com pior campanha na pior das hipóteses pegaria a 4ª posição, nesse draft pegaria Randle, Embiid, Exum ou Smart, o que não é nada mal e compensa o “esforço” para ser o pior time de todos.

    Se houvesse sorteio para todas as 14 primeiras posições e houvesse a possibilidade da pior campanha pegar uma 12ª, 13ª, 14ª escolha pensariam 2 vezes antes de partir pro tank.

    Quanto ao All-Star, uma saída é a NBA abrir a carteira e dar recompensas altas tanto para os jogadores quanto para instituições de caridade. Um prêmio de 1 milhão de dólares para cada jogador do time vencedor e 2 milhões pro MVP do All-Star faria os jogadores se esforçarem mais.

    E sobre a mudança da linha de 3, discordo, se aumentasse a distância da linha, não iria favorecer os pivôs e sim os alas infiltradores. Deixa do jeito que está, ainda tem time que usa muito o jogo de garrafão (vide Memphis) e se os pivôs de hoje tivessem mais recursos ofensivos como Ewing, Olujawon, Shaquille não estariamos discutindo isso. Acho que nenhum pivô tem média de 20ppg na temporada, é ridiculo, mas é a realidade que temos.

  • Fábio Henrique

    a questão do draft a ideia que eu dou é que as equipes que fiquem mais proximas de garantir vaga aos playoffs tenham mais chances de obter a primeira escola…

  • Hugo Nathan

    A da linha dos 3 é legal. A do ASG não curti não, porque não é justo colocar num jogo festivo algo com validade pra uma conferência, não premiando quem fez melhor campanha. Você pode valorizar o ASG, mas vai ver nego tocando um foda-se pela primeira posição de conferência. Pra mim, não vale a pena. Acho que a questão do ASG é cultural mesmo. HOje ninguém mais liga, então é difícil valorizar assim. A pro dunk contest pode ser boa, mas tem que convencer as empresas e tem que ser rentável pra elas…

    Sobre a loteria, discordo muito. Por mais que acabe com o tank, Você acaba diminuindo ainda mais as possibilidades de franquias com mercados menores e cidades que atraem menor interesse dos atletas(Utah, Cleveland, Milwaukee e mais metade da liga) de terem algum sucesso na liga. Acho que vai ficar ainda pior. Acabar com o tank é difícil, mas acho que acabar com a loteria não é a solução. Ouvi uma vez uma idéia de picks fixas, onde a cada 5 anos a franquia teria uma escolha top 10 ou top 8, não lembro (e seriam, obviamente, ciclos de 30 anos pra fechar a rodada). E gostei muito, porque, acaba tendo justiça na distribuição de picks e ai sim, quem for competente, independente da cidade, vai poder trabalhar bem e todos vão ter iguais direitos (vão ter aqueles casos de gente com pick alta em draft fraco, mas ai não tem como controlar qual safra vai ser boa ou não)…

  • Rodrigo

    Sobre o Draft, eu concordo. Mas as 14 primeiras escolhas eu deixaria sim para as franquias que não foram aos playoffs. Faz mais sentido e é mais justo um Memphis Grizzlies (que não possui um timaço, mas não precisa tankar, e com isso ainda estão tentando playoffs) ter a mesma chance que os Sixers ou Lakers que estão tankando com força. Seria injusto sim um Miami Heat conseguir draftar um Embiid para ficar ainda mais desigual.

    • Rodrigo

      Aí não teremos mais franquias fazendo a baixaria que estão fazendo o Philadelphia. Se não vai conseguir mais pegar playoffs, ao menos continue jogando para ganhar e deixe um elenco digno em quadra, já que tanto faz ser o pior ou o menos pior time fora dos playoffs.

  • Jefferson Cavalcanti

    Acho que o Draft deveria ser assim: As 14 equipes que não forem ao playoffs tem a mesma chance de conseguir a primeira escolha. Foda-se se vc foi o pior de todos ou a 17° melhor campanha da liga.

    Outra coisa que eu mudaria era que as series seriam melhor de 5 e não de 7.

    A ultima, a temporada regular teria 68 jogos.

  • CosmeCelta

    Em primeiro lugar, a idéia de premiar o all-star game com mando de quadra acho horrível. É um jogo festivo, tem que continuar sendo festivo. Já existem 82 jogos + playoffs pros caras se matarem em quadra e jogar num nível absurdo de competição. Deixa os caras baterem uma bola, uma pelada, arriscar mais lances ousados e etc. Se for virar um jogo “valendo” vai perder muito do encanto e do espetáculo, e vai virar apenas mais um jogo disputado de basquete.

    Quanto ao campeonato de enterradas com os melhores, certíssimo. Dá um bom motivo (dinheiro, dinheiro para doação como citado) e bota o público pra escolher quem vai voar e enterrar no sabadão a noite.

    O draft é complicado, concordo que o atual método não é perfeito, mas talvez seja o menos pior. Todos os times com chances iguais no draft acho péssimo. Podemos ter um time com campanha 70-12, campeão da NBA e com 1st pick? Pééssimo! O ideal pra mim seria que todos os 14 não classificados sim teriam chances iguais, claro, o 9º colocado pode pegar primeira escolha e o 15º pegar uma ruim? Pode acontecer, mas a diferença entre eles pode não ser tão grande, principalmente se nenhum deles montar elenco pra perder.

    Minha idéia principal é a extensão da temporada, sei que as férias dos caras não são muito grandes, mas alonga a temporada pô. Começa uns 1 mês antes, termina 1 mês depois. Com menos jogos por semana, eles teriam mais tempo de descansar e não perderia lucratividade na temporada (diminuindo os jogos perderia).

    • Anônimo

      Boaaaaa

  • GuilhermeKnicks

    Como o pessoal ta comentando ai, o certo seria dar a mesma chance no draft para todas as equipes que não pegarem playoffs e não pra todas as 32, se não um time que tem 2/3 all-stars pega um cara com nível de all-star no draft ai fica meio desigual.

    Uma regra que eu baniria era a de 3 segundos no garrafão, é uma regar meio tonta não faz tanto sentido e pra mim não atrapalharia em nada o jogo.

  • hebert

    Pra mim a essência do esporte tem que ser mantida…
    Camisa regata , nada de linha de 4 pontos.
    O problema é que não temos muitos pivôs de qualidade, imagin você aumentar a linha de 3, vai obrigar os center a ter que jogar mais longe ainda do garrafao, não tem logica.

    Sobre o draft, todos foram do play offs tem a porcentagem igual de receber picks, e os 16 do playoffs

  • hebert

    Aumentar a linha de 3 só jogaria os pivôs pra mais longe do garrafão ainda.
    Os drafts deveria ser os 14 fora dos offs chances iguais, assim como os 16 que jogaram também.
    Porem não acharia injusto ser por sorte de todos , ou pelo menos a loteria pegar as três ultimas campanhas de cada um.
    Ver os times tankando é escroto

  • Luiz Henrique Santos

    Para mim, o principal é eliminar o tank e a distribuição dos 82 jogos da temporada, eu inverteria a probabilidade da loteria as melhores equipes que não foram aos Playoffs teriam mais chances na loteria, simples, já quanto aos jogos, poderiam fazer rodadas únicas com 15 jogos umas 4 vezes por semana, com 6 meses e meio de temporada regular e mais 2 meses e meio de playoffs, quanto ao All-Star Weekend acho que os fãs deveriam definir por votação os participantes dos concursos, sendo 1 votação por semana e não podendo eleger qualquer jogador para mais de um concurso, excluindo apenas o All-Star Game…

  • Penso que uma forma de tentar nivelar os elencos seria diminuir o CAP. Isso mesmo!
    Com um CAP mais baixo não teria como uma equipe contar com vários medalhões no roster. Essa diminuição deveria ser acompanhada da igual diminuição ou talvez mesmo a extinção da luxury tax. Claro que isso poderia acarretar numa tentativa das equipes de diminuir os salários, mas, ao mesmo tempo, o jogador poderia negociar um salário melhor com outras equipes, o que levaria a um nivelamento técnico das equipes e mais competitividade.

  • Zorg

    A grande questão do momento parece ser o tank de certas equipes por um draft numa safra aparentemente excepcional de talentos ….. parece que vc fazer tank lhe dará um ótimo draft e vc terá uma equipe altamente competitiva e com grandes chances de campeonato … simples e pronto …. será ??
    ao longos dos anos temos várias equipes que sistematicamente possuíram boas e ótimas escolhas e nem pro isso fizeram ótimas equipes com as suas escolhas (ex: bucks, kings, cats) … mas tb temos equipes souberam escolher bem e tiveram resultados (Spurs) ou que chegaram próximas(cavs de LBJ) ou estão próximos (OKC) …. só que esses resultados não vem exclusivamente do draft, o draft somente não proporciona isso … é preciso construir uma equipe em volta com as peças certas … FA são importantissimos (são jogadores que conhecem o jogo que possuem talentos e alguns até liderança) … e isso é trabalho de treinador e direção integrados e articulados … o draft de 2014 parece que será a salvação de certas e derrocadas de outras … no começo de ano era só o projeto winggins … passado alguns meses jogando com os mesmos AW já nem é mais unanimidade … agora é o Embiid …. aparentemente são ótimos jogadores mas que precisam de muito desenvolvimento e estarem cercados de profissionais competentes para que cheguem a algum lugar com suas equipes …. senão sumiram em equipes que vivem (atualmente) uma eterna reconstrução ou em outras que não possuem elencos para o seu estilo de jogo …. Os grandes mercados como LA, Boston, Chigaco, NY, Texas sempre terão atrativos a mais …. é necessários que as equipes de mercados menores se preparem com melhores profissionais para tentar fazer frente aos grandes centros pois do contrário a NBA continuará centralizada nesses mercados.
    Acho que a questão não é o tank nem o draft mas sim o processo de reconstrução que deve ser bem pensado e planejado … o que está longe de acontecer em certas equipes

  • will13

    Quão idiota uma pessoa tem que ser para não perceber que dá ao 1º colocado e ao último a mesma chance no draft criaria uma lacuna de talento gigante entre as equipes? Como já foi falado ai acima vai transformar a nba num campeonato espanhol…

    Eu tenho que confessar…tem horas que eu fico puto com uma ou outra situação criada pela nba(o não me toque no garrafão, as malditas offenses fouls, os tanks e etc ).

    Mas, depois que eu leio posts desse tipo que eu entendo que os caras que mandam na NBA não estão lá por acaso… se a liga fosse gerida por 90% da galera que vem dá opinião por aqui… a nba estaria um caos

    A única proposta que eu acho sensata ser discutida, no tocante a loteria do draft, seria reorientar a ordem do draft a partir dos melhores fora do playoffs… Aí quem sabe… os times fracos teriam obrigatoriamente que se sacudir para melhorar, pois ai seria ou boa posição no draft ou playoffs… Mas, mesmo essa possibilidade tem que ser bem discutida, não é tão simples como alguns fundamentalista aqui querem aparentar

  • Guilherme Barbosa

    Dois dias antes do draft todas as franquias entregariam um papel formalizando a posição do jogador que quer selecionar no draft e a principal característica que quer no jogador, por exemplo:
    PG SG SF PF C
    Bucks 76ers Lakers Kings Magic

    PG com no mínimo tantos pontos

    PG com no mínimo tantas assistências

    Caberia ao próprio jogador decidir em qual pote se inscrever. Isso um dia antes do draft, evitando possíveis manipulações.

    Aí entraria o desempenho do jogador no basquete universitário, seriam separados em “potes”.

    Seria um tiro no escuro, tanto para o jogador, como para a franquia e no caso, como haverá muitos times escolhendo determinada característica, caberia ao jogador escolher qual equipe defender no leque de opções, independendo da posição final na temporada.

    Só preciso achar uma ideia boa para os prospectos internacionais e os jogadores que não jogam a temporada universitária e se inscrevem no draft.

    Isso é uma viagem minha, mas o ideal era englobar a escolha, integrando os prospectos e as equipes. O draft já é uma coisa muito pronta, acontece o tank, justamente porque somente o time tem o poder de decisão. Arranjando um jeito de que a escolha do prospecto também contasse, isso não aconteceria.

    Talvez a NBA separando um tanto de cap e dando para as franquias a oportunidade de gastar com draft ou com a equipe. Todas as equipes com o mesmo espaço, porém as 14 esquipes que não foram para o draft tendo a oportunidade de igualar a proposta de uma que foi e ter preferência, sei lá. Dá pra pensar em várias coisas.

    Tem muita besteira aí em cima, mas se tirasse um pouco de cada coisa que falei poderia surgir uma ideia melhor kkkkk

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados