logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 5 dez 2015 às 13:19
Sixers, chega de tankar!

Gustavo Lima analisa a demorada reconstrução de elenco do time da Philadelphia

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Lima

O Philadelphia 76ers está caminhando a passos largos para fazer mais uma temporada ridícula. A equipe venceu apenas um dos 20 jogos disputados até o momento, e a tendência é a de que ainda veremos muitos vexames do Sixers até o fim da campanha. Mas a pergunta que não quer calar é a seguinte: quando é que vai acabar essa fase terrível do time de Philadelphia?

Antes de mais nada, vamos recapitular quando e como começou esse interminável processo de reconstrução. O início do rebuild remonta a maio de 2013, com a contratação do gerente-geral Sam Hinkie, após o fracasso do time em alcançar os playoffs na temporada 12/13. O executivo, que é um entusiasta das estatísticas avançadas para a avaliação de atletas, até então ocupava um cargo diretivo no Houston Rockets.

Um mês depois de sua chegada, na noite do draft, Hinkie já colocou em prática suas ideias para a reconstrução do elenco. A primeira medida foi trocar o principal jogador da equipe, Jrue Holiday. Naquele ano, o armador foi selecionado pela primeira vez para o Jogo das Estrelas. Valorizado, Holiday foi enviado para o New Orleans Pelicans pela sexta escolha do recrutamento, o ala-pivô Nerlens Noel, considerado o maior talento daquele draft. Além disso, Hinkie usou a 11a escolha do recrutamento para selecionar o substituto de Holiday, o armador Michael Carter-Williams. Começava ali o audacioso e arriscado plano de trocar os principais jogadores do time e acumular jovens talentos e escolhas de draft. É o famoso tank – quando um time percebe que não possui chances de classificação para os playoffs, monta um elenco ruim e começa a perder de forma velada para ter uma boa posição no draft.

O próximo passo foi a contratação do novo treinador, após a demissão de Doug Collins ao final da temporada 12/13. Hinkie apostou em Brett Brown, que era assistente técnico de Gregg Popovich no San Antonio Spurs. Para tirar Brown de uma franquia vencedora, na qual ele trabalhava há 11 anos, o Sixers fechou um contrato de quatro temporadas com o treinador.

2013/14

A equipe até começou a temporada 13/14 de forma surpreendente, com vitórias sobre Miami Heat e Chicago Bulls, dois dos times mais fortes da conferência Leste na época. Só que as coisas voltaram à normalidade e o time de Philadelphia conseguiu a proeza de perder 26 partidas seguidas, um recorde para a franquia. Na trade deadline de 2014, Evan Turner, Spencer Hawes e Lavoy Allen foram negociados, e o time, que já era fraco, se tornou uma piada. Com um plantel de dar inveja a qualquer equipe da Liga de Desenvolvimento (D-League), o Sixers terminou a temporada com a pífia campanha de 19 vitórias e 63 derrotas, que só não foi pior que a do Milwaukee Bucks (15-67). Ainda se recuperando de uma grave lesão no joelho, Noel não disputou um jogo sequer naquela temporada. De bom para o Sixers, apenas o início promissor de Carter-Williams na NBA, tanto que ele foi eleito novato do ano.

2014/15

No draft de 2014, o time da Philadelphia selecionou, na terceira escolha geral, o pivô Joel Embiid, considerado um dos três maiores talentos do recrutamento. Por causa de uma grave lesão no pé direito, o jogador camaronês perdeu toda a temporada. O filme se repetiu. O Sixers apostou em talento (Noel e Embiid), mas não se importou com as lesões dos jogadores. Afinal, o projeto era “apanhar” mais um tempo. 

Ainda com relação ao recrutamento daquele ano, a franquia selecionou o armador Elfrid Payton (10ª escolha) e o enviou para o Orlando Magic em troca do ala croata Dario Saric (12ª escolha). Na ocasião, o jogador croata já havia avisado que não iria para a NBA de imediato, pois desejava ganhar experiência no basquete europeu. Isso fez com que ele despencasse no draft, já que era um dos quatro maiores talentos da classe. 

O time de Philadelphia angariou, na segunda rodada daquele draft, os alas K. J. McDaniels e Jerami Grant, o ala-armador Jordan McRae (via troca com o Spurs) e o armador sérvio Vasilije Micić (outro que continuaria na Europa).

Na offseason do ano passado, o Sixers trocou o ala Thaddeus Young, o melhor jogador do time na ocasião. Ele foi envolvido na negociação tripla que o levou junto com Andrew Wiggins e Anthony Bennett para o Minnesota Timberwolves, enquanto Kevin Love foi para o Cleveland Cavaliers. E o que o Sixers recebeu na troca? Uma escolha de primeira rodada do draft de 2015 e os “possantes” Luc Mbah a Moute e Alexey Shved.

Veio a temporada e, com ela, mais uma campanha pífia: 18 vitórias e 64 derrotas, que só não foram piores que as de New York Knicks (17-65) e Timberwolves (16-66). Brown não podia fazer muita coisa com o elenco ridículo que tinha em mãos. Ah, e Carter-Williams, aquele que havia ganhado o prêmio de calouro de 2014, foi envolvido em uma negociação na trade deadline com Milwaukee Bucks e Phoenix Suns. Para abrir mão de seu jovem armador, que foi para o Bucks, o Sixers recebeu uma futura escolha de primeira rodada do Suns (via Los Angeles Lakers). McDaniels, que vinha se destacando em alguns jogos, também foi trocado. O ala foi para o Houston Rockers, e o Sixers, por sua vez, recebeu o armador Isaiah Canaan e uma escolha de segunda rodada do draft de 2015.

O ponto positivo na temporada foi a estreia de Noel na liga. Ele disputou 75 dos 82 jogos da temporada regular e chamou a atenção por dois detalhes: ser muito cru no ataque e ter capacidade defensiva acima da média. Noel foi recompensado com a seleção para o time de novatos da temporada.

Escolhas de draft feitas desde a chegada de Sam Hinkie

[table “47” not found /]

2015/16

Pelo terceiro ano seguido, mesmo com uma das piores campanhas da liga, o Sixers não conseguiu abocanhar a primeira escolha do draft. Talvez um castigo a Sam Hinkie. Restou à franquia o direito de fazer a terceira escolha geral. Novamente, a equipe apostou no melhor talento disponível, no caso, o pivô Jahlil Okafor. Mais um jogador de garrafão oriundo do recrutamento. Pelo menos esse não tem histórico de lesões como Noel e Embiid.

Para azar do Sixers, o camaronês voltou a se machucar gravemente. Foi anunciado que o pivô faria a segunda cirurgia no pé direito e, consequentemente, perderia toda a temporada. Ah se Embiid estivesse saudável… Estaríamos acompanhando uma promissora rotação de garrafão com Noel, Okafor e ele. Fica para a próxima temporada. Ou não…

Ainda sobre o draft, o Sixers selecionou o pivô espanhol Guillermo Hernangomez (35a escolha) e o trocou com o Knicks; o ala-pivô Richaun Holmes (37a escolha), o pivô lituano Arturas Gudaitis (47a escolha), o ala J.P. Tokoto (58a escolha) e o pivô sérvio Luka Mitrovic (60a escolha).

Pouco tempo depois do recrutamento, o time da Philadelphia adquiriu o ala-armador Nik Stauskas e, pasmem, uma futura escolha de primeira rodada do draft, em uma negociação com o Sacramento Kings, que despachou para o Sixers os contratos nada amigáveis de Carl Landry e Jason Thompson. Além de receber essas “bombas”, o 76ers cedeu os direitos de Gudaitis e Mitrovic ao Kings.

O fantasma das lesões, que tambem gosta de aparecer em Philadelphia, atingiu Stauskas, que perdeu toda a pré-temporada e o jogo inaugural de 2015/16 (contusão por stress na tíbia direita). Vale lembrar que o jogador canadense foi a oitava escolha geral do recrutamento do ano passado, ou seja, o Sixers passou a ter em suas fileiras mais uma pick de loteria.

Próximos passos

Brown está no penúltimo ano de contrato e a necessidade do Sixers apresentar resultados decentes está batendo à porta da franquia. Como terá, seguramente, mais uma pick TOP 5, e a possibilidade de outras três escolhas de primeira rodada no próximo recrutamento, quero acreditar que esta será a última temporada de tank do 76ers. Uma franquia tradicional, que já conquistou três títulos (1955, 1967 e 1983), não pode continuar dando vexames históricos.

Hinkie parece que se esqueceu de que a cultura da vitória é importante para uma franquia. Desde que ele assumiu como GM, a equipe perdeu 146 dos 184 jogos disputados (79,3%). De que adianta ter um time jovem, com alguns talentos, é verdade, que perde noite após noite? E daqui a pouco, os contratos de novatos desses jogadores vão se encerrar. Será que eles vão ter motivação para continuar em uma equipe com espírito derrotista?

A impressão é de que Hinkie se perdeu nesse louco processo de reconstrução. Ou então ele é um gênio incompreendido. Dos 16 jogadores selecionados por ele no draft, apenas Embiid, Okafor, Grant e Holmes permanecem na equipe. Trocou Carter-Williams logo após o armador ter sido o novato do ano. Trocou McDaniels, que foi um achado na segunda rodada. O time simplesmente não tem continuidade, não tem identidade. Alguém sabe a escalação do perímetro titular do Sixers? Hinkie não dá tempo para que os jovens se desenvolvam. Não dá para criticar o treinador nessa Torre de Babel em que se transformou a franquia. O trabalho de Brown vem sendo minado pelo plano maluco de Hinkie.

Elenco do Sixers nesta temporada – Média de idade de 22,7 anos

ArmadoresAlas-armadoresAlasAlas-pivôsPivôs
Tony Wroten
(22 anos)
Nik Stauskas
(22 anos)
Robert Covington
(24 anos)
Carl Landry
(32 anos)
Jahlil Okafor
(19 anos)
Isaiah Canaan
(24 anos)
Hollis Thompson
(24 anos)
Jerami Grant
(21 anos)
Richaun Holmes
(22 anos)
Nerlens Noel
(21 anos)
T.J. McConnell
(23 anos)
JaKarr Sampson
(22 anos)
Christian Wood
(19 anos)
Joel Embiid
(21 anos)
Kendall Marshall
(24 anos)

Os vexames têm que acabar nesta temporada. É preciso colocar um fim a essa fase de “laboratório”. Já deu para perceber que Okafor e Noel foram escolhas acertadas (apesar de que tenho seríssimas dúvidas se eles podem atuar juntos) e que Covington e Grant merecem permanecer na equipe. No ano que vem, se tudo “der certo”, Embiid vai estar recuperado da lesão e o time de Philadelphia terá a primeira escolha do draft e a chance de selecionar um talento como Ben Simmons. Ele e o croata Saric podem atuar nas posições 3 e 4.

Nos últimos recrutamentos, a equipe priorizou o garrafão. Chegou a hora de reforçar o perímetro. Seja no draft, via troca ou agência livre. E se quiser trazer algum reforço decente, o Sixers vai ter que abrir os cofres. Atualmente, só mesmo muita grana para convencer algum jogador de nível aceitar jogar pelo time. Espaço na folha salarial não vai faltar – cerca de US$63 milhões. Oito dos 15 jogadores do atual elenco têm contratos garantidos em 2016/17: Okafor, Noel, Embiid, Stauskas, Covington, Grant, Holmes e Landry. Reparem que apenas três deles atuam no perímetro.

Enfim, o Sixers é grande demais para se sujeitar a esse tank eterno. A torcida não aguenta mais a chacota. Uma franquia que já teve em suas fileiras lendas como Wilt Chamberlain, Julius Erving, Moses Malone, Charles Barkley, Allen Iverson e Dikembe Mutombo não merece um elenco recheado de jogadores medianos/médiocres. Acorda, Sam Hinkie!

  • Thiago Legori

    Sam Hinkie conseguiu a proeza de ultrapassar o Isaiah Thomas em pior GM da historia da NBA

  • MarcoLakers

    Acho que não escolherão o Simmons, tendo o Saric, que é um grande talento, não vejo necessidade de escolher outro SF/PF. Talvez o Murray seja uma escolha mais acertada, assim teria um PG, SF, PF e C de qualidade.

    • Juan Gabriel

      meu caro, os caras foram de três centers em drafts seguidos e tu me vem com essa de “não escolherão o simmons por terem o Saric” ????? não boa, brother…você não conhece esse sixers kkkkkkk

      e outra, Simmons tem tudo pra ser first pick absoluta, tipo DAvis, Griffin, etc… Saric é uma promessa europeia. Seria muita burrice não ir numa first pick absoluta

      • MarcoLakers

        Mas até que tem uma “lógica” por trás da escolha, até pq o Embiid é mt bichado e ninguém sabe se conseguirá jogar mesmo.

        Bom, desse draft eu prefiro o Ingram. Simmons é mais dominante, mas o Murray seria o melhor para um projeto de basquete, o negócio é saber se o Sixers liga para isso. haha!

    • MarceloLRBulls

      Nunca que vão deixar o Simmons passar.

    • Olavo #RipCity #Emerging

      Pensando em formação do time para o futuro, Murray é a melhor opção sim pois joga aonde o time do Sixers ainda é bem carente. E o Murray também é um excelente jogador e que pode se tornar a solução no time na posição de PG. Mas realmente é bem improvável que eles deixem passar o Simmons com a 1rst Pick.

      • MarcoLakers

        Sim, estou especulando que o Sixers escolherão o melhor para um projeto de basquete, uma construção de uma base sólida e talentosa e não um amontoado de talento sem formar um time.

    • Lucas

      Deixar passar o melhor jogador do draft e com o menor histórico de lesões?Hinkie é burro ,mas num é pra tanto.

      • MarcoLakers

        Se formos olhar para o projeto como principal ponto, a burrice seria se ele escolhesse outro jogador para a mesma posição e com características semelhantes.

  • TRUETHIAGO

    Lembrando que, antes disso, o Tony DiLeo (GM anterior ao Hinkie) havia feito a besteira de ter se envolvido naquela troca do Lakers/Magic pelo Howard, pegando o Bynum que nunca chegou a jogar pela franquia e perdendo Iguodala – ok, expirante, porém tinha valor de mercado – e o Vucevic que entrou no bolo e hoje é um bom pivô em Orlando.

    • Gabriel Souza

      Mano, acho que tivesse sido o Stefanski que começou a cagada… de qualquer forma a bosta já está jorrando antes do Hinkie.

      • TRUETHIAGO

        Ed Stefanski foi GM entre 2007 e 2011.

  • Dubnation

    oq adianta tankar pra pegar um bust igual esse joel embiid?

    • MarcoLakers

      Pior que o Embiid talvez seja o melhor dos três homens de garrafão, pena que é bichado.

      • luiz

        Bichado? O Pedrinho(conhecido carinhosamente como “podrinho”), era um jogador de boa condição física perto dele

    • Bruno Sullivan

      novo Greg ODen

    • Lucas

      Embiid em termos de talento é o melhor dos 3.Tanto ofensivamente é superior ao Okafor e defensivamente superior ao Noel.Uma pena mesmo

  • Michael Bryant

    nao basta estar tankando tem que tankar e trocar os jogadores adquiridos no draft kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ate hj nao entendi essa troca do Michael Carter-Williams o sixers nao recebeu praticamente nada em troca

    • TRUETHIAGO

      A troca foi pela first pick dos Lakers que estava com os Suns (desde a trade envolvendo o Nash)

      No entanto, conseguiram salvar no último Draft e, ao que tudo indica, devem conseguir novamente em 2016

      • Michael Bryant

        entao realmente valia a pena trocar um dos melhores jovem da liga por uma pick protegida do lakers (sendo q o lakers ta uma merda)

        • TRUETHIAGO

          Depende do que a pick irá virar, se fosse algo como #4 ou #5, e poderia ter sido, mas os Lakers subiram subiram duas posições na loteria e tinham proeão top-3

          Agora, para ser algo do tipo top 8 ou 10 eu não teria feito, a chance de conseguir alguém pior ou na melhor das hipóteses do mesmo nível não compensa. Era um jogador razoável e com salário baixo, poderia tranquilamente ter continuado.

          • luiz

            Vc como um torcedor entendido de escolhas top do draft(não resisti a maldade kkkk), me tira a dúvida q sempre fico meio confuso com isso da troca por escolha inicial no draft(q aí é vc trocar pelo jogador q o time pode ganhar), mas qdo chega no top 5 ou top 3 isso muda?

          • Ronaldo Ferreira

            Eu larguei de mão o MCW. armador burro de doer. vai dar em nada…

          • luiz

            mas… pra quem não tem nada, qualquer mediano já é mto kkkk

          • TRUETHIAGO

            Se eu entendi direito, você está falando da “proteção”, certo? Isso já vem acordado quando acontece a troca.

            Essa dos Lakers é protegida top-3 desde a trade que levou o Nash de Phoenix para LA. Na season passada o Lakers teve a 4ª pior campanha, ou seja, inicialmente a escolha #4. Mas as 3 primeiras escolhas são via sorteio (entre os times que não vão aos playoffs) e com isso eles subiram para #2.

            Mas cada caso é um caso, pode ser algo do tipo top-10 ou top-15… Ou até mesmo não ter proteção alguma (não é muito comum) como é o caso das picks do Nets que estão com Celtics, essas escolhas irão para Boston se o Brooklyn for #1 ou, sei lá, #9 no próximo Draft

          • luiz

            Ahhhh, valeu pela explicação, achei q fosse uma regra geral e não uma aplicação feita em cada troca pelos times.

            por isso então esse troca com o Lakers ainda tá em aberto? dependeria no caso de eles pegarem uma de 4 pra baixo, daí o Sixers poderia fazer uso e pegar o cara?

          • TRUETHIAGO

            Sim, para essa pick ir de fato para o Sixers precisa ser a quarta escolha ou acima. Hoje o Lakers tem a segunda pior campanha, mas isso não garante que terão a pick #2 porque existe o sorteio da loteria. Na temporada passada, por exemplo, os Knicks terminaram com a segunda pior campanha, mas perderam duas posições depois do sorteio e ficaram com a #4 (Porzingis)

          • luiz

            Ahhh sim, ou seja, se ela for de 5 para baixo, ela permanece com o Lakers e vai para o próximo ano certo?

            Então acaba sendo um risco, pois digamos q o Lakers remonte um bom time e volte a ir para os playoffs, então o sixers pode ficar anos a fio sem ter essa pick

          • TRUETHIAGO

            Fica com o Lakers se for 1, 2 ou 3; de 4 em diante vai para o Sixers

            E sim, quando acontece de salvar vale para os anos seguintes, até perder a proteção. Essa especificamente segue protegida top 3 para 2016 e 2017, somente em 2018 livre.

          • luiz

            Ahhh tá, confundi então rs.

            Se for olhar dessa forma e por esse projeto de maluco do Hinkie, ele torceria para o Lakers continuar mal e tentar em 2018 uma pick top-3 kkkkk

          • Gustavo Barreto

            Minhas escolhas do Celtics vinda dos Nets 🙂

            Aliás, nessa de piores GMs da história, o dos Nets merecia a citação, por essa troca

  • Maicon Gomes

    Um time titular com:

    Wroten
    Stauskas
    Saric
    Simmons
    Okafor

    Seria já um bom time, só esperar o time da liga e esquecer como se faz pra perder.
    Fora que com o espaço no CAP, daria pra pegar, um pg e um sg com mais experiência e ir desenvolvendo o Wroten e o Stauskas.

    • TRUETHIAGO

      Saric não é SF, embora tenha alcance de 3-PT (+ ou – estilo Ilyasova/Mirotic); certamente teria dificuldades, especialmente na defesa, para acompanhar alas mais rápidos e atléticos. E, para mim, o Wroten não é exatamente um armador.

      • Maicon Gomes

        Entre o Simmons e o Saric, acho que o Simmons renderá mais jogando na 4, tem características de pf móvel, tipo Griffin, Monocelha ..
        Por isso tentaria encaixar o Saric na 3.
        Wroten não é o armador que prioriza passe, mas na 2 tem o Stauskas já pra desenvolver, por isso falei que com o espaço no CAP, poderiam pegar um pg e um sg com mais experiência.
        E se o Marshal ficar, ele é um armador que prioriza o passe, é bom pg também.

        • TRUETHIAGO

          Não seria um encaixe simples, e o Covington é um dos poucos acertos no meio desse monte de jogadores que vieram da D-League.

          • Maicon Gomes

            Com certeza mano, Covington é uma grata surpresa nessa bagunça.
            Ainda tem o Grant, vejo bom potencial nele.

          • TRUETHIAGO

            Sim, o Grant é bastante atlético e possui boas armas defensivas; pode jogar de ala ou PF, pois consegue defender ambas posições. A parte ruim é no jogo ofensivo, ball handling fraco e arremesso inconsistente.

  • – Tiago

    A fase do Sixers ta tão ruim que não duvido nada chegar na hora do Draft e eles não conseguirem a First Pick KKKKKK Sam Hinkie é o pior GM da historia, não da pra entender o que esse cara faz KKK

    • Maicon Gomes

      Lebron leu, respeitou sua opinião, mas não concordou com ela.

  • João Rafael Barros

    O 76ers só sairá do buraco e parará de tankar quando selecionar ´´nova resposta“

    Um SG Scorer nato com a comparação do A.I.

  • Lucas Ottoni

    Sam Hinkie é um gênio incompreendido… rs. Assim como Dell Demps, “jenial” GM do Pelicans. “Mentes brilhantes”, de um inegável potencial raro, que só aparecem de século em século… rs.

    Não dou 3 anos para o Sixers bater o Pelicans na final e se sagrar campeão da NBA com um chute vencedor de J. P. Tokoto no estouro do cronômetro. E aí Hinkie e Demps irão rir deliciosamente nas nossas caras… rs.

    • Gabriel Souza

      Véi, JP Tokoto nem tá mais no time hahahaha

  • THE BULLS

    Sixers tem melhor histórico de jogadores geniais. Saudades de iverson.

    • Bruno Sullivan

      Iverson e Stackhouse baita dupla no final da decada de 90

  • Felipe Rodrigues

    Quero ver no fim da temporada quem vem se o Noel vai querer renovar…

  • Leo R.

    Acho ruim esse pensamento longe das vitórias, mas cada um arruma seu jeito, temos que respeitar. Não acho que está dando certo, uma vez que os contratos desses novatos acabando, duvido muito que algum deles fique se nada mudar. Com 3 jogadores podendo fazer o pivô, poderia trocar um deles com um PG ou SG sólido na liga. Ano que vem Saric entra na rotação, pelos comentários parece ser um bom UP. Conseguindo a first pick, draftando o futuro FP da franquia, Simmons, ano que vem já podem brigar por offs, mudando a mentalidade. Uma rotação com PG consolidado – Wroten – Covington – Simmons – Okafor não é fraca, ainda com Saric, Embiid/Noel (o qual ficar) e o próprio Staukas (se vingar) no banco. Já dá pra bater de frente com vários times

  • luiz

    Esse cara é completamente doente de fazer isso.

    Sempre q via isso pensava: quem diabos vai querer ir para uma franquia q começa a ter pecha de fracassada?

    Fora q mtos jogadores desses novos aí podem ter dois rumos: assumir q são fracassados(e virarem aqueles q “nossa, qdo chegou tinha tanto potencial”) ou se encherem e irem embora.

    Talvez até alguns desses casos de trocas(tipo esse inexplicável do MCW), pode ter sido pelo novato ver q estava em uma franquia sem futuro.

    O dono do sixers deveria como primeiro ato ao fim da temporada, mandar esse maluco embora e trazer outra pessoa para o lugar, pq o time não tem cara, não tem força, sequer tem algum bom jogador experiente, q possa ajudar no desenvolvimento de novos valores.

    a tática não só é péssima, como está fadada ao fracasso

    • Gabriel Souza

      O dono da franquia é totalmente conivente com essa palhaçada! Pode pesquisar sobre ele aí, o Sixers é só “mais um dos seus investimentos”. E pagando um elenco que está abaixo do CAP da NBA há duas temporadas ele não está perdendo nada… o cara não liga pra basquete, nem pra tradição, e nem merda nenhuma.

      • luiz

        É o tipo de aventureiro q estraga qualquer time, tá mesmo cagando e andando para o time.

        O mais estranho é pensar q nessa filosofia, uma hora vai começar a dar prejuízo pra ele, já q nem se ele quiser vender, vai conseguir grande coisa

        E tomara q ele canse logo e venda para alguém q respeite esse time, q na época do Iverson, dava gosto de ver

  • Rafael Vieira

    um desses caras tem que ser trocados, okafor, Noel ou o Saric. dependendo se a escolha for o simmons, ficar com tres peças no garrafao de alta qualidade nao vai da uma hora ou outra um vai pedir pra sair

  • Bruno Sullivan

    Me lembra muito a reconstrução dos Clippers no final dos anos 90 e começo da decada de 2000, selecionava caras q vinham com fama como o Olowokandi , e os bons que selecionava eram trocados como o Odom. Elton BRand e cia.. e sempre tankava, ate q a coisa mudou no final da decada ds 2000

    • Aí eles “acharam” o Blake Griffin, que mudou o perfil da franquia.

  • Enquanto o cara que vai mudar o panorama da franquia via draft não vier o tank vai continuar…Só que é uma questão de momento, Sixers não teve a sorte pegar a primeira escolha quando a classe lhe favorecia [2014, por exemplo].

    Eu tenho certeza que quando vier um armador de elite (2017 há grandes chances ) encabeçando a classe do Draft esse tank parará. Porque todos os jogadores top’s para o garrafão dos últimos anos o 76ers recrutou.

    PS: Se não for Jammal Murray, aposto que Malik Monk pode mudar o cenário da franquia. O Warriors está aí pra provar como a frequência na loteria pode fazer a diferença.

  • Carlos Eduardo

    Pra mim, um sintoma claro de que o planejamento é mal feito foi a troca do KJ McDaniels. O cara não era ruim pra ser descartável, nem bom para atrapalhar o tank sem ser um excelente FP. Era um bom jogador de rotação que serviria no futuro.

    • luiz

      Ficou aquela coisa compulsiva, do tipo: surgiu proposta, vamos trocar.

      Nem avaliam mais o cara se dá pra manter ou não, apenas o q ele pode render em drafts futuros, coisa de maluco

    • Gabriel Souza

      Gostei muito do KJ no Sixers. O problema foi questões contratuais. Ele recusou a proposta usual a picks da 2ª rodada, e assinou por apenas um ano. Com o tempo que ele tinha na rotação e o que vinha demonstrando estava claro que ia receber um contrato alto de alguma franquia (foi RFA nessa offseason). O Hinkie preferiu receber algo em troca do que perdê-lo por nada. E acredito que também tenha tentado dar uma lição no McDaniels, que foi bossal pra caramba rsrs.

  • Lucas

    E o pior é que nenhum jogador do próximo draft ,nem mesmo o Ben Simmons tem perfil pra ser um “lider” de quem o Sixers tanto precisa…

    • Gabriel Souza

      Os caras querem colocar moleques de 19/20 para serem líderes de uma equipe da NBA, isso não existe! Se os jogadores ainda permanecessem 3/4 no College antes de irem para NBA, isso até poderia acontecer (apesar de 1 em 60 ter capacidade pra isso); mas do jeito que é hoje é praticamente impossível.

  • RennanLAL

    Em 2012, Sixers estava disputando a semi da conferência Leste e perdendo ‘só’ pra aquele fortíssimo Celtics. Alguns nomes do time: Andre Iguodala, Jrue Holiday, Evan Turner, Louis Williams, Thaddeus Young, Nikola Vucevic, Elton Brand, Spencer Hawes.

    O time tinha uma base de potencial, trazendo um ou outro talento, uma hora iria dar aquele salto de qualidade igual o Atlanta Hawks. O problema é o que chegou um GM lunático como o Hinkie.

    Essa história de montar time no draft é o maior tiro no escuro que existe. Se pegar o tanto de jogador que foi selecionado e virou bust, vão ver que é muito maior em relação aos que vingaram. Olha o tanto de tempo que o Cavs ficou pegando jogador nas primeiras escolhas e não conseguiu arrumar praticamente nada. Bennett virou bust, Waiters foi trocado, Irving falou que não é um líder e ainda vive se machucando (apesar de ser um autêntico All-Star) e o Thompson virou apenas um grande reboteiro.

    E o pior de tudo é como o Sixers leva a situação, não tem nenhum veterano pra passar experiência ou orientar a molecada. Olha a diferença do Timberwolves que foi buscar o Kevin Garnett e o Andre Miller.

    É por isso que acontece as merdas igual com o Okafor. O moleque acostumado a vencer durante toda a carreira de colégio, chega na NBA e vira motivo de piada por causa do time, não é todo mundo que tem psicológico pra aguentar essa situação.

    • Gabriel Souza

      Concordo com seu pensamento, mas preciso fazer uma ressalva. O time de 11/12 é o que disputou a semi da conferência e perdeu para o Boston no jogo 7. Aquele time tinha os jogadores que você citou. Era um elenco de mediano pra bom. Iguodala foi All-Star em 11, mas tinha sido a sua pior temporada em números desde quando era sophomore. Ficamos em 8º naquela temporada e passamos do Bulls por causa da lesão do Rose (a primeira gravíssima) e de alguns problemas físicos do Noah também. Se não fosse isso não tinha passado. Apesar disso era um elenco com potencial. O técnico Doug Collins não era muito bom… e se eu for falar tudo vai ficar um texto bem maior do que já está. Enfim, para terminar só quero lembrar que quem começou a cagada não foi o Hinkie, e sim o Stefanski (GM passado). Ele quem trocou o Iguodala+Vucevic+Harkless+futura escolha de primeira rodada para receber o Bynum. Aquela temporada não foi de tank, o time não foi bem porque era ruim mesmo (só se salvou o Holiday naquele temporada); e o Bynum nunca pisou em quadra com a camisa do Sixers. O tank começou oficialmente antes do Draft de 13, quando Hinkie assumiu; e bombasticamente trocou o Holiday pelo Noel (o que não foi tão ruim, vendo agora que o Holiday até hoje não conseguiu mostrar o porquê foi selecionado para o All-Star Game de 12). Para mim o Hinkie começou muito bem, e se perdeu no decorrer do processo.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados