logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 11 dez 2015 às 12:32
“Focado”, Raulzinho ganha confiança de técnico e companheiros no Jazz

Armador brasileiro foi titular nas 20 partidas da equipe de Salt Lake City nesta temporada

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Ricardo Stabolito Jr.

O técnico Quin Snyder surpreendeu a torcida do Utah Jazz ao escalar Raulzinho Neto como titular em seu jogo de estreia na NBA. E a decisão não foi apenas uma tendência passageira. O calouro brasileiro “venceu” a concorrência com Trey Burke e integrou o quinteto inicial nas 20 partidas disputadas pela equipe nesta temporada. Se depender da avaliação do treinador sobre o rendimento do jovem até agora, nada deve mudar nos próximos meses.

“Raul tem uma atenção aos detalhes que é rara entre novatos. Ele é um garoto extremamente focado e quer fazer as jogadas certas, tomar as decisões corretas. No fim das contas, só quer ajudar o time a vencer da forma como puder. É disso que precisávamos”, elogiou Snyder, que perdeu o titular Dante Exum para a temporada inteira ainda na offseason, em entrevista ao site oficial da franquia de Salt Lake City.

O bom desempenho de Raulzinho é reconhecido também por seus companheiros de elenco, incluindo aqueles que deveriam ser concorrentes. Para Burke, por exemplo, ver o brasileiro tornou-se um aprendizado. “Eu absorvi muito só de acompanhar Raul jogando, assistindo à forma como passa a bola ou como ataca a cesta. Isso ajudou-me a melhorar e fez com que trabalhasse ainda mais duro”, contou.

Assim como os torcedores, o brasileiro também não sabia que seria titular ao chegar no Jazz: ele chegou à equipe sem garantias sobre tempo de quadra e com a única certeza de que a direção da franquia gostava muito do seu basquete. Raulzinho, por isso, trabalhou em meses recentes como alguém que precisava lutar por cada segundo em quadra. Neste sentido, no quinteto inicial ou no banco, nada mudou.

“Eu cheguei aqui e só queria trabalhar. Os técnicos não me deviam nada e tinha que merecer meus minutos. Empenho-me a cada dia, partida e treino. Sou um jogador que orgulha-se de conhecer todas as jogadas, conversar com meus companheiros e colocá-los nos pontos em que sentem-se mais confortáveis em quadra. Sempre há algo novo a aprender ou aprimorar, mas acho que, no geral, tem sido ótimo”, celebrou o armador.

Atuando 17.5 minutos por noite, Raulzinho possui médias de 4.7 pontos – com quase 37% de aproveitamento nos arremessos de longa distância –, 2.4 assistências e 1.1 roubos de bola neste início de carreira na NBA.

  • Os números contradizem tudo que estão dizendo.

    Não vi nenhum jogo do Jazz ainda na temporada, então de forma fria fica difícil entender essas declarações.

    • Marcio

      Eu ia justamente comenta isso, pelo tanto de elogios e frases, os números deles dizem ao contrario, então eu não entendi nada!! Os caras não tem opção e ficam nessa lenga lenga

      • André Gomes

        Como se números, muitas vezes, não fossem mentirosos… vá conhecer o estilo de jogo do Jazz antes de falar merda.

    • José Aponete

      Realmente os números do Raulzinho não colaboram com o dito no texto, são baixos para um armador titular.

    • Renan Domok

      Não estou comparando, antes de tudo, mas Tony Allen tem 8.0ppg 3.3rpg e 1.3apg. Você não gostaria de ter ele no time? Boxscore não é tudo.

      • Por isso que fiz questão de citar que não assisti aos jogos. Talvez jogando a percepção de fato seja outra.

        • Renan Domok

          O Raulzinho é esforçado, e pesa a favor dele o fator “novidade” (os matchups ainda não conhecem sua defesa), mas ele impressiona mais por isso do que por qualquer outra coisa (pelo menos nos jogos que eu vi). Vai ter que evoluir (e muito) para ser alguma coisa na liga, mas o boxscore realmente faz com que as atuações do Raul pareçam piores do que realmente foram.

  • Edmar Renato

    Vi todos os jogos do Jazz, ele vem jogando bem defensivamente. Já no ataque quando o Raul esta em quadra, o time nao tem um PG fixo, ele joga mais
    na posição 2 do que como armador, ele apenas leva a bola para o ataque.
    Ao elogiarem ele, estão levando em conto tudo (ataque e defesa).
    Ele nunca foi excelente(nivel NBA) no ataque, ele sempre foi jogador de basquete europeu que se dedica de mais na defesa.
    Nos numeros ele não tem tanto destaque, mas na defesa esta jogando muito bem.

    • Luan

      Fico feliz de ler seu comentário. Mostra que às vezes ainda existe vida inteligente aqui ao contrário dos outros dois imbecis ali. Ou seja: tá mais do que provado que 90% dos “comentaristas” aqui do site não entendem nada de basquete já que não assistem aos jogos e só sabem olhar boxscore.

    • Edmar Renato

      Obrigado.
      O técnico do Jazz inicia com o Raul pq considera muito importante os inicios dos dois tempos, no qual tenta iniciar os tempos a frente do adversario, ou seja, nos primeiros minutos é mais importante defender e tentar com outros atletas abrir vantangem.
      Com o passar dos minutos ele vai fazendo um rodízio com outros armadores que pontuam mais.
      Assim, ele não termina as partidas pq a aquipe precisa pontuar e como esse não é um ponto forte do Raul, ele termina as partidas no banco.

  • Uncle Drew

    Eu diria q o q ocorre com o Raul, é o msmo q ocorre com o Tony Parker ( Guardada as proporções, lógico). Tanto no Jazz quanto no Spurs, o armador não fica tanto tempo com a bola nas mãos, todos se revezam.
    Em todas suas temporadas, o Parker nunca chegou a ter médias acima de 8 assistências por jogo ( na temporada passada ele teve 4.9 de média, e nessa esta com 5) mas todos o consideram como um grande playmaker. O Raul tem 4 pts e 2 assistências por 20 minutos, isso é um número bom! Considerando q ele é calouro, joga cerca de 20 minutos por jogo, e o fato do sistema do Jazz ser bastante coletivo (Uma hora é o Hayward q arma o time, outra hora é o Burks e assim por diante), isso é bom. Números as vezes são mentirosos, a importância do Raul em quadra vai mt além disso.

  • luiz

    Os números impressionam pouco, mas se considerar q o técnico opta por ele pra começar(mesmo q o mantenha por menos de 50% do tempo no jogo em média) já é um indício interessante, pode ser sinal q ele tem mta confiança na evolução do jogador até um nível de jogador de primeira linha(com números q deem embasamento a isso).

    Vale observar ao longo da temporada como será o rendimento dele

  • Rafa

    Eu como torcedor do Jazz tambem nao entendi. Raulzinho vem produzindo pouco e não vem demonstrando basquete pra ser pelo menos um bom reserva. Arremesso ainda inconsistente, falta de atleticismo são pontos relevantes. Os pontos a favor são o esforço defensivo e ele é um jogador inteligente, não inventa o que não sabe fazer.

  • Rafael

    Evidente que ele não tem jogado pra encher os olhos da gente, mas é o único brazuca titular hoje. Eu sou tarado por estatísticas da NBA, gosto muito de acompanhar, mas nem sempre elas demonstram algumas coisas do jogo… Por exemplo, o LeBron joga muito e não tem tantas estatísticas assim… ahahahahahaha calma galera, zuação. Raul precisa dar uma melhorada no FG dele, tá feia a coisa. Defensivamente está marcando bem, e isso conta muitos pontos!! Boa sorte a ele e que siga com bons minutos em quadra!

  • Fernando

    Esse ai é puro air ball!

    • Rafael

      Eu admito que ele joga em uma posição ingrata… Ser 1 na NBA significa que no teu cangote tem Wall, Westbrook, Rose, Curry, Lillard, Conley, Teague, Parker, Irving, Jackson, Williams, Rondo, Paul, Lowry… e às vezes vai pegar até um Harden, Kobe, Beal, McCollum, Klay Thompson, Oladipo, MCW, Wade, Derozan, Leonard, Butler, Ellis, entre tantos outros que talvez eu tenha me esquecido… Então, cara, olha o embate que esse Raul Neto esta tendo que enfrentar!!! Ou o adversário é um cara muito rápido, ou é muito técnico, ou é um marcador extraordinário, ou às vezes é duas ou até três dessas qualidades reunidas que o Raul enfrenta! Meu, isso é f*… O cara joga de que jeito contra essas estrelas? Ta loko! Não é vida mole. Muito fácil criticar o cara, mas olha o que ele enfrenta quase todas as noites… Dureza, fio.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados