logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 14 abr 2016 às 14:33
#BrazilianWeek – Season Finale

Acompanhe a semana dos brasileiros na NBA no Jumper Brasil

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gabriel Farias

Toda semana, Jumper Brasil dedica uma coluna especificamente aos jogadores brasileiros na NBA. Nosso articulista Gabriel Farias vai trazer as estatísticas da semana, analisar desempenhos e ranquear os jogadores ao longo da temporada. Este é o nosso ponto de encontro para discutir os nove representantes do país na maior liga de basquete do planeta.

Enriqueçam a discussão e deixem suas sugestões nos comentários para que possamos melhorar cada vez mais esse novo espaço do site. Então, segue nosso último #BrazilianWeek da temporada 2015-16:

#1 Nenê Hilário (Ala-pivô, Washington Wizards)

Médias na semana: 14.3 pontos, seis rebotes, três assistências e 56% de aproveitamento nos arremessos em 21 minutos
Médias na temporada: 9.2 pontos, 4.5 rebotes, 1.7 assistências e 54% de aproveitamento nos arremessos em 19 minutos

A efetividade de Nenê Hilário após o All-Star Weekend provou que o brasileiro continuará na liga com papel fundamental na próxima temporada. Desde o jogo das estrelas são 9.7 pontos, 4.7 rebotes, duas assistências e apenas 1.4 erros ofensivos e limitados 19 minutos e quatro partidas como titular. No último confronto da temporada, o brasileiro ficou a dois rebotes e a duas assistências de um triplo duplo. Nenê não deve conseguir um acordo no valor de seu atual contrato (US$ 13 milhões por temporada) na próxima agência-livre, mas o brasileiro será reconhecido como um dos melhores reservas de garrafão da liga.

#2 Marcelinho Huertas (Armador, Los Angeles Lakers)

Médias na semana: 6.2 pontos, 5.2 assistências, 2.7 rebotes e 35% de aproveitamento nos arremessos em 27 minutos
Médias na temporada: 4.5 pontos, 3.4 assistências, 1.7 rebotes e 42% de aproveitamento nos arremessos em 16 minutos

Marcelinho Huertas retomou o nível que surpreendeu a NBA no último mês e aproveitou os seis jogos do Los Angeles Lakers na semana para mostrar sua qualidade aos executivos da franquia angelina e do restante da NBA. O brasileiro liderou o Lakers no quesito assistências em cinco das seis partidas e ultrapassou o novato D’Angelo Russell na média da temporada. Aos 32 anos, o armador teve uma ótima segunda metade na campanha de calouro e chegará com moral para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

#3 Cristiano Felício (Ala-pivô, Chicago Bulls)

Médias na semana: 9.6 pontos, 6.4 rebotes, 1.2 assistências e 66% de aproveitamento nos arremessos em 22 minutos
Médias na temporada: 3.4 pontos, 3.3 rebotes, 0.8 assistências e 55% de aproveitamento nos arremessos em dez minutos

Cristiano Felício terminou a temporada em alta no Chicago Bulls. O brasileiro de 23 anos não se assustou com a corrida final da campanha e mostrou seu valor no momento que o técnico Fred Hoiberg mais precisou. Três das cinco partidas na semana aconteceram com o Bulls vivo na briga pela pós-temporada e o ala-pivô teve médias de 8.7 pontos e 5.7 rebotes nesse período. Já com o time eliminado, Felício garantiu seu segundo jogo consecutivo com 16 pontos e garantiu sua melhor partida em assistências (4). Espera-se muitas mudanças no elenco do Chicago Bulls para a temporada 2016-17 e, apesar do contrato de Felício não ser garantido, as atuações na reta final devem garantir o brasileiro na NBA.

#4 Leandro Barbosa (Ala-armador, Golden State Warriors)

Médias na semana: 2.5 pontos, 2.3 rebotes, 0.3 assistências e 23% de aproveitamento nos arremessos em 15 minutos
Médias na temporada: 6.4 pontos, 1.7 rebotes, 1.2 assistências e 46% de aproveitamento nos arremessos em 16 minutos

Após uma sequência de sete pontos com 53% de aproveitamento nos arremessos nas últimas três semanas, Leandrinho teve forte queda de produção nos cinco últimos jogos do Golden State Warriors na temporada 2015-16. O brasileiro teve margem de dois pontos a cada erro ofensivo cometido. Apesar do reta final abaixo do esperado, Leandrinho foi peça fundamental para o recorde de 73 vitórias e continuará como boa opção para o técnico Steve Kerr durante os playoffs.

#5 Raul Neto (Armador, Utah Jazz)

Médias na semana: 3.6 pontos, 2.2 assistências, um rebote e 38% de aproveitamento nos arremessos em 12 minutos
Médias na temporada: 5.9 pontos, 2.1 assistências, 1.5 rebotes e 43% de aproveitamento nos arremessos em 18.5 minutos

Raulzinho voltou a produzir abaixo de sua média na última semana da temporada regular. Na temporada 2015-16, o brasileiro não superou a marca de dez minutos em cinco partidas, duas delas nos últimos cinco jogos. Após ser contratado como terceira opção na armação, Raulzinho terminou sua campanha de calouro com 53 presenças no quinteto titular e uma margem de 1.5 assistências por erro ofensivo.

#6 Lucas Nogueira (Pivô, Toronto Raptors)

Médias na semana: Três pontos, 3.3 rebotes, 1.3 tocos e 60% de aproveitamento nos arremessos em 15 minutos
Médias na temporada: 2.2 pontos, 1.6 rebotes, 0.4 tocos e 63% de aproveitamento nos arremessos em oito minutos

Lucas “Bebê” recebeu oportunidades significativas do técnico Dwane Casey na última semana da temporada regular e atuou em quatro das últimas seis partidas da equipe. Contra o Brooklyn Nets, o brasileiro atuou por 35 minutos e alcançou a melhor marca da carreira com dez rebotes, além de seis pontos, três tocos e três assistências. Bebê não deve ser utilizado na rotação do Toronto Raptors durante a pós-temporada, mas deverá atuar em partidas com garbage time ou em caso de uma lesão no garrafão.

#7 Anderson Varejão (Pivô, Golden State Warriors)

Médias na semana: Zero pontos, quatro rebotes, zero assistências e 0% de aproveitamento nos arremessos em 3.5 minutos
Médias na temporada: 2.6 pontos, 2.7 rebotes, 0.7 assistências e 42% de aproveitamento nos arremessos em nove minutos

A semana de Anderson Varejão foi marcada pela participação reduzida do brasileiro no recorde de 73 vitórias do Golden State Warriors. O pivô atuou na última partida contra o Memphis Grizzlies e conseguiu três rebotes em dois minutos. Varejão atuou em apenas dois dos cinco jogos da equipe e não deve participar da rotação do técnico Steve Kerr com o retorno de Festus Ezeli.

#8 Bruno Caboclo (Ala, Toronto Raptors)

Médias na semana: Três pontos, um rebote, uma assistência e 11% de aproveitamento nos arremessos em 35 minutos.
Médias na temporada: 0.5 pontos, 0.3 rebotes, 0.2 assistências e 8% de aproveitamento nos arremessos em sete minutos.

Com a classificação prévia do Toronto Raptors e a segunda colocação na conferência Leste garantida, Bruno Caboclo começou pela primeira vez na carreira uma partida de NBA, porém, o brasileiro não soube aproveitar a oportunidade. Caboclo destacou-se na D-League, mas terminou a temporada com o Raptors 905 com 33% de aproveitamento nos tiros de longa distância. Contra o Brooklyn Nets, o ala tentou sete arremessos para três pontos e acertou apenas um, e esse fundamento deve ser trabalhado para a próxima temporada. Como ponto positivo, Caboclo conseguiu um toco e um roubo de bola durante seus 35 minutos em quadra, mostrando capacidade de forçar erros ofensivos na defesa.

#9 Tiago Splitter (Ala-pivô, Atlanta Hawks)

Médias na semana: Não atuou
Médias na temporada: 5.6 pontos, 3.3 rebotes, 0.8 assistências e 52% de aproveitamento nos arremessos em 16 minutos.

O ala-pivô Tiago Splitter continua em recuperação após operar o quadril em fevereiro. O brasileiro não atuará pelo Atlanta Hawks nos playoffs e nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

  • Mensageiro do caos

    Primeiro ponto na minha opinião o Anderson Varejão fez uma grande cagada em ir pro golden state aquele estilo de jogo não é pra ele e sem contar que seus arremessos estão péssimo mas fica o fato de que as lesões acabaram com seu basquete.E o Bruno Caboclo nem parece jogador profissional muito mal mas ai vão falar está em desenvolvimento e tal mas não dá, pifia sua atuação de ontem quando não da na técnica tem que ser na vontade na raça, ele tem que trabalhar e muito as escolhas e seus arremessos e tera que dar resultado na próxima temporada lembrando das palavras do Masai pro bala na cesta que NBA é um negocio e que ele tem que mostrar vontade acho que o toronto tambem tem culpa no cartorio pois escolheu ele muito cedo com medo do ( Houston e Indiana Dallas e Boston) que queriam seleciona-lo e acho que em outras franquias ele teria mais espaço não adianta ele jogar na D-league que é totalmente diferente da NBA porém ele tem que mostrar seu valor vi ele jogar justo no jogo contra os Bambuqueros la e na hora eu pensei Caralho esse muleque se trabalhado vai ser MVP da NBA, torço muito por ele acho apenas acho que eu preferiria ser trocado por algum time em desenvolvimento que jogue principalmente para mim o Milwaukee Bucks seria uma boa tendo em visto que ele só tem mais esse ano de contrato “com opção de renovação” com do raptors

  • Cara, que partida RIDÍCULA do Caboclo, pelo amor…ele que não abra o olho, logo logo acaba seu contrato de calouro e se não melhorar ABSURDAMENTE pode se considerar fora da NBA.

    • Mensageiro do caos

      concordo totalmente ele tinha que ta na fissura pra jogar e não consigo ver isso nele

  • LP

    Utah fez uma burrada trazendo o Mack, apesar dele ter numeros mais expressivos que o Raulzinho o time parece que rendia melhor com o brasuca.

    • Mensageiro do caos

      Também acho o Mack é mais peladeiro joga pra pontuar o Raulzinho jogava pro time armava bem mais e deu no que deu.Me preocupo na proxima temporada já que o Exum volta prevejo menos ainda minutos pro Raulzinho,pra mim armador tem que fazer o time jogar e não se preocupar em pontuar isso que mais sinto falta na NBA

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados