logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 14 abr 2016 às 10:36
Treze de abril de 2016

Michel Zelazny analisa a última rodada de Kobe e Curry

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Michel Zelazny

O dia 13 de abril de 2016 ficará marcado para sempre na história da NBA e dos fãs de basquete.

Kobe Bryant se aposentou. Talvez nem o melhor dos roteiristas de Hollywood, da mesma Los Angeles do Lakers, poderia criar um final tão emblemático para a carreira de Kobe. Se os seus 60 pontos vieram da maior quantidade de arremessos já tentada na história da NBA moderna, pouco importa. A estatística dá seu lugar à admiração e ao espetáculo. O que fica desta noite são os 12 pontos seguidos e sofridos que deram uma última improvável vitória ao Lakers de Bryant.

Como grande aprendiz de Michael Jordan, até o que pode ficar marcado como jogo mais emblemático da carreira de Kobe Bryant teve sua semelhança com o maior de todos os tempos. O flu game, marcado como símbolo de perseverança e competitividade de Jordan, foi nas finais de 1997, contra o Utah Jazz. O mesmo Jazz que, com 2:30 para o final da carreira de Bryant, segurava uma confortável liderança de dez pontos. Mas poucas vantagens são confortáveis quando o camisa 24 da franquia dourada e roxa está do outro lado. Quem olhava para a cara de Kobe ao longo dos minutos finais sentia na pele o cansaço e a fadiga de 20 anos representando e simbolizando uma franquia, sendo um ícone de todo um esporte. E, ainda assim, entre as gotas de suor correndo por seu rosto, era nítido o olhar de absoluta confiança e a certeza de transformar um evento memorável em uma noite histórica.

Enquanto um último suspiro de presente passava a se tornar o primeiro instante de um brilhante passado, o mesmo momento virava uma marca para o futuro. A 550 quilômetros do vibrante Staples Center, a não menos efervescente Oracle Arena via um dos vários recordes quebrados ao longo da noite. O Golden State Warriors batia o Memphis Grizzlies para se consagrar como a primeira franquia da história da NBA com menos de dez derrotas na história da liga. Seja aclamado ou criticado, o que não se pode negar é que o Warriors está revolucionando a maneira de se jogar basquete. E, junto com eles, recordes vêm sendo pulverizados.

Stephen Curry não jogou no quarto final. Nos três primeiros, foram dez tiros de três certeiros, que acarretaram num total de 402 para a temporada, 126 a mais do que qualquer outro jogador da NBA. Se mantivesse o ritmo no último período, chegaria a 13, ultrapassando o maior número de cestas de trás do arco numa única partida, marca dividida pelo próprio Curry e, entre outros, Kobe. A vantagem do Warriors construída ao longo do jogo fez com que seu principal jogador não entrasse em quadra, mas gosto de pensar em uma intervenção divina dos deuses do esporte.

Que Curry vai se isolar no recorde e continuar a gozar de um arremesso de três nunca antes visto na história do esporte, poucos duvidam. Mas o astro do Warriors terá tempo para isso. Nesta noite mágica para os fãs de basquete, esse era o único recorde que não merecia ser quebrado.

  • Vince Mendes

    a unica coisa que me preocupa com os Warriors.. é que em nenhum momento o Kerr poupou seus atletas.. e jogou total com os titulares até a ultima partida, enquanto os Spurs pouparam na maioria das partidas de abril…. eu acho que nos playoffs isso pode aparecer.. uma hora o cansaço vai aparecer pros Warriors

    • Matheus Oliveira

      De fato, mas o Kerr rodou muito bem o time durante a temporada.. Tenho confiança de que vão descansar bem esses dias aí.
      GSW foi o time que mais viajou em todas as Ligas Americanas também. Só engrandece esse feito

    • MarceloBulls

      Acho que nem vai fazer muita diferença, vale lembrar que em várias partidas o Curry nem entrou no último quarto, como na de ontem

    • Tárcio

      Warriors jogou umas 50 partidas de apenas 3 quartos. E isso fez com que os jogadores não se desgastassem tanto. Fora que o elenco é muito bom, acho que só 2 jogadores são insubstituíveis , Green e Curry

  • Que ano incrível! Desde que acompanho NBA esse foi a temporada mais sensacional de todas. Foram trocentos recordes quebrados, Durant mantendo um número gigante de jogos com +20 pts, Westbrook quase atingindo o feito do Oscar Robertson, GSW vaporizando todos os recordes.

  • Essa temporada foi absolutamente sensacional, disparada a melhor desde que acompanho NBA. Trocentos recordes foram batidos, outros trocentos ficaram no quase. Teve Durant com uma sequência absurda de jogos com 20pts ou mais, Westbrook quase atingindo TD de média, Spurs por muito pouco não sendo o primeiro time a passar uma temporada invicta em casa.

    Teve Kobe, GSW vaporizando todos os recordes, teve Jeremi Lin vencendo jogos, teve a última escolha de um draft indo para o All Star Game, teve um calouro que ficará para a história…que ano meus amigos, que ano…

  • Tárcio

    Grande texto, parabéns

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados