logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 23 maio 2016 às 15:37
Prospecto do Draft 2016 – Deyonta Davis

Ex-ala-pivô de Michigan State pode ser selecionado na loteria do recrutamento deste ano

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Ricardo Stabolito Jr.

Deyonta Davis

Deyonta Davis

Idade: 19 anos
Universidade: Michigan State
Experiência: freshman
Posição: ala-pivô
Altura: 6’10.5’’ (2.09m)

Médias na temporada 2015-16: 7.5 pontos, 5.5 rebotes, 0.7 assistências, 0.3 roubos de bola, 1.8 tocos, 0.9 erros de ataque, 59.8% de aproveitamento nos arremessos de quadra e 60.5% de acerto nos lances livres em 18.6 minutos em quadra.

Pontos fortes: Davis tem condição física e atlética ideais para atuar como ala-pivô entre os profissionais, com ótima altura (2.09m), envergadura (2.20m), explosão, impulsão e velocidade para um prospecto. Move-se com grande fluidez e agilidade para alguém de seu porte. Compensa falta de refinamento técnico com excelentes instintos nos dois lados da quadra. Eficiente finalizador em torno do aro, explosivo e que utiliza seus atributos físico-atléticos com naturalidade próximo da cesta. Um arremessador cada vez mais consistente de média distância. Não precisa da posse da bola para causar impacto em quadra. Reboteiro extremamente sólido nas duas tábuas, em especial ofensivo. Seus braços longos, explosão e instintos defensivos tornam-o um dos melhores bloqueadores de arremessos do draft. Capaz de sair do garrafão e marcar jogadores de perímetro por sua mobilidade e agilidade. Parece um prospecto perfeito para atuar como pivô em formações mais baixas.

Pontos fracos: Davis não é o jogador mais franzino do recrutamento, mas deverá precisar de um trabalho físico para enfrentar a competição profissional. Teve papel limitado na rotação de Michigan State em sua única temporada na NCAA, atuando menos de 20 minutos por jogo. Cai, constantemente, em problemas de faltas. Não tem paciência com a posse da bola e sente-se mais confortável executando com a mão direita. Trabalho de pernas e arsenal de costas para a cesta beiram o nulo no momento. Os 60.5% de conversão nos lances livres não sugerem um atirador em potencial. Não mostra grandes qualidades como passador e enxergando a quadra. Exibe altos e baixos em termos de esforço e disciplina, produto de sua atenção – tanto ofensiva, quanto defensiva – instável e polidez tática. Não é surpresa que falte-lhe experiência a esta altura da carreira e, hoje, se impõe muito mais pelo talento e atleticismo do que pela compreensão da dinâmica do jogo.

Comparação: Ed Davis (Portland Trail Blazers) com maior potencial ofensivo

Projeção: de 10ª a 20ª escolha geral

Confira alguns lances de Deyonta Davis

Legenda
– Freshman (primeiro ano universitário)

  • France Williams

    em vez de ficar um ano a mais na universidade…

  • Zorg

    Precisaria ficar mais uns dois anos em MSU para adquirir físico e um repertório ofensivo que lhe permitisse jogar tranquilamente na NBA

  • Daniel Nogueira

    Projeto de A. Davis.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados