logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 24 jun 2016 às 17:52
Draft 2016: Análise das escolhas de primeira rodada – Parte I

Gustavo Lima avalia seleções feitas pelos times de loteria no recrutamento

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Lima

NEW YORK, NY - JUNE 23: Ben Simmons poses with Commissioner Adam Silver after being drafted first overall by the Philadelphia 76ers in the first round of the 2016 NBA Draft at the Barclays Center on June 23, 2016 in the Brooklyn borough of New York City. NOTE TO USER: User expressly acknowledges and agrees that, by downloading and or using this photograph, User is consenting to the terms and conditions of the Getty Images License Agreement. (Photo by Mike Stobe/Getty Images)

O Draft 2016 foi o mais insano da história da NBA. Não por causa das trocas fechadas (apenas duas negociações envolvendo picks de loteria), mas devido a várias escolhas surpreendentes.

Como esperado, o Philadelphia 76ers, dono da primeira escolha, não brincou em serviço e selecionou o maior talento da classe deste ano, o ala-pivô australiano Ben Simmons, da Universidade de Louisiana State (LSU). O Angeles Lakers também não decepcionou e escolheu o ala Brandon Ingram logo em seguida. Já Milwaukee Bucks e Sacramento Kings surpreenderam em suas escolhas. Vale destacar ainda a troca envolvendo Orlando Magic e Oklahoma City Thunder.

Para não deixar o post muito longo, resolvi dividir minha análise do draft em duas partes. A primeira delas segue abaixo e se refere apenas às escolhas feitas na loteria. A segunda parte, com as seleções restantes no recrutamento, sai neste domingo (26). 

1- Philadelphia 76ers – Ben Simmons (ala-pivô/ala, LSU, 19 anos)

O Sixers fez o óbvio. Escolheu o maior talento do draft. Simmons tem um conjunto de qualidades poucas vezes visto em um prospecto e chega à NBA para contribuir de imediato e ajudar a tirar o time da Philadelphia do limbo. O Sixers tem ótimas peças no garrafão (Nerlens Noel, Jahlil Okafor e Joel Embiid não foram trocados ainda e Dario Saric deve chegar à liga nesta offseason) e praticamente ninguém no perímetro, especialmente na armação. Com o fim do período de tank, a equipe promete se reforçar no mercado de agentes livres. Torcedores do Sixers: confiem no processo.

2- Los Angeles Lakers – Brandon Ingram (ala, Duke, 18 anos)

Ao contrário de rumores pré-draft, o Lakers não negociou a escolha e selecionou o segundo maior talento da turma deste ano. O franzino Ingram tem todos os atributos necessários para contribuir nos dois lados da quadra e será mais uma peça importante do jovem time angelino, que ainda conta com D’Angelo Russell, Julius Randle e Jordan Clarkson (agente livre que deve renovar com a equipe). Obviamente, o Lakers vai precisar atacar o mercado, já que precisa de ajuda em todas as posições, principalmente de jogadores consolidados na NBA, para voltar a pensar em playoffs. Espaço na folha salarial não vai faltar…

3- Boston Celtics – Jaylen Brown (ala, California, 19 anos)

Danny Ainge surpreendeu em mais um draft. Já está virando rotina. Quando todo mundo achava que o Celtics fosse selecionar o armador Kris Dunn para, em seguida, trocá-lo com Minnesota Timberwolves ou Chicago Bulls, ou até mesmo um arremessador do perímetro (Buddy Hield ou Jamal Murray), o time de Boston optou pelo ala Jaylen Brown. Eu não achei a escolha ruim. Brown tem atributos físico-atléticos de elite e combina força com agilidade e explosão para ser efetivo nos dois lados da quadra. Porém, ele peca na tomada de decisões e tem um arremesso inconsistente. Brad Stevens ganha mais um potencial ótimo defensor de perímetro, que pode até atuar na posição 4 em formações mais baixas. As grandes carências do Celtics (falta de arremesso de longa distância e de proteção do aro) deverão ser sanadas no mercado de agentes livres. Pelo menos é o que espera a torcida.

4- Phoenix Suns – Dragan Bender (ala-pivô, Maccabi Tel Aviv, 18 anos)

O Suns fez uma ótima escolha. Bender, além de ser o melhor prospecto internacional, tem potencial para se tornar um jogador especial na NBA. Não é todo dia que surge um big man versátil nos dois lados da quadra e dotado de impressionante controle de bola, visão de jogo, mobilidade e agilidade. Ir para Phoenix foi o melhor que poderia acontecer a Bender, pois a equipe não vai brigar por algo grande na próxima temporada e, por isso, deverá ter paciência em desenvolvê-lo. Vale lembrar que ele é o jogador mais novo da classe deste ano. Com a opção por Bender, o Suns mata dois coelhos com uma cajadada só: adiciona talento e preenche a posição 4 (a mais carente da equipe). Uma reconstrução de elenco que tenha Devin Booker e Dragan Bender já deve animar a torcida do Suns, ansiosa para o retorno do time aos dias de glória.

5- Minnesota Timberwolves – Kris Dunn (armador, Providence, 22 anos)

O Timberwolves escolheu o melhor armador da turma deste ano. Dunn possui atributos físico-atléticos de elite, joga com agressividade e tem potencial para se tornar um dos melhores defensores da posição na NBA. Além disso, ele tem visão de quadra privilegiada. Com essas qualidades, estava na cara que ele cairia nas graças do técnico e presidente Tom Thibodeau. Depois de muita negociação na noite de recrutamento, a franquia não fechou a troca com o Chicago Bulls por Jimmy Butler. O Wolves não quis abrir mão de Zach LaVine e Dunn pelo ala do Bulls. Só com o tempo saberemos se essa foi a melhor das decisões. Mas pensando na próxima temporada, o time de Minnesota tem um abacaxi nas mãos: trocar Rubio para dar espaço a Dunn ou manter os dois e não “pressionar” tanto o novato para que ele já contribua com a equipe? Eu tentaria trocar o espanhol. Com a opção por Dunn, o Wolves terá que buscar arremessadores do perímetro (maior carência do elenco) no mercado de agentes livres ou através de trocas (envolvendo Rubio, é claro). Em questão de encaixe e necessidade no atual elenco, Jamal Murray e Buddy Hield teriam sido boas escolhas.

6- New Orleans Pelicans – Buddy Hield (ala-armador, Oklahoma, 22 anos)

Buddy Hield chega à liga credenciado como o melhor arremessador de longa distância da classe e chama a atenção pelo senso de posicionamento e facilidade para se desmarcar. Seu estilo de jogo combina com a NBA atual e tem tudo para contribuir de imediato, especialmente em um time que adora jogar em velocidade e que precisa de arremessadores confiáveis do perímetro. Em suma, Hield é o tipo de jogador que o técnico Alvin Gentry adora comandar, e que faltou ao Pelicans nesta temporada. Uma rotação de perímetro com Jrue Holiday, Tyreke Evans e o novato é animadora. Agora, o time de New Orleans vai precisar de reforços no mercado, sobretudo um ala e um stretch four de bom nível.

7- Denver Nuggets – Jamal Murray (ala-armador/armador, Kentucky, 19 anos)

O Nuggets tem um elenco “cheio” em todas as posições e optou aqui pelo melhor jogador disponível. Jamal Murray é um combo guard dotado de excelentes instintos ofensivos. Provou em Kentucky que pode ser efetivo sem a bola nas mãos. Inicialmente, pelo que disse o GM da franquia, Tim Connelly, o canadense chega para ser opção de banco, pois Gary Harris continua como o titular da posição 2. Por questão de tempo de quadra, tenho minhas dúvidas se o Nuggets era o melhor destino para Murray, já que a equipe conta com Emmanuel Mudiay, Jameer Nelson, Will Barton, Danilo Gallinari e Wilson Chandler, além do já citado Harris, para atuar no perímetro.

8- Phoenix Suns* – Marquese Chriss (ala-pivô, Washington, 18 anos)

Aqui tivemos a primeira troca da noite. O Suns sempre esteve na dúvida entre Dragan Bender e Marquese Chriss na quarta escolha. Após optar pelo croata, a equipe resolveu arriscar e obteve mais uma escolha TOP 10 justamente para selecionar o jogador de seu interesse que estava sobrando no recrutamento. A equipe do Arizona abriu mão de duas escolhas (13 e 28), além dos direitos do ala sérvio Bogdan Bogdanovic, que deverá vir para a NBA só em 2017, e de uma futura escolha de segunda rodada (2020). Chriss realmente encantou a comissão técnica e a direção do Suns com sua espantosa condição atlética e capacidade de arremessar de longa distância e proteger o aro. Porém, ele ainda carece de fundamentos e de compreensão do jogo. Chriss é mais um jogador de 18 anos da posição 4 que o Suns seleciona, mas que não tem o nível técnico de Bender. Na minha opinião, essa é uma aposta arriscada. Só que em um draft sem tantos talentos, não vou detonar a direção do time de Phoenix. Aposta alta, recompensa maior ainda.

9- Toronto Raptors – Jakob Poeltl (pivô, Utah, 20 anos)

A opção pelo pivô Jakob Poeltl evidencia duas coisas: o Raptors quer um novato pronto para encarar a NBA e contribuir de imediato, e a provável saída do agente livre Bismack Biyombo na offseason. Melhor pivô da classe de 2016, o jogador austríaco é uma escolha segura, sólida. Poeltl vai ajudar o Raptors com sua eficiência, regularidade e inteligência em quadra. Com poucas lacunas em seu jogo, ele parece ser uma boa opção para substituir o pivô congolês. Muita gente achava que o time de Toronto fosse selecionar um jogador para a posição 4, a mais carente do elenco, mas a opção por Poeltl me parece acertada para uma franquia que quer continuar brigando pelas primeiras posições na conferência Leste. O Raptors deverá buscar um ala-pivô de bom nível no mercado de agentes livres ou através de trocas.

10- Milwaukee Bucks – Thon Maker (ala-pivô/pivô, Orangeville Prep. School, 19 anos)

Sem dúvida, a seleção de Thon Maker na décima escolha foi a grande surpresa da loteria. O jogador nascido no Sudão e naturalizado australiano é o prospecto mais intrigante da turma. Vindo diretamente do basquete colegial, Maker possui atributos físicos que chamam a atenção (2.21m de envergadura, 2.81m de altura com os braços estendidos e fluidez em quadra). Além disso, ele é capaz de arremessar de média e longa distância e tem imenso potencial defensivo. Só que Maker ainda é muito magro e carece de fundamentos do jogo. É uma aposta ousada, mas que pode trazer recompensa ao Bucks.  Não bastasse a presença de Michael Carter-Williams, Kris Middleton, John Henson e Giannis Antetokounmpo, a equipe de Milwaukee passa a contar com mais um jogador com altura privilegiada e braços longos. Estou curioso para ver os “gigantes” de Milwaukee atuando juntos.

11- Oklahoma City Thunder* – Domantas Sabonis (ala-pivô/pivô, Gonzaga, 20 anos)

A segunda troca da noite foi fechada entre Orlando Magic e Oklahoma City Thunder. O time da Flórida recebeu o ala-pivô Serge Ibaka, que tem mais um ano de contrato, e cedeu ao Thunder o ala-armador Victor Oladipo (mais um ano de contrato), o ala-pivô Ersan Ilyasova (contrato não garantido para 2016/17) e a décima primeira escolha. Com a pick em mãos, a equipe de Oklahoma City decidiu selecionar o ala-pivô Domantas Sabonis. O filho do lendário pivô Arvydas Sabonis é um big man à moda antiga: dotado de instintos, força, mobilidade e inteligência para encarar o jogo de garrafão, além de promissor arremesso de média e longa distância.

Acho que o Magic abriu mão de muita coisa para trazer Ibaka. A troca vai ser boa para o time de Orlando em quadra porque o ala-pivô é um ótimo complemento para Nikola Vucevic e vai possibilitar que a equipe possa utilizar formações mais leves e baixas com Aron Gordon na 4 e o congolês na 5. Com a troca, ficou claro que o Magic jogou a toalha com relação à pouca evolução ofensiva de Oladipo e que não dava para ele atuar com Elfrid Payton no perímetro. Sem Oladipo, o Magic deve renovar com o agente livre Evan Fournier e dar mais espaço ao croata Mario Hezonja. Com a mudança, o time de Orlando tem tudo para resolver o problema de espaçamento em quadra.

Quanto ao Thunder, o elenco ficará mais forte com Oladipo preenchendo a posição 2 e Ilyasova e Sabonis reforçando o garrafão. Ibaka já não vinha sendo o mesmo jogador de outrora e a equipe de OKC não desperdiçou a oportunidade de trazer um jogador mais confiável que André Roberson para o perímetro. Caso Kevin Durant permaneça, o Thunder continuará forte na próxima temporada.

12- Atlanta Hawks – Taurean Prince (ala, Baylor, 21 anos)

Com a escolha adquirida esta semana junto ao Utah Jazz, o Hawks surpreendeu de certa forma ao selecionar o ala Taurean Prince. Não pela qualidade do jogador, mas porque ele estava cotado para sair no final da primeira rodada. Em um draft com poucos talentos, o time de Atlanta viu a oportunidade de adicionar um ala com características que se encaixam na filosofia de jogo de Mike Budenholzer. Prince tem físico de elite e vai ajudar desde já com sua competitividade e capacidade de marcar múltiplas posições. Ele tem tudo para se dar bem na era do small ball, já que deverá ser um role player capaz de contribuir na defesa e com bolas de três pontos. Enfim, o Hawks selecionou um jogador bem parecido com DeMarre Carroll, que fez sucesso na equipe entre 2013 e 2015. Prince é uma escolha segura e elogiável do time de Atlanta.

13- Sacramento Kings* – Georgios Papagiannis (pivô, Grécia, 18 anos)

Quem? Essa foi a reação de muitas pessoas que acompanhavam o draft no momento da seleção do Kings. A opção pelo pivô Georgios Papagiannis foi surpreendente e resume bem o que é a franquia de Sacramento. Nada contra o jogador, que, aliás, nem teve perfil publicado pelo Jumper Brasil porque não acreditávamos que ele pudesse ser selecionado na primeira rodada. Papagiannis é um pivô grego muito jovem, que chama a atenção pelos atributos físicos e por ser um ótimo reboteiro. O problema é que o Kings já tem em seu elenco DeMarcus Cousins, Willie Cauley-Stein (escolha do ano passado) e Kosta Koufos para o garrafão. O time negociou o ala-armador Marco Belinelli esta semana e deverá perder o armador Rajon Rondo (agente livre) na offseason. Com boas opções disponíveis para essas duas opções, a direção da equipe resolveu pegar mais um pivô. Papagiannis pode queimar a minha língua, mas ele não era o maior talento a essa altura do draft. O pivô grego deverá vir para a NBA já na próxima temporada, o que reforça a necessidade do Kings negociar algum de seus gigantes (provavelmente Koufos). Após o draft, o GM da franquia, Vlade Divac, explicou a escolha e afirmou que Papagiannis tem potencial para ser um All-Star na NBA. Prefiro ficar quieto e não comentar essa declaração.

14- Chicago Bulls – Denzel Valentine (ala-armador/ala, Michigan State, 22 anos)

O Bulls selecionou um dos melhores jogadores do basquete universitário. Valentine é um dos prospectos mais versáteis da classe, tem alto QI de basquete, visão de quadra apurada, excelente arremesso e capacidade de criar para si e para os outros. A falta de atleticismo pode lhe trazer dificuldades na NBA, mas o maior temor é quanto à durabilidade de seus joelhos, que já passaram por cirurgias. Em questão de talento e encaixe no que o técnico Fred Hoiberg quer para o time, Valentine faz muito sentido. O problema é que a torcida do Bulls, calejada pelos problemas de joelho do armador Derrick Rose, recém-negociado com o New York Knicks, já está preocupada com a condição física do novato.

Trocas envolvendo escolhas de primeira rodada

– Phoenix Suns e Sacramento Kings
Suns recebeu a escolha 8
Kings recebeu as escolhas 13 e 28, os direitos de Bogdan Bogdanovic e uma escolha de segunda rodada de 2020

– Oklahoma City Thunder e Orlando Magic 
Thunder recebeu Victor Oladipo, Ersan Ilyasova e a escolha 11
Magic recebeu Serge Ibaka

  • Sid Payne- Dança muito

    Após o draft, o GM da franquia, Vlade Divac, explicou a escolha e afirmou que Papagiannis tem potencial para ser um All-Star na NBA. Prefiro ficar quieto e não comentar essa declaração.

    hehehehe

    • taylor

      okc se deu bem

  • pedrokadf

    Bulls ”dispensaram” Rose por causa da lesões, chega o draft, o bulls selecionam quem ? Denzel Valentine, um jogador que pode ter problemas com lesões…
    Sem mais.

    • Killer Crossover

      Rose ainda vai rir muito do Bulls kkk (e com razão). Já podem começar o tank essa season, que na verdade deveria ter sido “com gosto” na última.

      • pedrokadf

        será ? rs
        deveriam entrar no modo tank msm…

    • MarceloBulls

      Tem que ter uma vaga cativa no DM, não dava pra ter os dois, rs
      Brincadeiras a parte, o Denzel por exemplo não teve problemas nos últimos anos, desde 2012-13 (Que foi a primeira temporada do Valentine no College)

      Valentine: 144 jogos de 148 possíveis
      Rose: 127 jogos de 328 possíveis

      Fora que ele tem tudo pra evoluir, o Rose infelizmente é bem difícil de que volte a jogar o mesmo basquete de quando foi MVP, fora o salário é claro

      • pedrokadf

        só se for essa a justificativa haha
        Mas falando serio, é um risco grande, enfim, espero q de certo, com relação a rose foi correta a decisão, mas a troca em sí, pqp, fizeram besteira, poderiam pegar ”algo” melhor…

  • Lucas Ottoni

    Meu Deus, até agora não acredito no que o Magic fez…

  • Sid Payne- Dança muito

    Nuggets com essa escolha tem um fodendo perímetro… vamos ver no que da

    • Erick #Nuggets

      Acho que tem muita gente sobrando aí nesse perímetro, impossível dar minutos a ponto de desenvolver os selecionados no draft com esse amontoado de jogadores, esperando trocas.

      • Sid Payne- Dança muito

        Vdd, tem mt gente… mas é um bom perímetro

  • Uncle Drew

    E o Rubio se sentia na autonomia de dizer q se o Wolves não fosse para os Playoffs nesta temporada… ele iria pedir para ser trocado.HAHAHAHAHAHA.
    Ele só não esperava q o Wolves já estava pensando nisso a mt tempo antes.
    http://jumperbrasil.lance.com.br/2016/06/07/rubio-ja-pensa-em-saida-do-twolves-caso-equipe-nao-chega-os-playoffs/

    • Lucas Ottoni

      Esse Rubio é um moleque mimado com o rei na barriga que pensa que joga mais do que realmente joga. É um armador bonzinho, que ainda tem deficiências claras em seu jogo, e nada além disso. Após esse último draft, ele está longe de ser indispensável pro Wolves. Muito pelo contrário.

  • Daniel Nogueira

    Obviamente o grande vencedor do Draft foi o OKC; se Durant não sair, o Thunder vem pra brigar forte por título na próxima emporada.
    Minesota se beneficiou da burrada do Ainge e ganhou “de graça” o Dunn. Resta esperar o contrato do Rubio acabar pra mandá-lo embora. Duvido que alguém queira absorver o contrato do espanhol.

  • Uncle Drew

    “Após o draft, o GM da franquia, Vlade Divac, explicou a escolha e afirmou que Papagiannis tem potencial para ser um All-Star na NBA.”
    http://i.imgur.com/KZQWK.gif

    Uma cara q era rankeado lá pela posição 50º no Draft Express. Meu Deus do Céu, Kings!

  • Olavo #WeAreRipCity

    Divac, pelas declarações de ontem, me parece que não viu muito bem esse tal de Papagiannis jogar. Falou que ele poderia ter mesmo impacto que o WCS teve ano passado hahahahahaha

    https://twitter.com/BlakeEllington/status/746205558676455425
    https://twitter.com/Sam_Vecenie/status/746206613476827136

    • Sid Payne- Dança muito

      Qual foi o impacto do WCS?

      • Olavo #WeAreRipCity

        Trouxe mais defesa e mobilidade pro garrafão do Kings, mas o problema nem é esse. Pelo que muitos dizem, Papagiannis está longe de ser um jogador com as mesmas características do WCS. Alguns falam que ele não consegue jogar 5 minutos seguidos por falta de condição física …rs

  • Thiago Pereira Vital

    Que bom que Sixers não saiu do óbvio. Simmons é um talento geracional, se evoluir seus chutes, em 3-4 anos pode ser um jogador top 3 da liga. Não tinha como passar um talento desses.

    O único problema dele é que é extremamente parecido com o Léo Stronda hahahahaha

  • King Cuban

    O pessoal dos Celtics ficou a fazer barulho a temporada toda para isso… Até o Donnie parece ter feito um bom trabalho desta vez.

    • BetoMavs

      E aí King gostou da seleção do AJ Hammons? Vendo os videos dele hoje parece ser um cara que pode ser util na rotação, parece ser um protetor de aro competente.

      • Felipe Rodrigues

        Tava torcendo pro Celtics pegar o Hammons na segunda rodada, eu achei uma boa escolha pro Mavs.

      • King Cuban

        Ele parece ser útil na rotação e com muito talento pelo o que vi… Os grandes problemas dele são a atitude e falta de empenho (como vi em alguns scout reports). Espero que seja o Steal do Draft pois nós estamos a precisar.

  • Diego Costa

    Thon Maker foi citado com 2,81m de altura, é isso mesmo? O.o

    • Olavo #WeAreRipCity

      “com os braços estendidos”

      • Diego Costa

        É, vi agora, vou apagar

  • Megafut

    Pacers Brasil voltando

  • Knickerbockers

    Pode ser loucura minha, mas se o Celtics tivesse oferecido essa pick 3 pela pick 7 + Kenneth Faried do Nuggets. De repente o GM’s dos Nuggets aceitariam e pegariam o Bender, enquanto que os GM’s do Celtics possivelmente acabariam selecionando o mesmo Jaylen Brown na pick 7 e ainda teriam o Kenneth Faried. Faltou ousadia por parte da diretoria do Celtics.

    • Clair Junior

      Loucura mesmo. Pick 3 não vale tanto e Jaylen Brown já não estaria disponível na 7.

      • Knickerbockers

        Ele tava cotado pra sair entre a pick 3 e 10, mas creio que a lógico seria.
        1 – Simmons, 2 – Ingram, 3 – Bender, 4 – Dunn, 5 – Hield ou Murray, 6 – Murray ou Hield, sobrando o Brown fácil na pick 7. Se escolhessem o Marquese Chriss antes, até na pick 8 eles achariam o Brown. E sobre a pick 3 não valer tanto, na noite do draft teve tantas loucuras que não duvido nada que os GM’s do Nuggets aceitariam, pois eles já tem o Mundiay e o Gary Harris como guard’s.

    • Felipe Rodrigues

      Antes do Draft o 76ers ofereceram Noel+Covington+pick 24 e 26 pela pick 3 e o Ainge disse não…

      Agora me diz se aquele maldito não é um FILHO DE UMA PUTA.

      • Knickerbockers

        O Celtics vacilou aí, o Sixers sairia perdendo nessa, muita coisa pela pick 3. Com a pick 24 e 26 o Sixers selecionou jogadores com o futuro promissor. A trade perfeita para ambos os times seria Okafor ou Noel + alguma coisa pela pick 3 mesmo. O Celtics precisam de um Center, Okafor é um dos mais promissores da nova geração e o Sixers de um armador, Dunn seria perfeito para o time de Philly. Ambos sairiam felizes com essa trade.

        • Vinicius Vaz

          76ers se deu bem demais de não ter feito a troca pela pick #3, manteve o Noel que tem mt mercado e com as picks pegou jogadores que foram 2 grandes steals no draft

  • Clair Junior

    Eu não acredito que veremos um novo Giannis Antetokounmpo (o rapaz que estava 2 anos de estar 2 anos pronto) na escolha do Kings justamente por ser Sacramento Kings.

  • Thiago Pinto

    Acho que mais legal que análise de cada escolha seria uma análise por time. Todas as escolhas, quem dev contribuir e o que o time ganha

  • Yan Alves #Suns

    Gostei do Suns no draft, Bender vai ser o grande destaque do time na temporada, tenho fé nesse garoto.

    • Tbm achei que o Suns se saiu bem, além da opção pelo Bender, esse Marquese Chriss parece ser um puta defensor, mas vc acha que ele vai jogar de ala ou de ala/pivô Yan? E o Tucker será que fica no time?

      • Yan Alves #Suns

        Então, acho que vai depender também do desempenho na Summer League, Chriss deve ser testado como em SF em algum momento da competição, e dependendo do rendimento pode ser que seja utilizado assim mesmo, porém acho dificil.. Ele tem atributos físicos bons pra jogar de Ala, mas não sei se tem a capacidade de executar bem essa posição, até por nunca ter jogado nela. Já sobre o Tucker, gosto muito dele por ser um baita defensor, mas acho que já deu pra ele no Suns, ta na hora de sair.. Esse é o ano do TJ, e não quero nada atrapalhando o crescimento dele, Suns esse ano dificilmente fará uma grande campanha, então é hora de dar mais minutos pro excelente TJ, já tem um arsenal ofensivo muito bom, agora tem que treinar pra melhorar essa defesa.

        • Realmente, tomara que as lesões não atrapalhem mais o TJ, é um cara que vinha muito bem do banco mesmo, tem muitos recursos ofensivos…

    • Doug

      Achei q Suns saiu “vitorioso” no Draft tb…pegou o q de melhor poderia para o garrafao e ainda com duas escolhas top 10…ver esse time vai ser interessante, assim como a meninada talentosa dos Wolves e o revigorado Sixers…

  • Denyson

    No 2k16 no modo franchise, o Boston (meu time), foi de Chriss na pick 2 e na pick 9 foi de Hield. Ben Simmons e Ingram foram pro Sixers. I. Thomas – DeRozan – Crowder – Chriss – Drummond. Simmons ROY com médias de 15 pts – 8,9 reb – 6 ast.

  • Minnesota Timberwolves fez um draft seguro, eu acredito que pela personalidade o Kris Dunn vai se adaptar muito bem (outro pupilo pro KG) ao estilo de jogo focado no organizador. Estou curioso pela dupla Dunn & LaVine e o pick and roll envolvendo ele & Towns, Wolves agiu rápido em cercar o Wiggins com vários jogadores de perfil parecido e sempre deixar claro que ele é o rosto da equipe.

    Rubio vai ter que se provar pela primeira vem em anos lá, a sombra que ele precisava para colocar as sandálias da humildade chegou e gosta de trabalhar.

    Do Jaylen Brown acredito que ele ainda não tem peso suficiente para ir pro jogo físico no post quando estiver na defesa, mas com certeza ele pode cobrir minutos como um PF tem bastante envergadura.

    • Felipe Rodrigues

      Depois da declaração do Rubio sobre os playoffs se eu fosse o Thibs mandava ele pros Kings.

  • Paulinho Sérgio

    Mais de 24 horas e eu sem entender o que o Ainge fez ….

  • Eu gosto bastante do Brown, mas não acho que seja a melhor escolha para o Celtics, Ainge manda muito bem nas trocas mas dá a ré no quibe no draft. Pra começar lá em 2014, para mim deveria ter selecionado o Randle, mas ok, naquele altura a franquia precisava de um novo armador, ai no ano passado entrou no draft cheio de expectativas para trocas mas terminou com Rozier outro PG, enquanto poderia ter selecionado um pivô que defenda, sendo essa uma carência da equipe, esse ano a mesma coisa, expectativa de trocas, sem troca e seleciona o cara que não supre as necessidades da equipe e nem era o maior talento disponível. Tem o Bradley e o Crowder para defender no perímetro, mas ambos não tem grande poder ofensivo, ai selecionam o Brown que tem tudo para ser um defensor de elite, mas não tem arremesso, tem um repertório ofensivo bem curto. Fora as picks mais baixas, selecionaram a versão francesa do Sullinger, para que? Dar apoio na dieta? Só pode né!?

    • Fabrica de Vassilo

      Em 2014 tudo bem, Já tava pra trocar o rondo mesmo. Ainda que eu não entendi pra que mais um armador que defende mas não sabe arremessar. Em 2015, embora eu bote um pouco de fé no Rozier, mas quem eu esperava chegar mesmo era o Portis. Jogador já pronto pra contribuir na proteção de aro. Pra que mais um armador? Com Isaiah Thomas e Smart já no time? Ao menos Mickey veio no mesmo draft que é quase um Portis mais cru.

      • Em 2014 ainda dá para relevar, embora na época Randle parecia ser um prospecto com um pouco mais de potencial, e embora o Lakers tenha muito “garbage time”, ele demonstrou esse potencial na NBA, sendo trabalhado pode se tornar algo lucrativo. Mas ok, Smart teve uma boa carreira universitária, e Rondo seria trocado então tudo bem. Mas acho que desistiram dele muito fácil, logo após a season 2014-15 ele já foi colocado disponível para troca. 2015 foi realmente estranho, aquela altura do Draft Portis era o casamento de maior talento disponível e preencher uma necessidade, e foi bem nos Bulls se analisarmos o contexto. A rotação para os pivôs no Bulls é muito disputada mas no pouco que atuou Portis foi bem. Esse ano também foi bizarro, continuo achando que Brown não era a melhor escolha, mas vamos aguardar e ver o que acontece.

        • Fabrica de Vassilo

          Eu mesmo preferia Randle, mas Smart não foi uma escolha ruim, considerando a expectativa nele e suas médias. Também acho que desistiram cedo dele, acho que ele começou a ser encarado apenas como um Role Player, e Role Players no Celtics são trocáveis. Mas um “potencial All-Star” que é como ele era visto quando veio, não se torna um em apenas uma temporada. Choro até hj pelo draft de 2015 hauehaueae. temos um Terry que mal entra na rotação sendo que poderámos ter um Bobby pra contribuir de imediato. E Rozier no Bulls, ainda mais com a saída do rose seria muito beneficiado. Ao menos, Mickey está evoluindo bastante, e eu o acho muito parecido com o Portis. A escolha do Brown me parece que o time tá apostando num smallball por mais tempo ainda, com Crowder na 4, ou que futuramente Crowder será trocado. A escolha de Murray afetaria diretamente o Hunter que em tese, espera-se que faça exatamente o que ele viria para fazer. E Dunn seria só pra trocar mesmo. Como Ainge disse que as propostas que recebeu nos prejudicaria, escolher Dunn poderia ser pior por que sería-mos obrigados a troca-lo, ou trocar outro armador do time por pouca coisa. Bender seria o que mais faria sentido.

  • MarceloBulls
    • Olavo #WeAreRipCity

      “Other teams hopeful of getting their own opportunity to make a recruiting pitch to 2016’s most coveted free agent but whose status is not yet known include the Miami Heat, Boston Celtics, Los Angeles Clippers, New York Knicks and Los Angeles Lakers.”

      • Felipe Rodrigues

        Como torcedor do Celtics espero sinceramente q Ainge não acredite q ainda pode convencer o Durant após a merda q fez no Draft.

        Se antes eu ja achava q Durant fica em OKC agora eu acho q ele nem atende a ligação de Boston.

    • Elber Sampaio

      Penso que sejam os 3 principais candidatos pra ele mesmo, apesar de achar que permanece no Thunder.

  • João Rafael Barros

    O Ben Simmons tem seu novo apelido: The Answer II.

    Vai fazer igual a Iverson fez: carregar as costas e levar para final com seu time.

    Há 20 anos exatamente o Philly selecionou o AI e o resto da história vc sabe.

    Que coincidência né?

    Showman!!! Go Philly! 3-5 anos o Sixers estará em um final.

    • Felipe Rodrigues

      Igual o AI ele não vai fazer, até pq ele vai ter otimos nomes ao seu lado desde a primeira temporada.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados