logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 18 jul 2016 às 09:34
Phil Jackson defende criação de linha de quatro pontos na NBA

Atual presidente do Knicks também propôs aumento do tempo de posse de bola

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Eduardo Ribeiro

Jackson assumiu a presidência do Knicks em 2014

O lendário ex-técnico Phil Jackson, inovou os sistemas de jogo dos times que treinou com o uso do triângulo ofensivo, ideia que ainda é utilizada como base por muitos técnicos da atualidade. E o agora presidente do New York Knicks não parece contente com certas regras da liga e, em entrevista ao site Today’s Fastbreak, propôs mudanças significativas como a criação de uma linha de quatro pontos.

“Por que não criar uma linha de quatro pontos, a dez metros da cesta?”, opinou Jackson. “Não iria demorar muito até que vários jogadores se acostumassem a arremessar dessa distância. E uma linha de quatro pontos também ajudaria as equipes perdendo por uma diferença muito grande a se aproximar do placar mais facilmente.”

Outro ponto defendido pelo ex-técnico foi o aumento do tempo de posse bola, de 24 para 30 segundos. “Isso daria mais tempo para que as jogadas fossem organizadas e os jogadores de garrafão fossem envolvidos, além de fazer com que as equipes defendam com mais intensidade e passem mais a bola”, explicou.

Após uma carreira de técnico que o colocou como um dos maiores da história, com 11 títulos conquistados em Chicago Bulls e Los Angeles Lakers, Phil Jackson atua na direção do Knicks desde 2014.

  • wesley

    ai segura o stephen cury klay trompson draymond green durant o gsw todo

    • GSB

      Já é meio caminho andado pra esse rabanho de cavalo hahahaha

  • Vinícius Maia

    4 pontos só se fosse atrás do meio da quadra, fora a isso, não concordo. Sobre os 24 segundos, eles não eram empecilho para que os jogadores de garrafão fossem envolvidos na jogada na década de 90. O problema hoje é o nível baixo dos pivôs que jogam na liga e não o tempo de posse de bola.

  • Paulo OKC

    4 pontos só atrás da metade da quadra se não vai virar bagunça.

    • Leonardo

      Seria uma boa

  • danielzera

    O Phil tá é loko, imagina que jogo feio seria, uma equipe perdendo de 15 pontos arremessando varias bolas do meio da quadra, noss…

  • Tássio Marcel Hoffmann Coelho

    Phil = lenda. Mas nessa não concordo .

  • Mais Querido (Bulls)

    quer acabar com o basquete mesmo. por isso Popovich>>>>>>> Phil

    • Doug

      Uai…mas o time do Pop é um dos que mais arremessa de três…

  • Victor Chittolina

    É um mio esse cara, mas achei ele um pouco contraditório. Ele quer uma linha de 4 pontos pra ajudar as equipes que estão perdendo e aumentar o tempo de posse bola, que enrolaria mais o jogo e seria muito melhor pra manutenção de um placar.
    Eu sou a favor da linha de quatro pontos e contra o aumento do tempo de posse.

    • Leonardo

      Não é contraditório se você olhar mais de 24 segundos para trabalhar melhor a posse de bola…

      • Vince Mendes

        30s é muita coisa, em 24s da pra fazer muita coisa, e no fim do jogo vai acabar atrapalhando equipes q estejam 5 pontos atras tbm, sao 6s perdidos

        • NBAforever

          Seria legal se o relógio voltasse apenas para 14 segundos nos rebotes de ataque, como é no FIBA se não me engano. O seu time já está no ataque mesmo. Os 24 segundos são para a transição de quadra defesa-ataque + tempo de trabalhar jogada. Uma vez que você não precisa desse tempo de transição, acho que a FIBA mandou bem nesse ponto

          • Leonardo

            Faria bem mesmo, daria mais dinâmica. E se a tendência é chutes longos, pivôs de força perderiam espaço? O Hack tenderia a acabar? Os próprios pivôs teriam de aprender a chutar de media-longa distância?

      • Michel Moral

        O que o Mestre Zen quer é envolver os jogadores de garrafão.

        Tipo assim: se você tem mais tempo para trabalhar a posse, dá tempo de passar a bola para o pivô no garrafão e ele devolver a bola, caso não consiga fazer a jogada. E isso pode ocorrer duas vezes ou mais na mesma jogada de ataque.

        Mas para mim, os jogadores da NBA estão cada vez mais resolvidos daquilo que vão fazer. Chegam até enrolar com a bola na mão. Dar mais tempo de posse vai deixar o jogo mais monótono e ninguém vai girar a bola desse jeito não.

      • Victor Chittolina

        Dá pra trabalhar, claro. Mas pro time que tá perdendo no final da partida, o ataque tem que ser rápido, arremesso de 3, na vontade mesmo. Ninguém vai gastar os 24 segundos atrás no placar se precisa tirar uma boa vantagem.

  • Jefferson Cavalcanti

    Phil está loucão, coitado dos torcedores do Knicks!

  • Leonardo

    Eles não expos os motivos por defende tais mudanças, aí fica difícil julgar.

  • Vince Mendes

    Isso de 24 pra 30s sou contra… voce da maior posse de bola e n acho q isso resulta em maior aproveitamento, vai é baixar o numero d ppg

  • Michel Moral

    Então essa tal “linha dos quatro pontos” seria somente para quem chuta de frente ou em diagonal à cesta, correto? Seria tipo a linha do vôlei? Na zona morta só se você aumentar a quadra.

    De qualquer modo, se você cria uma linha de quatro pontos a dez metros da cesta você tira ainda mais a participação dos big man no garrafão. A tendência é jogar ainda mais no small ball.

    O jogo de garrafão está cada vez mais residual, ou seja, não é mais a primeira ação ofensiva dos times. Por mais que leve um tempo para que os jogadores se tornem especialistas da linha dos quatro pontos, os Centers que não souberem arremessar vão perder espaço.

    O único lado positivo que eu vejo é que a quadra ficaria mais espaçada.

    E sobre os 24 segundos eu não concordo. A NBA não é High School, onde você precisa desenvolver os jogadores. Ter uma posse de bola de quase meio minuto já tá de muito bom tamanho!

    • Eu concordo na questão dos poucos organizadores (no quesito PG), mas a NBA tem obrigação de desenvolver os jogadores. Porque não são todos (é a grande minoria) que chegam ao nível profissional ancorados sobre um staff de treinadores para complementar suas habilidades. Academia? Raramente. Intercâmbio com outros jovens talentos? Só no College. O que eu sinto de relevância nesse rito da escola — NBA é a técnica e os fundamentos básicos, porque os prospectos se lançam cada vez mais novos então se a NBA (cada franquia) não cuidar da sua escala de novatos a D-League já, já vai se tornar um campeonato competitivo por ficar absorvendo esses prospectos que não vão ser draftados ou porque não atingem o teto dentro da idade.

      PS: PG puro (falando pelos próximos quatro anos): De’Aaron Fox, Troy Brown, Trae Young, Quade Green, Darius Garland, Lamelo Ball e Pierre Crockrell Jr. Só na base!!!

      • Michel Moral

        Eu entendo que a NBA recebe jogadores que precisam ser lapidados, mas mudar a regra do jogo para isso já é demais.

        E eu espero que esses prospectos que vc citou realmente se confirmem. Acho que é uma carência do basquete da NBA atual, assim como os pivôs também eram, mas que agora começam a surgir novas realidades como Towns, Okafor, Jokic, Turner, etc.

        Mudar a regra para resolver uma carência técnica da liga, já acho forçar demais a barra.

        • Se não estiver enganado tanto na escola quanto na universidade a posse tem 30 segundos e as dimensões da quadra atendem ao nível do crescimento físico dos atletas além de toda a complexidade tática do jogo. Para um garoto de 17-18 anos que joga nas dimensões do High School e daqui a um ano ele vai estar atuando entre os profissionais a mudança acaba sendo muito drástica, imagine para o PG que geralmente é quem dita o ritmo da equipe.

          A NBA e sua comissão de comando devia dialogar mais com a NCAA e NFHS, pois aboliram o salto direto da escola e passam um modelo pra base (high school) que não é todo mundo capaz de executar.

          • Michel Moral

            Eu não vejo como você, André. É natural que um jogador em desenvolvimento passe por esse período de transição. Facilitar esse procedimento é trabalho da franquia e principalmente do técnico.

            Eu joguei escolinha com tabelinha (mais baixa) e com um tipo de bola mais leve. Fui para outra categoria com a “tabelona” (normal) só que ainda com a bola mais leve. Primeiro jogava apenas dois quartos. Depois pude jogar três. No final, com meus 14/15 anos eu podia jogar os quatro quartos com tabela normal e bola no peso profissional. A transição do Juvenil para o Profissional (que foi o momento que parei), realmente há uma disparidade muito grande.

            A melhor alternativa é manter os garotos mais tempo no High School, para que fiquem o mais próximo do profissional possível, embora isso nunca vá acontecer de forma plena.

            Mas mudar regras do jogo não tem nada a ver.

      • Thiago Pinto

        Eu sou a favor de mais anos no College. Na NFL são 3 anos, se não me engano…

    • Victor Chittolina

      Tu tira a importância dos pivôs por um lado, mas aumenta a importância deles nos rebotes defensivos e ofensivos, porque a tendência é termos um percentual baixo de conversão nos arremessos de pontos.
      O FG% dos times deve baixar mais e o número de rebotes deve aumentar. Um cara capaz de dar segundas chances será ainda mais importante, ainda que não participe diretamente da rotação da bola.
      Além disso, eu gosto da ideia dos 4 pontos porque o jogo ganha em emoção. 8 pontos de diferença seriam duas posses de bola.
      Sei lá, mano. Mudança é mudança. No final das contas, o cara tem que ver como vai ficar.

      • Michel Moral

        Sim, Victor. Os reboteiroa serão figuras importantes.

        Porém, hoje a NBA tem ótimos reboteiros já, em quase todas as posições.

        Vamos pegar o exemplo de Kevin Love, que é o mais fácil de visualizar. Ele é um reboteiroa excelente. Sempre teve médias boas. Mas mesmo sendo um bom reboteiro e tendo um dos melhores chutes, é um jogador que perdeu espaço.

        A NBA tem bons reboteiros, mas o problem não é esse. O problema é fazer esses caras jogar e serem envolvidos ofensivamente, não só no pick and roll ou no chute aberto, mas partir para um fade away, etc.

        Como eu coloquei, hoje os pivôs deixaram de ser uma opção principal ofensiva para atuar de forma residual.

        • Doug

          Mas, Michel…vc está partindo do pressuposto de que esses arremessos virariam a regra…não é assim…veja que mesmo o GSW já teve mais dificuldade nas bolas de três nos offs…não acho que é por aí…essa questão toda, parece mais receio da novidade…de mexerem com a nossa zona de conforto…com aquilo que já nos acostumamos…

          • Michel Moral

            Na minha visão, é uma questão tática já sedimentada.

            Independentemente das bolas caírem ou não, veja que o próprio Cavs jogou com formação mais baixa para fazer frente ao Warriors. Ofensivamente, o time de Ohio jogava muito mais tentando cortar para dentro do que dar início a uma jogada a partir de um jogador próximo à cesta.

            Claro que a visão tática pode mudar a partir do momento em que um jogador com outra característica se torna a referência na liga (Anthony Davis? Towns?), mas fato é que hoje até mesmo os jogadores de garrafão tem perdido espaço como opção para definição (obviamente que ainda exercem outras funções importantes, como rebotes, pick and roll, pick and pop, alley oop, etc).

            OBS.: não estou criticando os times por jogarem da maneira que citei. É uma realidade e que hoje vem sendo aplicada (ponto final). A minha crítica é a ideia de mudar a regra que, ao meu ver, traria mais prejuízos do que resultados para os pivôs da NBA.

          • Doug

            Eu entendo…mas tb acho que os jogadores de garrafão perderam muito de seu espaço porque tínhamos uma safra bem medíocre deles, ao tempo em que surgiam jogadores talentosos no perímetro…foi como unir o útil ao agradável, nesse caso, talvez com o necessário…acredito, inclusive, que GSW priorizou esse jogo, dentre outras razões, porque contava com pivôs limitadíssimos tecnicamente, como Bogut e Ezeli, por exemplo…coloque esses caras a um metro e meio da cesta pra vc ver…agora a coisa tem dado uma melhorada em relação aos jogadores de garrafão…

        • Victor Chittolina

          Tchê, eu acho que tem a ver com a evolução do jogo, de as equipes estarem aprendendo o estrago que uma bola de três pode fazer é pode ser que piorasse a situação do jogo interior com uma linha de quatro pontos. Mas eu também acho que a diminuição do jogo de garrafão tenha ligação direta com a qualidade dos homens grandes de hoje. Eu não sei quanto a mudança do estilo de jogo fez diminuir o nível dos pivôs e alas-pivôs clássicos, ou se foi o caminho inverso, admito. Porém nomes como o Anthony Davis ainda tem espaço na NBA. O atual RoY é o Towns que, ainda que tenha um arremesso eficiente, tem a força do jogo baseado no low post.
          O caso do Love, acredito eu, é um problema pelo estilo de jogo do Cavs e quanto o Kyrie e o LeBron monopolizam o garrafão com infiltrações. Ele tem que espaçar a quadra pra facilitar o trabalho deles. Em outros times, acho que ele ainda pode ser um cara de 25, 30ppg.
          De qualquer forma, acho que a NBA mudou, é fato. Só os fora de série têm espaço no garrafão ofensivo.

          • Michel Moral

            Tudo verdade o que você escreveu. Love sofre no sistema do Cavs e ainda existem pivôs que conseguem destaque.

            Na minha visão, o small ball tomou conta da NBA. Hoje os times estão investindo muito mais em um pivô que faça o trabalho sujo e jogadores que saibam atuar no perímetro com facilidade.

            Pode ser que isso mude futuramente. Mas é uma realidade que hoje os times com os mais técnicos big man estão fora dos playoffs: Gasol (Bulls), Davis (Pelicans), Howard (Rockets – foi, mas daquele jeito), Towns (Wolves), Okafor (Sixers), etc…

            E outra: pra que colocar uma linha de quatro pontos? Para dar emoção e o time fazer 12 pontos em um minuto? Acho injusto com quem conseguiu fazer um resultado. As bolas de três já quebram muitos times (o que é legal), mas quatro pontos é demais! Por mais que vc pense: “mas isso já não acontece com as bolas de três?”. Cara, estamos falando em quatro pontos, o dobro do que faria um pivô dentro do garrafão e o quádruplo de um lance livre (em que a maioria dos pivôs têm dificuldade para arremessar).

            Acharia mais interessante e mais acirrado se aumentassem a distância da linha dos três. Deixaria o jogo lá e cá!

          • Victor Chittolina

            Pois é, é uma discussão boa essa. Eu era a favor da linha de quatro exatamente por um time poder fazer 12 pontos em um minuto, porque poderia dar mais emoção no final dos jogos, mas realmente pode sacramentar o fim do jogo interior.
            É bem polêmica essa questão mesmo. Vão ter argumentos pra ambos os lados e eu não oi definitivo MESMO nessa questão.
            Abs

          • Victor Chittolina

            Sou*

  • Lucas SEP

    Para de viajar Phil kkkk

  • Marcelo Desoxi

    Apenas 4 posses nos últimos 2 minutos. Seria chato demais, e além disso os placares iam diminuir. E sobre a bola de 4 : o chute de 3 já é eficiente , se criarem essa ”Linha dos 4” seria a guilhotina para 98% dos pivôs, que já estão tendo dificuldades em se consolidar tanto no ataque quanto na defesa, veja por exemplo o Kevin Love nessa finais, um cara de 20M que foi substituído pelo R.Jefferson(semi-aposentado), porque não conseguia marcar quando tinha que trocar, e isso porque ele tem um bom chute de fora. Engraçado Phill falar isso , os jogadores que lideraram os times que ele conquistou títulos faziam a esmagadora parte dos seus pontos infiltrando e no garrafão ( Michael Jordan e Shaq).

  • Tudo bem que o jogo na NBA foi pra meia distância, mas não tem jeito de incorporar linha com quatro pontos. Ia reduzir bastante o número de infiltrações e pontos ao redor da cesta já que os arremessos seriam ainda mais valorizados.

    Agora o tempo de posse na NBA dá pra fazer um debate, são poucas equipes que trabalham de verdade todos os 24 seg’s de posse. O aumento viria para valorizar o jogo de poucas posses por jogo e trabalho defensivo, mas é uma alternativa que vai de encontro com o que a NCAA tem promovido — Jogo mais rápido, com mais posses e apróximação ao basquete profissional.

    • Lucas SEP

      Imagina o Splash Brothers com essa linha de quatro pontos, o jogo iria ficar muito chato kkkkk

  • Elber Sampaio

    Calado é um poeta.

  • Fabrica de Vassilo

    Se com 24 segundos nego gosta de enrrolar pra atacar no ultimo segudno, com 30 então vai ser mais monotomia assim. imagina esses playoffs com 30 segundos de posse, com 27 deles do lowry só batendo bola pra lá e pra cá.

  • JR

    Se já fica aborrecido ver 3pts dos dois lados será ainda pior com linha de 4. Era o tempo todo sobretudo os desgraçados dos GSW. Esses 30 segundos iam matar o jogo com times a gastar o tempo da posse de bola nos minutos dinais

  • Rafael Victor

    Idade batendo no glorioso Tio Phil

    • Turcomaravilhoso

      dayak olduğunu

  • Lucas SEP

    Se diminuíssem pra 18/20 segundos o jogo seria melhor na minha opinião.

    • Indian!

      Mal da pra arma uma jogada direito em 24 segundo, imagina em 18

      • Michel Moral

        Acho que reduzir é complicado, mas aumentar é totalmente desnecessário.

        Ao meu ver as equipes usariam o tempo muito mais para retardar o jogo do que para trabalhar melhor a posse de bola. Seria lindo se a gente visse os caras chamando jogadas e que a bola não ficasse mais do que três segundos na mão de cada jogador. Mas seria muita ingenuidade acreditar que seria uma movimentação constante.

  • João Paulo Mota

    Eu curto demais esses post’s sobre o jogo em si, é nos quais eu mais aprendo com a galera. Não tenho posição formada sobre as questões aventadas,mas tou lendo ideias bem interessantes aqui e tbm deparando-me com fatos novos, que eu desconhecia.

  • Não acho nenhuma das duas ideias do Tio Phil de mudança boas pra NBA, 30 segundos de posse ia enrolar muito o jogo e talvez diminuir o número de contra-ataques, e linha de 4 pontos a dez metros da cesta ia aumentar muito a quantidade de arremessos de fora, que já está OK no basquete atual, porém se a linha de 4 pontos fosse do meio da quadra acho que seria mais razoável….

  • Turcomaravilhoso

    to vendo que vo ter que mitar na linha de 4 pt do vovô

  • PISTELTICS

    O Knicks resgatou ele de qual sanatório?

  • #OKCThunder

    N po

  • Doug

    Contra a linha de 4 ptos não vejo problema algum…eu acho até que é um caminho natural essa implementação…mais cedo ou tarde, acontecerá, dada a evolução técnica nos arremessos de fora…não me convence o argumento de que o jogo virará um circo com isso…quem tiver técnica e competência que chute e que seja recompensado por isso…não me parece que isso mudará significativamente o jogo como as bolas de três o fizeram…pelo menos até o momento…acredito que serão poucos os arremessos de lá…para resgatar grandes diferenças seria interessante mesmo…nesse ponto, estou com o tio Phil…lembrem-se que a NBA não nasceu com linha de 3 ptos e muita gente era contrária à tal inovação na sua época…agora, a respeito do aumento do tempo de bola, eu já acho desnecessário e acredito que isso faria o jogo menos dinâmico…

    • Dav

      “…eu acho até que é um caminho natural essa implementação…mais cedo
      ou tarde, acontecerá, dada a evolução técnica nos arremessos de fora”

      Eu realmente torço para que você esteja errado, Doug. Rs.

      Eu não gosto do argumento de que isso dá pra resgatar grandes diferenças.Já que com isso dá pra aumentar bastante essas mesmas diferenças, certo?

      • Doug

        Rs…pode ser que não ocorra…mas, tem me parecido bem provável que aconteça…da mesma maneira que surgiu a linha de três…de qq modo, esses arremessos serão difíceis e não é qualquer boca aberta que acertará a bola de tão longe…pode ser do meio da quadra tb a distância…não acho absurdo não…e outra: eu acho que isso força o jogo a ser mais pegado, com uma marcação mais acirrada…para acabar com essa liberdade toda dos jogadores, e defesas “a la James Harden”, inclusive na temporada regular…agora veja como são as coisas: recentemente, a NBA favoreceu os grandalhões quando dificultou o hack…poxa, pra mim, esses caras tinham é que treinar…mas, paciência…eu acho que qq coisa que favoreça o nível técnico, pra mim, é válida…

  • Galvão – TANK CITY 🔥 #305

    Começou a parte da offseason que os dirigentes/ex-atletas/atletas começam a falar bobeira e começam a fazer comparações. Paciência.

  • Mateus Freitas

    Se criarem isso podem até mudar o nome do esporte. Os times vão passar a jogar só com caras pequenos que sabem arremessar. Os pivôs serão extintos de vez. Phil deveria se aposentar logo!

  • #OKCThunder
  • Rodrigo Lakers

    ja eu acho que devia ser ao contrario, para estimular o jogo de garrafão a jogada de cesta e falta deveria passar a fornecer dois lances ao invés de um, para ai sim gerar uma jogada de quatro pontos em contra partida aos arremessos de três pontos.

  • Um Anônimo aí

    Imagina o James Harden com a bola na mão durante 30 segundos???
    Kkkkkkkkkkkkkk
    Nego ia pirar…

  • Pedro Ferreira

    Carmelo ia chuta de antes do meio da quadra,egoista do jeito que é

    • Indian!

      Iria mandar air Ball toda hora, ruim do jeito que é

    • #OKCThunder

      Um cara que faz isso tem é habilidade

  • Felipe Rodrigues

    Para de dar ideia besta tio Phil.

  • Marcelo Desoxi
    • Leonardo

      Não existem mais kras como ele hoje. É uma pena. Somente sobraram Neymares e C. Ronaldos. Que fase!

  • BetoMavs

    Imagina o quão chato seria um jogo onde os jogadores começam, a arremessar antes do meio da quadra, já tem arremesso de longa distância o suficiente na liga.

  • André Moura

    Queria ver se o Curry é bom de 4 tbm…

    • #OKCThunder

      Frase ficou meia estranha

      • pedrokadf

        kkk

      • Leonardo

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
        Essa galera é engraçada até sem querer!

    • Indian!

      ( ͡° ͜ʖ ͡°)

    • André Moura

      Desculpem eu nem notei.ficou estranha mesmo.

  • Vítor Hugo ⚡️

    Off: Tartaruga ninja parece que vai permanecer no Thunder. Menos mal …rs
    https://twitter.com/BleacherReport/status/755065900789821444?s=09

    • Indian!

      “90% Certo que fica”

    • #OKCThunder

      Ai man, sabe se Alex Abrines é bom? Thunder fechou com ele

      • Vítor Hugo ⚡️

        Caramba mano, eu vi agora!! Abrines foi draftado peo Thunder ( se não me engano em 2013 ) e é um dos jogadores espanhois mais promissores. Agora com a saída do KD, pode ser uma boa aposta pra ajudar a equipe!!
        É um SG/SF com um excelente arremesso. Fez uma boa passagem pelo basquete FIBA.

        https://youtu.be/yWNHAAzOakY

        • #OKCThunder

          Que beleza.

          Eu fosse o Sam tentava um sigandtrade com o o Waiters+Singler pelo o Rudy, ou o mais fácil tentava o Lance…

  • pedrokadf

    Off topic:
    1 – ” J.R. Smith pede 15 milhões de dólares para renovar com Cavs, Sem espaço no cap para reforços, Cleveland Cavaliers deve acabar aceitando o contrato desejado pelo ala ” Steve Kyler em seu Twitter
    2 – ” Pat Riley sugere Franchise Tag na NBA, Presidente propõe que franquias possam assinar com um jogador por qualquer valor, sem restrições de salary cap.
    A base da proposta de Riley seria a existência de um tipo de franchise tag que permitisse que cada uma das 30 equipes da liga tivesse o direito de assinar contrato com um único jogador pelo valor que bem entendesse sem influenciar seu salary cap.
    Caso tal proposta se torne realidade, jogadores como LeBron James e Stephen Curry podem se beneficiar com contratos mais chamativos, e haveria também um desincentivo da formação de equipes com muitas estrelas, já que existiria um desequilíbrio salarial entre as mesmas, o que não aconteceria caso tais jogadores de alto nível buscassem equipes que pudessem lhes oferecer a franchise tag. ” Site

    • Galvão 🔥 #305

      A Franchise Tag seria sensacional na NBA!

      Permitiria as equipes em montar um bom elenco e não ter que ocupar grande parte do seu CAP com um só contrato. Muito boa a sugestão do Pat!

      • pedrokadf

        Exato, é concordo com o site q haveria um desincentivo da formação de equipes com muitas estrelas, já que existiria um desequilíbrio salarial entre as mesmas, Logo uma estrela pensaria 2 vezes antes de se juntar a uma equipe que já tenha uma grande estrela, se está já tiver recebido uma franchise tag

        • Michel Moral

          É uma alternativa interessante, ainda que não perfeita. Pode ser que um Franchise Tag se machuque (como aconteceu com Paul George) e a equipe fica desguarnecida. Mas eu acho uma aposta válida.

          Eu ainda acho que o ideal seria o seguinte: quando um jogador quer receber pelo máximo, então ele deve assinar uma extensão contratual máxima. Quanto mais tempo de contrato maior o salário. Eu sei que hoje existem regras mais ou menos parecidas (só o Memphis poderia pagar ao Conley o que foi pago). Porém, os outros jogadores continuam recebendo valores satisfatórios.

          Evita-se, assim, que o cara assine por um ou dois anos com um time conciliando um caminho mais fácil para título com salário máximo. No caso do Durant, por exemplo, ele só iria para o Warriors por um salário bem abaixo do máximo. Quem aceitaria uma redução de vencimentos? Somente jogadores em fim de carreira, como acontece com David West, por exemplo.

          Isso incomodaria, eu acredito.

    • LP

      Do jeito que a panela ta comendo solta na NBA é capaz de o Franchise Tag sair pela culatra, os caras se aproveitarem disso pra montar uma panela ainda maior, por exemplo o Durant pegaria Franchise Tag do GSW e o time teria o cap pra assinar com Dwight Howard, Pau Gasol ou AL Horford por exemplo. Infelizmente os jogadores hoje estão menos preocupado com ego e dinheiro do que com ganhar títulos.

      • Gustavo

        “Infelizmente os jogadores hoje estão menos preocupado com ego e dinheiro do que com ganhar títulos.”

        Sério, “infelizmente” ?

        • LP

          Po brother pra mim é infelizmente, acho que o mais importante pro jogador é ego. É uma opnião minha mas eu gosto de jogadores como o Ibra que acabou de chegar no Manchester falando que não vai ser rei, vai ser Deus ao invés de caras como o Messi.

          • Gustavo

            Opinião bem pessoal, respeito, mas pra mim achar ruim que a principal preocupação de um atleta é ganhar título não faz o menor sentido. É mais ou menos como criticar um médico por ele achar mais importante salvar uma vida, do que ganhar dinheiro.

      • Gustavo Santos

        Outra sugestão q não sou a favor. Para quem os times ofereceriam a franchise tag? Obviamente para os caras que ganham mais, ou seja, as estrelas. Isso com certeza aumentaria oq chamamos de “panela”. Pra mim, sugestão ridícula do Pat. Depois dessa sugestão é de oferecer inicialmente 10 mi ao Wade, acho que o tio Pat tá precisando de um descanso da NBA

    • Bebê

      ai a panela vai comer solta na NBA, que ideia mais idiota

  • Diego Alexsander

    4pts para mim só do meio da quadra…

  • pacers

    Linha de 4 pts? Tá ficando ainda mais gaga velho fdp

  • DamonHeat

    4 pts para mim só atrás da linha do meio da quadra.

  • Anderson Tomás

    Em breve Zen Man, em breve…

  • – Tiago

    Poderia rolar cesta de 4 pts quando o jogador acertasse de trás da linha do meio da quadra. E essa outra sugestão de aumentar o tempo de posse bola, nem vou comentar KKKK

  • Doug

    Uma outra alternativa seria aumentar a distância da linha dos três pontos…

    • DamonHeat

      sou a favor de aumentar um pouco essa linha mesmo.
      valorizaria muito mais a linha de 3 pontos.

  • Wadson Pinheiro

    Discordo de tudo: linha de 4 pontos e 30 segundos de posse de bola. Concordo em aumentar a linha de três pontos.

  • Gustavo Santos

    Eu particularmente não gosto dessa ideia de 4pts. Já imaginou vc assistindo o jogo e de repente o jogador fazendo aquele arremesso inesperado do meio da quadra… Pelo menos seria a minha primeira reação, xingar o jogador. Prefiro as jogadas mais trabalhadas. Aumentar o tempo de posse de bola eu tb não seria a favor, pois prefiro um jogo mãos dinâmico.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados