logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 6 ago 2016 às 16:36
Rio 2016: Austrália surpreende e bate França com facilidade na estreia

Patty Mills e Andrew Bogut comandam Austrália em vitória tranquila sobre favorita França na estreia no Rio 2016

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Lima

Australia x França

Austrália 87 x 66 França

Os Jogos Olímpicos já nos brindaram com uma zebra logo no primeiro duelo do torneio de basquete masculino. Jogando de forma consistente nos dois lados da quadra, do começo ao fim, a Austrália bateu a França por 87 a 66 e iniciou bem sua trajetória no Grupo A da competição. Essa foi a primeira vitória australiana em estreia olímpica desde 1996.

Nove dos dez atletas que começaram a partida atuam na NBA. O único que, atualmente, não joga na melhor liga de basquete do mundo é o ala-armador Nando DeColo, MVP da última edição da Euroliga pelo CSKA Moscou, da Rússia. O detalhe é que DeColo já defendeu San Antonio Spurs (2012-2014) e Toronto Raptors (2014).

A Austrália comandou o placar desde o começo graças aos erros seguidos da França (foram seis no primeiro quarto) e à boa movimentação de bola no ataque. Já na metade do segundo quarto, a seleção da Oceania conseguiu abrir uma vantagem de 15 pontos (32 a 17). A França reagiu graças ao armador Tony Parker, que anotou 14 pontos seguidos. Os australianos foram para o intervalo vencendo por 36 a 33. No terceiro período, a Austrália novamente se distanciou no marcador. Com uma atuação sólida dos atletas que atuam na NBA, a Austrália foi para último quarto com 13 pontos à frente no placar (61 a 48). No período final, a França continuou pouco inspirada e foi presa fácil.

O armador Patty Mills, do Spurs, foi o cestinha do duelo, com 21 pontos. Outro jogador australiano que teve uma atuação destacada foi o pivô Andrew Bogut. Mesmo sem estar 100% de sua melhor condição física, o jogador do Dallas Mavericks anotou 18 pontos, pegou quatro rebotes e distribuiu cinco assistências.

Com Bogut sendo importante nos passes na área próxima à cesta, e Dellavedova mostrando que também tem uma boa visão de quadra, a Austrália angariou 29 assistências na partida. Além disso, a seleção da Oceania cometeu apenas sete desperdícios de bola.

A França, que errou bastante na partida – foram 17 desperdícios de bola no total – teve como figura destacada somente o veterano Parker. O camisa 9 do Spurs marcou 18 pontos e foi o cestinha francês. O selecionado europeu mostrou um ataque estagnado, que não envolveu jogadores importantes como DeColo e Nicolas Batum, que combinaram para apenas nove arremessos de quadra.

O próximo jogo da Austrália será disputado na segunda-feira (8), às 14h15 (horário de Brasília) contra outra potência europeia do basquete, desta vez a Sérvia. Já a França, no mesmo dia, pega a frágil seleção da China, às 22h30.

Austrália
Patty Mills: 21 pontos, cinco assistências e quatro bolas de três pontos convertidas; 27 minutos
Andrew Bogut: 18 pontos, quatro rebotes, cinco assistências e 9-10 nos arremessos de quadra; 22 minutos
Aron Baynes: 14 pontos e oito rebotes; 24 minutos
Matthew Dellavedova: quatro pontos, dez assistências e três roubadas de bola; 26 minutos

França
Tony Parker: 18 pontos; 20 minutos
Mickael Gelabale: 13 pontos e quatro rebotes; 18 minutos

  • eu eu mesmo

    Tá tudo muito estranho no basquete. Será divertido e emocionante acompanhar. Ainda tenho um fio de esperança de que alguém tire o ouro dos EUA.

    • Felipe Monteiro

      Esquece!

    • João Paulo Mota

      As “muié” ganhando da Australia tbm… ta tudo louco kkkk

    • aí já acho que é sonhar demais…kkkk

    • Antonio Felipe

      é difícil, mas não impossível… só que o Albert Bial tem uma certa birra com o o TEAM USA ein… dizer que eles não são favoritos…

  • – Tiago

    Dellavedova: Mitei nas assistências KKKK

    • Antonio Felipe

      MVP das Olimpíadas sem mimimi!!

  • Russell Westbrook #OKCLoyalty

    sinal de que pelo menos o bronze é nosso hein kkkkj

  • Galvão 🔥 #305

    O lance foi muito legal, por ver um pivô saindo do pick and roll e finalizando como se fosse armador, mas ele não deu uma andada ali não?

    https://twitter.com/nbadotbr/status/761996404336230400

    • BetoMavs

      Andada sem vergonha, estilo LeBron kk.

    • Jonas

      Falar que teve andada aí só mostra o tanto que o povo aqui manja de basquete.

      • Galvão 🔥 #305

        Eu fiz uma pergunta, não uma afirmação senhor sabe de todas as coisas.

    • Vinicius_nba

      Não cara. Pode observar que ele da dois passos com a esquerda e um com a direita depois de bater a bola.

      • BetoMavs

        Vi o lance algumas vezes e ainda continuo com a impressão que ele da a famosa passada do Handball alí, mas a jogada foi bonita de qualquer jeito..

  • Thiago91

    Della 10 ass? Vixi….

  • Mills fodão! Sendo o arremessador que se esperava hoje. Surpresa já no primeiro dia de basquete, deu muito certo a ideia do técnico da Austrália de usar o Bogut de PF, que ajudou o Dellavedova na armação na cabeça do garrafão, França muito apática, Parker fez um bom segundo quarto, mas o time sem vibração, Batum e de Colo parece que nem entraram em quadra, se a França não mudar a atutude nos próximos jogos, sei não hein…

  • Vinícius Maia

    CURIOSIDADE: alguém sabe me dizer se existe algum motivo “especial” para o Kyrie Irving ter optado por defender os EUA ao invés da Austrália em competições internacionais, visto que ele é australiano?

    • Killer Crossover

      “Se não estou enganado” ele já disse algo sobre não ter sido difícil escolher, visto que o Coach K (que treinou ele em Duke) era/é o treinador da USAB.

    • Uncle Drew

      Ele tem dupla nacionalidade. O pai é Australiano Aborígene, e a mãe é Norte-Americana. Então.. por isso, ele poderia escolher em q equipe jogar. Escolheu jogar nos EUA pela competitividade e por ter o Coach K lá.

      • Vinícius Maia

        Valeu pela informação Drew. Po eu acho que seria legal se o Irving tivesse optado pelo time australiano. USA team já tem talento de sobra, seria legal ver grandes talentos da nba defendendo outras seleções.

  • Lucas SEP

    Pq o King Noah não joga pela França ?

    • TRUETHIAGO

      Em algumas ocasiões porque pediu dispensa (Mundial 2014) e em outras foi devido as lesões. Ele já tinha se colocado a disposição para jogar em Londres, por exemplo, mas se machucou no Jogo 3 daquela fatídica Serie de 1st round contra os Sixers (a mesma que o Rose estourou o joelho) nos playoffs 2012.

      Mas ele chegou a disputar sim, no EuroBasket 2011 estava no elenco vice-campeão daquele torneio.

  • Ronaldo

    Cadê o Indian, Paul George tomou um Crossover ficou sem pai e sem Mãe no chão

    kkkkkkkkkkkkkkk

  • Leonardo

    Vulgo “Deusvedova”

  • Jahlin Habei

    Essa é para aqueles que já contam com a vitória antes da partida… Comentaristas de NBA2K. A vida real é diferente… Até a seleção brasileira feminina, fraquinha, quase aprontou pra cima da Austrália. This is real life.

  • Vinícius Maia

    “Individualmente, a França é superior, mas a Austrália está se sobressaindo pelo jogo coletivo”. O comentarista do SporTV falava isso a cada 1 minuto, chatão kkk

    • Hélio Rubens tá meio gagá mesmo kkkkk, repete demais as coisas, mas foi um bom técnico do basquete brasileiro.

  • Carlos Eduardo

    Dá-lhe Pé di Mills!!!

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados