logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 12 ago 2016 às 21:31
Estados Unidos derrotam Sérvia em jogo decidido apenas na última bola

Jokic e Teodosic deram trabalho aos norte-americanos, que contaram com a sorte para se manterem invictos

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Lima

Teodosic x Irving

(4-0) Estados Unidos 94 x 91 Sérvia (1-3)

Foi na base do sufoco. Pela segunda partida seguida, os Estados Unidos tiveram dificuldades para vencer seu adversário nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Em um duelo definido apenas na última posse de bola, os norte-americanos venceram a Sérvia por 94 a 91 e mantiveram a invencibilidade na competição. Já os europeus perderam o terceiro jogo em quatro disputados.

Os Estados Unidos começaram focados em quadra e abriram 14 a 2 nos primeiros cinco minutos. A Sérvia esboçou uma reação após faltas técnicas anotadas contra DeAndre Jordan e Draymond Green. Mas os norte-americanos continuaram tendo muita facilidade em pontuar perto da cesta (seis conversões em nove tentativas) e venceram o quarto inicial por 27 a 15. Já os sérvios cometeram oito desperdícios de bola e converteram apenas quatro arremessos de quadra em 13 tentativas, bem abaixo do que produz normalmente.

No segundo quarto, a Sérvia jogou o seu tradicional basquete de muita movimentação de bola e pick and roll. Depois de um primeiro quarto ruim, o armador Milos Teodosic conduziu bem o ataque dos europeus, que venceram o período por 26 a 23. Uma jogada, aliás, na metade do período, em que a bola passou por todos os sérvios em quadra até ser finalizada por Nikola Jokic mereceu aplausos de quem assistia ao duelo.

Os Estados Unidos, por sua vez, diminuíram o ritmo do primeiro quarto e controlaram o jogo, não permitindo que os europeus encostassem no placar. A equipe de Mike Krzyzewski foi para o intervalo com uma vantagem de nove pontos: 50 a 41. Zerado no primeiro quarto, o armador Kyrie Irving anotou 11 pontos no segundo. Já o maior pontuador norte-americano em olimpíadas, o ala Carmelo Anthony, teve uma atuação tímida no primeiro tempo, com apenas um ponto e três faltas cometidas.

No terceiro período, a Sérvia conseguiu diminuir a diferença para apenas cinco pontos em determinados momentos. A equipe européia passou a utilizar Jokic para distribuir o jogo da cabeça do garrafão, mas pecou na hora de encostar no placar com erros tolos. O até então cestinha do jogo, Raduljica, cometeu a quarta falta logo no início do período e foi para o banco de reservas. Os Estados Unidos foram para o último quarto dez pontos à frente no placar: 72 a 62.

No período derradeiro, Jokic seguiu liderando a seleção européia e Teodosic mostrou que é o melhor armador do mundo fora da NBA. A Sérvia, que perdeu Raduljica, eliminado com cinco faltas, na metade do período, encostou definitivamente no placar e permaneceu viva na partida até os segundos finais. Já os Estados Unidos mostraram defeitos na movimentação de bola e, mais uma vez, confiaram bastante no atleticismo e nas jogadas individuais.

O placar apontava 94 a 91 a cinco segundos do fim, e a Sérvia tinha a última posse de bola e a chance de empatar o jogo. Na posse final, o ala-armador Bogdan Bogdanovic, livre de marcação, errou a bola de três que levaria o duelo para a prorrogação, para frustração de maior parte da torcida presente à Arena Carioca 1.

As duas seleções encerram suas participações na primeira fase neste domingo (14). Os Estados Unidos enfrentam a França, às 14h15 (horário de Brasília), enquanto a Sérvia pega a já eliminada China, às 22h30.

 

Estados Unidos
Kyrie Irving: 15 pontos, cinco assistências e 5-8 nos arremessos de quadra; 29 minutos
DeAndre Jordan: 13 pontos, três assistências e 4-4 nos arremessos de quadra; 13 minutos
Paul George: 12 pontos, nove rebotes e quatro assistências; 23 minutos
Kevin Durant: 12 pontos e cinco rebotes; 30 minutos
Carmelo Anthony: 12 pontos, três rebotes e três assistências; 24 minutos
DeMar DeRozan: 11 pontos; dez minutos

Sérvia
Nikola Jokic: 25 pontos, seis rebotes, três assistências e 11-15 nos arremessos de quadra; 30 minutos
Milos Teodosic: 18 pontos, seis assistências, três rebotes e quatro bolas de três pontos convertidas; 30 minutos
Miroslav Raduljica: 18 pontos e 6-8 nos arremessos de quadra; 14 minutos
Stefan Markovic: 12 pontos, quatro rebotes e quatro assistências; 23 minutos

  • Vítor Hugo ⚡️

    Primeira vez que assisto um jogo do Teodosic, e acredito que ele seria um bom role player na NBA… É um cara talentoso! E o que dizer do Nikola Jokic!!! Nuggets está muito bem servido. Fez uma boa temporada de rookie, e hoje contra os USA, fez jogadas importantes… Por toda a recuperação, Sérvia merecia a vitória!

    • Marcelo Desoxi

      O problema do Teodosic é a defesa.

      • Rodrigo Oliveira

        Esse é o problema role player que não defende é complicado e tenho dúvidas que é por isso que ele não vá para NBA, cara tem fama grana na europa vai ser 8 homem de banco em uma equipe intermediária é complicado, caso dele parecidíssimo com do Huertas.

  • NBA

    É por isso que eu digo que a NBA é superestimada. Sempre foi. Agora não estou achando tão absurdo assim o Oscar falar que poderia ficar no top 10 de todos os tempos.

    • Bruno Araujo

      Cara, esse aí não é nem o segundo time dos USA…

      • Possui muitos all-star (se não todos) e alguns HOF…

        • Bruno Araujo

          Verdade, mas esse time nem se compara com os times de 2008 e 2012. Esse time se tornaria um absurdo com o acréscimo de jogadores como Westbrook, Curry, Lebron, Wade, Anthony Davis, Aldridge, Harden etc… Infelizmente não estamos podendo vê-los no rio, seria incrível, mas enfim.

      • NBA

        Ué, não tem o Durant? O Mestre Jedi que fez a maioria dos comentaristas do site chorar rios de sangue por ter ido fazer panela no GSW? Conta outra…

        • Bruno Araujo

          A reclamação generalizada foi devido a formação da panela e por ele ter ido para o time que o eliminou, o que fez quase todos enxergarem como uma atitude covarde, apenas isso. Fora que tinha toda a expectativa por Durant ter sido o principal agente livre.

          • NBA

            Exato! Se o Durant fosse um jogador qualquer, não teria tido nem 1/10 da repercussão que teve. Se o cara jogar como jogou hoje no GSW, ai o Cleveland passa o rodo.

          • Bruno Araujo

            Concordo, se jogar como hoje, Cavs leva de novo.

    • JR

      Coisas diferentes: A sérvia tem muito talento (para mim a mais séria candidata à prata) e consegue dar trabalho a esse time. Se bem que esse não são os EUA completos. Outra coisa completamente diferente é pensar que o Oscar seria top 10 de todos os tempos. Não vou mencionar nomes porque seria ridículo demais pensar nisso

      • NBA

        Mas tinha um monte de gente dizendo antes das Olimpíadas que poderia mandar até o 4 time dos EUA que mesmo assim eles iam se garantir…

        • Claudio R.

          e podem… tão jogando mal, mas ainda estão ganhando…

  • eu eu mesmo

    É óbvio que a NBA é superestimada no quesito jogador. Principalmente IQ, veja por exemplo o Huertas chegando no Lakers e desenhando mais jogadas ofensivas e comandando jogadores, inclusive veteranos, do que o técnico. Veja o tanto de pivôs europeus dando um show de fintas nos pivôs americanos quando vão pra NBA.
    A inteligencia tática dos Europeus ainda é superior. EUA está parecendo o Brasil quando estava prestes a perder seu reinado no futebol, seleção sobrevivendo do talento de quem parece que já nasceu jogando o esporte. Só que eles tem a vantagem de dar mais valor à NBA do que campeonatos internacionais.

    Agora, a NBA só não é superestimada quando se trata de organização e de prazer em assistir. Ainda é muito melhor assistir NBA do que FIBA.

    • NBA

      Onde eu assino? Falou tudo!

    • JR

      A NBA não é superestimada ela é a melhor com diferença. Mas a maior diferença é marcada pelo físico, não pelo técnico. Pivos europeus têm muito melhor jogo de costas para a cesta (o que é normal porque têm de compensar a falta de físico). Da mesma forma, os bases são mais organizadores porque não têm a explosão (nem físico) para forçar infiltrações. Além de que isto é apenas um jogo em que os sérvios deram tudo e os EUA não chegaram perto do potencial.

      Muitos são os jogadores irrelevantes na NBA que são génios no FIBA (porque será?). Ainda assim, basquete FIBA é divertido de assistir para quem gosta de jogos com mais circulação de bola e técnica de pivo. Mas são níveis diferentes

      • NBA

        Entendo. Encheu a bola dos europeus para depois dizer que os americanos jogaram em ritmo de treino, por isso foi difícil? Eles te ligaram e falaram que iam “maneirar” no jogo? O jogo só foi perigoso pq os EUA jogaram pouco e os sérvios muito? Se isso não é superestimar os americanos, não sei mais o que falar…

        • JR

          Eu sou europeu e vejo basquete FIBA (não tanto como gostaria mas vejo) e como gostava de ver o TeoDIOSic na NBA. Isso não quer dizer que não dê para saber da diferença das ligas e dos jogadores. Se voce formar um time de role palyers da NBA, algo mais ou menos como poderia ser o time da Servia ou da Australia e, entrosados e inspirados podiam dar problemas mesmo a time cheio de All-Stars. Se voce não compreende a diferença física e de ritmo entre as competições então aconselho ver melhor os dois.

          • Zack Batista

            Pronto! Enfim apareceu alguém q discerni esses dois ‘mundos’ do basquete c sensatez… Gosto e acompanho o basquete internacional tbm, da fiba, e estou inteiramente de acordo no q vc disse.

      • eu eu mesmo

        Vucevic, irmãos Gasol, Ming, etc… até mesmo Porzings…não se nota nenhuma grande dificuldade para se destacarem na NBA além do jogo de costas.

        Concordo que o físico deles é muito mais presente e isso dificulta a organização. Porém, se você não consegue aplicar a eficiência da explosão física isso não serve mais como desculpa. Se o seu forte é o físico e você não consegue aplica-lo diante da organização, então não dá pra imaginar grande superioridade.

      • Zack Batista

        Sim, os pivôs europeus tem mais técnica do q os pivôs americanos, no geral, de acordo. A diferença é o trabalho físico e a explosão q dos americanos, nas primeiras temporadas, logo se evidencia. Na verdade, embora as regras da NBA referentes às faltas tiveram mudanças na sua interpretação, ainda assim os astros da NBA tem certa dificuldade de lidar com isso na FIBA. Fora a ausência tática qdo se ajunta diversos astros numa mesma equipe, aí já viu.

  • Antonio Felipe

    vou tirar minha aposta nos EUA… rsrs

    P.S. O que tem de gente secando não é brincadeira!

  • Thiago91

    Kevin Durant está entrando em quadra? E vi comentários de que ele seria o cara, já que outros grandes nomes não estão com a seleção. Pode ainda ser, mas até agora…quando se precisou dele…

    • Vinícius Maia

      Era natural pensar que Kevin Durant seria o melhor da equipe, pois na ausência de LeBron, quando KD estava presente na seleção, era ele quem se sobressaia. Mas realmente ele está deixando muito a desejar. Outro de quem eu esperava mais devido a sua última atuação pela seleção norte-americana era Kyrie Irving. Ele não está jogando mal no geral, mas eu esperava atuações mais brilhantes dele. Até aqui, achei ele bem mediano. Quem realmente está aparecendo quando o time precisa é Carmelo. Contra a Sérvia ele não foi tão bem, mas mesmo assim ele chamou a responsabilidade.

      • Sid Payne- Dança muito

        Klay tbm ta mt abaixo… achei que ele ia deita e rolar nessa olimpiadas

        • Killer Crossover

          Você (pra mim) superestima demais esse cara kkkkkk. É ótimo arremessador e tudo mais, mas já foi mais do que comprovado que ele some aleatoriamente em jogos que se precisa que caía arremessos por exemplo.

      • Thiago91

        Irving está mediano mesmo.

  • Assim como nas últimas 6 Olimpíadas a seleção norte americana não se hospedou na Vila Olímpica, dessa vez ela está hospedada em um navio hotel de luxo. Existem rumores de que tem rolado altas festinhas no navio, e a última vez que a seleção se hospedou em um navio foi em Atenas 2004, coincidência? Creio que não, se forem mais do que rumores e os caras realmente estiverem em clima de férias, mais as dificuldades apresentadas contra Austrália e Sérvia, algumas seleções podem começar a sonhar, de repente Lituânia ou Sérvia podem surpreender.

    • Michel Moral

      Eu ouvi algo do tipo. Pode ser um indício de erro de planejamento, mas essas teorias só surgem após as coisas ficarem complicadas. Quando o time estava passando o rodo em todo mundo ninguém comentava.

      Acho que a zona acontece independentemente se estão em um lugar ou outro, sinceramente. Mas, obviamente, quando se está em um navio privativo, tudo pode acontecer de forma menos chamativa.

      • Concordo, mas nesse caso ainda dei o benefício da duvida porque soube desse rumor antes do jogo contra a Sérvia, então o sinal de alerta ainda não estava aceso.

        Zona acontece mesmo, vários atletas já relataram que a Vila Olímpica é uma loucura, altas pegações, e enquanto isso não atrapalhar o rendimento do atleta ele(a) que faça quantas surubas quiser. Eles que toquem a zona no navio deles, ou durmam como disse o PG hahaha só não pode perder o foco.

  • Michel Moral

    Para quem achava que os EUA iriam passar o trator em todo mundo, é melhor descer do salto alto e começar a enxergar melhor a realidade!

    A verdade é que o Dream Team confia tanto na qualidade individual dos jogadores, que entendem que não precisa focar no comportamento como um time. Lembra quando o Parreira disse que a seleção de 2006, uma das melhores de todos os tempos no papel (Ronaldo, Adriano, Ronaldinho, Kaká, Robinho, Roberto Carlos, entre outros), era só colocar para jogar que eles já sabiam tudo que precisava ser feito?! É mais ou menos por aí.

    SE os EUA quiserem se manter como potência, é bom jogar com mais planejamento e disposição tática, sem deixar tudo na mão do jogador.

    A defesa é boa porque individualmente os caras são bons, mas o lance que o Gustavo postou acima mostra que não isso não é suficiente.

    Teodosic precisa ir para NBA. Muito bom jogador. Sixers pegou o Sergio Rodriguez, mas olha… Esse cara poderia ser um steal!

    • Vinícius Maia

      Eu não me lembro quando foi, mas uma vez eu estava assistindo uma partida amistosa da seleção norte-americana com seu melhor time (LeBron, Durant, Melo e outros), e ainda assim, os EUA, apesar de estarem ganhando, não estavam se sobressaindo como se esperava deles e um comentarista brasileiro fez um comentário que eu achei interessante. O narrador perguntou para ele se ele achava que o nível do “dream-team” tinha caído se comparado com o primeiro dream-team e o comentarista disse que não via dessa forma. Na opinião dele, o que aconteceu na verdade foi que, após aquele dream-team de Jordan e cia revolucionou o basquete FIBA, fez os times internacionais perceberem que precisavam correr atrás do prejuízo e evoluírem e hoje nós estamos vendo o resultado dessa evolução. Obviamente a equipe norte-americana ainda é dominante, mas o nível do basquete dos outros países, de forma geral, também aumentou (Brasil é um dos poucos que parecem estar parados no tempo). Claro que o que você falou faz total sentido, o USA team precisa jogar mais coletivamente e na minha visão, aquele time de 2008, que tinha mais condições de individualizar, era bem mais coletivo do que esse time atual, mas eu vejo que o nível dos jogadores de outros países tem aumentado também, tanto que eu tenho me surpreendido nas transmissões do jogos com a quantidade de jogadores de outras seleções que jogam ou que já tiveram passagens curtas pela NBA.

      • Michel Moral

        Some-se ao seu argumento o fato de que basquete são cinco contra cinco e uma bola só. Não adianta você ter 257 melhores jogadores se só cinco podem estar em quadra.

        Mas é aí que entra o que eu disse. Se vc tem o melhor material humano( qual reserva do Dream Team não seria titular na Sérvi?), então você precisa fazer isso prevalecer em quadra. Como? Organização e disciplina tática. Precisa saber como fazer e como dominar.

    • Marcelo Desoxi

      Vai ser desorganizado durante toda a competição, não tem PG neste time. Ninguém abdica de pontuar pra armar neste USA Team.

  • Rei Jordan

    Realmente, depois dos comentários abaixo, só me resta cancelar o pacote da NBA e abrir uma petição pública para o SportTV passar o campeonato sérvio de basquete…

  • Antonio Felipe

    Tudo isso porque não estão explorando todo o potencial do menino Barnes… O técnico deveria começar a enxergar por esse lado!

  • Claudio R.

    O pessoal dizendo que a NBA é superestimada, mas esquecem que esse time não é nem o time B, é o C, pois Harrison Barnes(que não é um mal jogador), não tem categoria pra ser USA team… e se esquecem que ELES ainda estão ganhando, e vão levar o ouro… kkkkkk, jogando mal ou não, vão ganhar de todo mundo.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados