logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 15 ago 2016 às 21:04
Espanha bate Argentina, assegura classificação e Brasil é eliminado

Espanha derrota Argentina, termina com segunda posição do grupo B e Brasil está eliminado das Olimpíadas

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Lima

Espanha e Argentina

(3-2) Espanha 92 x 73 Argentina (3-2) 

No jogo que interessava diretamente ao Brasil, a Espanha não teve dificuldades para derrotar a Argentina por 92 a 73, assegurar a segunda colocação no grupo B e, consequentemente, eliminar a seleção brasileira ainda na primeira fase.

Pelo resultado, os espanhóis enfrentam a França, terceira colocada do grupo A, nas quartas de final. Já o adversário da Argentina na próxima fase pode ser Estados Unidos (caso a Croácia supere os lituanos) ou Austrália (se a Lituânia vencer os croatas).

Os principais algozes do Brasil no jogo disputado no último sábado – Andrés Nocioni e Facundo Campazzo – começaram o duelo contra os espanhóis no banco por opção do técnico Sergio Hernández. Mesmo assim, a Argentina abriu 8 a 0, incluindo duas cestas de três pontos do veterano Manu Ginobili. Só que a Espanha, carregada por Rudy Fernández e Nikola Mirotic, que combinaram para 18 pontos, reagiu rápido e venceu o primeiro quarto por 25 a 15. Nocioni e Campazzo só entraram em quadra quando restavam dois minutos para o fim do período.

No segundo quarto, a Espanha continuou dominante. Com sua movimentação de bola característica, e as ações ofensivas centradas em Pau Gasol, tanto nos arremessos quanto nos passes dados por ele quando ele recebia dobra na marcação, os europeus chegaram a abrir vantagem de 16 pontos em dois momentos do período. Já pela Argentina, apenas Ginobili mostrava inspiração em quadra (13 pontos no primeiro tempo). Com dificuldades para marcar Gasol, e pontuar (apenas uma cesta de quadra em 16 minutos), Luis Scola cometeu a terceira falta logo no segundo período e foi para o banco.

O placar do intervalo apontou vitória espanhola por 48 a 35. Se, na quadra, a seleção albiceleste não correspondia, nas cadeiras da Arena Carioca 1 vimos um espetáculo protagonizado pela fanática torcida argentina, como se o jogo estivesse sendo disputado em Buenos Aires.

No segundo tempo, a Espanha apenas administrou a vantagem e não permitiu que a Argentina, notadamente cansada por causa das duas prorrogações disputadas contra o Brasil, se aproximasse no marcador.

Espanha
Rudy Fernández: 23 pontos, sete rebotes, quatro bolas de três pontos convertidas e 8-10 nos arremessos de quadra; 29 minutos
Pau Gasol: 19 pontos, 13 rebotes e dois tocos; 27 minutos
Sergio Llull: dez pontos e cinco assistências; 21 minutos
Nikola Mirotic: dez pontos e cinco rebotes; 27 minutos

Argentina
Nicolás Laprovittola: 21 pontos, quatro assistências e quatro roubadas de bola; 29 minutos
Manu Ginobili: 16 pontos e cinco rebotes e quatro bolas de três pontos convertidas; 19 minutos
Facundo Campazzo: dez pontos; 21 minutos

  • Jahlin Habei

    Tomara q peguem os EUA.

  • Eduardo Saraiva

    o Brasil se desclassificou nas derrotas pra Lituania e Argentina, por erros nossos mesmo… O jogo de sábado foi amarelada master! mas vida que segue… tomara que esses hermanos fdp fiquem em quarto hahahahahahahaha

  • Diego Alexsander

    Demonstrou um Basketball medíocre. Caem nas 4ªs, com certeza.

  • Brasil deveria tentar naturalizar um ou dois atletas que nunca tiveram e nem terão chances de serem convocados pelo USA, tipo o Nick Young, Lou Williams, Jeff Teague, Monta Ellis, até o Mario Chalmers eu to aceitando, em competição FIBA role player da NBA vira all star, e um Nick Young da vida seria um tremendo upgrade para quem depende de Alex e Marquinhos na ala. Já teve um norte americano naturalizando defendendo o Brasil, porque não ter outro? Campanha Chalmers no Time Brasil, eu apoio!

    • Vitor

      É necessário que o cara jogue uns anos aqui para se naturalizar, não ?
      Qual a chance de algum desses vir jogar aqui

      • Não sei, não sabia disso, então desce o nível tenta os caras da D-League, Flamengo e Pinheiros podiam bancar um contrato desse, já seria um upgrade na seleção

    • JVRave

      Sou totalmente contra… Qual identificação teriam com o Brasil? Vale qualquer coisa pra ganhar? Sinceramente não tenho satisfação alguma em vencer assim… Nada contra a naturalização, desde que seja como o Fernando Meligeni, nascido hermando, mas com totalmente identificado com o nosso país, honrou e deu o sangue por nós, mto mais BRASILEIRO do que muitos nascido aqui. Sim, brasileiro em letras maiúsculas.

      • Pela situação para mim vale sim qualquer coisa para ganhar. Eu tenho 24 anos, acompanho basquete desde os 8, minha infância foi vendo a seleção nem se classificar para as Olimpíadas, a adolescência e início da vida adulta vendo a seleção perder pra Argentina, eu não aguento mais hahahaha, não estou nem pedindo medalha, apenas uma boa participação em jogos Olímpicos. E vendo o caos da CBB nas categorias de base eu vejo que o futuro do basquete brasileiro é assustador, corre o risco de ficar mais 16 anos sem nem mesmo ir as Olimpíadas.

    • Vitor Martins

      Brasil deveria era ter um sólido trabalho de base. Não se compra atletas, tampouco se forja um em poucos anos. Não há atalhos. Como diria o grande filósofo Greg Popovich: “It’s not supposed to be easy”

      • Que base? CBB não teve dinheiro nem para as passagens dos times sub-18 para que eles fossem ao Chile disputar a Copa América. Cancelaram todas as competições nacionais das categorias de base em 2016.

    • Jahlin Habei

      Vamos privilegiar a base, formar atletas e fortalecer a liga. O caminho é mais difícil, mas é mais digno.

  • Tim “Legend” Duncan

    Po galera, não adianta desconta a raiva nos hermanos, o Brasil perdeu em quadra, deméritos TOTAIS dele mesmo, a Lituania tomou 50 pontos de vantagem da Espanha, jogaram de maneira bem mais mediocre q a Argentina hoje, mas a classificação foi justa, a Espanha renasceu das cinzas e os times q passaram de fase demonstraram um jogo bem mais competitivo do q o Brasil, mereceram passar, e os torcedores não iam merecer assistir a um massacre dos EUA dentro da própria casa.
    Agora basta ver a nova geração brasileira das próximas olimpiadas, vamos ter Caboclo, Lucas Nogueira, Raulzinho vai ser um dos lideres deste time. O futuro promete coisa pior, Hett vai ter q baixar o Curry nas bolas de 3 e o Felício vai pegar mais rebotes do q o Olajuwon.

    • Tássio Marcel Hoffmann Coelho

      Depender dos outros da nisso neh…fim dessa geração. Hora de renovar, começando pelo treinador.

      • Dirk

        Pois é,dos 12 jogadores q participaram desses jogos, 6 já terão uma idade avançada pras próximas olimpiadas e não deverão participar, o magnano levou o rafa luz no lugar do larry, mas a unica razão q vejo pra isso é o quesito idade, pois o rafa participara da próxima geração…
        Não vejo com bons olhos a próxima geração, o Brasil não tem revelado bons prospectos no draft, os ultimos dois foram os meninos do Toronto Raptors, mas o Caboclo não engrena e parece q vai fazer uma carreira mais extensa na D-league, o Lucas Nogueira pode ter uma carreira melhor, mas nada além de um tapa buraco de time assim como o Raulzinho. Sobre o Felício, com a chegada do Robin Lopez, não vai ter tantos minutos, até pelo fato de ter o Mirotic e Portis q podem se revezar no garrafao.
        Futuro negro, o Brasil não deve estar nas próximas olimpiadas.

  • eu eu mesmo

    Gasol e essa carinha de bunda…”olha essa carinha, dá uma vontade de dar um soco”

    https://www.youtube.com/watch?v=dgso4_bWcME

  • Vitor Martins

    Antes das Olimpíadas eu dizia aqui que deveríamos levar um time jovem. Essa seleção nunca ganhou absolutamente nada, tem vários bons jogadores (sim!), mas nunca formaram um time que disputasse a sério algo, mas acabei me inflamando pela positividade que emanava na comunidade basqueteira e até cheguei a acreditar que dava pra disputar medalha. Esses caras perderam muito, mereciam sair por cima, mas a CBB não merece absolutamente nada! Está na hora de contratar um outro técnico, de preferência um estrangeiro que saiba trabalhar jovens, e revolucionar as categorias de base. Apesar de tudo, o basquete é muito grande pra mata-lo. Tá na hora de preparar, de planejar, não Tóquio, mas 2024. Dificilmente classificaremos para as próximas olimpíadas. Seria um grande erro ir com jogadores mais “preparados”, “veteranos” para as próximas competições. Precisamos de outros jogadores, muito obrigado por essa geração. Apesar de tudo, de todas as decepções, foi um prazer ver e torcer por esses jogadores, mas precisamos de novos.

    • Jahlin Habei

      Falou tudo! É doído não poder convocar “um” Nenê ou outro, mas é o melhor pro futuro.

  • Carmelo e Durant vão enrabar a Argentina (Mesmo com a seleção sem formação tática praticamente) Hue.

    • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

      Carmelo ta enrabando é o aro 😂

  • Rafael

    Essa foi a geração da ilusão. Vários jogadores na NBA, técnico com grande currículo e nesse torneio jogando em casa, mas nada disso é suficiente quando não temos jogadores de personalidade ou com vontade. Vejo Patty Mills arrebentando, Matt Dellavedova lutando por cada bola…Tecnicamente Leandrinho, Huertas ou Raulzinho tem nível semelhante, mas no coração é um abismo de diferença. Fomos dominados por um time que só tem o Bogdanovic, isso mesmo, BOGDANOVIC!
    Os vovôs Scola e Nocione se superam na seleção, já o brasileiros parecem que estão fazendo um favor de jogar com a amarelinha. Aliás a cor tem que ser essa mesma pra esses amarelões.

    • Tássio Marcel Hoffmann Coelho

      assino embaixo.

    • TRUETHIAGO

      Bogdanovic na Seleção Croata sempre pontuou bastante, vem numa ótima sequência pelas competições da FIBA:

      EuroBasket > 17,4 PPG
      Mundial 2014 > 21,2 PPG
      Qualify da Itália que valia a classificação para Olimpíada > 24,2

      Nenhuma surpresa ver ele sendo um dos cestinhas aqui no Rio, metendo quase 25 PPG e com um excelente aproveitamento (51% FG / 43% 3-PT)

  • Tássio Marcel Hoffmann Coelho

    Acho que deu pro Magnano né.

  • Lucas Silva

    O basquete, assim como o futebol, vôlei e demais esportes sofre muito em função da base. Perdemos muitos talentos por não sabermos desenvolver os jovens pessoal e profissionalmente. Resultado são esses aí: nossas seleções sofrendo para ganhar.

    • Pablo Leite

      Se pensar bem, o cara ser atleta no Brasil, em geral, é coisa pra gente mais ou menos pirada ou sem opção alguma. A estrutura esportiva do Brasil, com exceção do Volei, é lastimável. Dificil ver viabilidade econômica como atleta.

  • Pablo Leite

    Eu sinceramente esperava a eliminação do Brasil ainda na primeira fase. Na boa, torci adoidado, cheguei a desligar a televisão de tanta ansiedade, mas o basquete masculino do Brasil é de segunda categoria, o feminino, de terceira ou quarta. O Brasil parece produzir apenas homens de garrafão com alguma qualidade, já entre armadores e alas a qualidade é muito ruim. Raulzinho é bom, mas, na boa, está longe de ser um Marcelinho Huertas, do ponto de vista ofensivo. Nas alas, nem se fala. Leandrinho é imprevisível, você não sabe se ele afunda ou levanta o time, Marquinhos e Alex são de segunda. E o resultado só podia ser isso mesmo. Nenê foi muito bem, lamente que a melhor olimpíada dele pelo Brasil tenha terminado assim.

  • Marcelo Desoxi

    Pra mim , sendo sincero e me deixando levar um pouco pelo momento , nossos atletas ban-ban-bans de NBA sempre jogaram abaixo na seleção ( isso quando aceitaram jogar ) . A verdade é que em termos de títulos , não tem como a nova geração ser pior que esta.

    • Pablo Leite

      Nenê sempre jogou bem, a olimpíada dele foi muito boa, bem como Varejão e Splitter. O problema é mais amplo. Falta qualidade.

      • Marcelo Desoxi

        Sempre jogou bem ? Não acho , inclusive nessas olimpíadas ele não jogou bem em todos

        • Pablo Leite

          Nenê é um excelente pivô. Foi o melhor jogador nas olimpíadas pelo Brasil. Agora, quer milagre, Jesus Cristo tá no Céu, não na quadra.

          • Marcelo Desoxi

            Eu também o acho um excelente pivô, e também acho que ele foi o melhor jogador do Brasil. Você está fazendo silogismos.

          • Pablo Leite

            Ok, vou desenvolver um pouco mais. Quando se olha para a cultura de basquete dos adversários do Brasil, qual é inferior à brasileira? Eu só vejo a Nigéria inferior. Ganhar da Espanha foi um soluço. Há um problema sério na formação técnica dos jogadores. O Brasil só produz Pivôs por que? Pivô, do ponto de vista ofensivo, é fácil de produzir. Não precisa arremessar, não precisa nem saber bater lance livre. Fazer um bom marcador não é difícil. O único grande arremessador do Brasil era o Marcelinho, do Fla. Mas o problema vai além disso. Formação tática e técnica equivocada desde a base. Arremessos forçados, pouca movimentação de bola para achar o homem livre. O Brasil saiu porque era inferior. Não falta vontade, falta é técnica, e, também, mais equilíbrio emocional. Isso vem de muito tempo.

          • Marcelo Desoxi

            Kkk e eu concordo contigo. O único ponto que discordo é que eu acho que essa geração sai devendo.

          • Pablo Leite

            Pode ser, mas aí coloco a culpa na falta de estrutura emocional. Esses jogadores que aí estão, os da NBA, pelo menos, não foram protagonistas quase nunca ou talvez nunca com exceção do Splitter, que foi MVP quando jogava pelo Baskonia, e nos fez muita falta.

      • Michel Moral

        Nene é bom. Mas coletivamente, não individualmente. O Leandrinho é a mesma coisa. São caras bom para grupo, mas não é que tem qualidade técnica capaz de carregar um time. Isso não seria milagre. Manu, Gasol, Scola e Mills não são milagreiros. Apenas tem qualidade técnica mais apurada, capazes de liderar um time.

        Agora, a verdade é essa que vc falou: é falta de qualidade. O Brasil tem/teve um elenco razoável, mas faltou o diferencial, aquilo que traria k time para outro patamar.

        • Pablo Leite

          O Nenê, no ciclo olímpico passado, podia ser considerado um pivô de primeira na NBA. Não um cara MVP, mas ele era top, tanto que conseguiu um contrato muito bom pelos Nuggets. Só que agora, já mais idoso e com o físico castigado, não podia ser o cara a liderar o Brasil. Mas, como não tinha mais ninguém, foi ele.

    • Doug

      Pra mim, foram superestimados…são jogadores de papeis menores na NBA e não tem esse talento todo não…são medianos…o conjunto seria o forte, mas isso não é garantia de vitória…é como se tivéssemos um time de role players da NBA…na hora da verdade, contra times técnicos, como enfrentamos, falta o talento para definir, o cara diferenciado, a estrela, digamos assim…

  • Michel Moral

    Não sei aonde que o pessoal via tanta qualidade nos jogadores da nossa seleção. É demais falar em ilusão, decepção e coisas do tipo. Na verdade temos que enaltecer a garra e disposição dos jogadores com a camisa amarelinha.

    Vocês acham mesmo que Barbosa e Nene são do mesmo nível do Scola e do Manu?

    Vocês acham mesmo que Marquinhos e Alex são melhores do que o Bogdanovic?

    Vocês acham mesmo que o Huertas e o Raulzinho são jogadores do mesmo nível do Mills e do Dellavedova?

    Vocês achavam que Hettsheimer, Rafa Luz, Benite e cia Ltda formam um elenco que suportaria pancadas como aguenta a seleção da Espanha, por exemplo?

    Acho até que nossa seleção seria boa se tivesse um nome fora de série, mas não tem e não teve. Então não dá pra falar em decepção, vexame, ilusão. Essa é a mais pura realidade.

    • Pablo Leite

      Melhor que Delavedova até são, mas melhor que Mills, não mesmo. De resto, é isso mesmo.

      • Michel Moral

        Hoje Dellavedova engole os dois. O cara tá dando 10+ assists no basquete FIBA e é muito bom defensivamente. Fora o espírito que trás para o time.

        O Huertas é bom tecnicamente, mas sofre na defesa. O Raulzinho é melhor defensivamente, mas é sofrível vê-lo no ataque… Só amassa o aro!

        • Pablo Leite

          Raulzinho evoluiu ofensivamente, mas ainda não é um bom arremessador. Mas ainda tem margem para melhorar. Mas, é aquilo, não será um fora de série.

    • pedrokadf

      Não, Não acho rs

    • augusto

      Olha pra mim hoje o Nene é melhor que o Scola

      • Michel Moral

        Hoje eu escolheria Nene para o meu time também. Tem mais físico, poder de marcação e competitividade. Só que daí você não está analisando o jogador e sim o momento.

        Se olhar a carreira de um e de outro, o Scola é superior.

    • Doug

      Concordo contigo Michel.

    • Odair Morais

      Concordo com tudo que disse, os torcedores brasileiros estavam cegos pelo fato de terem alguns jogadores da NBA na seleção.

  • MarceloBulls

    Thiago Braz OURO no salto com vara, com direto a recorde Olímpico. Mandou bem demais, parabéns!

  • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

    Laprovittola unico que deu o sangue. Volta pro Mengão.Laprovittola é BR.SRN
    #melhorqueRubio

  • Norrin Radd

    Não adianta nem comentar.
    Essa geração de bons jogadores nunca foi vitoriosa com a Seleção e não seria agora.
    O que nos resta é torcer para que a p´roxima ( Bebê, caboclo, Felício e etc) consigam alguma coisa.
    Pra esse pessoal de hoje, nosso muito obrigado, mas já deu.

  • Igor

    Vem 2020! Raulzinho vai evoluir muito, Caboclo e Lucas Dias vão liderar as estatísticas do Brasil, Augusto e Bebê vão fechar o garrafão.. Fischer,Benite,Meindl e Felício vão formar um banco decente, Brasil campeão olímpico no Japão #euacredito

  • Rafael Victor

    Que o Brasil tinha grandes possibilidades de se classificar e chegar numa Semi Final, isso era fato, não adianta negar, porém o vacilo contra a Argentina resulta nessa eliminação precoce e frustante! Em vez de procurarem somente um culpado seria bom cada parte (Confederação, Técnico e Jogadores) assumirem suas parcelas de culpa, porque as falhas que levaram a essa decepção ocorreram dentro e fora de quadra!

    Sobre o futuro, jogadores como Nenê, Leandrinho e Varejão são veteranos e estão em processo final de carreira na NBA, então, acredito que a prioridade deles agora deva ser essa, não mais a Seleção! Já o Splitter, se quiser, acredito que ainda pode continuar, sendo aquele jogador experiente que ainda contribui e que é necessário ter em um grupo! Quanto ao Huertas, Alex, Marquinhos e Giovannonni, acho que já deu também, seria melhor se aposentarem, só que pela falta de renovação não ficaria surpreso se continuassem jogando pela Seleção, o que seria ruim, pois acho que depois dessa Olimpíadas essa geração deveria encerrar, a prioridade agora tem que ser Raulzinho, Felicio, Bebê, A.Lima, Lucas Dias e quem mais tiver por aí que tenha condições minimas de defender a Seleção pra ver se conseguem desempenho e resultados melhores, já que essa geração atual ficou aquém do seu potencial!

  • chateadi

    Gente, os resultados dessa seleção apenas refletem a incompetência dos dirigentes do nosso basquete nacional. Esses resultados são fruto de uma administração caótica nos últimos 20 anos, nas quais o basquete masculino (feminino nem precisar falar né, não existe mais no Brasil. ..) sucatearam sua formação de base. Não que essa fosse maravilhosa anteriormente, mas hj em dia é péssima. Vivemos em um país, onde os grandes atletas surgem pontualmente, graças ao fruto de esforço pessoal e de alguns poucos clubes que tem uma política formadora (ex:minas, pinheiros. ..). Pode se dizer que não há e nunca houve no país uma real política de formação de atretas, com planejmanos a médio e longo prazo. Aliás, planejamento é uma palavra que não existe no Brasil. Aqui é imediatismo! O Brasil nunca será forte no basquete mundial, enquanto não mudar sua política de formação na base. Tem que começar tudo do zero, reformular e reconstruir, um.trabalho visando os jo de 2024 e 2030, não o dos jo de 2020 ( que aliás acho q não nos classificaremos). Mas acho q tô pedindo o.impossível ne?
    Essa cbb deve ser investigada e seus dirigentes devem ser presos, afinal recebem milhões de verbas estatais anuais (isto é, o seu, o meu imposto!) e suas contas são suspeitas e obscuras. Mas ninguém reclama, ninguém denúncia e fica por isso mesmo ( exceção do Fábio balasiano e poucos outros). O basquete brasileiro, assim como em diversos âmbitos nacionais vive o coronelismo moderno e enquanto nã o mudarem os seus dirigentes, tudo ficará do jeito que está. A cbb tá quebrada, mas milhões e milhões entram todos os anos…para onde vai esse dinheiro? E aí a gente fica nessa, os jogadores formados no Brasil tem uma deficit técnico e tático monstruoso em comparação com outros países, somente os que saem do país conseguem ter uma melhor formação. Tá na hora de investir pesado na base! Qualificar técnicos formadores, massificar o esporte nas escolas e clubes, criar um mecanismo para que a detecção de talentos, e sua formação sejam de qualidade.. Porque não copiar modelos de sucesso como por exemplo a insep na França (país que mais enviou atletas para a nba e que em cada draft tem pelo.menos uns 2 ou 3 escolhidos).
    É muita ilusão achar que caboclo e bebe vão ser a solução. O bebê vejo perspectivas de um futuro melhor, o caboclo é apenas um jogador com um potencial fora do comum, mas que é tão limitado nos fundamentos básicos do basquete, devido a péssima formação que recebeu aqui ( e olha q estamos falando do.pinheiros), que agora com 20 anos, fica um pouco tarde p corrigir falhas que deveriam ter sido corrigidas com 13, 14 anos, coisas básicas mesmo. Ele não deveria ter feito o salto p a nba tão cedo, quase não jogava no nbb e seria muita pretensão achar q ia faze-lo na nba. Culpa tb de agentes gananciosos, que preferem o dinheiro ao plane jamento da carreira do atleta. Ele deveria ter ido p a Europa, por 2 ou 3 anos, e chegaria menos verde e imaturo ( um pouco como fez o bebê).
    E outra, nunca trabalhamos o lado.mental e psicológico dos nosso jogadores, (podemos ver isso claramente nesses jo, qd o Brasil teve vários jogos na mão e perdeu no aspecto mental). A capacidade cognitiva, de leitura de jogo é ridícula do jogador brasileiro ( e isso falo em todos os esportes) e ela é fundamental para que uma equipe seja vencedora (vide Alemanha no futebol). Isto é, o problema é mais profundo que o simples aspecto esportivo, enquanto a educação for o.lixo que é nesse país, continuaremos produzindo jogadores medíocres, que não sabem ler e entender o jogo, que não tenham a capacidade de tomar a boa decisão, que sobrevivem graças ao aspecto físico e atlético. O buraco é mais embaixo do que se pensa.
    Como o Brasil, com 200 milhões de pessoas, com um biótipo de causar inveja a qualquer país, não tem.na seleção atual nem na próxima geração não tenha jogadores na posições 2 e 3 de qualidade (tô falando de jogador de alto nível mundial, não de Lucas dias e caboclo. Está claro que é resultado de uma não política na formação de atletas. O Brasil tem potencial para estar sempre no top 5 do basquete mundial, pois tos uma reserva gigante aqui, só que fica só no potencial, no sonho…
    Desculpem o texto gigante, mas é um desabafo de um brasileiro desiludido com o rumo que o basquete nacional está indo e sobretudo pela inércia e incompetência e corrupção dos nosso dirigentes (sejam eles a cbb, nosso políticos…)

    • el pistolero

      assino embaixo.. mas nao vejo solucao pra formação cognitiva do nosso atleta

      o brasileiro em geral é inferior na cabeça mesmo.. a própria população é.. vc ve a torcida vaiando atleta de salto, de esgrima.. só no brasil tem isso

      o estrangeiro quando deparado com uma situação, pensa X. O brasileiro pensa Y. Somos menos educados mesmo, não tem pra onde fugir

    • Doug

      Entendo e concordo contigo…veja tb que muito desse fator psicológico vem da vida da sociedade brasileira…um país com uma população em grande parte desprivilegiada…muitos até estão no esporte por ser a única oportunidade na vida deles, e não por outras razões como vocação ou coisa do tipo, e isso pesa muito em certos momentos…em outros países, mormente grandes potências, a situação é bem diferente…a própria mentalidade cresce sendo forjada de modo diverso…um dos problemas, sob meu ponto de vista, passa muito além do esporte e de seus dirigentes…muitos desses que competiram pelo Brasil, por exemplo, possuem uma origem na pobreza e carregam um fardo grande nas costas…outros, simplesmente não perderam o “complexo de vira-lata”, que nas palavras de Nelson Rodrigues: “Por “complexo de vira-lata” entendo eu a inferioridade em que o brasileiro se coloca, voluntariamente, em face do resto do mundo. O brasileiro é um narciso às avessas, que cospe na própria imagem. Eis a verdade: não encontramos pretextos pessoais ou históricos para a autoestima”…

  • Doug

    É isso…tivemos uma seleção mediana e superestimada, tão somente pelo fato de termos jogadores na NBA…nível de cobrança altíssimo por isso…ocorre que esses jogadores são limitadíssimos, e possuem papeis pequenos em seus times da liga norte-americana e o normal, da seleção, pelo menos pra mim, era brigar pelas últimas vagas…claro que fiquei frustrado, muito porque se via que não era impossível ter ido mais longe…o time fez jogos parelhos…mas, isso, de certa forma, seria superar as expectativas… real e friamente, no papel, o Brasil era a quinta, ou quarta força do grupo mesmo…mas, torcíamos, muito porque jogávamos em casa e tínhamos a ilusão de a Argentina ser um time envelhecido e o Brasil ser melhor…a seleção peca muito na defesa e não possui jogadores técnicos o bastante, caras que matam bolas a torto e a direito…não há arremessadores de confiança…ao contrário da maioria, conforme a galera nem entendeu direito noutro post, acho que se podia, mas não se devia esperar tanto da seleção…muitos pelos seus histórico de vacilos e pela realidade (é um time apenas mediano)…nem é a melhor geração do Brasil…de qq modo, na esperança de renovação e sucesso no futuro…pra mim, como já disse, apesar do vacilo, que custou a classificação, os caras mostraram empenho, fizeram jogos disputados e tiveram uma postura diferente de outras competições, então, nesse ponto, estão de parabéns…triste, mas não revoltado com o que foi apresentado…

    • LP

      Doug discordo bastante de você, acho que a seleção brasileira no papel é melhor que todas menos a Espanha nesse grupo, infelizmente houve uma mistura de azar e incompetencia que nos jogos que o Brasil perdeu jogadores como Nocioni e Campazzo e o time da Lituania em geral jogaram muito mais do que seu real potencial e fizeram a partida da vida deles. O Magnano errou e muito durante os jogos mas a convocação foi o pior erro, Hettsheimeir e Giovanoni são dois jogadores de característica igual(isso não conatando que o Hett foi um peso morto) não havia necessidade de levar os dois nem o Rafa Luz, enquanto isso o time ficou sem um ala reserva que na minha opnião foi a grande culpa do Brasil ter perdido, se tivesse um ala com pelo menos capacidade de marcar e altura decentes talvez o Bogdanovic e o Nocioni não tinham feito partida tão boas.

      • Doug

        Entendo, meu velho…mas não acho que a seleção tenha tanto talento assim…

        • Alex Santella

          doug, yo los escucho decir que no tienen un equipo fuerte, para brasil estaba con un buen equipo, ese técnico tendrian que preguntar cual fue la tactica de el si era dejar pasar los segundos y faltando 3 o 2 segundos cortar con falta, eso no se sabe que paso , por eso te digo magnano es super profesional, y crean o no el le dio otra forma al equipo de brasil en su modo de jugar, no se por que los juzgan, fue un buen partido.
          Otra cosa de ver que contra españa el equipo estaba cansado,
          No te digo que se dejaron ganar mas bien que se les acabo las piernas.
          En las olimpiadas tenes que ganarle a todos sea quien este del otro lado.

          • Doug

            Concordo contigo Alex…em outro post eu disse que não condenava ninguém pela derrota para a Argentina…a equipe é boa sim, mas não tanto…foi um jogo parelho, assim como outros, e decidido no detalhe…realmente, o Magnano vacilou em não determinar a falta ao invés de pagar para o chute de 3…independentemente disso, ele é um grande profissional e um dos responsáveis pela seleção nos fazer estarmos aqui discutindo a respeito…eu apenas acho o time da Argentina um pouco melhor, pelas razões já ditas em outros posts, embora o Brasil pudesse e devesse ter vencido aquele jogo, principalmente pelas circunstâncias do mesmo…

      • Pablo Leite

        Olha, não concordo que a seleção seja melhor. O fato é que o time já está envelhecido. Se fosse há 4 anos, eu concordaria, Nenê um pivô de primeira na NBA, Splitter MVP do Baskonia, Marcelinho jogando muito na liga Espanhola, Leandrinho, um bom sexto homem, Varejão ainda conseguindo se desvencilhar das lesões. O Brasil tem abundância de Pivôs, mas, além de não contar com Varejão e Splitter, falta qualidade demais no resto. Qual cara que na hora do aperto você pode jogar a bola pra ele matar uma bola de fora? Se não for o Leandrinho, que nem é tão confiável, já cometeu diversos erros em momentos decisivos de outras competições, não há ninguém. Quanto ao Magnano, ele elevou o nível do Brasil nos últimos anos, mas também falta preparo emocional dos jogadores, que é um problema antigo. O time parou de jogar faltando mais de 3 minutos contra a Argentina. Não há o que fazer.

  • Antonio Felipe

    pois é galera… até 2036!!!

  • dougmallmann

    Chega a ser engraçado ver a página de basquete do globoesporte.com… se você visualizar a página regularmente, verá que nunca há um indivíduo sequer fazendo comentários. Agora com as olimpíadas a todo vapor, brotou entendidos do assunto que acreditam ter conhecimento suficiente para criticar a seleção brasileira. RIDÍCULO!!!
    Ao meu ver a seleção está de parabéns, não temos jogadores pontuadores. As principais peças da seleção fazem o chamado jogo sujo em seus respectivos clubes, priorizando principalmente a defesa em detrimento ao ataque, e mesmo assim conseguiram conquistar uma vitória sobre a Espanha. Perderam praticamente todos os jogos no detalhe, pois falta confiança destes mesmos jogadores para definir jogos, afinal nunca precisaram fazer isto em suas carreiras.
    A luz no fim do túnel, é que agora finalmente perceberam que o Brasil necessita urgentemente de categorias de base mais bem estruturadas, e quem sabem façam algo para que o basquete nacional volte a ter o brilho de outrora!

    • Doug

      Estou contigo.

  • el pistolero

    Pra galera falando que deu pro Magnano. Vamos lembrar na época antes dele, que qualquer jogo contra europeu era porrada de mais de 20 pontos. Não classificavamos pra nada. Esse cara fez é milagre (brasil jogar defesa). Só pecou nas rotações.

    • Doug

      Concordo contigo…galera imediatista demais…o cara elevou o nível da seleção…

  • Felipe Oliveira

    Não acho q haja um vilão para explicar essa eliminação… Na minha opinião o time do Brasil (teoricamente) teria boas chances de fazer uma ótima campanha no Rio. Mas oq eu vi foi uma total falta de entrosamento entre os jogadores, a impressão q ficou é q acharam q apenas colocando a galera da NBA na quadra (sem treinar juntos e completamente desentrosados) faria a diferença individualmente. O time desperdiçava MUITOS ataques por afobação! Pra mim não tem aquela histórias de marrinha e estrelismo, acho q todos estavam unidos mas a falta de tempo de treinamento foi preponderante para a péssima campanha!

  • Doug

    Como disse o post do jumper acima, Brasil não perdeu por um jogo…na verdade, eu acho que a pior derrota foi a primeira, para a Lituânia…ali eu já me preocupei bastante e caiu a ficha que evento de preparação é uma coisa, competição é outra…como a summer league e regular season da NBA…

  • #newsplashbrothers

    Brasil jogou de igual pra igual com todo mundo, só pecou nos momentos finais dos jogos, sinceramente, achei que ia ser muito pior.

    • Leo-kun

      Eu penso assim também. Se o próprio “Dream Team” está tendo dificuldades, por que o Brasil não teria? Todos os jogos foram parelhos, o desempenho não foi tão ruim assim. Poderia ser melhor? Quem sabe…

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados