logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 17 ago 2016 às 20:36
Sob comando de Kevin Durant, Estados Unidos batem Argentina e encerram ciclo da geração dourada

Seleção norte-americana enfrenta a Espanha na semifinal; derrota marca fim da geração dourada argentina

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Lima

Estados Unidos 105 x 78 Argentina

Deu a lógica no confronto entre os Estados Unidos e a Argentina. Liderados pelo ala Kevin Durant, cestinha da partida com 27 pontos, os norte-americanos venceram os hermanos por 105 a 78 e asseguraram vaga na semifinal dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Na próxima fase, a equipe de Mike Krzyzewski enfrenta a Espanha, em um duelo que vai reviver as últimas duas finais olímpicas.

Já a eliminação da Argentina marca o fim da geração dourada, com os campeões olímpicos remanescentes de 2004 – Manu Ginobili, Luis Scola, Andrés Nocioni e Carlos Delfino – encerrando o ciclo pela seleção portenha.

A partida começou com um show do armador Facundo Campazzo, que, com oito pontos anotados, ajudou a Argentina a abrir 19 a 9 sobre os norte-americanos nos primeiros seis minutos de jogo. Enquanto isso, do outro lado, só Kevin Durant pontuava. Os Estados Unidos acertaram apenas um arremesso de três pontos em oito tentativas e mostraram uma fragilidade defensiva assustadora, mesmo com DeAndre Jordan entrando no quinteto inicial no lugar de DeMarcus Cousins.

A partir de uma cesta de Klay Thompson e uma bola de três de Durant, os Estados Unidos tomaram as rédeas da partida. A Argentina ficou sem pontuar nos últimos três minutos do primeiro quarto, após o adversário começar a marcar melhor. Cousins entrou bem e anotou os últimos seis pontos dos Estados Unidos, que venceram o período por 25 a 21.

No segundo quarto, a vantagem norte-americana chegou a ser de 25 pontos (56 a 31), dada a facilidade para pontuar contra a segunda unidade portenha, especialmente Durant, e a defesa acertada. Além disso, o veterano Scola, que estava tomando um baile de Cousins, cometeu a terceira falta logo no início do período e foi para o banco de reservas. Nos dois minutos finais, a Argentina reagiu, fez nove pontos seguidos e diminuiu o prejuízo para 16 (56 a 40).

Na volta do intervalo, Durant converteu duas bolas de três seguidas e a vantagem norte-americana voltou a subir. Os Estados Unidos não foram ameaçados em nenhum momento na segunda parte do jogo. Com Durant inspirado no ataque, e a Argentina sofrendo na parte física, os bicampeões olímpicos fecharam o terceiro quarto 26 pontos à frente (87 a 61). No período final, com os rumos da partida definidos, os reservas com menos tempo de quadra tiveram a chance de jogar.

Enquanto a torcida argentina se levantava e entoava seus tradicionais cantos, os brasileiros presentes à Arena Carioca 1 respondiam com gritos provocativos como “eliminado” e “Mil gols, mil gols, só Pelé”. O técnico Sergio Hernández teve a sensibilidade de colocar os veteranos que estão encerrando o ciclo olímpico na seleção – Ginobili, Scola, Nocioni e Delfino – em quadra nos três minutos finais para receberem as devidas homenagens.

Estados Unidos
Kevin Durant: 27 pontos, sete rebotes, seis assistências, sete bolas de três pontos convertidas e 9-13 nos arremessos de quadra; 28 minutos
Paul George: 17 pontos e oito rebotes; 20 minutos
DeMarcus Cousins: 15 pontos; 13 minutos
Kyrie Irving: 11 pontos e quatro rebotes; 16 minutos

Argentina
Luis Scola: 15 pontos e dez rebotes; 29 minutos
Manu Ginobili: 14 pontos e sete assistências; 26 minutos
Facundo Campazzo: 13 pontos, nove assistências e quatro roubadas de bola; 28 minutos
Andrés Nocioni: 12 pontos e cinco rebotes; 31 minutos

  • The Ancient Destiny

    Um adeus seco, mas feliz em ver o Ginobli jogando muito com essa idade e se aposentando da seleção com a classe que o consagrou! ídolo!

  • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

    Adams garantiu que suaa bolas ( chutadas pelo Green) estao no lugar
    kkkkkkk

    https://mobile.twitter.com/BarriHoopsHype/status/765876329640239104

  • Rafael Victor

    Viva a HABILIDADE e a TÉCNICA!!!

    https://vine.co/v/5M7HlZBIdYU

    • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

      esse eurostap ele copiou de um armador que jogou com ele…

      • Vítor Hugo ⚡️

        Kkkk Pode crer mano, na hora lembrei disso também. KD não tem nem vergonha na cara …rs

    • BetoMavs

      Sem passada o garoto!

    • Zack Batista

      Putz…Vindo de um cara de 2,09m habilidoso é imparável, seria o correto a dizer..rs

    • – Tiago

      Joga demais o Durant pqp KKKK Deixou 2 na saudade KKKKK

  • Yan Alves #Suns

    Texto ficou bacana com esses vines! gostei.

  • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

    http://hoopshype.com/2016/08/16/nba-season-preview-los-angeles-lakers/7

    preview do lakers: 13th
    acho ate otimista essa previsao

  • Zack Batista

    Sou um cara muito sortudo e feliz… Ter acompanhando essa geração dourada desde 98 foi uma honra. Sou fã declarado. Se querem saber de um time que fez história no mundo do basquete, por favor, inclua essa seleção argentina tbm.

    Sentirei falta qdo não ver mais Prigioni, Delfino, Ginóbili, Nocioni e Scola na seleção dos hermanos em quadra. Deixarão saudades…

    MITOS!!! 🙂

  • Matheus Oliveira

    Estados Unidos X Austrália na final

  • Dirk

    Valeu por tudo Manu, passei a assistir basquete desde o deu show em 2004, merecia uma medalha, vou confessar q me emocionei em vê-lo na despedida, maior latino-americano da história (E NÃO SE FALA MAIS NISSO!!!!!)….
    Ver essa despedida me fez lembrar dos monstros q se aposentaram recentemente, ver o Kobe se despedindo naquele jogo fantástico de 60 pontos, Tim Duncan se aposentando de maneira silenciosa; e próxima temporada devemos ver o Dirk e o Manu se despedindo também. Os ídolos estão se despedindo.
    Posso estar sendo pessimista mas fica a sensação de q a NBA não será a mesma sem esses caras, perde muito do brilho.
    Obrigado Manu!

    • ThiDuarte

      Oscar mandou lembranças! De qualquer forma, não deixa de ser uma lenda, mito!

      • Tim “Legend” Duncan

        Aí mano, se tu é amigo do Oscar avisa pra ele q na vida não existe “SE”, ele não foi pra NBA por motivos pessoais dele então agora não adianta falar q “SE EU TIVESSE IDO PRA NBA… as pessoas nem saberiam quem era Jordan, pegaria mais rebotes do q o Mutombo, daria mais assistências q o Nash, seria um defensor melhor do q o Rodman, teria antecipado o sucesso dos Splash Brothers 30 anos antes, depois se aposentaria e viraria um técnico mais vitorioso do q o Phil Jackson, pra fechar ele compraria o Miami Heat do Pat Riley”.
        Como Manu foi, conquistou o sucesso q teve e obteve resulyados concretos e não imaginários.

        • Lucas

          Oscar maior cestinha das Olimpíadas isso não é imaginário.

          • Michel Moral

            Sim. Mas o Brasil de Oscar não conseguiu ser competitivo como o basquete argentino. Essa geração dos hermanos revolucionou o conceito de basquete, de defesa, de ataque e viraram referência dentro do esporte.

          • Dirk

            Mano, ver o Oscar jogar na seleção, era igual ver o Kobe jogando aquele ultimo jogo contra o utah jazz, a bola só ia nele, ele não passava pra ninguem, nao to dizendo q ele nao foi um grande jogador pq ele foi sim, mas se o Brasil vencia os universitarios dos EUA fazendo 60 pontos, no minimo 40 eram dele, pq ele simplesmente nao passava…

      • Rodrigo Medeiros

        Ginobili é o melhor latino-americano da história. Cara foi foda na NBA, jogando pela seleção. Como diz o Tim, não tem essa de ”SE”, ele não foi, então não pode falar nada. E como disse o Michel, essa geração argentina foi muito competitiva, ganhando medalhas em olimpíadas, mundiais.

  • Michel Moral

    Se o Oscar acha que o que ele fez é digno de se considerar um dos dez melhores da história da NBA, caso tivesse jogado na liga, o que dizer de Manu, hein?! Fale pra mim, HEIN?!

  • – Tiago

    Que jogada foda do Durant, deixou 2 na saudade KKKK

  • COMO DISSE ANTES…

    MUITO BOM VER A ARGENTINA TOMAR DUAS TACAS SEGUIDAS…
    KKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    Agora como não reconhecer Ginóbili um gênio das quadras…
    MUITO FODA ESSE CARA!

  • Kaio_

    galera ae interessada em participar de fantasy na espn .. formato Snake ! 16 equipes … tenho 3 vagas para fechar … mas por favor só galera que já participou ou que tenha muito vontade de jogar … Obrigado ! flw ..

    • Carlos Victor

      Pó man to loco pra participar..seria como se fosse um cartola mais da nba né?…to procurando algo do tipo a muito tempo,…

      • Kaio_

        muito mais complexo que o cartola kkk

  • wesley

    chupa argentina

  • TRUETHIAGO

    Parabéns a geração dourada, histórica, que mesmo no encerramento do ciclo tiveram uma participação super digna.

    Manu, Scola, Nocioni, Delfino, enfim, merecem todas as homenagens e estão com seus nomes marcados na memória de quem gosta do basquete, acima de bairrismos ou preconceitos.

  • Matheus Oliveira

    sem nacionalismo, manu é maior que o oscar, que é muito importante e foi
    um grande jogador, mas manu é melhor tecnicamente foi mais completo que
    o oscar, e nas conquistas nem se fala, nao desmerecendo o oscar qe foi
    um grande jogador

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados