logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 19 ago 2016 às 17:12
EUA “controla” Espanha e classifica-se para terceira final olímpica seguida

Norte-americanos eliminam Espanha mais uma vez e chegam à terceira decisão olímpica seguida

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Ricardo Stabolito Jr.

Espanha e EUA

Espanha 76 X 82 EUA

Não foi um passeio, mas os EUA venceram novamente e estão em mais uma final olímpica. Os favoritos à medalha de ouro confirmaram sua condição, ignoraram a torcida contrária na Arena Carioca I e derrotaram a Espanha por 82 a 76 para avançarem à decisão do título no Rio de Janeiro. Esta foi a quarta vez consecutiva que a seleção europeia foi eliminada pelo USA Team em Jogos Olímpicos.

Os norte-americanos iniciaram o jogo emplacando um de seus melhores primeiros quartos na competição, dominando o garrafão e marcando a linha de três pontos para abrir vantagem de três posses de bola sobre os espanhóis. O time do técnico de Mike Krzyzewski pegou dez rebotes a mais do que o oponente nos dez minutos inaugurais, além de ceder apenas uma cesta de três pontos no período.

A Espanha recuperou-se no segundo quarto e, contrariando a normalidade, ganhou espaço na partida com a entrada dos reservas em quadra. Willy Hernangomez e Victor Claver ajudaram a reduzir a diferença dos EUA, que chegou a cair para só três pontos após falta técnica marcada em Kevin Durant. O ala-armador Klay Thompson, porém, acertaria duas cestas de longa distância nos minutos finais do período para proteger a vantagem dos atuais bicampeões olímpicos.

Os norte-americanos venciam o jogo por 45 a 39 no intervalo, mas os dois times foram para os vestiários descontentes com a arbitragem. Cinco faltas técnicas foram marcadas pelos árbitros no primeiro tempo, o que levou-os a se reunirem com os técnicos e capitães para explicarem seus critérios e pedirem uma maior compreensão dos dois lados.

O retorno dos intervalos trouxe o USA Team expandindo sua diferença timidamente nos primeiros minutos e chegando a abrir dígitos duplos de dianteira por um curto período de tempo. Cestas de três pontos de Pau Gasol e Sergio Llull emparelharam as ações novamente a quatro minutos do fim do terceiro quarto. Com a vantagem pouco se alterando, o grande destaque do período foi um lance incomum: puxando um contra-ataque sozinho, o pivô DeAndre Jordan andou bizarramente com a posse da bola e teve que aturar provocações do público.

As provocações, porém, pararam rápido. Abrindo o último período com nove pontos de frente, Jordan e os norte-americanos trataram de resolver o confronto nos três minutos iniciais do quarto: anotando seis pontos sem resposta e deixando o ataque espanhol zerado nos três minutos inaugurais, a equipe elevou a diferença para 15 pontos. A partir de então, a Espanha nunca voltou a ficar menos do que três posses de bola atrás no marcador e os EUA precisaram só administrar o resultado.

Em mais uma final olímpica, os norte-americanos agora esperam o vencedor da outra semifinal para decidir a medalha de ouro no Rio de Janeiro. Austrália e Sérvia se enfrentam a partir das 19h (Brasília), também na Arena Carioca I, pela segunda vaga na decisão. O derrotado enfrenta os espanhóis na disputa pela medalha de bronze.  

Destaques

Espanha

Pau Gasol: 23 pontos e oito rebotes
Rudy Fernandez: nove pontos e sete rebotes

EUA

Klay Thompson: 22 pontos (4-8 3pt.)
Kevin Durant: 14 pontos e oito rebotes
Kyrie Irving: 13 pontos e cinco rebotes
DeAndre Jordan: nove pontos, 16 rebotes e quatro tocos

  • Cássio

    Deu a lógica, mas percebe-se que o mundo do basquete evoluiu muito, os U.S.A Team ganha de qualquer país, porém passeia em cima de poucos, assim como no futebol, não existe mais time bobo no basquete tbm…

    • Antonio Felipe

      Cara, em tese você tem razão, mas ano retrasado acompanhei o mundial e vi os USA atropelarem seus concorrentes no mundial, inclusive na final (contra a Sérvia)… Ouso dizer que a escalação desses jogos Olímpicos não foi a altura daquele mundial, onde se não tinhamos jogadores tão melhores que estes de agora, pelo menos, ao meu modo de ver, deram mais o sangue para conquistar vitórias expressivas. Até o Faried destruiu!! rs

      • Bruno Araujo

        Sim, o garrafão com Anthony Davis e Faried deu muito certo.

  • Rafael Victor

    Vi o segundo tempo do jogo, EUA embalou! Dificilmente, Austrália ou Servia tiram o ouro deles, embora a torcida seja pra que consigam!

  • Marcelo Desoxi

    Mirotic se pendurou muito rápido, prejudicou demais a Espanha. Como são fregueses dos americanos esses espanhóis. k

  • The Ancient Destiny

    Joguin chato de ver esse hein? rs
    Ainda queria entender como o Brasil conseguiu ganhar pra Espanha. Jogou de Igual com os EUA.

  • contera

    ainda bem que o coach k ja ta de saida mesmo porque com ele esse time nao tem padrao nenhum nao roda a bola no ataque time bem fraco pelos jogadores que tem. e nos ainda criticamos o magnano

    • Zack Batista

      Nem Popovich vai conseguir colocar um padrão “Spurs” nessa seleção americana, pois, além de ser do “mundo FIBA”, tem muitos astros e egos reunidos… Mas isso não quer dizer q não jogam sério, até jogam, mas com deficiência tática… A obediência na sistemática de jogo nunca foi muito velada nos times americanos do “Dream Team”, e não é de hoje..rs

      • Guilherme Ferreira

        Falta um armador neh? Time não tem um organizador, os dois anteriores tinham, poderia ser o Lebron mesmo, e tbm esse eh um time sem líder, ai virá uma pelada mesmo

  • Joao Serafim

    Deandre jordan calando meio mundo kkkkkkkk grande atleta

  • Diego Alexsander

    Repito: Esse pivôzão dos Knicks joga MUITA bola. Vai dar muito trabalho. Novo Sabonis.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados