logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 19 ago 2016 às 21:06
Sérvia atropela Austrália e vai à primeira final olímpica desde fim da Iugoslávia

Sérvios reeditam, no Rio de Janeiro, decisão da última Copa do Mundo contra os Estados Unidos

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Lima

Servia x Australia 2

Austrália 61 x 87 Sérvia

A segunda semifinal do dia prometia ser bastante equilibrada, mas, na prática, a Sérvia simplesmente atropelou a Austrália. Com uma consistência defensiva de saltar aos olhos, especialmente no primeiro tempo, a seleção européia venceu o adversário por 87 a 61 e assegurou vaga em sua primeira final olímpica desde o fim da Iugoslávia.

Neste domingo, às 15h45 (horário de Brasília), os sérvios enfrentam os Estados Unidos, favoritos à medalha de Ouro, em um duelo que vai reviver a decisão da Copa do Mundo de 2014 (vencida pelos EUA por 129 a 92). Na primeira fase, os norte-americanos tiveram dificuldades para bater os sérvios por 94 a 91. A Sérvia, que foi irregular na primeira fase (duas vitórias e três derrotas), cresceu na hora certa para alcançar a sonhada final olímpica.

O detalhe é que, na fase de grupos, os australianos levaram a melhor no confronto (95 a 80). Mas na noite dessa sexta-feira, a Austrália fez, de longe, sua pior partida no torneio olímpico do Rio de Janeiro. Com a derrota amarga, a seleção da Oceania enfrenta a Espanha neste domingo, às 11h30, na disputa pela medalha de Bronze.

O jogo

O primeiro tempo foi uma aula defensiva da Sérvia. A Austrália, que tinha o segundo melhor ataque da olimpíada, anotou apenas 14 pontos em 20 minutos (apenas cinco no quarto inicial). A estratégia dos sérvios foi forçar os australianos a jogarem longe de cesta e não permitir que Patty Mills tivesse a liberdade de pegar a bola e arremessar em seguida (catch and shoot).

A Austrália acertou apenas seis arremessos de quadra, em 29 tentativas (aproveitamento de 21%), cometeu 11 desperdícios de bola e não cobrou um lance livre sequer na primeira metade de jogo. Detentora do melhor aproveitamento de bolas de três pontos no torneio, a seleção da Oceania converteu apenas duas em 14 arremessos. Pela Sérvia, o armador Milos Teodosic anotou 12 dos 35 pontos da equipe no primeiro tempo.

Na volta do intervalo, o panorama da partida não se alterou. Mesmo com uma melhora na produção ofensiva, os australianos pareciam entregues em quadra já no terceiro quarto. Com 11 pontos de Stefan Markovic e outros oito de Teodosic, a Sérvia não permitiu que a Austrália reagisse e fechou o período com uma vantagem de 28 pontos: 66 a 38. Com os rumos da partida já definidos, o último quarto foi uma mera formalidade. De forma incontestável, os sérvios garantiram a classificação para a final.

Teodosic foi o cestinha da partida, com 22 pontos. Ativo nos dois lados da quadra, Markovic anotou 14 pontos, 11 deles no terceiro período. O técnico Saša Đorđević vai para a sua segunda final olímpica. A primeira, como jogador, foi em 1996, pela extinta Iugoslávia.

Já a Austrália terminou o duelo com um aproveitamento de apenas 13% nas bolas de três pontos – quatro acertos em 31 tentativas. Andrew Bogut e Matthew Dellavedova, dois dos principais jogadores australianos, combinaram para sete pontos e 2-10 nos arremessos de quadra.

Austrália
Patty Mills: 13 pontos e 1-9 nas bolas de três pontos; 29 minutos
Brock Motum: 13 pontos; 11 minutos
Joe Ingles: 12 pontos e sete rebotes; 29 minutos

Sérvia
Milos Teodosic: 22 pontos, cinco assistências e 9-14 nos arremessos de quadra; 22 minutos
Stefan Markovic: 14 pontos, cinco assistências e 5-5 nos arremessos de quadra; 27 minutos
Milan Macvan: 12 pontos; 20 minutos
Miroslav Raduljica: 11 pontos e seis rebotes; 22 minutos

  • Zack Batista

    A escola sérvia é osso duro de roer, MESMO.

  • Pablo Leite

    Cavalo bom é aquele que corre no fim.

  • Leonardo

    Teodosic é um dos poucos jogadores do mundo no basquete que consegue jogar “apenas” com a cabeça.

  • Menezes

    A MUITOS ANOS ATRÁS EU VI UM DOCUMENTÁRIO SOBRE BASQUETE DA SERVIA E ELES LÁ LOTAM OS GINÁSIOS , TEM TORCIDA ORGANIZADA SINALIZADOR E UMA LOUCURA MAIS CABULOSO QUE FUTEBOL
    ESTAMOS VENDO UM TIME MUITO BOM QUE JOGA CERTINHO E UM MONSTRO QUE É O Milos Teodosic

    Eu estava apostando na AUSTRÁLIA mas não deu e não dar para tirar o mérito da boa seleção da SERVIA

  • Gustavo

    Brincadeira o que joga o Teodosic. Melhor jogador do mundo fora dos limites da NBA.

  • Alex Vilela

    Teodosic>CP3

  • abi4422

    Igual 2014. Infelizmente pra Sérvia, eles não tem a defesa pra ganhar dos EUA.

  • Estava torcendo muito para a Austrália chegar na final, mas como a Sérvia marcou meu amigo, basquete hoje (tirando os EUA com seu talento natural), começa por uma boa defesa, que seja agressiva, e os Sérvios mostraram isso hoje, e como joga o Teodosic, que MONSTRO…

    cadê o Mills? 1-9 pra três pontos…
    isso é pra alguns que falavam que ele era foda, super cracasso e etc…

  • Caseh

    Austrália cumpriu bem até demais o seu papel, parabéns às duas seleções

  • eu eu mesmo

    Teodosic é o Rubio que deu certo.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados