logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 1 set 2016 às 11:00
Revisão da Temporada – Charlotte Hornets

Franquia da Carolina do Norte obteve sua melhor campanha na temporada regular desde 1999-2000

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Pedro Nery

Charlotte Hornets (48-34)

Temporada regular: 6º lugar da conferência Leste
Playoffs:
 Eliminado na primeira rodada para o Miami Heat em sete jogos.
MVP da campanha: Kemba Walker (20.9 pontos, 5.4 assistências, 4.4 rebotes, 1.6 roubada de bola)

Pontos positivos

– Campanha: Ao contrário da temporada anterior, o Charlotte Hornets voltou a construir mais uma boa campanha. Desde a temporada 1999-2000, a franquia não encerrava a fase regular com 48 ou mais vitórias.

– Kemba Walker: O principal atleta da equipe elevou suas médias comparado ao ano anterior em todos os quesitos. Se não fosse pela forte concorrência, poderia facilmente ter disputado o Jogo das Estrelas. Além disso, conseguiu um jogo de 52 pontos em janeiro contra o Utah Jazz.

– Equilíbrio nos dois lados da quadra: Se na temporada de 2014-15 havia faltado força ofensiva, sendo o terceiro pior ataque na liga, o que se viu neste ano foi um ataque eficiente, acertando tiros de três pontos – 4ª melhor equipe com mais bolas de três por jogo – e terminando na 11ª posição. Enquanto na defesa, o 9º lugar colaborou com que a equipe chegasse mais uma vez aos playoffs.

Pontos negativos

– Lesões: A principal perda do Hornets foi a de Michael Kidd-Gilchrist. Logo em um jogo de pré-temporada, o ala de 22 anos rompeu a cartilagem no ombro e praticamente não pisou em quadra na campanha. Além dele, o pivô Al Jefferson atuou apenas em 47 partidas durante a temporada regular.

– Falta de experiência em playoffs: Se durante a fase regular a equipe se portou bem defensivamente, os dois primeiros jogos e o último contra o Miami Heat na primeira rodada mostrou a irregularidade defensiva que a equipe passa. Nos três jogos citados, o Hornets cedeu ao Heat 114.6 pontos por confronto, todos com derrotas.

– Apesar da ascensão de Kemba Walker, quando se fala na equipe de Charlotte, não se vê um jogador top da liga. Existe sim um grupo de bons jogadores e um esquema proposto do técnico Steve Clifford, no entanto falta um jogador que muda o patamar da franquia na conferência Leste.

Análise

Depois de decepcionar na temporada de 2014-15, a equipe do Charlotte Hornets voltou mais encorpada do que nunca. Uma classificação para os playoffs de forma tranquila com 48 vitórias e mais do que isso, apenas mais um triunfo e a equipe do técnico Steve Clifford terminaria na 3ª colocação da conferência Leste.

O grande subida de produção do time muito se deve aos acertos táticos feito pelo treinador. Não costuma-se sair do terceiro pior ataque de uma temporada para a posição de 11º melhor no ano seguinte. O lado defensivo praticado pelo Hornets continuou confiável.  Apesar do desfalque de Michael Kidd-Gilchrist em praticamente toda a campanha, a equipe ainda conta com outros bons defensores, como é o caso de Walker, Nicolas Batum e de seu substituto Marvin Williams, não por menos ficou entre as dez melhores defesas da liga.

Nos playoffs, pode-se notar uma falta de tranquilidade para fechar a série contra o Miami Heat. Após ter perdido os dois primeiros confrontos sem um mínimo de chances, conseguiu erguer-se e arrancar três vitórias seguidas, inclusive uma fora de seus domínios. Só que na hora de ganhar pela quarta vez e avançar para a próxima fase jogando em casa, entrou no ritmo de jogo do Heat e acabou perdendo. Na sétima e decisiva partida, a equipe voltou a oscilar e repetiu as más atuações como nos dois primeiros jogos.

Futuro

O que pode-se esperar do Charlotte Hornets para esta temporada é a briga por uma vaga nos playoffs. A franquia da Carolina do Norte trabalhou nesta offseason na manutenção de seus principais jogadores que eram agentes-livres. A permanência de Nicolas Batum é fundamental nos planos da equipe, já que o atleta foi o segundo maior cestinha do elenco com 14.9 pontos por partida, além de ser um belo defensor de perímetro. O ala Marvin Williams, que foi importante ao substituir Michael Kidd-Gilchrist, também renovou por mais quatro temporadas.

Se Batum renovou com a franquia, Jeremyn Lin aproveitou o aumento do teto salarial para garantir um novo contrato e assinou com o Brooklyn Nets. A perda do armador que chegou em baixa em Charlotte vai ser sentida. O atleta de 28 anos foi um dos melhores reservas na última temporada e provia descanso a Kemba Walker ou os dois atuavam juntos com Lin mais livre para a pontuação. Ramon Sessions chegou para seu lugar e Marco Belinelli, sempre perigoso nos tiros de três pontos, foi mais uma aquisição para o perímetro.

Outra perda sofrida pela franquia foi do pivô Al Jefferson. Após três anos defendendo o Hornets, o atleta de 31 anos vai atuar pelo Indiana Pacers. Para a posição foi contratado Roy Hibbert. O especialista em proteger o aro é mais um bom defensor para esta equipe. No entanto, a dúvida é se ofensivamente ele vai conseguir produzir o que Jefferson conseguia.

Apesar das trocas de atletas em algumas posições, o Hornets da próxima temporada deverá seguir com o mesmo tamanho dentro da liga. A notável melhora no jogo de Kemba Walker parece que não será suficiente para a equipe alçar vôos maiores. Mesmo com bons jogadores, o time do técnico Steve Clifford dificilmente alcançará uma final de conferência.

  • Victor Chittolina

    Kemba Walker subiu muito de produção. É um dos melhores armadores da liga, mas, ainda assim, o Hornets precisa de uma estrela da liga pra almejar vôos maiores.
    A troca de do Jefferson pelo Hibbert vai trazer características opostas. Enquanto esse é um grande defensor do aro, mas praticamente nulo na tabela ofensiva, aquele é exatamente o contrário.
    Simpatizo com o Hornets. Acho que os playoffs são uma realidade, mas vários times se reforçaram e, salvo se o Kemba Walker tiver mais uma explosão de qualidade, duvido que passem da primeira rodada.

    • Felipe Monteiro

      Tenho ressalvas quanto a essa eficiência defensiva do Roy Hibbert. Os números dele ano passado foram ridículos, mesmo na tábua defensiva. Ainda que se argumente que o Lakers estava uma draga temporada passada, mas, ainda assim, uma boa atuação na parte defensiva era o mínimo que ele poderia entregar, porém decepcionou também neste particular.

  • Tiago

    Na verdade não existe dúvidas quanto ao Hibbert, ele não vai produzir ofensivamente como o Big-Al. Ofensivamente poucos pivôs são tão bons como o Al.

  • Uncle Drew

    Com nenhuma dúvida os melhores momentos da temporada do Hornets são: KEMBINHA, Marvão fede a merda, os penteados do Jeremy Lin, a treta entre torcedores BRS do Heat e do Hornets, e o tiozinho purpurinado querendo fazer trash talk com o Wade.
    Q temporada do Hornetão.

    • Hornets 🐝- MKGLASS

      Marvão fede muito a merda.

    • DamonHeat

      o tiozinho querendo zoar o mito wade, foi pá acabar kk

  • Guilherme Prates

    Kemba Andarilho > João Parede
    YES! hehehehe

  • Hornets 🐝- MKGLASS

    Kembinha será MVP, quem falar que não,mentiu.

  • Bruno Hornets 🐝

    Que temporada amiguinhos.
    Kembinha foi de armador “que não defende, não arma e chuta incríveis 39% de FG” para All Star(na minha cabeça ele tava lá haha), top 10 PG da liga e líder do time…

    Marvão se mostrou um ótimo role player e essencial pro esquema do time, ate os playoffs onde virou o famoso “Marvão fede a merda”.

    Batum deu uma movimentação de bola absurda pra esse ataque, que antes era basicamente isolation do Kembinha e bola no Big Al…

    Zeller se mostrou um Center decente, conseguindo defender o aro decentemente, até os offs, onde ele+T-rex foram abusados pelo Hassam W.

    O banco se mostrou uma das forças do time com Lin, Lamb e Hawes, ate o segundo sumir da rotação e a volta do Big Al, dai desandou…

    Ponto negativo: Além da lesão do MKG, foi o Big Al, ele sair do time é reforço, esta entre os piores defensores que já vi na vida, quando esta em quadra concentra todo o ataque pra si, além disso, ainda virou usuário de Maria Juana, se transformou num injury prone de marca maior e as lesões, larica e redes de fast food americanas o deixaram com um “corpinho” de causar inveja aos Sullinger e Glen Davis da vida haha.

    PONTO EXTREMAMENTE NEGATIVO: T-REX

    Essa temporada no geral, foi boa, por resgatar o interesse da torcida pela franquia, dar a franquia um rosto(Kembinha), espantar um pouco a aura perdedora do falecido Bobcats(R.I.P.).

    Pessoalmente falando: Foi uma temporada do CARALHO haha, alem dos apelidos pegarem(Kembinha/T-Rex), vi jogos memoráveis, vitoria sobre o Cavs sem o Kembinha, “Hornets vira sobre o Spurs com SHOW DE LIN” Kembinha e Wade brincando pra ver quem é mais Clutch, Game Winner do Lee.
    E os offs então? Jumper virou La Bombonera em final de Libertadores(SEM CLUBISMO)

    OBS: Parabéns pra quem teve paciência pra ler isso ate o final haha

    • Hornets 🐝- MKGLASS

      Essa temporada foi realmente muito boa, voltou a dar esperanças! Vamos ver se o MKG fica saudável, ae o time muda de patamar ao meu ver…

      R.I.P TWC

  • Cássio

    Ofensivamente, cai sem o Big Al Marijuana… Mas só não fechou a série contra o Heat, por imaturidade e falta de defesa na hora H. Com a volta do Kidd-Gilchrist, existe uma baita melhora defensiva. Mas como vi times se reforçando mais no leste creio que a classificação fique assim:
    1- Cavs
    2- Raptors
    3- Pacers
    4- Bulls
    5- Celtics
    6- Hawks
    7- Hornets
    8/9- Magic ou Pistons
    10 – Knicks
    11- Wizards
    12- Bucks
    13- Heat
    14- 76ers
    15- Nets

  • drakes

    Eles perderam big al, C. Lee, Lin, três jogadores que ajudaram muito, devem ter MKG, HibBert, Ramon Sessions e Marco Belinelli, Hibbert, quer dizer saem 3 jogadores com ótimas temporadas, e chegam 4 que tiveram péssimas, complica.

    48 vitórias foi piso na passada, eu diminuiria um pouco isso aí, não espero que eles caiam como o Bucks, mas uma de leve, se MKG não retornar bem, aí sim vai ser bem complicado classificar.

    Eu iria de 45 vitórias, mas seria um time que modularia com mais ou menos 5.

    • Bruno Hornets 🐝

      Hornets jogou sem Lee meia temporada, Big Al saindo é reforço, Lin e Sesions são praticamente do mesmo nível(Lin defende melhor).
      MKG é melhor que Lee, Belineli vai dar maior profundidade ao banco, Lin=Sessions, Hibbert>>>Big Al(pra necessidade atual do Hornets, proteção de aro no caso).
      Pode me achar clubista ou algo do tipo, mas acho que o Hornets briga por mando de quadra…

      • luiz

        Fora q podemos considerar q o q não podia perder(Williams e Batum, não perdeu). O técnico parece mto capaz de recuperar jogadores em má fase(você o próprio Lin), então jogadores com potencial, como os q chegam, tem boas possibilidades de ele manter o mesmo nível da temporada passada.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados