logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 8 set 2016 às 11:01
Revisão da temporada – Houston Rockets

Temporada dos texanos foi marcada por troca de técnico e problemas entre Dwight Howard e James Harden

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Pedro Nery

Houston Rockets (41-41)

Playoffs: eliminado na primeira rodada pelo Golden State Warriors em cinco jogos.

MVP do time na campanha: James Harden (29.0 pontos, 7.5 assistências, 6.1 rebotes, 1.7 roubada de bola)

Pontos Positivos

– James Harden: o barbudo elevou suas médias nos principais quesitos nesta temporada. Apesar de não conseguir levar sua equipe a repetir a ótima campanha da penúltima temporada, o ala-armador de 27 anos em termos individuais, fez uma temporada incrível com ótimas médias. O próprio Kevin Durant alegou que foi um pecado seu antigo companheiro não estar nos times ideais da NBA com estes números.

– Forte ataque: a equipe do Texas ofensivamente foi uma das melhores da liga. Na pontuação, terminou na quarta posição com 106.5 pontos por partida. Além disso, foi o segundo time com mais bolas tentadas de três pontos, terminando também em segundo nos arremessos convertidos de longa distância. Para finalizar, foi a equipe com maior média de lances livres em toda a liga (29.4 por jogo)

– Clint Capela: isso mesmo. O pivô de 22 anos foi uma agradável surpresa nesta temporada. Com as lesões de Motiejunas e Josh Smith, o garrafão do Rockets precisou do suíço. Ele provou ser um bom defensor e poderá até começar como titular na próxima campanha com a saída de Dwight Howard da equipe.

Pontos negativos

– Relação entre Howard e Harden: não é segredo para ninguém a relação conturbada entre os dois atletas, inclusive Howard recentemente admitiu os problemas com o ala-armador e como isso influenciou no baixo desempenho da equipe. Se serve de consolo para o torcedor do Rockets, é que finalmente Howard deixou a franquia e teoricamente os problemas de vestiário acabaram.

– Saída de Kevin McHale: a saída do treinador  – que possui o melhor aproveitamento da história da franquia com 59% – após 11 jogos definitivamente pesou na campanha ruim que o time texano viria a fazer. Tudo bem que a equipe tinha somente quatro vitórias, mas o treinador levou seus comandados a uma final de conferência no ano anterior.

– Ty Lawson: a passagem do armador de 28 anos pela equipe texana foi um completo desastre. Ele que chegou como o primeiro armador e seria o cara para ajudar Harden no comando da equipe, perdeu rapidamente a titularidade, além de se envolver com problemas fora de quadra e desfalcar o elenco em duas ocasiões por punições da NBA. Disputou apenas 51 jogos na temporada, somente 12 como titular, registrando médias 6.0 pontos e 3.5 assistências, em pouco mais de 22 minutos de ação.

– Má campanha: por consequência dos problemas já citados, o Rockets não conseguiu repetir a ótima campanha que fez na penúltima temporada, quando terminou na segunda colocação na disputada conferência Oeste. Esperava-se um desempenho se não igual, algo próximo a isso. Classificou-se em oitavo lugar nas rodadas finais e não teve chances nenhuma contra o Warriors nos playoffs.

Análise

Pode-se dizer que o Rockets deu um passo para trás nesta temporada. Depois de um excelente ano no qual o time conseguiu chegar nas finais da conferência Oeste, a saída de Kevin McHale no comando do elenco, entre outros problemas, fizeram com que a equipe não atingisse o basquetebol jogado anteriormente.

O que se viu dentro de quadra foi uma equipe desorganizada defensivamente – terminou como o sexto time que mais cedeu pontos por jogo ao adversário – e os bons números no ataque, foi muito mais por uma questão individual, principalmente de James Harden, do que um conjunto trabalhando bem a bola para encontrar o melhor companheiro para arremessar.

Além do mais, a temporada toda foi marcada por notícias e rumores da relação envolvendo o ala-armador e Howard que acabaram atrapalhando o elenco dentro e fora de quadra. Estava mais do que claro que o estilo de jogo dos dois não combinavam. Enquanto Harden tentava acelerar o jogo na maior parte do tempo, o pivô procurava diminuir o ritmo da partida dentro do garrafão, utilizando de sua força física para conseguir pontuar.

Futuro

A temporada do Houston Rockets não foi fácil. A má relação entre os principais jogadores da franquia, troca de treinador no começo da campanha, atleta problemático, tudo o que já foi dito agora há pouco. No entanto, com uma certa organização a equipe pode voltar a brigar pelas primeiras colocações da conferência Oeste. Para isso, a franquia contratou o experiente Mike D’Antoni, que deverá impor seu sistema de rápida transição, arremessos de três pontos e muita movimentação.

Estilo de jogo que se encaixa muito com o de James Harden. O barba que obteve suas melhores médias na carreira, possivelmente está em seu auge como atleta e deverá ter mais um ano com números impressionantes. Além dele, apenas Oscar Robertson, Michael Jordan e LeBron James conseguiram uma temporada de pelo menos 29 pontos, sete assistências e seis rebotes. Para auxiliá-lo na armação, Patrick Beverley segue como o titular na posição, mas a aquisição de Eric Gordon no elenco é uma boa alternativa para D’Antoni. Fechando o perímetro, Trevor Ariza deve começar jogando, disputando minutos com Corey Brewer e Michael Beasley.

Na área pintada, a disputa por posição e minutos de quadra possivelmente será mais aberta. A franquia texana correu atrás de Ryan Anderson e do brasileiro Nenê. Anderson é outro atleta que se encaixa no estilo de jogo do novo treinador e poderá ser bem útil para a equipe. Já Nenê deverá ter seus minutos de quadra, realizando mais ou menos a função que Howard fazia em outras temporadas. Os caras grandes que permaneceram (pelo menos por enquanto): Donatas Motiejunas, Josh Smith e Clint Capela são os outros nomes que devem aparecer em quadra pelo Rockets.

O time de Houston vem para a próxima temporada com mudanças consideráveis. Trocou o técnico, saiu um dos atletas que causava problemas internos e foram contratados outros com estilo de jogo do novo comandante. D’Antoni terá jogadores a sua disposição que podem funcionar com seu estilo de jogo, mas o treinador que é conhecido por não preocupar-se muito com a defesa, vai ter trabalho para achar uma maneira com que a equipe não sofra tantos pontos como na última campanha (embora o Rockets tenha encerrado como a 8ª melhor eficiência defensiva, terminou em 20º lugar em pontos sofridos por jogo).

  • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

    Harden pro Howard

  • Victor Chittolina

    Acho que o Rockets vem pra brigar por mando. O Harden me gera um sentimento ambíguo: adoro a capacidade ofensiva dele e odeio o descaso dele com a defesa.
    Sei lá, acho que faltam peças pra esse time dar o próximo passo. Um armador mais confiável, um ala pontuador.
    Mas é sempre um time legal de assistir.

    Obs.: Masto, o Big O não teve temporada com 29/7/6?

    • Pedro Nery

      É verdade Victor, quando peguei a informação acabei deixando passar ele. Obrigado pela correção!

  • Paulo OKC

    Esse ano o Rockets com essa defesa péssima e esse ótimo ataque vai ser o legítimo Esquadrão Suicida.É matar ou morrer!!

  • http://hoopshype.com/2016/09/08/nba-season-preview-minnesota-timberwolves/

    Eles acreditam em quinto lugar pros lobos…
    será?

    • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

      O Hoopshype está meio audaz nas previsões. Colocaram o Twolves em 5°,Pistons fora dos offs,Thunder em 4°…

    • Luiz

      Eu acho que dá sim 5º ou 6º, fator do tecnico novo muda muito.Mas acho que Jazz devem terminar á frente do Wolves.(Wolves 5º Jazz 4º)

  • drakes

    È um time ofensivo, normalmente os times do Mike D’Antoni acabam melhor na tabela do que deveriam ser pelos analytics, mesmo assim briga ao meu ver da 7 a 11.

    Kyle Wiltjer é lento, mas quem sabe no sistema D’Antoni não vire um jogador útil logo no primeiro ano.

    Já que não é um time que briga pela ponta da tabela, a desvantagem não ter próximo ano flexibilidade no cap.

  • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

    Li uma noticia-piada de trade OKC-Pacers envolvendo Paul George.
    Deve ser falta do que escrever,ne possivel…

  • Matheus Pitarello

    Acho um bom time, mas acho o Mike D’Antoni um pessimo treinador… cagou no Lakers e principalmente no timaço dos Suns… mas o time é muito bom…

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados