logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 15 set 2016 às 11:03
Revisão da temporada – Minnesota Timberwolves

Seguindo com a reconstrução do elenco, equipe contou com boas temporadas de Wiggins e LaVine e o sucesso imediato de Towns

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Eduardo Ribeiro

Minnesota Timberwolves (29-53)

Temporada Regular: décimo-terceiro colocado na conferência Oeste
Playoffs: não se classificou
MVP da campanha: Karl Anthony-Towns (18.3 pontos, 10.5 rebotes, 2.0 assistências, 1.7 tocos)

Towns

Pontos positivos

– Karl Anthony-Towns. Que o jovem pivô possui um enorme potencial, não é segredo para ninguém. Mas muitos esperavam uma primeira temporada se adaptando na liga e mostrando flashes do que pode acontecer no futuro. Não foi o que aconteceu, já que o novato atuou como “gente grande”, terminando a campanha com ótimos números e sendo um dos destaques de sua posição.

– Andrew Wiggins e Zach LaVine também deixaram boa impressão. O primeiro, também com enorme potencial, foi o cestinha do time na temporada com 20.7 pontos e melhorou em relação ao seu primeiro ano na NBA. O segundo, apesar de não ser titular e mostrar inconsistência muitas vezes, também se mostrou mais confortável e aparece como uma peça promissora para o futuro.

– Lances livres decidem partidas e isso não é algo que o Twolves precisou se preocupar. A equipe foi a quarta melhor no aproveitamento de lances livres na temporada, com 79%.

– O aproveitamento nos arremessos de quadra também não deixou a desejar nesta temporada. Com 46%, o time conseguiu a sétima melhor marca da temporada.

Pontos negativos

– Um dos pontos que a equipe realmente precisa melhorar é a consistência defensiva. A falta de equilíbrio na defesa compromete o seu plano de jogo e isso ficou claro na temporada. O Twolves terminou com um dos piores números em defensive rating, levando pouco mais de 107 pontos a cada 100 posses de bola do adversário. Além disso, foi a terceira equipe que mais sofreu pontos no garrafão.

– Os turnovers também comprometeram a equipe, que levou, em média, cerca de 18 pontos a partir de seus próprios erros de ataque. Também um dos piores números da temporada.

– As bolas de três pontos não foram muito utilizadas pela equipe – só o Milwaukee Bucks utilizou menos o recurso na temporada– e quando isso se mostrou necessário, o aproveitamento também foi ruim, com apenas 33%.

– Após o falecimento de Flip Saunders, a equipe ficou sob o comando do interino Sam Mitchell. E enquanto a ideia era seguir com o plano de Saunders, muitas de suas decisões foram questionáveis durante a temporada, tanto no plano de jogo como na rotação, que pareceu confusa em muitos momentos.

Análise

Como esperado, o Wolves melhorou em relação à temporada 2014-15 – até porque seria difícil fazer uma campanha pior do que aquela – e seguiu preparando seus principais talentos para evoluírem na liga. Tudo correu bem nesse sentido, já que Wiggins e LaVine se mostraram mais confiantes em quadra e evoluíram seus jogos, enquanto Towns dispensa comentários sobre sua estreia na NBA.

Esquecendo por um momento as três jovens promessas, por mais que isso seja difícil ao falar do Twolves, o resto do time também possui pontos a serem comentados de forma positiva e negativa. Kevin Garnett não contribui em quadra, mas vem atuando como mentor do elenco, auxiliando todos os jovens e é elogiado por isso. Gorgui Dieng também viveu bons momentos na campanha e se encaixou bem ao lado de Towns.

Ainda que ele seja “perseguido” por muitos devido às suas deficiências, Ricky Rubio foi um dos grandes responsáveis por liderar o time e deixá-lo mais organizado em quadra, no meio de tantos jovens. Ele com certeza não é o armador dos sonhos para comandar a equipe, mas não há como negar sua contribuição positiva quase que de forma completa como muitos o fazem.

Alguns jogadores do banco, por outro lado, não merecem elogios. Shabazz Muhammad até teve grandes jogos durante a campanha, mas sua inconsistência é muito grande e, no geral, sua temporada não foi boa, principalmente por conta de sua fraca defesa. Nemanja Bjelica começou muito bem, mas se lesionou e não foi mais o mesmo após retornar. E Nikola Pekovic é simplesmente nulo. Não acrescenta em nada no time, já que está sempre lesionado e é outro péssimo na defesa.

Por mais que uma melhora fosse esperada, já era praticamente certo que a equipe não iria para os playoffs. Com um comando técnico questionável e seus principais jogadores ainda com pouca experiência, a campanha foi sem surpresas em termos de resultado, mas positiva em desenvolvimento dos talentos. E nesta temporada, isso era o mais importante de qualquer forma.

Futuro

Se existe algo que merece ser comentado em Minnesota, é o futuro. E agora, parece ter chegado a hora em que a equipe inicia o processo em quadra para que os objetivos “grandes” sejam alcançados em alguns anos. A contratação do técnico Tom Thibodeau garante um plano de jogo mais organizado e ajuda a melhorar a fraca defesa da equipe, uma vez que o lado defensivo é um dos pontos fortes do comandante.

Além do novo técnico, a equipe se reforçou com mais uma jovem com potencial no último draft. Com 22 anos, o armador Kris Dunn é mais velho que os principais jovens do time, mas apesar de mais experiente, precisará de um tempo para se acostumar com a liga, o que não será problema, já que Rubio permanece no elenco. De qualquer forma, é mais um nome para ficar de olho nos próximos anos.

O Twolves ainda utilizou a offseason para reforçar o elenco e trouxe Cole Aldrich, Brandon Rush e Jordan Hill. Aldrich pode ser útil no pick-and-roll e deve se encaixar ao sistema de Thibodeau, Rush vem para auxiliar nos arremessos do perímetro e Hill reforça o garrafão com sua presença física e deixa o elenco mais preparado em caso de lesões.

Wiggins, LaVine e Towns se sentirão cada vez mais à vontade em quadra e Dunn começará a se adaptar ao ritmo da liga. Com o novo técnico, que já é elogiado pelo elenco, o desenvolvimento individual pode se aliar com a melhora do time em quadra. A partir de agora, o Twolves tem tudo para não ser apenas um time com potencial para o futuro, mas que se mostra desorganizado no momento atual. O presente já é interessante.

  • André Alves

    Tenho boas expectativas a respeito dos TWolves na season 16/17. Espero uma boa evolução nesta temporada com relação a última. #GoWolves

  • Luiz

    Lembro de no mês de abril quando Wolves teve uma sequencia que venceu 3 jogos seguidos fora de casa contra Golden State,Portland(com game winner do Towns) e Memphis. Ali realmente parecia que o time podia vencer qualquer time da NBA.Espero que continuem assim ja no começo da proxima temporada.

  • Galvão 🔥 #305

    Towns foi o melhor rookie que eu vi jogar! Não estou falando de números, mas sim em atitute, domínio dos fundamentos, postura em quadra, entrosamento com a equipe e com o projeto. Esse cara vai ser um líder!

  • Victor Chittolina

    Os lobos draftaram o Towns contando provavelmente com a temporada 2016-17. Ele era considerado o maior talento da classe, mas a maioria dizia que não estava tão pronto quanto o Okafor, por exemplo. E, mesmo assim, ele demonstrou um nível de jogo absurdo.
    A mesma coisa serve pro Wiggins, que era tratado como o maior talento desde o LeBron, mas que chegou à liga um tanto “cru”. Ele tem evoluído o jogo e essa talvez também seja a temporada de afirmação do garoto. Una-se isso à contratação do Thibs, que deve melhorar uma das principais deficiências do time, a consistência defensiva, mais a adição do Dunn, que pode ter sido uma steal na quinta escolha, essa deve ser a temporada da virada de jogo por lá. Tá na hora do “time do futuro” virar o “time do presente” e começar a buscar a classificação pros playoffs.
    Ainda estão longe de ser uma potência no “Oeste Selvagem”, mas uma campanha consistente deve ajudar a buscar bons FA’s nas próximas off seasons e elevar o patamar do time.
    Seja como for, é um dos times que vai ser mais legal de acompanhar.

  • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

    Towns será um dos melhores pivôs da história.

  • Paulo OKC

    Depois do Thunder vai ser o time que eu mais vou ver os jogos nessa temporada.

    • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

      idem,eles lembram mt o Thunder de 2010-11-12

  • Rafael Victor

    Time do futuro, mas esse futuro tem que começar já!

    • BetoMavs

      Verdade, tem que brigar no mínimo para ter uma campanha positiva com mais vitórias do que derrotas.

  • Pedro Ferreira

    Towns pode ser uma coisa assustadora no futuro tipo 25 pontos e 15 rebotes de média

    • Felipe Monteiro

      Towns ou Davis???

      Sou mais o Monocelha!!! Embora com as restrições de constantes lesões, acho o teto do Monocelha mais alto

  • Diego J

    Não dá para negar… Que vai ser um do times mais legai de se olhar na temporada.

  • Gustavo

    Essa dupla Wiggins e Towns tem potencial pra fazer historia na NBA.

  • Daniel Azevedo

    Já vimos que talento não vai faltar, Wiggins, Towns, Lavine, Dunn.
    Mas era evidente a falta de comando e deficiência defensiva do time, problema resolvido. Com a chegada de Thibodeau acredito que Wolves finalmente alance os playoffs, mas por enquanto vai ser isso. Ainda acho que falta um cara com mais experiência, principalmente na armação. Rubio não me convence, espero que Dunn se adapte o mais depressa possível e a franquia consiga uma boa troca pelo espanhol, de preferência na posição três.

  • Matheus Pitarello

    Esse time vai dar trabalho, acho que da ate pra sonhar com uma vaga…

  • Minha aposta pessoal para fazer o ataque do Wolves deslanchar em 2016/2017 é Nemanja Bjelica, a versatilidade e a durabilidade dele vai ser importante essa temporada porque ele é o único com as caracteristicas de stretch four.

    Um time com recursos defensivos e que se reforçou apenas pro setor na agência de 2016 é de se esperar finalmente um padrão de jogo. Porque a transição do Saunders foi bem feita na seleção dos talentos, dentro da quadra o Minnesota foi um aglomerado nos últimos dois anos.

    Tom Thibodeau e Scott Layden continuam em período de avaliação pra mim (até 2018/2019) na parte administrativa. Os reforços foram numa escala aceitável (Cole Aldrich e Brandon Rush são incógnitas ainda) e são as próximas agências — 2017 e 2018 que ditam o sucesso do trabalho deles (como eles vão gerenciar a grana e o elenco!!!). Eu levo muito em consideração os aspectos administrativos, o resultado de quadra é um reflexo da gestão do capital ($$$).

  • Daniel Serafim

    O Twolves ainda pode utilizar a cláusula de anistia no Pekovic?

  • Thiago Pinto

    Eu tentaria o CP3. Rubio + Muhammad + Pick pelo CP3. Vira time de Offs ja nessa temporada, ganha o melhor armador da liga (minha opinião) e um líder pra ensinar aos jovens. Além de dar ao CP3 a chance de ser campeão (minha opinião, de novo) sem “panela”.

    • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

      CP3 em ultimo ano de contrato…Talvez nem precise de trade,só esperar a FA.Se bem que acho que se ele sair,será pra um contender direto.Deve ta doido pra ser campeão.

      • Vitor

        CP3 vai pro knickao da massa, trazer nosso titulo kkk

      • Thiago Pinto

        Sim sim, pensei na trade pq seria um ano a mais com ele. Acho que se ele chega esse ano, com a evolução esperada do KAT, Wiggins e LaVine, ano que vem ja é contender. Duvido que ele renove com o Clippers, então não deve ser complicado fazer eles aceitarem uma troca mais ou menos.

    • Vitor

      nao vale a pena conseguir ele via trade, vai q ele sai no final do contrato, melhor esperar a FA e ai sim tenta-lo

    • Gustavo

      Vai lá, tenta convencer o Doc trocar seu FP por esse pacote de jujubas aí, fera.

      • Thiago Pinto

        O FP dele vai sair sem nenhuma contrapartida no final da temporada, fera.

        • Gustavo

          E só por isso eles vão aceitar esse belo pacote de nada aí? Melhor usar o cara na campanha e tentar renovar no final do ano. Até porque, se quiserem mesmo trocar o CP3, tenho certeza que aparecerão propostas bem melhores.

    • Tim “Legend” Duncan

      Comédia essa troca aí mano!
      Acho q os Clippers não aceitariam nem se dessem o Towns, dependem muito do CP3.

      • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

        Acho que não aceitariam pq ja tem um pivô lá,que não é do nível do Towns,mas é pivô. E nem o Wolves faria uma burrice dessas.Towns deveria ser um jogador inegociável,pela idade que ele tem e pelo potencial que ja demonstrou ter,eu não o trocaria por nenhum jogador da liga,literalmente nenhum.

        • Tim “Legend” Duncan

          Falei na zuera mano, é mais do q óbvio q os Twolves não dariam o Towns.

      • Thiago Pinto

        CP3 quer um titulo, não vai renovar. Melhor trocar logo…

    • Danilo

      Ta louco kkkkk, por mais q seja o ultimo ano de contrato do CP3 é muito pouco, talvez Dunn+Lavine+pick até vai mas ai o Wolves teria q arrumar uma troca pelo Rubio pra conseguir um SG oq não iria ser facil ja q o Rubio é um armador bem comum e sem arremesso.

    • DNT

      Tá louco kkkkkkkkkkk

  • O melhor dos times do futuro nesse presente.

    • João Paulo Mota

      Tomara que não se converta em mais uma “geração belga”.

  • Dirk

    Provável quinteto titular:
    PG – Rubio (Dunn pode ocupar a vaga com o decorrer da temporada)
    SG – LaVine
    SF – Wiggins
    PF – Towns
    C – Dieng
    Por mais que o Rubio tenha o velho problema nos arremessos, é um bom defensor, na medida do possível, e um bom passador, não vai precisar pontuar tanto enquanto os 3 garotos estiverem on-fire. Acredito que o Dunn pode pegar a vaga com o decorrer da temporada por ser um prospecto já bem completo pro nível de exigências da NBA.
    Com o Towns e o Wiggins elevando ainda mais suas médias, os Twolves podem sim sonhar com os playoffs, apesar do enorme nível de dificuldade da conferência oeste.
    Towns me impressionou demais pela versatilidade, mas tomara q ele evolua e q não tenha gastado parte do seu repertório na primeira temporada, vide Blake Griffin q fez em sua primeira temporada uma média assustadora de 22 PPG e 12 RPG, médias maiores q a do Towns, foi algo realmente absurdo, não q o Griffin tenha decepcionado, mas as médias dele se mantiveram praticamente, não houve evolução, tomara q o Towns possa evoluir ainda mais.

    • Luiz

      Na verdade as medias dele sao iguais. Towns jogou 31 minutos por jogo,enquanto Griffin na sua temporada de rookie teve 38MPG . As médias do Towns por 36 minutos são 21 pts e 12 rebotes.

      • Junior

        essa comparação nao é valida, voce jogar 38mpg é MUITO MAIS CANSATIVO que jogar 31, só ele jogando 38 para voce comparar..

  • Killer Crossover

    A peça mais importante nesse time não é nem o elenco em si, mas sim bom ambiente (e a união que aparentam ter) que lá demonstra ser. É bem claro que Wiggins, LaVine, Towns (e espero que o Dunn também) se dão muito bem, não parece ter ego (porque são jovens, mas não vejo isso mudando com o tempo) e isso pra um time jovem vai ser essencial pra quando subirem o patamar do time na liga e estiverem brigando por algo “real” (leia-se finais de conferência e NBA).

  • Vítor Hugo ⚡️

    Sou muito fã do Wiggins cara!! Wolves será meu ‘segundo time’ essa temporada…
    Agora com a chegada do TT, a defesa que era um problema com o tempo tem tudo pra ser um dos pontos fortes. Creio que a classificação para os Offs finalmente deve vir!!

    https://youtu.be/6BFP5F-54Cw

  • Doug

    Bem, esse time tem se tornado o queridinho da NBA, seja p neófito ou não…possui muito talento e muita já se espera p está temporada…KAT é um puro talento, Wiggins um scorer nato e LaVine um combo excelente, fora os outros…

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados