logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 16 set 2016 às 10:59
Revisão da Temporada – New Orleans Pelicans

Trabalho do técnico Alvin Gentry foi prejudicado por mais uma temporada repleta de lesões em New Orleans

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gabriel Farias

New Orleans Pelicans (30-52)

Temporada regular: 12º lugar da conferência Oeste
Playoffs:
 não se classificou
MVP da campanha: Anthony Davis (24.3 pontos, 10.3 rebotes, dois tocos e 49% de aproveitamento nos arremessos de quadra)

Pontos positivos

– Apesar de utilizar 21 jogadores diferentes durante a temporada 2015-16, o New Orleans Pelicans teve o 13º melhor ataque da liga com 102.7 pontos por partida. A marca pode não parecer muito, mas é uma demonstração das intenções do técnico Alvin Gentry, que colocou seus comandados entre os dez melhores ataques da NBA em cinco das 11 outras temporadas em que foi técnico principal.

– Achar bons valores por uma preço significativamente baixo é a parte boa de rodar 21 jogadores diferentes durante uma temporada. Os armadores Toney Douglas e Tim Frazier, e os alas James Ennis e Dante Cunningham fizeram bom proveito das chances recebidas durante a temporada. Após o All-Star Game, todos tiveram média de pelo menos nove pontos por partida, e foram os principais responsáveis pelas cinco vitórias do Pelicans depois da contusão de Davis.

– A temporada Jrue Holiday passou despercebida aos olhos de muitos, mas o armador de 26 anos merece um espaço especial. Mesmo com restrição de minutos no início da campanha e um precoce final de temporada na 74ª partida da temporada, Holiday atuou em 65 jogos da equipe, sua melhor marca desde que chegou ao Pelicans. Holiday registrou 16.8 pontos por jogo, ficando atrás apenas da temporada que foi ao Jogo das Estrelas pelo Philadelphia 76ers. Além disso, o armador atacou bastante o aro adversário, algo jamais visto em New Orleans por conta de sua condição física.

Pontos negativos

– Lesões, lesões e mais lesões. Quando que a revisão da temporada do New Orleans Pelicans não começará com esse fator sendo decisivo na vida da franquia? Na temporada 2014-15, a equipe conseguiu a façanha de chegar aos playoffs utilizando os mesmos 21 jogadores desta campanha, porém, o raio não chegou nem perto de cair pela segunda vez no mesmo lugar. O quinteto mais utilizado por Gentry durante as partidas – Tyreke Evans, Eric Gordon, Alonzo Gee, Anthony Davis e Omer Asik – permaneceu 131 dos 3.956 minutos totais da equipe na temporada em quadra.

– Falando em quinteto, chegamos a maior marca do Pelicans na temporada. A equipe utilizou 42 quintetos iniciais durante a campanha 2015-16, de longe, o recorde da temporada. Philadelphia 76ers (36) e Sacramento Kings (33) foram as duas franquias mais próximas da marca. O Memphis Grizzlies, recordista na história da NBA com 28 atletas utilizados durante a temporada, usou “apenas” quintetos titulares.

– Se o ataque conseguiu passar um pouco das intenções ofensivas de Gentry quando tiver um elenco saudável, a defesa entregou exatamente o histórico do técnico. Quinta pior marca da NBA com 106.5 pontos sofridos por jogo, o Pelicans foi o sétimo trabalho consecutivo de Gentry como técnico principal onde seu time termina entre as dez defesas mais vazadas da NBA.

– Infelizmente, a temporada do Pelicans também foi marcada pela morte do ala Bryce Dejean-Jones, de apenas 23 anos. O novato ganhou espaço com as lesões e registrou médias de 5.6 pontos, 3.4 rebotes, uma assistência e 40% de aproveitamento nos arremessos de quadra em 14 jogos.

Análise

Após a surpreendente classificação para a pós-temporada 2014-15 e uma eliminação previsível para o Golden State Warriors, o New Orleans Pelicans resolveu demitir o técnico Monty Williams. Alvin Gentry foi contratado e chegou afirmando que o ala-pivô Anthony Davis era utilizado de formas erradas pelo antigo comandante. A cada entrevista coletiva, Gentry vendia mais e mais do sonho de uma temporada vencedora. Nada disso aconteceu. Seu trabalho foi prejudicado, mas tem que ser criticado.

Além de manter Alonzo Gee, Luke Babbitt, Alexis Ajinça, Omer Asik e Dante Cunningham, a grande contratação de Gentry na offseason foi o veterano Kendrick Perkins, que serviria como tutor para Davis. Graças aos problemas físicos já na pré-temporada, Gentry foi obrigado a inserir o pivô de 31 anos com titular nas três primeiras partidas. O início de 11 derrotas em 12 jogos já mostrava o que seria a campanha do Pelicans. No período do Jogo das Estrelas, já era claro que a equipe ganharia mais se alcançasse uma boa colocação para a loteria do draft 2016.

Os 21 jogadores e os 42 quintetos iniciais utilizados pelo treinador dificultam a análise, mas é possível destrinchar se a principal intenção de Gentry foi alcançada. Anthony Davis disputou o menor número de jogos em sua carreira (61), porém, registrou a segunda melhor média em pontos (24.3) e a melhor marca em rebotes nos quatro anos de Pelicans, com 10.3 por partida. Assim como prometido pelo técnico, Davis aumentou seu alcance de arremesso. Foram 108 tentativas para três pontos e 32% de aproveitamento. Os tiros de longa distância prejudicaram aproveitamento geral do jogador, que caiu de 53% para 49%. Até aqui, tudo bem.

Anthony_Davis.0

Analisando as opções ofensivas de Davis mostradas na tabela acima, é fácil identificar que o ala-pivô foi muito utilizado por Williams em situações de corta-luz, cortes individuais e contra-ataques. Além de ser mais utilizado nessas áreas, Davis também era extremamente eficiente, diferentemente das situações de costas para a cesta. Apesar de ter focado na melhora de seu arremesso, Davis foi colocado em muitas situações de post, onde ainda não é superior que a maioria dos defensores da posição.

Futuro

O New Orleans Pelicans garantiu a presença de Anthony Davis na franquia até a temporada 2020-21, então, está na hora de construir ao redor da estrela.  Mesmo com a contratação do ala-pivô Terrence Jones, Omer Asik e Alexis Ajinça devem permanecer como principais companheiros de Davis no garrafão.

As grandes mudanças aconteceram nas alas. O gerente-geral Dell Demps deixou o ala-armador Eric Gordon ir para o Houston Rockets, recrutando Buddy Hield (22) para o seu lugar. Escolhido como melhor jogador da NCCA na última temporada, Hield chega ao Pelicans como especialista em arremessos de média e longa distância. Acostumado a um grande volume de tentativas por jogo, Hield registrou 19 arremessos, nove de longa distância, por jogo na Liga de Verão de Las Vegas, com aproveitamento de 32% no geral e apenas 22% para três pontos.

Apesar dos 22 anos e a carreira completa no basquete universitário, Hield é um novato, e estará suscetível a dificuldades e períodos abaixo do esperado. Prevendo tais problemas, o Pelicans também garantiu as contratações de E’Twaun Moore, Langston Galloway, Solomon Hill e Lance Stephenson na agência livre.

Holiday e Evans continuarão como titulares, mas o extenso histórico de lesões em ambos os atletas justifica a presença de mais 11 jogadores de perímetro no início dos trabalhos.

Em 2014-15, Anthony Davis provou que pode carregar a franquia de New Orleans aos playoffs e, se tiver ajuda dos companheiros, não precisará se desdobrar para alcançar o feito. Ainda assim, a questão das lesões será o principal fator entre uma campanha vitoriosa e mais uma loteria de draft.

  • Juka

    Como diz o Colega Lucas…
    – É muuuuuuuito sofrimento!! rs

  • Tim “Legend” Duncan

    Aí o Davis vai, se cansa dos role players e dos repetitivos fracassos, vai sentir q JAMAIS venceria um título da NBA e q sua carreira será prejudicada em relação à isso, então ele decide por ir para um time mais competitivo, só q aí seu antigo time pra convencê-lo a permanecer, chamam o Oladipo achando q “agora vai”, então o Davis vai embora e será considerado um traidor na temporada seguinte….
    Tive essa previsão do futuro…
    Não pera……

    • Paulo OKC

      Tem gente que não sabe fazer comparações

    • Danilo

      Se o Davis tiver um Westbrook como companheiro após liderar uma série por 3 a 1 e tomar uma virada ridicula com ele pipocando muito, e após essa série ele decide ir pro time q o derrotou muito por culpa dele mesmo e esse time é o recordista de vitórias em temporada regular, ai sim o Davis sera um traidor, carça cagada, bundão, covarde etc… Abraço.

      • Galvão 🔥 #305

        Culpa dele mesmo você tá de sacanagem.

        Se você pegar os dados dos 3 últimos jogos dá série contra o GSW, você vai ver que Westbrook foi mais prejudicial para equipe que Durant. Pegando o Plus/Minus Durant jogou 136 minutos nos jogos 5, 6 e 7 e teve o +/- de – 14 e Westbrook jogou 130 minutos e teve o +/- de -34 além da chuva de TO no final do jogo 6. Sei que Durant foi bundão, mas colocar a culpa da eliminação nele é sacanagem.

        • Danilo

          Cara é só você ler, falei q foi muito por culpa dele mesmo e não q foi só culpa dele, e claro, West errou mais pq ele não se esconde mesmo, pergunte a qualquer torcedor do Thunder no jogo 6 e 7 se o KD não se escondeu, no jogo 7 se eu não me engano ele arremessou só 17 bolas, porra mano, o cara se escondeu mesmo e ponto final, não foi só culpa dele mas foi muito por culpa dele.

    • Arthur B.

      Sem comentários pra tamanha bobagem… Uma das comparações mais esdruxulas que eu vi nos últimos tempos …

    • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

      Anthony Davis:
      .4 anos de Pelicans
      .grau de competitividade do seu time durante esses anos (1-10):3-4
      .identificação com a torcida:ainda em construção

      Kevin Durant:
      .9 anos de Thunder
      .4 vezes cestinha da temporada atuando pelo Thunder
      .01 MVPs atuando pelo Thunder
      .status:um dos maiores idolos da historia da franquia
      .grau de competitividade da franquia durante esses anos:8-9
      .4 finais de Conferência nas últimas 6 temporadas
      .1 final de NBA

      Mandou mal na comparação mano.

    • Rafael Victor

      HAHAHAAHAHA!

    • MarceloBulls

      Realmente, Davis já teve companheiros como Ibaka, Harden e Westbrook…

    • Victor Chittolina

      Acho descabida a comparação como um todo, mas tem uma coisa que eu concordo: o OKC não fez grandes movimentações pra manter o Durant. O que aconteceu ali foi que draftaram bem demais, mas não houveram off seasons muito empolgantes pros torcedores. Aliás, pelo contrário. Se desfizeram de um TOP 10 (ou será 5), Harden, quase de graça.
      No mais, o OKC era um time que brigava todo ano pelo título, sempre chegava aos playoffs, fez uma final da NBA. Ao contrário do Pelicans, que a simples ausência do Monocelha já faz do time um “tanker” automaticamente.

    • DamonHeat

      comparar a situação do davis com durant é piada né.
      no máximo da para comparar o davis com lebron. esse sim sofreu anos com times horríveis no cavs

      Time mais competitivo que o OKC?
      Durant chegou na final de conferencia umas 3 ou 4 vezes, 1 vez na final da nba.
      e ao seu lado tinha um jogador que é top 5 nba. time tinha tudo para ser campeão
      OKC só não foi campeão, porque o durant não é lider o suficiente para isso.

    • Tim “Legend” Duncan

      HAHAHAHAHAHAHAHAHA….
      Calma rapeize, era só brincadeira…
      Vocês estão com muito ódio no coração…
      Paz, amor e basquete…

    • Dirk

      E A TORCIDA DO OKC VAI À LOUCUUUUUURAAAAAA COM O COMENTÁRIO!!!
      KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK…

    • Claudio R.

      kkkkkkkkkkkkkkkk

  • Victor Chittolina

    É tipo o Messi jogando no XV de Piracicaba. Ele vai continuar jogando pra caralho, mas o time não tem como chegar longe.
    Resultado: no final do contrato, é tchau e bença.

  • Galvão 🔥 #305

    É um time que não consegue atrair bons jogadores. A cidade de New Orleans é absolutamente incrível, então a cidade não é um empecilho para os atletas. A diretoria do Pelicans pode mudar o logo para o que for que represente a cidade, mudar nome, mudar quadra que sem uma postura séria não vai adiantar nada. Eu não culpo Alvin Gentry pelo fracasso nessa temporada, era a temporada de estréia dele e pegou um time que vive com lesões de longo prazo e não conseguiu colocar o time titular saudável em quadra, pode chamar o Coach K que ele não dá jeito.

    Porém, acho que a diretoria tem que fazer trocas buscando jogadores de “high level” para mostrar que eles querem vencer, que eles são sérios. Ir atrás dos FA de peso, não de Alonso Gee, Perkins (Deus do Basquete perdoe-me), Moore, Hill e Galloway’s da vida. Isso é palhaçada com a torcida! Anthony Davis jogando machucado com uma lesão no ombro a 3 anos e não podia sair para se recuperar por que o time desandava. Tá na hora de uma mudança de filosofia em NO, pq do jeito que está o futuro não será muito melhor.

  • Marcelo Desoxi

    As lesões arrebentam com NO.
    Acompanho apenas NFL e NBA, e nesses a cidade não vai ter grandes resultados.
    Brees jájá vai se aposentar , e só sobrará o Davis pra New Orleans.

  • BetoMavs

    Vai ser mais um ano difícil para o AD, a principal contratação dos Pelicanos foi o Stephenson, Tyreke machucado e o Holiday afastado por causa do problema com a mulher dele, vão desfalcar o time no inicio da temporada.

  • JR

    DeMarcus Cousins é você??

  • Claudio R.

    Anthony Davis é sensacional, um grande jogador msm, e tem muito ainda pra acrescentar em seu jogo, tal qual o low post, mid range e chutes de 3, e com o aumento de experiencia tende a ficar melhor na defesa e no QI. Só eu achei que o Pelicans devia ter tentado o Dwight Howard?… seria um baite frontcourt, não? Howard e Davis…. imaginem Evans – Lance – Gordon – Davis – Howard…. seria top… mas……

  • Killer Crossover

    Resumindo a temporada.

    Davis saudável: Vai ser aquela batida na trave, vão nadar, nadar, nadar e morrer na praia (se SE conseguirem se classificar pros playoffs nessa “incerteza” do Oeste, sabemos que a 1º rodada é quase um limite).

    Davis perde alguns jogos por alguma lesão (longe de mim querer que aconteça, só um exemplo): Ai vão só ter que esperar pelo draft e com a sorte do Pelicans é capaz de “não tancarem” ou de ficar em último e não ter uma boa pick.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados