logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 16 set 2016 às 13:18
“Teremos protestos na NBA também”, garante Oladipo

Para ala-armador, atletas seguirão quarterback Colin Kaepernick em manifestações de cunho político-sociais

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Freitas

Os protestos de Colin Kaepernick, do San Francisco 49ers da NFL, ganharam projeção nacional após o quarterback decidir não se levantar durante a execução do hino dos Estados Unidos. Kaepernick foi muito criticado por grupos políticos e também, por policiais. No entanto, ganhou aliados em todo o país e agora vai seguir também pela NBA. Ao menos, é o que garante Victor Oladipo, ala-armador do Oklahoma City Thunder.

“Não tenha a menor dúvida. Eu realmente acredito que [os protestos] vão acontecer”, disse Oladipo. “Porque no final do dia é um esporte e as pessoas vão olhar para alguns caras na NBA e ver se eles vão fazer o mesmo. No fim do dia você só consegue controlar o que consegue controlar, então sua opinião é sua opinião, essa é a beleza dos Estados Unidos, então você faz seja lá o que você sente ser melhor para ajudar algo em que você acredita”.

Kaepernick foi seguido por diversos atletas na NFL, que se manifestam das mais diversas maneiras, como o punho cerrado para o alto ou até mesmo quando ficam de joelhos.

“Para algumas pessoas que conversei sobre o assunto, eu disse a mesma coisa, que as crenças das pessoas são crenças pessoais, então você só consegue controlar o que você consegue controlar e muitas coisas que você consegue controlar é você mesmo”, afirmou. “Seja lá o que a pessoa acredita, ela acredita ao máximo. Mas eu acho que definitivamente, vamos ver alguns jogadores na NBA fazendo a mesma coisa”.

Kaepernick passou a adotar a medida ainda na pré-temporada do futebol americano para evidenciar a opressão sofrida por negros nos Estados Unidos. Então, ele começou a ser seguido por outros atletas de outros times na primeira semana. Não houve qualquer tipo de punição, entretanto.

Em 1996, o então armador Mahmoud Abdul-Rauf foi suspenso por não ficar de pé durante a execução do hino nacional por conta de sua religião, o islamismo. Na época, a NBA puniu o ex-atleta em uma partida.

  • Paulo OKC

    Pra quem não viu a Espn anunciou que vai passar os 5 jogos do Natal.

  • Michel Moral

    Americano leva muito a sério essa questão do patriotismo. É bem provável que se ocorresse em outros países, atitudes como essa seriam bem menos relevantes.

    Justa a manifestação dos atletas. Não acho nem um pouco desrespeitoso.

    Essa coisa de “magoar” a sua pátria é algo muito besta. O que vale é o que se sente. Nesse caso, a manifestação é digna e sua causa é muito maior do que uma música representativa.

    Aliás, o hino é tocado por uma regra/norma, ou seja, nenhum atleta ou mesmo o público pediram para que haja essa formalidade. Tudo bem ter a regra, mas exigir de todos o mesmo comportamento é escroto.

    Pátria tá virando religião e quem segue aquele preceito tenta impor isso aos demais. Os civis têm um “contrato” com o Estado e têm suas responsabilidades. Blz. Tá ótimo. Pedir para amar, respeitar e agir de determinada forma é violar o direito e a liberdade do indivíduo.

    Protestem à vontade. A causa é de vcs e, se entenderem legítima, ninguém tem nada a ver com isso. Ainda mais quando feita de forma serena e sem violência.

    • DNT

      Esse tipo de protesto é inteligente justamente por os americanos amarem a pátria de uma forma muito grande, assim é uma forma dos cara atingirem todo mundo.

      • Michel Moral

        Exato!

        Mais ainda que os caras devem fazê-lo.

        Uma coisa é o cara pisar ou queimar a bandeira dos EUA. Protestar por ficar sentado ou com o braço estendido não tem nada de desrespeitoso.

    • Juan Gabriel

      Perfeito, Michel!

  • Sid Payne- Dança muito

    ”No fim do dia você só consegue controlar o que consegue controlar”

    Dipo,Ola 2016

  • Matheus Pitarello

    “No fim do dia você só consegue controlar o que consegue controlar, então sua opinião é sua opinião” – Victor Olamarx

  • Rafael Victor

    Ah, como seria bom ver atletas brasileiros tendo um mínimo de consciência política por aqui, como seria bom que eles se posicionassem e se manifestassem sem medo, em vez de serem amebas e robôs programados pra bater continência!

    • Matheus Pitarello

      Concordo com vc

    • BetoMavs

      Isso também é reflexo da educação no país, nossos atletas aqui… principalmente do futebol, mal conseguem interpretar e responder uma simples pergunta, quanto mais defender seus posicionamentos políticos.

      • Rafael Victor

        Pode crer! Há muita diferença entre atletas que saem de universidades (embora muitos não aproveitem sua passagem por lá, além das praticas esportivas) e atletas que mal terminam o segundo grau!

    • Se procurar existem muitos jogadores com esse pensamento racional e que fazem a crítica sobre o sistema (no caso o futebol). A questão no Brasil é o excessivo posicionamento da mídia junto com o espaço que ela cede e a superestrutura do qual foi implantada a grande maioria das nossas confederações.

      É um sistema complexo voltado para gerar lucro em torno de si mesmo, não para buscar um trabalho de base, transparência administrativa e nivelamento técnico entre os filiados. Então quanto mais gente alienada ou passiva na base do sistema (técnicos, dirigentes, jogadores e etc) lidando com a estrutura vamos continuar com essa impressão de não consciência, não há crítica e não há debate.

      Acredito que nos Estados Unidos existe o debate pela questão moral e histórica, mas a intolerância aos grupos minoritários (asiáticos, latinos e africanos) é de um aprofundamento politico-social do governo e as grandes Associations cumpre seu papel de espaço na mídia ”até a página dois”.

      • Rafael Victor

        No futebol, as únicas manifestações (pessoais e coletivas) que vejo
        são religiosas, que ocorrem na maioria das vezes da pior forma ou por
        jogadores que não agem de acordo com o que propagam (Ex: Neymar 100%
        Jesus)!

        Nos demais esportes, teve a Joana Maranhão que se
        manifestou antes dos jogos Pan-Americanos em 2015 e depois acabou sendo
        vitima de preconceitos pelos boçais de direita (é só ver o que
        aconteceu durante os Jogos Olímpicos esse ano, como ela foi atacada,
        ofendida e ameaçada pelas suas posições políticas)! E até mesmo os
        atletas usados pelo militares quando perguntados sobre a merda da
        continência e suas posições políticas (pergunta feita pelo momento que
        vive o país e tal) eram sempre evasivos!

        Então, o que vejo nos
        atletas, individualmente, é medo, porque é mais fácil dá uma de
        joão-sem-braço do que opinar, manifestar e se comprometer sobre/com
        questões relevantes pro país que transcendam o esporte, aí nessas horas
        só cresce minha admiração pelo Sócrates!

        • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

          Pera aí mano.A gnt precisa escolher as palavras certas. Nenhum atleta foi usado por ninguém.Os atletas se tornaram militares por meio de um programa do gorverno,iniciado no governo ainda do PT em parceria com as Forças Armadas em que, voluntariamente e remuneradamente,eles incorporaram ao quadro de atletas das forças.Os atletas pertencem as mais variadas ideologias.
          Existem diversas formas de se manifestar,eles podiam utilizar a não-prestação de continência como forma de protesto ou não e julgaram não ser a forma que queriam protestar.E é importante dizer que no momento eles não eram obrigados a prestar.
          Quanto a Joana,realmente foi ridiculo todo tipo de ofensa que ela recebeu,mas sinceramente,ela foi inconveniente ao dizer que não iria representar pessoas que tinham opinião diferente da dela.Se ela,que diz que lutar por liberdade de expressão me vem com um discurso desses,pra mim ela está fazendo todo o contrário do que ela diz lutar.Não apoio as ridicularidades que fizeram a ela,mas também não somo voz a ela.

          • Rafael Victor

            Esse PROGRAMA PICARETA de “apoio aos atletas de alto rendimento” do
            exército surgiu em 2011, pro militares brasileiros não passarem vergonha
            nos jogo militares sediado no Brasil naquele ano (algo bem parecido com
            alguns países que naturalizam atletas que nem sequer pisaram nesse
            países), a diferença é que nesse PROGRAMA PICARETA dos militares
            brasileiros criaram uma espécie de estagio de 45 dias pra justificar a
            entrada dos atletas, a patente e os “beneficios” cedidos aos atletas
            brasileiros USADOS nessa FALCATRUA, sendo que a imensa maioria dos
            atletas depois desse período de 45 dias passam longe de qualquer
            atividade no quartel (lógico, tem algumas exceções como a Yane e o Wu,
            que usam a estrutura pros seus treinamentos), embora participem de alguns eventos em que trajam uniformes militares, pra fazer aquele agá e enganar trouxas que acreditam nessa merda!

            Por isso, vejo que
            os atletas são USADOS por esse programa, que em muito pouco os ajuda no
            desempenho que tem nas competições, apesar do militares colherem louros
            e se vangloriarem por isso! Puro marketing e propaganda das força armadas!

          • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

            Eles são usados ou eles usam?Seria o último,não? Se em pouco os ajudam, por que ali estão? Não poderiam estar em lugar melhor?
            Recrutar atletas para as forças armadas é uma prática antiga no mundo inteiro e realmente você tem razão quando diz que faz parte de um marketing,é uma forma da FFAA aumentar o prestígio e tentar atrair um contingente maior,que por sinal é bem baixo no país,considerando o tamanho o território.Mas eu não entendo o porquê de vc classificar isso como algo picareta.Há algo ilícito ou desonesto em relação a isso?
            Sobre entrar e estar longe das atividades militares,isso faz parte da proposta na qual foram feita a eles.Isso se extende a outras funções de militares,como o Corpo Medico,por exemplo,que ficam fora de boa parte das atividades.
            Seu comentário me pareceu um pouco movido a raiva das forças armadas,e talvez você tenha ate motivos,mas eu já estive lá dentro e tive algumas palestras sobre o programa olímpico daa FFAA e te garanto que tem mtos projetos bons..

            tamo junto

          • luiz

            Cara, sobre isso das forças armadas, eu vejo como um problema um pouco mais complexo….

            Vamos ser realistas: atleta aqui é tratado como um nada, só lembram deles nas olimpíadas e pra tirar foto com os heróis q conseguem uma medalha.

            Isso foi fato(de recrutar para os jogos militares), porém isso dá sustento a eles, q bem ou mal, conseguem ter como dedicar-se ao esporte.

            O país trata esporte como lixo (vide a reforma do ensino médio do novo governo q extirpou a Ed física do ensino médio), então atletas de esportes olímpicos estão sempre à margem da sociedade.

            Virar militar acabou sendo a única alternativa para o atleta q conseguiu algum destaque.

            O q acho? Péssimo, pq mostra o estado lamentável q estão nossos esportes olímpicos(e ainda batem palma para o bandido do Nuzman), mas infelizmente tenho de reconhecer q é bom para os atletas, q conseguem algum sustento.

            Vale é cobrar, criticar governo, COB, pelo tratamento absurdo dado aos esportes hj em dia(sem previsão nenhuma de melhora)

        • Quando usei o nosso exemplo local com o futebol estava pensando no movimento ‘Bom Senso FC’ que foi muito marcante em termos de representação de classe e demonstração de consciência política dos fatos pelos atletas e ex-atletas aí entra a minha crítica sobre a mídia, que cerceou o debate que era ao meu ver a proposta principal do movimento. Vamos pensar num calendário adequado, vamos rever o papel dos estaduais dentro da temporada brasileira e a valorização ($$$) igualitária dos clubes.

          A CBF fechou as portas e provida de muito dinheiro, poder de manobra sobre os bastidores do futebol e da política (BANCADA DA BOLA) enfraqueceu o movimento Bom Senso FC e o extinguiu devido a fragmentação. A criação da ‘Primeira Liga’ pelos dirigentes foi nada, perto desse ato, já que os filiados são coniventes devido a ”mesada” que a CBF paga para cada confederação. Tanto que vários clubes nem embarcaram nessa ideia já que “cada um defende um seu no país”.

          Trazendo para realidade americana, a gente tem a associação de atletas e ex-atletas das quatro grandes ligas: NBPA, MLBPA, NFLPA e NHLPA. Que bate de frente com a suas respectivas organizações NBA, MLB, NFL e NHL, onde eles possuem espaço na mídia porque a base do sistema (técnicos, dirigentes, jogadores e etc) tem conhecimento sobre seu protagonismo e o reconhece, emponderamento político, não deixam se fragmentar e fazem bom uso do artifício da greve. A NBA (caso mais próximo da minha realidade) tem essa caracteristica de abertura democrática na política, mas na prática ela cobra muito forte um modelo de conduta pelos atletas e isso passa batido no inconsciente e algumas vezes até visto pejorativamente.

          *Um caso típico: Se aqui no nosso país, a gente (enquanto agremiações, dirigências e associados) lutasse de verdade por isenção na arbitragem — Só pra ficar no corriqueiro. Já teriam sido interrompidos vários campeonatos nacionais, mas preferimos a retórica que ”a banca paga e recebe” e assim a vida segue onde a reclamação fica só na frente do microfone na outra semana ninguém lembra.

          https://www.youtube.com/watch?v=EeMKb6yWMR4

      • luiz

        O futebol(pra ficar no futebol), é o melhor reflexo da nossa sociedade, já q as próprias discussões e avaliações políticas, posicionamentos, etc são manipulados pela grande mídia, q usa essa grande maioria como massa de manobra(e q aplaude uma reforma q tira matérias q geram consciência e questionamento do ensino médio, como sociologia e filosofia).

        Só ver o nível de instrução dos jogadores e de onde a grande maioria é oriunda.

        Nessa, vale comparar o engajamento uruguaio, q tem uma política voltada justamente a q, acima de atletas, também se formem cidadãos. É bem interessante e com um pouco de boa vontade, cairia mto bem aqui.

        Problema é: não interessa pra ninguém gente questionadora

  • Galvão 🔥 #305

    Protesto sou eu que vou fazer a temporada toda por causa desse homem!

    https://twitter.com/michaelryanruiz/status/776837956350910465

    • Danilo Veroneze #GreenRunsDeep

      hahhahah , imagino como vcs devem estar galvao eu nunca em meus sonhos imaginei o wade jogando em outra franquia sempre vi ele como o kobe , vc acha q o bosh vai assumir o papel de lider q era do d wade ?

      • Galvão 🔥 #305

        Se o Bosh voltar a jogar, eu sinceramente acredito que sim. Ele era o líder do Raptors e fazia essa função muito bem. Mas ele tá meio low profile ultimamente, então realmente temos que esperar pra ver.

        E acho que nunca um torcida do Heat poderia imaginar que Wade não jogaria a vida toda pela franquia. A história de sucesso da marca Miami Heat vai muito de encontro ao nome de Wade.

        • Alefe Miranda

          Wade pode até fazer boas participações pelo Bulls, mas será como Rondo e Celtics; se desligaram, acabou o brilho. Rondo em sua última temporada atuou muito bem pelo Kings, teve vários flashes do jogador que era, só que MUITA coisa mudou, seu estilo e características agressivas parecem ter se desfigurado, se tornou um vagabundo defensivamente, e já com passagem por dois times – prestes a iniciar as atividades em quadra para o terceiro – se vê um outro jogador, bem diferente do ÍCONE que outrora foi em Boston. Em minha mente, Wade será da mesma maneira, não deixará de atuar bem, obviamente que seu auge já passou, não estou aspirando acreditar que ele possivelmente poderia render mais do que no seu passado glorioso, o que desejo frisar é que nunca voltará a ser nem ao menos próximo do antigo Wade. Este tipo de desconexão, entre franquia e ídolo, só ofusca por algum tempo momentos históricos que marcaram a vida de muitos torcedores, hoje pouquíssimos jogadores são fieis a camisa e aguentam o jugo até o fim. Saudemos ao grande Dirk, pela longevidade de seu belo jogo e sua fidelidade para com Mavs.

  • Marcelo Desoxi

    Protestos de conscientização, esquece.

  • Uncle Drew

    Eu espero ainda mais ousadia dos jogadores da NBA em relação a isso. É só ver como Melo, LeBron, Wade e etc. são engajados em assuntos sociais polêmicos. Na NFL isso é muito mais fechado, precisou o Colin Kaepernick chamar a responsabilidade para outros atletas fazerem (e mesmo assim, ainda é uma reação tímida, pq o elenco de uma franquia é de 50 atletas, e apenas 2 ou 3 por equipe se manifestam (tirando o caso do Seattle Seahawks em q todos protestaram, até o técnico (q é uma pessoa de raça branca, inclusive).
    Faltam mais líderes da NFL (não minizando o protesto do Kaepernick, mas ele é reserva. PLMDDS não entendam errado, é q eu estou dizendo q precisam de mais protagonistas da liga q façam isso.) q realizem o protesto. Se com o Kaepernick, já houve esse peso de consciência de outros jogadores (ainda uma minoria) fazerem.. imagina se o Cam Newton faz tbem? O Odell Beckham Jr., Eli Manning, J.J. Watt e etc.? Seria ainda mais sensacional.
    Essa questão de líderes da liga se manifestarem não é problema no basquete americano. O LeBron, Irving, Derrick Rose, Kobe Bryant e etc. vestiram uma camisa “I Can’t Breathe (Não consigo respirar)” no aquecimento pré-jogo antes de jogos por um tempo. Em referência a violência (estrangulamento) de policiais q causou a morte de pessoas negras. O primo do Wade foi morto por uma bala perdida em Chicago há algumas semanas atrás, e o mesmo veio protestar no Twitter, teve o caso do ESPYS em q CP3, Melo, LBJ e etc. fizeram discurso sobre o abuso de poder dos policiais principalmente sobre os negros. Na WNBA, jogadoras (Skylar Diggins, Tina Charles, Delle Donne e etc.) vestiram camisas de protesto sobre o assunto, e foram multadas pela liga (o q até gerou revolta delas e de pessoas da NBA, como o Carmelo Anthony,), logo depois da má repercussão, a presidente da WNBA retirou as multas.
    Enfim, na NBA não existe esse tipo de omissão, certamente eles vão protestar e irá ter ainda mais impacto. Eu nunca fui para os EUA, mas esses problemas sociais q ocorriam nas décadas de 70, 80 (principalmente em Los Angeles, bem retrato naquele documentário “O.J. Made in America”) parecem estar voltando (e existem opiniões justamente falando disso, q nunca ouve tensão parecida, desde a década de 70/80), não naquele nível absurdo, mas está voltando.. de forma ainda tímida, mas preocupante. E com o Donald Trump, q claramente tem problemas com questões raciais (é só observar aquele discurso dele sobre imigrantes mexicanos)….rapaz, sei não. É por isso q os atletas precisam dar exemplo, e tanto Colin Kaepernick, quantos os jogadores da NBA (q certamente irão fazer) estão/estarão certos.

  • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

    que se dane.Protesta o jogador que quiser.Ninguém é obrigado a cantar hino,nem nada.Se eles não são atletas militares,não tem essa obrigação. Nem vou entrar no merito de achar legal ou não. Desde que não ofenda,nem agrida ninguem.Vai lá e protesta da forma que quiser.

  • Daniel Serafim
    • Hildeni Antonio Gomes Junior

      O mais engraçado é uma branca falar isso. Porque não um negro? Ou uma negra?

      • Daniel Serafim

        Peraí, precisa ser negro para falar sobre a utopia do racismo da polícia americana contra os afro-americanos? É essa a “igualdade” na qual os negros americanos lutam?

        • Hildeni Antonio Gomes Junior

          Se for contra o racismo contra negros. Sim. Porque os dados que você mostrou, é baseado nos dados que a polícia dos EUA divulga. Se o caso fosse tão pequeno, não teria quase uma guerra civil acontecendo no EUA não é mesmo?
          Mas vamos ignorar as mortes que policiais fazem contra negros.

          • Daniel Serafim

            Infelizmente os afro-americanos gostam de se fazer de vítima, fazendo com que os outros acreditem que a polícia é um inimigo “invisível”. Sendo que eles são seus próprios inimigos (os negros, que representam 15% de toda a população americana, é responsável por quase 50% de TODOS os homicídios do país). O EUA não é um mar de rosas, mas fez muitos avanços sociais desde a década de 60/70 no auge do guerra social. Além do mais, não há dados concretos que comprovem que a polícia americana seja de fato racista ou prejudiciais aos negros. Tudo que temos são casos isolados na qual a grande maioria já foi comprovada como ação não racista na qual a polícia age por intervenção necessária e/ou auto-defesa. Os EUA não são cruéis com os negros que andam na linha e tem uma vida honesta.

          • Hildeni Antonio Gomes Junior

            Fazer de vitima? Seu racista. Lá tem segregações desde a libertação de escravos. E os negros lá só tiveram direitos civis em 1960. Você sabe o que é isso? Sem falar que os EUA apoiou o apartheid. Você sabe o que é o Apartheid?
            A maior violência é quem oprime e faz violência com os oprimidos. Afro-americanos sofreram e ainda sofre na mão de racistas como você.

        • Hildeni Antonio Gomes Junior

          #SQN

  • Gezuys

    Tem que protestar mesmo

  • Roberto Cardoso Gomes Baliera

    Ridículo os comentários do Rafael Victor. As pessoas de esquerda não conseguem discutir sem menosprezar e atacar as opniões diferentes das suas. Aceita que dói menos.

  • Hildeni Antonio Gomes Junior

    Victor Oladipo já tem minha simpatia. Hoje ganhou mais. E olha que nem torço para o OKC ou Magic, onde ele joga e jogou respectivamente.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados