logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 22 set 2016 às 11:04
Revisão da temporada – Portland Trail Blazers

Equipe perdeu quatro titulares mas se reconstruiu rapidamente e foi aos playoffs mais uma vez

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Eduardo Ribeiro

Portland Trail Blazers (44-38)

Temporada Regular: quinto colocado na conferência Oeste
Playoffs: eliminado na semifinal pelo Golden State Warriors
MVP da campanha: Damian Lillard (25.1 pontos, 6.8 assistências, 4.0 rebotes)

lillard

Pontos positivos

– A ascensão de C.J McCollum foi um dos pontos principais da campanha da equipe. Com a saída de Wesley Matthews, já era esperado que o jogador se tornasse titular, mas muitos não contavam com o rápido crescimento do ala-armador, que registrou médias de 20.0 pontos e levou o prêmio de jogador que mais evoluiu.

– O Blazers perdeu quatro titulares em uma única offseason, algo que quase sempre indica que um período de reconstrução e resultados negativos se aproxima, ainda mais quando todos os atletas que saíram eram de qualidade e um deles era LaMarcus Aldridge, melhor jogador do time. Não foi o que aconteceu. Damian Lillard assumiu o posto de “dono” da equipe e o técnico Terry Stotts fez um ótimo trabalho na reformulação do esquema com os novos jogadores.

– Mesmo com todas as mudanças, o time conseguiu melhorar seu desempenho ofensivo. A equipe obteve a sexta melhor média de pontos, com 105.1. Também conseguiu o sexto melhor offensive rating, com média de 108.8 pontos a cada 100 posses de bola.

– A equipe também se saiu bem nos arremessos de três pontos. Sendo um dos times que mais utilizou o recurso, o Blazers terminou a campanha com 37% de aproveitamento, quarta melhor marca da temporada.

Pontos negativos

– Se na parte ofensiva a equipe foi muito bem, no lado defensivo algumas falhas ainda foram perceptíveis. Os adversários registraram a média de 105.6 pontos a cada 100 posses de bola contra a defesa de Portland.

– Roubadas de bola foram algo incomum para o time. Com 6.9 bolas recuperadas por jogo, os comandados de Stotts registraram a sexta pior marca da temporada.

– O Blazers foi uma das equipes mais faltosas da temporada regular, com quase 22 faltas por partida. Apenas Grizzlies, Rockets, Suns e Celtics obtiveram médias maiores.

Análise

O Blazers surpreendeu muito positivamente na última temporada. Ver uma equipe perder quatro titulares de uma vez e não repor as peças com jogadores teoricamente à altura, levou a maioria das pessoas a pensar que, no mínimo, a franquia ficaria de fora dos playoffs. Mas o Blazers renasceu tão rapidamente, que o fato de que Aldridge, Nicolas Batum, Wesley Matthews e Robin Lopez deixaram o elenco ficou em segundo plano.

Lillard viveu sua melhor temporada na NBA, com muitas atuações espetaculares e o ótimo ritmo ofensivo que já é característico. Quando muitos achavam que o armador ficaria “sozinho” na equipe, sendo o único jogador a atuar em alto nível e se destacar na pontuação, McCollum surgiu e se tornou uma peça essencial no elenco reformulado, sendo o principal “ajudante” de Lillard.

Outro nome que merece elogios é o de Al-Farouq Aminu. O ala, que também atuou como ala-pivô em alguns momentos, foi muito bem defensivamente, às vezes ficando com a tarefa de marcar o melhor jogador da equipe adversária, para “esconder” alguns companheiros de equipe com deficiências defensivas. Além disso, melhorou seus números no ataque, obtendo 36% de aproveitamento em arremessos de três. Mason Plumlee viveu uma boa temporada, apesar das limitações já conhecidas em seu jogo e Allen Crabbe contribuiu muito bem entre os reservas.

Lillard e McCollum podem ter sido os destaques da equipe, mas não foram os únicos responsáveis por tudo. O que fez o Blazers se recuperar tão rápido foi a união de jogadores capazes de desempenharem suas funções com um talento de altíssimo nível em Lillard e um ótimo técnico em Terry Stotts, que adaptou seu plano de jogo ao elenco totalmente diferente. Tudo isso resultou na quinta melhor campanha do Oeste.

Nos playoffs, a equipe enfrentou o Los Angeles Clippers na primeira rodada, em uma série que poderia ser muito mais equilibrada, como os primeiros jogos mostraram. Porém, o Clippers foi “destruído” por lesões durante a série e o Blazers conseguiu vencer com mais tranquilidade, por 4 a 2. Na semifinal o desafio era muito maior e a equipe não foi páreo para o Golden State Warriors, que venceu por 4 a 1. Mas após tantas perdas no elenco, chegar até a semifinal foi uma grande conquista do time de Portland.

Futuro

Agora que as saídas de Aldridge e cia. já são passado, a equipe continuará a se reforçar e evoluir a partir do que foi construído na última campanha, tendo Lillard como a principal referência do elenco. Nesta offseason, além de buscar novos jogadores, a franquia se concentrou em renovar o contrato de peças que já são importantíssimas para o elenco ou possuem alguma característica que auxilie o esquema e potencial para evoluir.

McCollum, prioridade da diretoria, fica em Portland pelos próximos quatro anos, garantindo a continuidade da dupla de armação ao lado de Lillard. Além dele, Allen Crabbe, Meyers Leonard e Maurice Harkless também eram agentes livres e acertaram suas permanências.

O principal e mais caro reforço do time foi o ala Evan Turner, que chegou à equipe após ótimo ano no Boston Celtics como sexto-homem. No Blazers, ao que tudo indica, o jogador chega para ser titular e auxiliar na organização de jogadas no ataque, sua especialidade. Outra adição interessante é a do pivô Festus Ezeli, que traz mais variedade para a posição, já que possui características diferentes de Plumlee, apesar de sofrer com lesões.

O Blazers da última temporada foi uma surpresa, mas agora a equipe já pode ser incluída entre as que possuem grandes chances de estarem nos playoffs na próxima campanha. A base do time foi mantida e os reforços se encaixam no que o técnico Stotts procura. A tendência é que mais uma temporada com resultados positivos ocorra em 2016-17.

  • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

    Será que Aldridge realmente era o melhor jogador do time quando saiu?
    Eu ja via o Lillard como o jogador mais importante do time.
    Eu vejo o Portland da ultima temporada com o “personagem” que o meu time vai assumir nessa temporada.Uma franquia dita em reconstrução,perdendo seu “melhor” jogador,que na pratica já não era o melhor,mas eu vejo o Thunder em vantagem em relação ao Blazers da ultima temporada,pois manteve boa parte do elenco e tem jogadores que já são considerados “ascendentes”.Daí tem de se exaltar todo trabalho que foi feito em Portland pra que a franquia rapidamente se reerguesse,contratando os jogadores certos e apostando nos mesmos.Alem disso,fizeram um trabalho técnico incrivel,com um treinador incrivel.

    • Victor Chittolina

      Tchê, eu ainda acho que o Aldridge era o melhor, mas o nível que o Lillard atingiu é absurdo. E digo mais: acho que o Portland chega na frente do OKC nessa temporada regular. Eles estão mais encaixados, e, além disso, a amostragem do teu time sem o Durant não foi muito boa, chegando até a perder os offs há duas temporadas.
      Quero muito que o OKC bata campeão da conferência em cima do GSW, mas não sei mesmo o que esperar dessa “nova era”.

      • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

        Na teoria eles devem chegar na nossa frente mesmo.Precisa ver como o Thunder vai se sair.Ao mesmo tempo que não fomos aos offs há duas temporadas,jogadores como Adams e Kanter ainda nao estavam no nível de hj,alem disso agora tem um jogador aparentemente promissor como Oladipo pra cobrir o backcourt com Westbrook.Alem do proprio Westbrook,que não para de evoluir a cada temporada.Nos offs o Thunder melhorou consideravelmente a Durantdependencia,principalmente na serie contra o Spurs,em que a os demais jogadores conseguiram se virar na maioria dos jogos em que ele não jogou bem.Mas em compensação,o time se mostrou muito dependente do Westbrook.Quando ele nao estava em quadra ou estava mal,o time caia muito de nivel.

        • Victor Chittolina

          Cara, vou te dizer que esses playoffs me fizeram fã do Thunder. Não tinha nada contra, mas era indiferente. Ver a vontade do time, especialmente do Adams e do Westbrook me fez torcer muito por vocês. Me tornei fã do Westbrook porque ele simplesmente odeia perder, mas ainda que eu ache ele um TOP 5 da NBA, individualmente falando, não sei quanto ele realmente consegue carregar um time à vitória.
          Ele tem números monstruosos porque é muito ativo, briga por cada rebote e toda bola tá na mão dele. É um dos mais atléticos da liga, tem uma boa visão de jogo e é talvez o melhor reboteiro entre os PG’s, mas o arremesso continua ineficiente e, mesmo que tenha melhorado um pouco, as tão criticadas tomadas de decisões dentro da quadra continuam bastante questionáveis.
          Eu via o Durant como o cara do desafogo, o mais confiável. Tomara que eu esteja errado, mas acho que o Thunder vem pra brigar pelas últimas vagas dos playoffs.

      • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

        quanto ao Aldridge ser melhor eu tinha minhas duvidas.
        Tanto que rolou ate boatos de que ele saiu pq estava com “medo” de perder o posto de FP pro Damian

  • Victor Chittolina

    O Blazers era um dos times mais desacreditados, mas o trabalho do Stotts foi excepcional.
    Quanto ao Lillard, todo mundo imaginava a explosão, mas talvez não tanto. Cara, 25 ppg é coisa pra pouquíssimos, além do volume de jogo que ele produz. McCollum, pelo menos pra mim, foi a maior surpresa. Imaginava que ele ia assumir a posição de SG com eficiência, mas também não achei que fosse se tornar um jogador de 20 ppg.
    O time foi muitíssimo bem, mas a impressão que eu tenho é que chegaram ao limite, ou próximo disso. A grande evolução pode vir na defesa. Eles tem jogadores atléticos o suficiente pra dar um pouco a mais, mas também tem que ver até que ponto isso pode atrapalhar na eficiência ofensiva e no jogo de transição.
    Mas só imagino quão longe esse time poderia chegar se ainda tivesse o Lamarcão.

  • Doeguito

    1 dia cmç a pre-temporada aleluia e falta 34 dias para nba

  • Matheus Pitarello

    Eu achava que o Blazers não ia nem ficar perto dos playoffs… foi uma grata surpresa… esse treinador é muito bom

  • Killer Crossover

    O Portland do último offs tem totais condições de passar por cima de alguns times que possam vir à ser classificar nos offs, o Clippers é um bom exemplo de equipe “forte no Oeste” pra essa season que pode parecer superior no papel, mas se pegarmos as últimas atuações em quadra de ambas as equipes a aposta seria outra.

    P.S: O Lillard depois que parou de chorar parece que cresceu bem mais tanto como jogador quanto como pessoa (leia-se homem). Amadureceu o até então “minino”.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados