logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 23 set 2016 às 11:02
Revisão da temporada – Sacramento Kings

Franquia decepcionou mais uma vez e ficou de fora dos playoffs

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Eduardo Ribeiro

Sacramento Kings (33-49)

Temporada Regular: décimo colocado na conferência Oeste
MVP da campanha: DeMarcus Cousins (26.9 pontos, 11.5 rebotes, 3.3 assistências, 1.4 tocos)

DeMarcus Cousins

Pontos positivos

– Se as coisas não andam muito bem em termos de resultados para a equipe, pelo menos individualmente existem pontos positivos em Sacramento. É o caso de Cousins, que mais uma vez colecionou ótimas atuações e números espetaculares, apesar de ter atuado em apenas 65 jogos. Mesmo possuindo problemas com seu temperamento e sendo criticado por muitos, é inegável que o pivô possui um talento gigantesco.

– Rajon Rondo foi contratado para acabar com os problemas na armação da equipe e a temporada também era a oportunidade do armador “reviver” sua carreira. As duas coisas ocorreram, já que Rondo voltou a atuar em um bom nível, sendo o líder de assistências da temporada, e cumpriu seu papel na equipe.

– Apesar de tudo, o ataque do Kings funcionou bem. O time terminou a temporada regular com a terceira maior média de pontos, com 106.6 pontos por jogo.

– A equipe também conseguiu bons números nas roubadas de bola. Quinto melhor time no quesito, com 8.9 bolas recuperadas por jogo.

Pontos negativos

– Após (mais) uma temporada desastrosa, o Kings se planejou na offseason e se reforçou nas áreas em que possuía deficiências. Trouxe Rondo para ser o líder do time em quadra, Bellineli para ajudar nos arremessos de três, selecionou Willie Cauley-Stein no draft, para auxiliar na defesa do garrafão, além de outras peças. Resultado: foi de 29 vitórias em 2014-15, para 33 em 2015-16.

– O Kings foi o terceiro time que mais cometeu erros de ataque na última temporada, com a média de 16.2 turnovers por partida.

– A franquia é uma confusão. A diretoria não se cansa de tomar decisões duvidosas e é mais fácil encontrar notícias sobre brigas internas entre diretoria, comissão técnica e jogadores do que algo positivo.

– A defesa do time é muito fraca. Os oponentes conseguiram um bom aproveitamento nos arremessos de quadra e anotaram 109.1 pontos contra o Kings, em média. Nem o Philadelphia 76ers, que não se importou em perder na última campanha, conseguiu essa média.

– Essa foi a temporada com mais vitórias da franquia em oito anos. Por que isso é um ponto negativo? A equipe venceu 33 jogos.

Análise

Parecia que o Kings conseguiria melhorar e a fase ruim que já dura anos teria um fim. Parecia. Não que o elenco da temporada fosse um dos melhores da liga e candidato ao título, muito longe disso. Mas a tendência era de que o time brigasse pelas últimas posições de classificação aos playoffs. Como sempre, o ambiente da franquia se mostrou conturbado, as principais peças sofreram lesões e nada aconteceu.

Cousins conseguiu números espetaculares – incluindo um jogo de 56 pontos – e adicionou o arremesso de três ao seu arsenal ofensivo. As ótimas médias do pivô não foram surpresa, pois todos já sabem de sua capacidade. O problema é que, junto com sua enorme habilidade, vem os seus problemas de comportamento em quadra, que muitas vezes acabam o atrapalhando. De qualquer forma, não se pode dizer que faltou qualidade individual do principal jogador da franquia.

O problema do Kings na temporada foi  a falta de conjunto, ao lado do já citado ambiente cheio de problemas.  A equipe foi a prova de que não basta ter jogadores de alto nível como Cousins e Rondo em boa fase, e titulares sólidos como Rudy Gay, se não existe um sistema de jogo bem definido e o elenco não se mostra unido. Os problemas de relacionamento entre o técnico George Karl e Cousins, que se tornaram públicos e quase causaram a troca do jogador, ilustram o cenário da franquia.

Mais do que uma ida aos playoffs, o Kings procurava um “caminho” na temporada. Se a classificação não viesse e o time mostrasse sinais de evolução, com uma base sólida, sem problemas internos e livre de lesões, a campanha seria positiva. O problema é que nada disso aconteceu. Numericamente, foi a melhor temporada dos últimos anos, mas isso não significou muita coisa.

Futuro

É complicado falar sobre futuro em Sacramento. Ano após ano, as coisas não mudam, mas a franquia vai tentar novamente. George Karl perdeu a batalha com Cousins e foi demitido, sendo substituído por Dave Joerger, que fez bom trabalho no Memphis Grizzlies nos últimos anos e terá a missão de melhorar o clima do vestiário.

Na offseason, a diretoria foi confusa como de costume. Tudo bem, a equipe investiu em jovens do draft, pensando a longo prazo. Entretanto, qual o sentido de selecionar um pivô com a sua maior escolha do recrutamento, quando o melhor jogador da posição na liga – ou um dos três melhores, no mínimo – atua pelo seu time? Pior do que isso, o elenco já conta com outras duas peças (Kosta Koufos e Cauley-Stein) para o setor, sendo que um deles foi selecionado na loteria do draft de 2015.

Então, a opção de selecionar Giorgios Papagiannis com a 13ª escolha pode ser justificada pelo fato dele ser o melhor talento disponível naquele momento, certo? Errado. O grego era cotado para ser selecionado na segunda rodada. A explicação da diretoria? Papagiannis “pode ser um all-star no futuro”. Tudo bem então, confiança é tudo. Porém, qual a necessidade de selecioná-lo com a 13ª escolha, sendo que a franquia possuía escolhas mais baixas? Inexplicável.

Outros três jovens foram selecionados na noite do draft. Os ala-armadores Malachi Richardson e Isaiah Cousins e o pivô Skal Labissiere, que chega para tornar possível o projeto da formação de um quinteto inicial composto apenas por pivôs.

Na agência livre, nenhum nome de peso chegou à equipe. Ao contrário disso, o nome de maior impacto na offseason do Kings estava de saída: Rondo rumou para o Chicago Bulls. A franquia se reforçou com o armador Ty Lawson, os alas Matt Barnes e Lamar Patterson, os alas-armadores Arron Afflalo e Garret Temple e o ala-pivô Anthony Tolliver.

O futuro do Kings é cercado de dúvidas. Rudy Gay e Cousins já afirmaram publicamente que não sabem qual a direção que a equipe irá seguir nos próximos anos. Com o elenco atual, fica difícil pensar que o plano seja vencer agora. A solução dos problemas do time está no futuro e a diretoria terá de tomar decisões importantíssimas, principalmente envolvendo a agência livre de Cousins em 2018.

  • Mil do Pacers

    Desastre só isso!

  • Rodolfo Ribeiro #OKCLoyalty

    Kings é tudo de errado.Um time com Cousins,Gay e Rondo era obrigação ter ido pros offs.Mas é tanta confusão que…bizarro.Depredaram internamente uma franquia tão tradicional como a do Kings.

  • Sergio Francisco

    Esta franquia precisa de donos novos, assim acalentam os maus espíritos no seio do grupo.

  • Juka

    Dei trela de rir quando li essa parte: “pivô Skal Labissiere, que chega para tornar possível o projeto da formação de um quinteto inicial composto apenas por pivôs.”

  • Galvão 🔥 #305

    Acho que o Kings precisa demitir o Vlade Divac, ele está completamente perdido e tomando decisões ruins.

  • Victor Chittolina

    Quando eles não vencem mais de 33 jogos HÁ OITO ANOS, tu vê que é um projeto muito esculhambado. E a tendência é que continuem tomando no Cousins.

    • Pedro Ferreira

      KKKKKKKKKKK tomando no cousins kkkk,pq q eu ri disso?

    • Matheus Pitarello

      kkkkkkkkk, tomando no Cousins

  • Brandow Guedes

    O caso do Cousins é o mesmo do Brook Lopez, dois ótimos pivôs sendo “desperdiçados” pelas merdas que as franquias fazem.

  • Pedro Ferreira

    Cousins precisa pula fora desse barco logo,porque esse Kings ae num da futuro pra ninguem

  • Pedro Coimbra

    Brook López ,Cousins,Davis três casos de talentos totalmente desperdiçados em franquias sem futuro e totalmente desorganizadas

    • Matheus Pitarello

      concordo… pra mim Brook Lopez top 5 dos pivos na NBA… tres talentos em times que nunca vão ganhar nada…

  • Diego J

    A única coisa boa no futuro do Kings é uma nova arena, extremamente bonita.. O resto…

  • Claudio R.

    É outro time que precisa de uma trade pra melhorar o ambiente, Cousins precisa sair de lá!!!!

  • Uncle Drew

    OFF:
    Chris Bosh falhou nos exames físicos realizados pelo Miami Heat. Não está autorizado para treinar durante o Training Camp com a equipe.
    https://twitter.com/ByTimReynolds/status/779344377747345408?s=09
    E tem gente q acha q o problema não é sério… vai vendo.

    • Juka

      infelizmente acabei de ler essa noticia tb! muito triste pelo heat, mas principalmente pelo Bosh! Mas saúde em primeiro lugar…

    • Pedro Ferreira

      Eu acho que é o fim da carreira dele,infelizmente

    • DamonHeat

      tá na hora dele se aposentar então.
      o contrato de 23 milhões dele, tá pesando muito para o heat
      uma pena… Saudável, é um dos melhor PF da liga

      • Pedro Ferreira

        Verdade,tem gente que fala muito de Lebron e Wade acaba esquecendo dele,block no Danny Green,assistencia pro Allen,CB1 um dos maiores que já piso na AAA

    • BetoMavs

      Vish… Dino tem que parar, já ganhou grana, título, conquistou tudo que podia na liga.

  • Rafael Victor

    Com Rondo, Gay, Belinelli, Curry… não conseguiram sequer chegar perto de uma classificação pros Playoffs, imagina sem eles! Parece não haver futuro pro Kings tão cedo!

    • Pedro Ferreira

      Os caras saíram de lá justamente por isso,parece que o futuro nunca chega lá

  • Thiago Gama

    Acho que o Kings tem que se refazer por inteiro, trocando Cousins para não perde-lo de graça, demitindo o Divac que só tem tomado decisões péssimas e procurar se refazer com escolhas de Draft mesmo, não adianta tentar fazer um bom time com FA sendo que o ambiente não é bom. Uma boa troca seria pelo Love, que sendo o FP do time voltaria a ser o antigo e bom Love e com muito menos problemas de comportamento do que o Cousins.

    • Claudio R.

      Pois é, uma Boa, ele tem contrato longo, é low profile, já é campeão, e voltaria a ser Franchise Player, ao lado de um bom pivo defensvo que é o Stein… Seria uma boa mudança pro Cousins tbm…

      • Vinícius Maia

        Não sei se o Cousins aceitaria bem ser a terceira opção ofensiva no Cavs, mas como torcedor, eu ficaria feliz em vê-lo no elenco. E acho que jogar ao lado do LeBron, pode fazer bem a ele. Não sei se é só eu que tenho vejo isso, mas o LeBron se parece com o Phil Jackson em um aspecto: ele parece saber lidar com jogadores problemáticos e ajudá-los a se manterem focados. Phil Jackson conseguiu “controlar” um pouco o Rodman e o Artest, enquanto LeBron parece ter ajudado Beasley no Heat e J. R. Smith no Cavs a colocarem a cabeça no lugar.

  • Vinícius Maia

    [OFF]

    Acho que Andrew Wiggins quer destronar seu amigo Zach Lavine.

    https://www.instagram.com/p/BIqevaNBgT_/?taken-by=22wiggins

  • Vinícius Maia

    Eu tenho a impressão de que, se o dono do Kings tem o desejo de um dia colocar essa franquia numa posição de relevância na liga, ele deve começar uma reformulação completa desde atletas a diretoria do time.

  • Tiago Silva

    Obrigado novamente, Kings, pela negociação que nos dará também mais uma escolha de primeira rodada.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados