logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 25 set 2016 às 11:00
Revisão da temporada – Toronto Raptors

A equipe do técnico Dwane Casey conseguiu a melhor campanha da história da franquia

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Pedro Nery

Toronto Raptors (56-26)

Temporada Regular: eliminado pelo Cleveland Cavaliers nas finais do Leste em seis jogos
MVP da campanha: DeMar DeRozan (23.5 pontos, 4.5 rebotes, 4.0 assistências e 44.4% de aproveitamento nos arremessos de quadra)

TORONTO, ON- APRIL 26: DeMar DeRozan celebrates after hitting a three pointer late in the game as the Toronto Raptors beat Indiana Pacers in game five 102-99 in their first round NBA playoff series at the Air Canada Centre in Toronto. April 26, 2016. (Steve Russell/Toronto Star via Getty Images)

Pontos positivos

– Campanha: A equipe do técnico Dwane Casey construiu a melhor campanha da história da franquia, terminando com um aproveitamento de 68% na temporada regular. O Raptors encerrou sua participação ficando em 2º lugar da conferência Leste, apenas uma vitória atrás do Cleveland Cavaliers.

– Dupla de armação: Kyle Lowry e DeMar DeRozan foram os dois pilares desta equipe, não a toa, os dois foram para o último Jogos das Estrelas. Durante a fase regular, Lowry atingiu uma maturidade em seu jogo que o fez obter suas melhores média em pontos na carreira. Já DeRozan foi o principal pontuador do elenco e o grande nome do time.

Playoffs: Além da bela campanha na temporada regular, o Raptors alcançou uma inédita final de conferência na fase de mata-mata. Ao contrário das últimas duas vezes na qual o time foi eliminado na primeira rodada, a equipe do Canadá superou seu primeiro confronto dos playoffs, foi além ao bater o Miami Heat nas semifinais e deu a chance ao seu torcedor de acompanhar uma disputa de final do Leste.

Pontos negativos

– Apesar de ter chegado pela primeira vez em uma final de conferência, o Raptors foi muito irregular durante a fase de mata-mata. Além da equipe como um todo, DeRozan e principalmente Lowry oscilaram demais entre um jogo e outro e até mesmo em diferentes momentos da mesma partida. A prova disso, foram duas classificações suadas com sete jogos contra Indiana Pacers e Miami Heat.

– Defesa nos tiros de longa distância: Apesar da chegada de DeMarre Carroll, especialista em defesa, a equipe do Canadá sofreu com as bolas de três pontos na fase regular – o Raptors teve o segundo maior percentual de bolas de três sofridas. A vinda de Carroll não surtiu efeito? Pelo contrário, a franquia terminou com a terceira melhor defesa da liga, mas os arremessos de três pontos deverão ser revistos.

– Lesões de Jonas Valanciunas: o principal nome do garrafão sofreu com lesões durante a campanha. Na temporada regular, o atleta desfalcou o time em 22 ocasiões e nos playoffs atuou somente em 12 jogos dos 20 disputados pela equipe. A ausência do lituano foi bem sentida, já que o pivô foi o terceiro maior pontuador do elenco e o principal dentro da área pintada.

Análise

Se analisar a temporada como um todo para o Raptors, pode-se considerar que foi bem positiva. Embora isso seja discutível, a franquia do Canadá ficou entre os quatro melhores times da última temporada e mesmo com irregularidades, conseguiu atingir o nível que esperava-se dela.

A grande campanha foi possível graças as atuações impressionantes de Lowry e DeRozan. Hoje, pode-se dizer que os dois formam uma das melhores duplas de armação de toda a liga. É questionável a tomada de decisões em algumas ocasiões – principalmente nos playoffs -, mas ninguém pode duvidar do que eles são capazes, mesmo atuando mal.

A pressão tirada dos ombros após a classificação no confronto diante do Indiana Pacers foi enorme. A franquia não conseguia alcançar as semifinais de conferência desde 2000-01. Depois disso, o que veio foi lucro. Conseguiu ainda eliminar o Miami Heat e arrancar duas vitórias do Cavs, que seriam consagrados posteriormente os campeões.

Se perguntassem aos torcedores do Raptors antes da temporada começar, se eles ficariam satisfeitos em chegar nas finais de conferência, a maioria falaria que sim. Além disso, obtiveram a melhor campanha da história da franquia, elegeram dois jogadores para o Jogo das Estrelas e se não deu grande trabalho ao Cavs, arrancou duas vitórias e evitou uma derrota acachapante.

Futuro

Sabe o termo “em time que está ganhando, não se mexe”? Pois é. Sim, sabemos que o Raptors não foi campeão, mas diante do elenco em mãos, uma final de conferência pode e deve ser comemorada. Para a próxima temporada, a franquia do Canadá vai manter a base da equipe para tentar pelo menos repetir o feito citado.

O presidente de operações Masai Ujiri teve seu contrato renovado no começo deste mês e segue como homem forte na direção do basquete da franquia. Ele que acumulava o cargo de gerente-geral, elegeu homens de confiança para o cargo, mantendo assim a forma de trabalho alinhada entre os dirigentes.

Dentro de quadra, a grande novidade foi a extensão contratual de DeMar DeRozan com a franquia. Além da permanência, o jogador deu declarações sobre seu carinho pela cidade e que quer deixar seu legado em Toronto. Se ele e Lowry mantiverem o nível da última campanha, o Raptors vai brigar novamente pelas primeiras posições.

De resto, a única grande baixa do elenco foi a saída de Bismack Biyombo para o Orlando Magic. O congolês foi peça importante na rotação do técnico Dwane Casey e assumiu a titularidade da equipe quando Valanciunas lesionou-se. Para seu lugar, chegou o pivô Jared Sullinger do Boston Celtics que deverá ter espaço parecido deixado pelo africano.

O Raptors que teve uma temporada de superação, terá como desafio conseguir ir além do que foi da última vez. A conferência Leste terá várias equipes que vão disputar vagas por playoffs e se o nível de atuação não for semelhante ao da última campanha, a equipe pode perder mandos de quadra que lá na frente podem ser decisivos (lembrando que o time avançou às finais de conferência com dois confrontos com sete jogos, ou seja, atuando em seus domínios).

  • JR

    Só uma pequena correção, o MVP da campanha foi o Lowry, não o DeRozan. O time tem a 2ª melhor dupla de armadores da liga e agora já com experiência de playoff. Carroll foi desilusão, não só não acerta de 3 como também não consegue defender quem foi contratado para tal (Lebron, nem sequer atrapalhá~lo consegue). A evolução vai depender se JV dá o próximo passo na evolução e se o T-Ross finalmente consegue ter consistência. Byombo pode fazer alguma falta mas o problema mesmo é a posição 4.
    Ainda assim me parecem que vão novamente para 2º no este (no pior dos casos, em 4º)

    • Victor Chittolina

      Eu acho que o MVP foi o DeRozan mesmo, mas tirando isso, assino embaixo.

  • Matheus Pitarello

    Aff, era pro meu Miami ter passado por esse time…

    • DamonHeat

      sinceramente, eu tinha 99% de certeza que miami iria passar pelo toronto.
      uma pena que não passou

      • Matheus Pitarello

        e olha que começou ganhando la em Toronto… parece que o Miami joga melhor fora de casa do que em casa, vai entender rsrsrs…

  • Marcelo Desoxi

    Mais um jogador de 20 pontos e esse time briga por título. Toronto precisa de outro astro.

    • Matheus Pitarello

      acho q falta um pouco de regularidade para os astros desse time tbm… um jogo de 30 pontos ai o outro de 12… assim nao da…

    • DamonHeat

      negocio é que falta um verdadeiro lider.

  • Chimbinha

    É um time que tem que estar mais do que satisfeito , pois chegou ao seu limite. De finais de conferência não passa.

  • Doug

    Venho elogiando esse time dos Raptors não é de hoje…de forma impressionante ele sofre uma espécie de preconceito…fez uma grande campanha e nos offs, realmente, sentiu a pressão, mas conseguiu chegar longe…poderia ter perdido, naturalmente, pelo que apresentou nos offs em qualquer uma das primeiras séries…porém, se mantivesse o padrão de jogo da regular, acredito que teria feito bem mais barulho…um ponto negativo pra mim, foi o subaproveitamento do Norman Powell, principalmente nos offs…o moleque tem muita capacidade e mostrou uma maturidade muito interessante quando jogou, mas, estranhamente foi pouquíssimo utilizado…de toda forma, acredito que Toronto continuará forte e que uma reposição pontual manterá o time bem na próxima temporada…acredito que a temporada passada “batizou” a equipe de certo modo e que, assim, deverá apresentar um amadurecimento emocional consequente e melhores resultados em quadra…

  • O melhor do Raptors esse ano foi que eu ENTREVISTEI o Demare Carrol!!!!

    Fiquei cerca de 30 minutos conversando com ele, de maneira oficial, no NBA House – e eu nem jornalista sou.

    ISSO A GLOBO NÃO MOSTRA!

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados