logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 17 out 2016 às 08:00
Previsão da temporada – Atlanta Hawks

Time da Geórgia conta com dois novos titulares para a próxima campanha

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Freitas

Atlanta Hawks

2015-16: 48-34, 4º lugar na conferência Leste
Playoffs: eliminado nas semifinais de conferência para o Cleveland Cavaliers em quatro jogos
Técnico: Mike Budenholzer (quarta temporada)
GM: Wes Wilcox (segunda temporada)
Destaques: Paul Millsap e Dwight Howard

Time-base: Dennis Schroder – Kyle Korver – Kent Bazemore – Paul Millsap – Dwight Howard

Elenco

17 – Dennis Schroder, armador
5 – Malcolm Delaney – armador
3 – Jarrett Jack, armador
6 – Will Bynum, armador
26 – Kyle Korver, ala-armador
10 – Tim Hardaway Jr., ala-armador
95 – DeAndre Bembry, ala-armador
24 – Kent Bazemore, ala
25 – Thabo Sefolosha – ala
12 – Taurean Prince – ala
4 – Paul Millsap, ala-pivô
43 – Kris Humphries, ala-pivô
32 – Mike Scott, ala-pivô
30 – Ryan Kelly – ala-pivô
8 – Dwight Howard – pivô
25 – Tiago Splitter, pivô
31 – Mike Muscala, pivô
22 – Walter Tavares, pivô

Quem chegou: Dwight Howard, Ryan Kelly, DeAndre Bembry, Taurean Prince, Will Bynum, Jarrett Jack, Malcolm Delaney
Quem saiu: Al Horford, Jeff Teague, Kirk Hinrich, Lamar Peterson

A primeira dúvida da diretoria do Atlanta Hawks era saber o quanto a falta de DeMarre Carroll seria sentida. Claro, um dos melhores defensores de perímetro da liga havia saído para o Toronto Raptors e o time não fez nenhuma contratação para a sua reposição. Assim, Kent Bazemore assumiu a posição no quinteto titular e, em pouco tempo, já era peça importante no elenco.

Mas a pedra no sapato do Hawks era a pós-temporada. Após perder para o Cleveland Cavaliers na final de conferência em quatro jogos, a expectativa era superar a barreira e disputar a decisão da NBA. O time ainda era aquele que impressionava pela troca de passes e por uma defesa incontestável, com uma das melhores duplas de garrafão da liga, formada por Al Horford e Paul Millsap. No entanto, isso não era suficiente. O Hawks precisava de progredir, mas estagnou de um ano para o outro.

Tudo bem. A fase regular do Leste em 2015-16 foi uma das mais disputadas das últimas décadas e quatro times tiveram o mesmo número de vitórias, com 48. O Hawks foi um deles. Esse equilíbrio, incomum na conferência, deixou os playoffs ainda mais interessantes, com confrontos importantes já na primeira rodada.

Ali, o Hawks encontrou um adversário duríssimo, o Boston Celtics. Depois de vencer os dois primeiros jogos, por pequena vantagem, a disputa foi para Massachusetts, onde o Celtics igualou em 2 a 2. No entanto, time da Geórgia ganhou os dois embates seguintes, incluindo um fora de casa e confirmou sua presença na semifinal, onde pegaria mais uma vez o Cavaliers.

Para quem esperava mais do Hawks, saiu frustrado. O Cavs varreu a equipe pelo segundo ano consecutivo e seguiu em frente na pós-temporada, onde sagraria-se campeão pela primeira vez em sua história.

Após o fim da temporada, a dúvida era se Horford, agente livre irrestrito, voltaria ao time. Um dia antes da decisão do pivô, no entanto, a diretoria negociou o armador Jeff Tegue, por conta da clara necessidade de dar mais tempo de quadra ao jovem Dennis Schroder, além do fato de que Teague seria free agent após 2016-17 e corria o risco de perdê-lo por nada no mercado. Chegou o calouro Taurean Prince, vindo do Utah Jazz em troca tripla, que contou ainda com o Indiana Pacers.

Horford, então, optou por se juntar ao Celtics pelas próximas quatro temporadas, enquanto os rumores sobre a chegada de Dwight Howard, nativo de Atlanta, esquentavam a cada dia. De fato, Howard fechou com a equipe quatro dias depois.

O perímetro

Sem Teague, o Hawks aposta todas as suas fichas em Schroder. O alemão, de 23 anos, tem um ímpeto mais ofensivo que seu antecessor, embora ainda esteja engatinhando na qualidade do arremesso. Explosivo, o camisa 17 terá a grande oportunidade da carreira para comandar um time acostumado com vitórias, que vai aos playoffs em sequência desde 2007-08.

Para a reserva, ainda não tem um favorito. Jarrett Jack, titular até se contundir pelo Brooklyn Nets em 2015-16 e o calouro Malcolm Delaney, que carrega a experiência do basquete europeu, brigam para saber quem será o substituto imediato de Schroder.

Kyle Korver segue no grupo. Pasmem: o veterano, de 35 anos, teve em 2015-16 o seu pior aproveitamento em arremessos de longa distância desde 2008-09. Sim, para Korver, acertar 39.8% de três é pouco. Foi apenas a quarta temporada da carreira em que ficou abaixo dos 40%. Ele terá ainda a companhia de Bazemore, que ganhou a titularidade na campanha passada e produziu 11.6 pontos e 5.1 rebotes, além de 35.7% de acertos de três. O suíço Thabo Sefolosha, especialista em defesa e em chutes de três, pode ocupar qualquer uma das posições e deve ser um dos reservas com mais tempo de quadra na equipe. Recuperado de uma lesão na perna, adquirida após um problema com a polícia em 2015, Sefolosha atuou por quase 24 minutos em 75 jogos. Ainda no banco, o Hawks conta com Tim Hardaway Jr., e os novatos DeAndre Bembry e Taurean Prince.

O garrafão

Dwight Howard

Perder um jogador do calibre de Horford deixaria qualquer time preocupado com o futuro, mas o Hawks agiu rápido e trouxe Dwight Howard, vindo do Houston Rockets. Por mais que tenham características diferentes e o primeiro seja tecnicamente melhor e com mais fundamentos, como arremesso e passe, Howard é mais atlético e é, ainda, um intimidador na área pintada. Sofre com o excesso de faltas, é verdade. Invariavelmente, o camisa 8 é visto no banco de reservas por acúmulo de infrações. Mas o Hawks é um time mais acertado defensivamente e os buracos pouco aparecem para que o pivô seja obrigado a cobrir fora de sua zona de conforto.

Falando em defesa, Millsap brilhou em 2015-16. Teve uma temporada tão sólida que garantiu o seu nome no segundo time de defesa da liga, quando obteve médias de 9.0 rebotes, 1.8 roubada e 1.7 bloqueio, as melhores da carreira. Mas o ala-pivô é completo e responde bem do outro lado da quadra. Fez 17.1 pontos nos 81 jogos disputados e tem melhorado a cada ano o arremesso de média distância e o passe (3.3 assistências).

O brasileiro Tiago Splitter segue no time, mas começa a temporada machucado. O pivô, ex-San Antonio Spurs, sofre com contusões desde a sua chegada ao Hawks e deverá ficar de fora por até quatro semanas, por conta de lesão no músculo da coxa. Quando retornar às quadras, enfrentará competição por minutos com Mike Scott, Ryan Kelly, Mike Muscala e Walter Tavares. Em tese, é o melhor jogador do banco para o garrafão. Resta saber se poderá contribuir regularmente.

Análise geral

O Hawks encontra-se entre a cruz e a espada. Howard não é Horford. Um time que utiliza o passe (segundo melhor da liga em 2015-16) como seu principal artifício, perde um jogador essencial que fazia o diferente dentro do garrafão. É certo que Howard impõe um pouco mais de respeito perante os adversários na área pintada, mas a diferença nesse quesito para Horford não chega a ser tão grande. Sabe-se que Howard treinou muito o arremesso, seja de lance livre ou de média distância, durante as férias da liga. Será o necessário para evoluir?

Outra mudança ficou por conta de Schroder na armação. A diretoria não trocaria Teague se não visse um mínimo de potencial em seu novo titular. Então, presume-se que o alemão vai expandir seu jogo para tornar-se um dos principais atletas do elenco.

Existe a esperança de que as mudanças tragam efeito positivo imediato. Saem dois titulares que estavam no grupo há anos e chega um pivô acostumado em reter a bola de costas para a cesta, enquanto o time se faz valer da velocidade na busca por um companheiro livre.

Pela primeira vez na carreira, Millsap é o franchise player. Selecionado para o Jogo das Estrelas nos últimos três anos, o ala-pivô é consistente e deve liderar o grupo tanto no ataque quanto na defesa. A dúvida é se Howard e ele vão “casar” o jogo. Horford saía muito do garrafão e Millsap flutuava mais próximo ao aro em algumas ocasiões. Com Howard centralizado, seu trabalho deverá ser um pouco diferente neste ano.

Enquanto a defesa segue sendo uma das melhores da liga (permitiu apenas 43.2% de aproveitamento nos arremessos dos adversários no ano passado), a preocupação é fazer o time esquecer seu antigo pivô. Espera-se mais do mesmo em termos de classificação, no entanto.

Previsão: quarto lugar na conferência Leste

  • Gustavo

    Mais um ano nos playoffs, mais um ano sem título. Não vejo o Hawks saindo desse roteiro tão cedo.

  • #TheBrodie

    eu sempre achei que Millsap fosse o FP do Hawks nesses anos…

  • taylor da silva moreira

    era melhor fazer um rebuilding sempre vai ficar apenas indo pro offs sem chances de titulo

  • Kaio

    Jumper sempre iniciando as previsões pelo Hawks. Muito suspeito isso.

    • Bruno Grotta

      Kkkkkkkk

    • gusilvalima10

      Quero acreditar que esse comentário tenha sido uma gozação.

    • Yan Alves #Suns

      É brinks né fera hushsushauah

    • Matheus Pitarello

      kkkkkkkk, acho q sempre começarão pelo Atlanta rsrs

    • Uncle Drew – Revenge Tour

      É PORQUE O HAWKS É O TIME DO JUMPER!!
      LET’S GO HAAAAAAAAAAAAWWWWWWWWWWWKKKSSSSSSSSSS!!!!!!!!!!!!!!!
      Uma outra explicação, mas esta eu acho improvável, é pq as previsões (assim como a revisão da temporada) sempre começam por ordem alfabética. Mas esta é a menos provável, rsrsrs.

  • Bruno Grotta

    Hawks não tem segredo:
    Forte o bastante pra pegar mando de quadra, mas nos playoffs o máximo que chega é uma semi ou até finais de conferência.

  • – Millsap sempre foi o FP do Atlanta…
    – “Se” o Howard jogar um pouco mais que jogou na temporada passada, o considero uma “evolução” quanto ao Horford, pois ele é mais jogador.
    – Agora é a hora de schroder mostrar seu talento…
    – Splitter tem que voltar logo, pois será importante vindo do banco, deve ganhar até mais minutos…
    também acredito em quarto lugar no leste…

    • Horford SEMPRE foi o FP do Hawks.
      não deixe os números do Milsap na ultima temporada lhe enganarem.
      Horford sempre foi o pilar desse time aí na última década.

      • Já não acho, tanto que 1000sap sempre vem indo pro all star…
        ele é o melhor jogador de Atlanta e a diretoria fez certo ao não deixá lo ir…
        acho que ele não tem seu valor devido na mídia, sempre foi um excelente jogador…

  • Alex Alves

    To achando que Howard vem para uma temporada 20 ppg 12 rpg ele ta mordido pelas críticas.

  • Julio Zago

    Primeiro esse é um time muito bem treinado, gosto muito do trabalho do Budenholzer, contudo, está na hora do Atlanta evoluir, não se contentar em apenas se classificar para os offs todo ano e o trabalho do técnico será extremamente importante nesse momento.
    A chegada do Howard a franquia é intrigante e certamente modificará o modo como a equipe atacará pois agora haverá um C fixo, pouco móvel. Sem falar que o C também deverá se mostrar efetivo na defesa da área pintada.
    A questão é saber o quanto será eficiente esse time dos Hawks jogando dessa maneira? Será que esse ano o Hawks terá condições de brigar pelo título?
    Na minha opinião o normal seria o Hawks novamente ser um “time de playoffs”, mas acho que isso seria uma estagnação inaceitável, está na hora do time evoluir ou pensar num rebuilding.

  • Samuel Muniz

    Os números do Horford não traduzem o quão vital ele era para essa equipe, é um jogador que joga para equipe, nao para numeros. Considero o Hawks muito mais enfraquecido que temporada anterior.

  • Rafael Victor

    Time continua forte, devem fazer mais uma grande campanha na regular, só que chegam nas fases finais dos Playoffs… São varridos, sem oferecer muita resistência!

    Síndrome de pequinês bate forte no Hawks!

    Sempre mais do mesmo!

  • Esteferson Matos

    O problema do Hawks chama-se Lebron James, como apanham…
    1000Sap joga muito na minha opinião e pode fazer uma boa dupla com DH…

  • Thousandfrogs vai disputar FP com Howard… Treta. Howard sempre quis um time pra ele isso pode comprometer a química da equipe.

  • MarceloBulls
  • MarceloBulls
  • Fear The Fro_br

    Time continua forte, mas não apostaria em mando de quadro. Devem chegar aos offs em 5º ou 6º lugar.

  • Yan Alves #Suns

    O schroder ainda vai alternar bastante nessa temporada, por conta desses altos e baixos eu chutaria talvez até uma 5º posição, mas 4º também está bom.

  • Pedro Ferreira

    Atlanta e Clippers nadam tanto, mais sempre morrem na praia

  • ThiagOo25

    Bela análise, Gustavo.
    Se não tiver nenhum surpresa e com os Cavs, Boston, Pacers (acho que vem para brigar pelas primeiras colocações), e Toronto, a posição do Atlanta está sujeita a ser essa, até mesmo uma 5º colocação.

  • drakes

    Eu acho que eles perdem o mando de quadra, para mim, vencerão 43 vitórias mais ou menos 2.

  • Leo barcellos

    Cravei ano passado que os Pacers não ficava atrás do Bucks e esse ano eu venho aqui pra cravar que meu Pacers não fica atrás dos Hawks …

  • Paulo OKC

    O mais louco é que o Hawks queria fazer um garrafão com Horford-Howard e trocar o Millsap que é o melhor dos 3.

  • Marcelo Desoxi

    Gosto mais do time desse ano. Acho que fica entre a terceira e a quarta posição.

  • Aposto neles com a 3a colocação, no Leste só estão atrás de Cleveland e Pacers e acho que tem o mesmo nível que o Toronto.

  • Bruno Macedo

    Minha previsão: Terceiro lugar no leste
    Vai sofrer pra ganhar um pouquinho no começo mais vai se resolver e conseguir a terceira colocacao.

  • Kaio_

    time para brigar por mando de quadra ! 4 – 6 º no leste … o problema é os offs depois kk

  • Felipe Monteiro

    Aproveitarei a análise individual para chutar a posição que acredito que cada time terminará na temporada regular.
    Atlanta Hawks: 5º lugar

  • Leo R.

    Howard para Horford é uma boa diferença. O time provavelmente sentirá a princípio, mas Howard saudável e disposto será muito útil ao time. Espero que o mesmo tenha melhorado seus lances livres, já que andou treinando nessa pré-temporada.

    Quanto ao Schroder, fico na expectativa de vê-lo em quadra. Merecia a titularidade desde a temporada passada, e a franquia acertou em liberar Teague. J. Jack será um bom back up, creio que seja uma espécie de 6th homem junto com Sefolosha.

    Hawks, a princípio, busca o mando de quadra, enfrentando a concorrência principalmente de Celtics e Raptors. Meu palpite, devido ao banco não tão forte, quinto lugar.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados