logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 17 out 2016 às 21:00
Previsão da temporada – Chicago Bulls

Equipe de Illinois busca voltar aos playoffs após fracasso na campanha anterior

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Freitas

Chicago Bulls

2015-16: 42-40, 9º lugar na conferência Leste
Playoffs: não se classificou
Técnico: Fred Hoiberg (segunda temporada)
GM: Gar Forman (oitava temporada)
Destaques: Jimmy Butler, Rajon Rondo e Dwyane Wade

Time-base: Rajon Rondo – Dwyane Wade – Jimmy Butler – Taj Gibson – Robin Lopez

Elenco

9 – Rajon Rondo, armador
25 – Spencer Dinwiddie, armador
– Michael Carter-Williams, armador
0 – Isaiah Canaan, armador
3 – Dwyane Wade, ala-armador
2 – Jerian Grant, ala-armador
21 – Jimmy Butler, ala
11 – Doug McDermott, ala
16 – Paul Zipser, ala
45 – Denzel Valentine, ala
44 – Nikola Mirotic, ala-pivô
22 – Taj Gibson, pivô
5 – Bobby Portis, ala-pivô
8 – Robin Lopez, pivô
6 – Cristiano Felício, pivô

Quem chegou: Denzel Valentine (draft), Paul Zipser (draft), Spencer Dinwiddie, Dwyane Wade, Jerian Grant, Robin Lopez, Isaiah Canaan, Michael Carter-Williams

Quem saiu: Pau Gasol, Joakim Noah, Derrick Rose, Aaron Brooks, Cameron Bairstow, Mike Dunleavy, E’Twaun Moore, Justin Holiday, Tony Snell

Após a demissão de Tom Thibodeau, a diretoria do Chicago Bulls optou por trazer um técnico com uma filosofia completamente diferente de seu antecessor. Fred Hoiberg quis implantar, logo de cara, um estilo de jogo mais agressivo que o de Thibodeau, com a quadra mais espaçada. Encontrou resistência dentro do grupo, que pedia a permanência daquela identidade.

Em um primeiro momento, os jogadores compraram a ideia. No entanto, Derrick Rose, Joakim Noah e Jimmy Butler, seguiam temerosos com a defesa, que abria buracos a cada investida descoordenada ao ataque. Noah reclamou publicamente sobre suas funções, após ter perdido a titularidade. O pivô não rendeu em espaço diminuto e tornou-se uma distração para o resto do elenco. Depois de sua contusão, que o tirou de fora do resto do ano, sabia-se que ele não vestiria mais a camisa do Bulls.

Essa transição demorou a acontecer e o time jogava cada vez menos. Então, Kirk Hinrich, outro veterano, foi trocado para o Atlanta Hawks. Seria a confiança no trabalho de Rose? Ou seria apenas uma mudança de ares? O resultado disso foi visto meses depois.

O Bulls não engrenava, perdia jogos consecutivos e por fim, a confiança dos atletas. Pau Gasol, assim como Noah, detonou os vestiários e afirmou, antes mesmo do término da temporada, que não permaneceria no elenco. Apesar disso, a equipe chegou ao estágio final da fase regular com chances de classificação para os playoffs. Passou perto. Mesmo com 42 vitórias, não conseguiu seguir em frente e teve, pela primeira vez em sua história, uma campanha vencedora (mais de 50% de aproveitamento em vitórias) sem angariar a pós-temporada.

A ordem era reconstruir.

O perímetro

Dwyane Wade

A diretoria do Bulls confia no trabalho de Hoiberg e sabe que pode render bons frutos. Para isso, negociou Rose, até então um dos astros da equipe, com o New York Knicks. Inicialmente, a ideia era contar com o veterano Jose Calderon como armador. O espanhol, que chegara na troca de Rose, é ótimo arremessador e ainda tem uma boa visão de quadra. Porém, o time teve a chance de contratar Rajon Rondo e não a desperdiçou. Após grande reviravolta na carreira, Rondo tornou-se uma grande contratação. O atleta, que teve uma passagem pra lá de discreta no Dallas Mavericks, reviveu seus melhores momentos no Sacramento Kings, ao lado de DeMarcus Cousins.

Com Rondo, a presença de Calderon tornou-se dispensável. E foi o que aconteceu. No mesmo dia em que Rondo acertou sua chegada, o Bulls negociou Calderon com o Los Angeles Lakers.

O impasse das negociações entre Miami Heat e Dwyane Wade abriram os olhos da diretoria. Sonho antigo da franquia, Wade estava cada vez mais longe do time da Flórida e então, recebeu uma oferta do Bulls. Contratado por um salário jamais recebido no Heat, também até por conta do aumento do teto salarial, Wade chegou com pompas de astro e sabe-se que pode contribuir imediatamente.

No entanto, o sinal de alerta ligou.

Como, em sã consciência, um time que quer explorar o arremesso de três, tem em seu backcourt titular jogadores como Rondo e Wade? Isso sem contar com Jimmy Butler, que passa longe de ser especialista ali.

A questão, ainda não respondida integralmente, tem na evolução desses atletas a oportunidade de fazer o que Hoiberg pretende. Rondo acertou 36.5% (62 cestas convertidas) em longa distância na temporada com o Kings, a melhor da carreira no quesito. Já Wade, que na fase regular de 2015-16 arriscou apenas 44 vezes de três (sete acertos, 15.9% de aproveitamento), brilhou nos playoffs pelo Heat com 12 acertos em 23 chutes (52.2%).

Para sanar qualquer dúvida, Doug McDermott está no elenco para contribuir com isso. Em seu segundo ano na liga, McDermott acertou 42.5% de suas tentativas.

Butler é o cara. Ao menos, segundo Wade. Para o veterano, o astro do time já estava lá quando ele chegou. Então, a equipe é dele. Claro que defensivamente, Butler é um dos melhores da liga. Liderou o Bulls nos últimos anos, mas ainda precisa evoluir no arremesso. No esquema de Hoiberg, é essencial que isso aconteça.

Paul Zipser e Denzel Valentine, escolhas no último draft, deverão ter pouco espaço no primeiro ano. Zipser sai um pouco na frente de Valentine, por conta de boa pré-temporada.

Ainda quero entender o que Michael Carter-Williams, que chega depois de troca com o Milwaukee Bucks, pode trazer de benefício para o Bulls. Eleito o Calouro do Ano em 2014, o atleta deu apenas um ano de esperança ao Philadelphia 76ers antes de ser negociado com o Bucks. Arremessa mal, seleciona seus chutes de forma pior ainda, comete muitos erros de ataque, e precisa da bola nas mãos para produzir. É uma versão desatualizada de Tyreke Evans. Ainda é jovem e é um talento a ser lapidado. Hoje, é low risk, high reward. Se der certo, Carter-Williams pode ser muito útil no futuro.

O garrafão

Sem Gasol, o Bulls foi de Robin Lopez no mercado. Mas a contratação é baseada na estratégia de Hoiberg, que precisa de alguém capaz de pegar rebotes ofensivos. Em 2015-16, Lopez foi o segundo que mais deu segundas chances ao seu time, atrás apenas de Andre Drummond (Detroit Pistons) e empatado com Tristan Thompson (Cleveland Cavaliers). Lopez, além de saber pegar rebotes, é bom defensor e tem um arremesso de média distância para realizar vez ou outra.

Ainda não existe a confirmação, porém a tendência é que Lopez tenha ao seu lado o ala-pivô Taj Gibson. A esperança do treinador era que Nikola Mirotic chegasse “voando” na pré-temporada, o que não aconteceu. Hoiberg precisa de um sujeito espaçando a quadra e, Mirotic, era exatamente isso. Pode até recuperar a posição durante a temporada, mas por enquanto, o esforçado Gibson ganha um lugar no quinteto inicial.

Como o esquema de Hoiberg não precisa tanto assim de pivôs, o Bulls conta com poucas opções para o setor, incluindo o jovem Bobby Portis e o brasileiro Cristiano Felício. Portis esteve na briga pela titularidade e até teve boas partidas em sua temporada de estreia. Mas hoje, seria o terceiro nome entre os alas-pivôs. Já Felício, foi uma grata surpresa. Claro que não está pronto. Ninguém pede isso a ele agora. No entanto, assim como Portis, é para o futuro da equipe.

Análise geral

Rajon Rondo

Embora o Bulls de hoje seja apenas um protótipo do que seu técnico quer, ali existe uma chance de algo interessante acontecer. Para isso, as presenças de veteranos como Wade, Rondo e Lopez, são necessárias para conduzir essa reformulação.

E é essa a palavra. A reformulação passa por um elenco que mudou quatro titulares da campanha passada (Mike Dunleavy, Rose, Gasol e Noah) e trouxe jogadores experientes e capazes de levar o time aos triunfos. Não dá para cravar se vai dar certo já em 2016-17, mas a tendência é que o Bulls brigue por uma vaga nos playoffs. No papel, o time é muito bom. Em quadra, é necessário aguardar mais algumas semanas.

Para ter uma chance, é bom que o esquema comece a funcionar. Na pré-temporada, Wade fez o que se espera dele e tratou de arremessar de três. Mirotic precisa entrar no modo de competição, enquanto Butler deverá fazer mais do mesmo e ser o principal atleta da equipe. Enquanto parece não fazer nenhum sentido a proposta que a equipe vai trazer para 2016-17 com este elenco, acreditamos na classificação.

No mais, será estranho ver Wade com outra camisa.

Previsão: oitavo colocado na conferência Leste

  • DamonHeat

    ainda não me acostumei com o wade sem a camisa do heat kk
    volta para casa patrão

  • Galvão 🔥 #305

    Mirotic tá de sacanagem com essa inconsistência absurda.

    A NBA não espera muito tempo não, então é bom ele vir para uma temporada boa e se firmar como um pontuador sólido que é o que o Bulls espera dele.

    Acho que esse elenco se sairia muito bem na mão do Tom Thibodeau, e ganharia jogos com uma defesa extremamente pesada. Mas não vejo esse elenco com a assinatura do Hoiberg, e acho que a tática de espaçamento que ele tanto gosta terá que ser ajustada.

    • Zack Batista

      Mirota tá horrível no aproveitamento, realmente.

  • Um time muito esquisito. Você vê talento, mas não vê coesão, ainda mais se considerar o estilo do técnico. Se o Hoiberg conseguir fazer uma rotação decente e tempo de bola para os 3 armadores do time (Rondo, Wade e Buttler) irá se consagrar e pode trazer esse Bulls. Para brigar na conferência; eu, entretanto, duvido.

    • Zack Batista

      Pior q esses três não estão funcionando muito bem juntos. Rondo fica mínimo c a bola, o que camufla o seu potencial de armar o time; Wade precisa da bola pra impactar, mas Butler quer ficar chamando a responsa pra si o tempo todo… Sei não, hein!? Não tá tendo muita liga. Qdo um dos três está fora é que o time melhora mais. Complicado. =/

      • Eu nunca achei que funcionaria. Rondo precisa da bola o tempo todo, não é jogador para espaçar a quadra – o mesmo vale para o Wade e Butler.

  • Danilo

    Coloquei o Bulls em oitavo também, tem gente achando q só o McDermott da conta de arremessar nesse time, vão cair do cavalo como diria meu pai kkkkk

  • Gustavo

    Time mais difícil de prever qualquer coisa. Muito talento individual mas pouca química. Pode tanto resgatar o basquete de posse de bola e infiltração e brigar por mando, como não encaixar e ficar fora dos offs.

  • JoaoFJ

    Não vai classificar

  • #TheBrodie

    Curioso pra ver esse elenco pra lá de esquisito.
    Será que o elenco se adaptará a ponto de fazer um bom aproveitamento de fora do garrafão ou será um OKC 2.0 com uma inconsistência ainda maior na área mais afastada?
    O rumo da franquia,pra mim,passa por 2 nomes.

    Rajadon Rondon:vai precisar parar de travar o ataque,esquecendo um pouco as assists e tomando coragem pra arremessar de fora.
    Mirotic:consistência,simples.

    E lá vai o Bulls..

  • Rafael Victor

    Vou ler a previsão depois, mas essa foto da capa é emblemática:

    1 – Butler tentando ser o líder
    2 – Wade figindo que acata e concorda com o que o Butler diz
    3 – Rondo olhando com desdém
    4 – Hoiberg ao fundo com o olhar de “eles não me respeitam”, treinador sem moral nenhuma

    Complicado Bulls…

    • Knickerbockers

      Isso é uma bomba relógio! Quero ver se vai ficar nessa paz até o meio da temporada, principalmente por conta do Rondo. É igual namoro, no início tudo são flores. Só observo! kkk

    • KAJ

      Todo mundo vai pensar em encrenca após a chegada de rondo, kkkkk… mas prefiro discordar do que voce disse, sem embasamento real, apenas na esperança de que esses caras vao respeitar o time, principalmente pq o time é deles e ficou forte! nego gosta de bagunçar quando a equipe é fraca! MCW não vai se importar em ficar no banco, wade vai querer mostrar trabalho, butler é a estrela e aparentemente isso não incomoda ninguém.

    • Zack Batista

      Hahahaha… Espero q isso não aconteça e reflita durante a temporada, senão, nem playoffs..rs

  • – Tiago

    Estamos indo bem na pré-temporada, precisamos ajustar muitas coisas ainda mas acho que podemos ter uma boa temporada e creio que vamos aos offs. Essa temporada vai ser para ver realmente o potencial da equipe e na próxima temporada acredito que vamos vim bem mais fortes, Bulls tem espaço no CAP para ir atras de uma estrela na próxima offseason.

  • – Tiago

    Estamos indo bem na pré-temporada, precisamos ajustar muitas coisas ainda mas acho que podemos ter uma boa temporada e creio que vamos aos offs. Essa temporada vai ser para ver realmente o potencial da equipe e na próxima temporada acredito que vamos vim bem mais fortes.

  • Anderson Luis Monteiro

    Rondo se n arrumar confusão, pode ser mais importante que o Wade para a franquia de Illinois. O problema real vai ser a ausência de um arremessador confiável.

    • Guilherme Prates

      Não. O Wade vai ser o nome do time e vai arremessar de longe mais do que estamos imaginando.

      • Anderson Luis Monteiro

        Tomara, vai ser algo bom de assistir, um jogador como Wade se reinventando.

        • Guilherme Prates

          E pelo nível de jogador que ele é, acredito que ele consiga. Sempre lembro do Carter como exemplo.

  • Juka

    “No mais, será estranho ver Wade com outra camisa.” Nem me fala! 🙁

    • pedrokadf

  • DirkMito

    Engraçado que o pessoal reclama quando o time tem muito arremessador pq chuta o jogo todo para 3, aí reclama desse time que tem poucos arremessadores de 3. É difícil montar um time perfeito. É questões de prioridades apenas. Times do Leste no início sempre tem muita expectativa e acabam decepcionando no final. Acho que Bulls chega em 6.

    • pedrokadf

      acho q 6° tb

  • Michel Moral

    Time novo. Nada a ver com o Bulls do passado recente.

    E time novo é sinônimo de dúvida, ainda mais quando se tem jogadores de personalidades fortes. Acredito que apesar de Wade gostar de declarações polêmicas, é um cara que sabe lidar com a adversidade e sabe dividir os holofotes.

    O problema vai ser Rondo e Butler. O camisa nove “causou” em Boston e Dallas. Já Jimmy vem de um ano criticando todos em Chicago, até o técnico.

    Não estou dizendo que Wade não será motivo para brigas, até mesmo porque não morre de amores por Rondo. Só acho que ele sabe lidar melhor com a situação do que seus outros dois companheiros.

    Se o Bulls souber administrar as vaidades, é um time que pode ir longe e a oitava vaga vai ficar até pouco se tudo der certo.

  • Danilo Veroneze #GreenRunsDeep

    o problema é esse front court

  • Julio Zago

    Em tese é um time que pode dar certo e se tornar muito competitivo, o elenco é formado por jogadores experientes, vencedores e acostumados com o jogo da liga.
    Porém, existem muitos pesares, fica evidente a carência de arremesso do perímetro no elenco titular, seria Mirotic capaz de ganhar a titularidade e suprir essa lacuna? Outro ponto que pode pesar é o ambiente do elenco, Rondo tem evidentes problemas de relacionamento, Wade sempre foi acostumado a ser o centro das atenções, Butler também teve problemas no último ano, enfim…
    Por tudo isso é difícil prever se elenco vai se encaixar, mas eu apostaria que sim, aliás, acredito até que esse time tenha condições de brigar pelo quinto ou sexto lugar.

  • Charles Teodista

    Eu apenas queria saber qual a tara das pessoas por arremessadores de três pontos, até parece que o jogo se resume a apenas isso.

    Vejamos:

    Rajon Rondo, sim é um encrenqueiro más, é um dos poucos armadores puros que existem na liga e habilidoso passador, um marcador eficiente, reboteiro e melhorou seus arremessos desde a temporada passada.

    Dwyane Wade, é preciso falar alguma coisa sobre ele? Também melhorou seu arremesso de três.

    Jimmy Butler, marcador implacável, pontuador atlético, alto QI de basquete e que também vem melhorando seus arremessos.

    O que nós temos são dois campeões, e um jovem que vem melhorando suas estatísticas ano à ano, vocês acham que apesar dos egos eles não vão tentar se acertar para serem campeões? Afinal de contas nós temos um cara que vem sendo criticado há muito tempo, um cara que quer sim mostrar para sua antiga equipe o que eles perderam e um cara que deve estar cansado de sempre ficar no meio do caminho.

    Quanto ao resto do time:

    Nikola Mirotic, Doug McDermott e Denzel Valentine são bons nos tiros de três.

    Taj Gibson, Bobby Portis, Robin Lopez e Cristiano Felício é um garrafão eficiente na defesa e que pode render no ataque dependendo do jogo.

    Spencer Dinwiddie, Jerian Grant, Michael Carter-Williams, Isaiah Canaan e Paul Zipser são apostas sendo que, pode render frutos no futuro e até mesmo nessa temporada.

    Eu acho na minha modesta opinião que a equipe é muito forte e pode chegar mais longe do que muitos esperam.

    Abraços à todos.

    SeeRed

    • João Paulo Mota

      Penso mais ou menos por aí. A quesão se resume em estilo de jogo. Você monta a sua estratégia de jogo conforme os jogadores que possui. Então, se se possui tantos excelentes “ball handler’s”, por que não arrumar uma forma de que estas qualidades sejam combinadas e potencializadas em favor do geral da equipe?

      Me custa crer que na maior e melhor liga de basquete do mundo não haja treinadores capacitados para fazê-lo. Se não, entramos num simplismo reducionista.

      Hoje (quase) todo mundo espaça a quadra e arremessa de longe, se meu time fizer diferente não conseguirá ganhar? Não creio nisso.

      No caso do Bulls, com tantos bons marcadores e ótimos atletas, infiltradores natos, dá pra jogar bem no contra-ataque e no mano-a-mano.

      • Charles Teodista

        Pois é João, parece que para todo mundo hoje em dia as equipes tem de jogar apenas espaçando a quadra e arremessando de três, se não fizer isso não presta e não vai ter sucesso.

        Esquecem que o jogo de basquete tem outros tipos de jogada ofensiva.

        Abraços.

        • João Paulo Mota

          Isso aí, Charles.

          Abraço!

    • Zack Batista

      Embora o time não funcione bem com o trio parada dura(Butler, Wade e Rondo) juntos, ainda acredito q essa equipe galgue o top 4 da conferência. Temos peças q torna isso perfeitamente possível. Só a briga de egos q colocará tudo a perder.

      • Charles Teodista

        Más Zack, para saber se vai funcionar ou não só depois que a temporada começar realmente.

  • Matheus Pitarello

    eu acho q o maior erro do Bulls foi mandar embora o Thibodeau…

    • THE BULLS23

      Nada… técnico retranqueiro.

      • Matheus Pitarello

        pelo menos o time ia pro playoff… a defesa piorou sem ele e o ataque continua o mesmo lixo…

  • Leo R.

    A chance de erro é grande, mas Knicks e Bulls são duas de minhas apostas para chegarem aos offs no Leste. São times ainda imprevisíveis, com grande nomes, mas resta saber se vai dar liga e os respectivos atletas se manterão saudáveis e jogando em alto nível.

    Bulls tem um bom quinteto inicial, por mais que faltem arremessadores de perímetro. Creio que Mirotic acabe sendo o ala-pivô titular a curto prazo.

    O banco, em sua maior parte, formado por jogadores novatos e inexperientes, mas como bom potencial de crescimento. Portis, Mc Dermott, Felicio e MCW podem e devem ajudar no descanso aos titulares.

    Minha aposta, Bulls em sétimo.

  • Talento, talento, talento…
    o esporte passa muito por isso…
    e com esse elenco que o Bulls terá nas mãos (mais a sua torcida apaixonada), será diferente e difícil não ver esse time brigando por mando.
    terceiro lugar do leste

  • Felipe Monteiro

    Minha Previsão:

    Chicago Bulls: 6º Lugar

  • THE BULLS23

    Acho que Mirotic é a peca chave. Ele pode ser algo próximo a Dirk. Wade e Rondo vão entregar o que se espera. A previsão de oitavo é ótima pois vamos bater LeBron.

    • David Ribeiro

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Dirk?

  • Killer Crossover

    Vou ser breve ao que penso do Bulls: um time que harmonicamente tem tudo pra dar errado entre as “3 estrelas” (mesmo com os comentários políticos dali e daqui que já soltaram) e mesmo isso não se concretizando, não acredito que passe da segunda rodada dos offs (acredito que vão se classificar entre 6~8, pra mim dificilmente eles ficam de fora, à menos que tenham essa intenção ao longo da season). O Knicks é um simples exemplo de time que nos offs pode bater o Bulls (pra mim).

    P.S: Adoro o Flash e longe de mim torcer contra ele, mas não acho que hoje seja um time capaz de superar o que disse acima.

  • Matheus Pitarello

    Wade com outra camisa é estranho, nao combina…

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados