logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 1 nov 2016 às 22:45
Ben Simmons detona amadorismo da NCAA em documentário

Para primeira escolha do último draft, jogadores universitários deveriam ser pagos por serviços em quadra

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Ricardo Stabolito Jr.

Ben Simmons LSU

Uma das maiores discussões em andamento no basquete competitivo dos EUA não acontece na NBA, mas no nível imediatamente anterior. Os jogadores universitários contestam as regras de amadorismo da NCAA, que os proíbe de receberem salários ou premiação material das instituições superiores. Primeira escolha do último draft, o ala Ben Simmons não tem dúvidas de que o sistema (que também precisou que respeitar) é injusto com jovens atletas.

“O sistema de NCAA está realmente estragado. Todos estão ganhando dinheiro com isso, exceto os jogadores. Somos aqueles que acordam quase de madrugada para formarmos as melhores equipes e fazermos tudo o que querem. E, então, saímos sem nada. Eles dizem que recebemos educação, mas, se fico lá só um ano, não recebo muita educação”, questionou o calouro do Philadelphia 76ers, em entrevista a um documentário do canal Showtime Sports.

Os atletas da NCAA só podem ser “recompensados” atualmente por seus serviços em quadra com a bolsa de estudos da instituição que defendem. Com a regra do “one and done”, que permite a profissionalização dos jogadores após apenas um ano de experiência nas universidades, o benefício acaba não sendo aproveitado integralmente pelos principais prospectos do país.

  • JVRave

    Faz sentido…

  • Rubem Figueira.

    Se o Simmons falou ta falado.

    • TRUETHIAGO

      Falou uma bela besteira, isso sim.

  • A.C

    vergonha esse sistema é uma farsa eles botaram uma regra obrigando o cara entrar em uma universidade mas n querem pagar eles por isso kkkkkj

  • Gustavo

    Eu acho certo… Jogador universitário não tem que receber. Já recebe demais ganhando a bolsa de estudos.

    ” Mimimi mas vou ficsr só um ano não recebo muita educação ” Isso é problema seu ! Fica um ano por que quer, a bolsa cobre todo o tempo de estudo.

  • DamonHeat™

    recebem uma bolsa + chance de entrar para nba.
    e ainda quer ganhar dinheiro? por favor né… no minimo os cara saem da faculdade formados.

    • – Tiago

      Isso que eu ia falar, Simmons é um brincalhão

  • Chimbinha

    Só me faltava essa, o cara entra numa faculdade,tem a chance de escolher ainda qual ele quer ,sem pagar nada,estudo do bom e do melhor e ainda quer ganhar dinheiro .aí fica um mísero ano e quer reclamar,tadinho

  • Marcelo Desoxi

    Certo ou errado, ele se posicionou. Fazendo jus a expectativa dele ser o Novo LeBron em todos os aspectos.

  • Gabriel Almeida

    Vcs tem noção do quanto a NCAA, os tecnicos e as Universidades ganham. E que os jogadores que são os q fazem esse dinheiro acontecer só chupam dedo. E se vc falar que eles recebem educação, isso é a maior balela, vc gostaria de trabalhar e sua empresa te pagar com cursos de excel. Acho q não.
    Além disso Alguns tipo o Simmons nem queriam estar la, só foi pq a NBA obriga

    • Galvão 🔥 #HEATisOn #305

      Obriga não, ele poderia ter ido pro basquete profissional fazer o 1 ano que a NBA exige depois do término do High School e depois ir pro Draft, como Mudiay e Jennings. E esse tipo de atividade na faculdade não é um trabalho, é atividade extra curricular.

      • Gabriel Almeida

        Então estar certo a NCAA ganhar um monte de dinheiro e proibir os alunos de ganharem?

        • Gustavo

          Sim !

          Os ALUNOS estão lá para estudarem e os esportes são atividades que contam como extra-curriculares,s e for assim alunos que fazem trabalhos voluntários tambem deveriam receber

    • TRUETHIAGO

      Sim, alguns HC ganham mesmo um belo dinheiro… Coach K, Calipari, entre outros, recebem salários até maiores que alguns treinadores da NBA (mas, novamente, não são todos; é uma minoria). Só que aqui estamos falando de CONTRATOS, eles são funcionários da universidade, treinam a equipe, participam do desevolvimento do programa, da fase de recrutamento do High School, etc.

      Os jogadores são ALUNOS, não possuem nenhum vínculo de trabalho, e aliás são livres para TROCAR DE UNIVERSIDADE na hora que quiserem, sem terem que pagar nenhuma multa, nenhum centavo.

      A única regra que existe é que, quando acontece essa troca, precisa ficar um ano de “Redshirt”. Como é o caso do Malik Newman, para citar um caso, que trocou Mississippi State por Kansas e terá que esperar até 2017-18.

    • Você está comparando um curso superior em uma universidade norte americana com um curso de excel!? Ensino superior é caríssimo no USA, e as famílias levam isso muito a sério, fazendo poupança desde que o filho nasce para conseguir pagar, outros hipotecam a casa e qualquer outro bem, outros fazem empréstimos universitários e levam quase uma década para pagar. Se considerarmos o valor da educação, então é válido dizer que o atleta recebe algo em troca sim.

  • Galvão 🔥 #HEATisOn #305

    Acho correto jogadores não receberem salários.

    Se ele ficou apenas um ano, o problema é dele, mas ganhou uma bolsa universitária que muitos americanos desembolsam rios de dinheiro, muitos pais fazem poupança desde quando o filho nasce para poder dar essa chance de estudar o nível superior. Os programas esportivos, científicos, tecnológicos e etc, são apenas uma oportunidade para pessoas com potencial de representar a faculdade que recebem essa oportunidade de ganhar um desconto ou até mesmo 100% do curso, se o atleta entra na faculdade com a intenção de ficar apenas 1 ano o problema é dele. Por que ele não é obrigado, pode muito bem passar esse um ano no basquete Europeu, asiático ou Sul-Americano para contar a experiência como profissional, assim com outros já fizeram por precisarem de uma condição financeira melhor. Acho uma posição um pouco gananciosa do Simmons, mas é o entendimento dele e tenho que entender.

    • Marcelo Desoxi

      As faculdades americanas destinam um montante de vagas só para os programas esportivos, ou os atletas entram no mesmo viés que alguém que fez alguma prova de aprovação ?

      • TRUETHIAGO

        Não sei dizer o número exato, mas tenho certeza que existe sim um limite. Tanto que você raramente vê uma universidade montar times fortes, por exemplo, no basquete E no futebol americano.

        Geralmente, as universidades que são boas em um, acabam sendo ruins no outro, e vice-versa; justamente porque acabam priorizando na hora do recrutamento de uma modalidade, em detrimento da outra.

      • Tem vagas destinadas só para os programas. Porém até mesmo os atletas devem fazer uma prova (que me foge o nome) a nível de ensino médio, e existe uma nota mínima, para se estar elegível a ingressar na faculdade. Bradon Jennings e Emmanuel Mudiay, por exemplo, tiveram problemas com notas e por isso optaram, pelo basquete europeu e chinês.

  • TRUETHIAGO

    O Galvão me poupou de digitar nesse feriado, rs…. valeu! É isso, ninguém é obrigado a nada e defender uma universidade, seja em qual modalidade for, conta como atividade extracurricular. Se quer dinheiro, tem toda a liberdade para ir jogar um ano na Europa, China, Australia** (…) depois entra no Draft, simples assim.

    Essa discussão só existe porque realmente o basquete e o futebol americano universitário de fato movimentam muita grana, são televisionados por canais importantes, recebem direitos de transmissão, possuem patrocínio de material esportivo e tal. Porém, para manter o programa existe um custo alto também, não sei dizer exatamente sobre LSU, mas as “tops” como Duke, North Carolina, Kentucky, Kansas e cia ltda, possuem uma estrutura absurda para os moleques, viajam em voos fretados, ônibus modernos, enfim, praticamente padrão NBA. Mas aqui estamos falando de uma exceção, e não a regra do negócio. Existem várias modalidades que não geram audiência e, consequentemente, receita dessa forma. Ou seja, se fosse pagar salários para os alunos que defendem as equipes de basquete/futebol americano, teriam que igualmente fazer isso com os do Badmington, Tênis, Natação, “Soccer”… E aí, como fechar essa conta???

    ** Inclusive tivemos um outro caso de jogador bem cotado no HS que declinou das ofertas universitárias (tinha quase tudo certo com Arizona) e foi jogar fora: Terrance Ferguson (SG/SF).

  • felipe fernando Oliveira

    Ele deveria se preocupar em se recuperar.

  • drakes

    Eu tenho muitas dúvidas sobre o sistema armador da NCAA, tem muita gente ganhando muito, já li muitos jogadores criticando, a estrutura é dada a nível NBA, por que a geração de dinheiro é enorme, , até por que uma contusão pode ser fatal, inclusive o citado Terrance Ferguson que passou a NCAA descreveu esse como um dos problemas.

    São lucros de 1 bi só em basket, não entra na conta as doações de ex-alunos das categorias esportivas ou outros que o fazem por causa do programa de esporte. Por isso, eu acredito que vale sim pensar em uma alternativa.

    Eu mudaria já algo que o TRUETHIAGO colocou sobre o “Redshirt” pelo menos deviam muda-lo, se é amador, o cara deveria ser livre de ir para outra Universidade e já começar a jogar acabaria com o período de “espera”, todos sabem que esse instrumento é uma pequena punição, já que congela a vida esportiva do atleta.

    • TRUETHIAGO

      Não entendi a parte da contusão… Ele não pode se lesionar jogando lá na Australia???

      • drakes

        Se ele fica parado recebendo como qualquer trabalhador, ele já sai ganhando antes, mesmo para EUA é difícil vc ver profissões que o cara ganha U$ 75.000,00 ano, ele faria a NCAA por que é o melhor caminho para o draft.

        Ele também citou um mal ano, mas pode ocorrer como o caso do Myles Turner, ele estar em um time com um técnico que faz um esquema ruim, Kyle Wiltjer teve problemas em Kentucky por dizer que dava muito atenção aos estudos (é uma das razões ditas que ele saiu, nunca ele confirmou ou eu li).

        Como dito, eu não tenho posição sobre o não recebimento de salários, mas o caso de troca de universidades, sim.

        • TRUETHIAGO

          Sim, vai continuar recebendo seu salário. Mas esse argumento que a lesão na universidade é “fatal” não cola, a não ser que seja realmente algo muito sério, excepcional. Existem diversos exemplos de jogadores que se machucaram durante a carreira universitária e foram draftados depois.

          Obviamente que costumam cair nas projeções, mas mesmo escolhas da reta final do 1st round já conseguem ter contratos garantidos. De cabeça agora posso citar um caso, do Draft 2016: Caris LeVert. Teve várias lesões durante seus 4 anos em Michigan, especialmente nos dois últimos, perdeu a maioria dos jogos. Ainda assim, escolheram ele na #22 e o garoto já tem 3M a receber até 2017-18 dos Nets, até se nunca pisar em quadra ou quebrar as pernas durante um treinamento (falando em fatalidades, rs…)

          A minha posição também não é extrema. O que questiono é essa argumentação, em geral não me parecem consistentes. Fora que é incomparável a vitrine que ele teria jogando numa universidade como Arizona, sendo treinado por um dos melhores coachs do College (Sean Miller) com a que terá atuando na gloriosa “Liga Canguru”. Enfim, se ele acha que essa grana imediata vale mais do que jogar de graça e correr os tais riscos de uma temporada no College, está no direito dele.

          E declarações por declaração, o Brandon Jennings também já deu entrevistas dizendo que se ARREPENDE de ter pulado o universitário pra jogar na Itália, onde viveu um ano praticamente isolado e tinha pouco tempo de quadra.

  • Em média os gastos com ensino superior no USA chegam a US$ 40 mil por ano. Detalhe que não estou me referindo as universidades da Ivy League (Harvard, Columbia, Yale etc.) pois essa é muito mais cara. Ensino superior no USA é caríssimo e os atletas tem a oportunidade de cursá-lo de graça, e isso é o equivalente a um salário sim. Se o atleta passa apenas um ano na faculdade isso é uma escolha dele. E se tiver interesse ele pode retornar no verão para continuar os estudos, então o ano que ele passar na NCAA não será em vão.

    • Rastaman

      O cara pode continua cursando? Essas tops passam dos 100k ano. Mesmo sem jogar a bolsa ainda vale? Duvido

      • Uncle Drew – #RallyTogether

        Pode sim. O Westbrook concluiu (acho) sua graduação, msmo depois de ter ido para a NBA antes de completar os 4 anos de UCLA. Ele atendia as aulas na Off-season da NBA. O Cam Newton (QB do Panthers) tbem, ele ficou 3 anos no College, foi para a NFL e na Off-season ele estudava. Newton se graduou em 2015. O Shaq, fez a msma coisa. Ficou 3 anos em LSU, depois finalizou seus estudos enquanto ainda estava jogando na liga.
        O cara q vai para a NBA, pode voltar sim para concluir seus estudos.

        • Carlos Eduardo Furim

          No curso da carreira, Shaq ainda fez mestrado, e concluiu o doutorado um ano depois de se aposentar das quadras.

      • Acho que perde a bolsa, mas não os créditos. Nas universidades US é preciso um determinado número de créditos para se formar, e isso o atleta não perde se tiver o interesse de continuar estudando, por isso o tempo que ele passa lá não é em vão. E se ele entrou na NBA ele é capaz de pagar pela sua graduação.

    • Vitor Martins

      Eu concordo, mas é uma discussão interessante. Eu nunca tinha parado direito para pensar e o Simmons tem um ponto importante sim, que muita gente se esquece, os caras geram muito dinheiro, pra NCAA, pro programa, pra faculdade. Sempre achei interessante os jogadores não ganharem, entrei aqui achando que era mimimi, mas vendo por esse ponto de vista, eu não sei se eu concordo, mas eles geram mais dinheiro do que a bolsa provavelmente. Essa discussão também devia fazer parte de NBA, geral critica GM por oferecer salário gigante pra jogador mediano, e isso é sim um absurdo, mas a parte mais importante da NBA são os jogadores (assim como na NCAA), se eles estão ganhando muito é pq com certeza tem donos e empresários ganhando ainda mais sobre o trabalho e a imagem dos caras. Pode parecer mimimi e muito desconexo da nossa realidade, mas faz sim sentido. Acho que o alvo nunca deveria ser o jogador, mas sim que ganha dinheiro com eles fazendo muito pouco.

      • É claro, que a Universidade tem seu lucro. O que eu quis dizer, é que não é como se o atleta não ganhasse nada. Pelo forma que o Simmons disse, dá essa impressão. Acho que o que poderia ser considerado, é uma ajuda de custo para atletas que comprovem baixa renda.

  • Felipe Rodrigues

    Concordo com Simmons acho q os atletas deveriam ser pagos.

  • LP

    Concordo com a NCAA que os atletas não devem receber salários, ja recebem a bolsa de estudos que corresponde a pelo menos 60 mil dolares por ano.O grande absurdo da NCAA pra mim é o fato de os atletas não poderem ter contratos de patrocinio ou outras formas de ganhar dinheiro com a imagem deles.

  • João Vitor

    Por isso que não se deve ter essa limitação pra entrar na NBA, se o cara quer ir direto do high school não tem problema

  • Tárcio

    Não acho que pagar salários faria bem pra NCAA, eles são estudantes e representam suas Universidades.
    No máximo poderiam ganhar prêmios pelas conquistas, o que no seu caso Ben Simmons, não mudaria nada!
    Rsssssss

  • Wesley Roberto Silva

    Já vi reportagens, filmes e documentários falando sobre a NCAA. Acho fantástica a fiscalização sobre os atletas para que as regras sejam cumpridas e os atletas não sejam assediados por dinheiro para jogar nesta ou naquela escola. O que deveria haver, que acho que não tem, é uma bolsa onde os atletas receberiam de forma tabelada, afinal dedicam o tempo extra aula ao esporte e automaticamente ao marketing da escola ou universidade. É justo sim ter uma bolsa em dinheiro, mas um valor como um salário mínimo e não contratos milionários como acontece no profissional americano.

    Um exemplo foi o Chis Webber que, quando jogou na NCAA, se envolveu em um escândalo por receber dinheiro de um empresário (mafioso) local que o ajudava financeiramente e este caso veio a público alguns anos após ele ir para a NBA.

    • luiz

      Seria interessante q se recebesse como um “estágio”, limitado a um valor de salário mínimo.

      Mais q isso tornaria o basquete universitário corrompido, seria péssimo

  • ThiagOo25

    E eu pensava que eles recebiam, porque andam com carros bacanas, jóias…

  • nico

    maioria vai pra nba … com salario anual em media de 1 milhão de dolares… estudam de graça.. quer fazer valer a educação ? fica ate se formar.. faz facu a distancia.. chororo do caralho… quem dera se no brasil esse sistema fosse geral.. poucas escolas e faculdades dão auxilio bola aos atletas !!

  • alan

    não tem que pagar nada ..o sistema está mt bem da forma que é e não há pq se mudar isso !!

  • osmfapsmfafmsa

    porra se ele soubesse o que a gente passa aqui no brasil nbb ea cbb, ele nunca mais ia reclamar, quem me dera ta no lugar dele kkkk.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados