logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 30 nov 2016 às 19:46
Matthew Dellavedova confessa que não poderia deixar de ir para o Bucks

Australiano deixou o Cavs após três temporadas para atuar pelo Bucks

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Pedro Nery

O armador australiano Matthew Dellavedova reencontrou pela primeira vez o Cleveland Cavaliers na noite desta terça-feira (29) e saiu vitorioso com o triunfo do Milwaukee Bucks por 118 a 101. Antes do confronto, o jogador de 26 anos refletiu sobre sua decisão de deixar os atuais campeões para ingressar em um novo desafio na sua carreira.

“Foi difícil decidir sair porque eu estava no time campeão e eu amei meu tempo em Cleveland”, declarou Dellavedova. “Time divertido, belo grupo de jogadores, ótima organização, sem contar os fãs. Mas eu tive uma grande oportunidade que eu não poderia deixar passar para eu ver o quão bom eu posso ser como um armador titular e realmente me desafiar. Nunca se sabe quando isto apareceria novamente”.

Na noite do reencontro com sua ex-equipe, ele marcou três pontos, pegou três rebotes e distribuiu sete assistências. Em sua quarta temporada de NBA, o australiano vem tendo suas melhores médias na carreira. São 7.9 pontos, 6.3 assistências, 2.9 rebotes e 1.0 roubada de bola em pouco mais de 29 minutos de ação por jogo.

“Tem sido bom minha experiência. É um desafio que eu estava procurando”, apontou Dellavedova. “Conhecer um novo grupo de jogadores, um novo sistema de jogo, nova equipe de técnicos, além de uma cidade. Ainda estou me ajustando, mas tem sido bom até agora. Eu sinto que já aprendi muito até agora e ainda tenho muito mais para aprender”, finalizou o armador.

  • Bom jogador, nada mais. Parece ser um cara querido de grupo, vai ter carreira longa na NBA.

    • WESLEY

      concordo

  • Michel Moral

    Apesar do volume de jogo do grego, confesso que Dellavedova faz uma temporada abaixo da minha expectativa, ainda que esteja fazendo os melhores números da carreira.

    É pouco para um armador de uma equipe mediana como a do Bucks – fazer oito pontos e seis assistências. Até entendo que ele não é somente um jogador de stats, mas para ser titular você precisa ter um mínimo que dê sustentação à posição.

    Em outras palavras, ele não está correspondendo à altura de um armador titular e está desperdiçando sua chance.

    • Tárcio

      Acho que não da pra cobrar algo que ele não possa dar!
      O Dellavedova é isso ai, e ta até bem, se o salário dele ta nas alturas, cobrem a diretoria.
      È um pouco do Mozgov também, ta jogando bem, com números razoaveis, fazendo o máximo que pode.

      • Leonardo

        Concordo em parte com os dois comentários. São menos de 20 jogos ainda na temporada, não da pra dizer nem que ele não é capaz nem que já fracassou ou esta deixando passar a oportunidade. Teríamos que ouvir o Kidd, grande mestre no assunto, falar sobre para ter uma opinião legítima. Mas ainda acho que é bem cedo para esse tipo de julgamento. Ele é muito esforçado, talvez seu talento acabe aí, talvez o treino melhore sua performance, como fez com muitos bons jogadores. Eu prefiro aguardar mais e apostar nele, nesse time, nesse técnico, no Grego…

    • CSM

      Delly é um caso particular e, reconheço, o seu papel ideal é de base suplente num contender pois o seu jogo é muito limitado para ser titular, em condições normais. Penso que é uma solução temporária como titular dos Bucks, excelente para ajudar o desenvolvimento dos jovens. No entanto é o perfil de base adequado para jogar com o Greek Freak, muito bom sem bola e não precisa dela para ter impacto no jogo, bom atirador de 3 e defesa muito empenhado, chegando a ser irritante. Não é um perfil de base muito comum na NBA, sendo mais frequente em alas armadores e, assim de repente, só um base desse perfil me parece claramente melhor que Delly (Patrick Beverley dos Rockets, que joga de maneira similar com A Barba Harden).

      Parece-me que é por aqui que deve ser avaliado e tem de melhorar nos lançamentos de 3, muito abaixo da sua média de carreira. Mas estes Bucks são muito mais equipa que a época passada e uma parte tem de ser atribuída não só à evolução do Grego, mas também ao facto de estar a jogar com um base que encaixa muito melhor com o seu jogo.

      Acho que Delly não é uma solução de longo prazo a base titular, mas é um bom jogador de equipa, com grande inteligência, evita fazer o que não sabe, joga sempre dentro das suas capacidades, é excelente elemento de balneário (trabalhador e nada egoísta). Não é dos melhores do Mundo, mas com o novo salary cap existem contratos muito piores que o de Dellavedova. Da minha parte, máximo respeito para Delly, ganhou esse contrato com muito trabalho, de forma justa, melhor que o de jogadores muito mais “talentosos”. A forma como ganhou o lugar de base suplente ou combo guard nos Cavs, como undrafted, a jogadores de “grande potencial” como Dion Waiters, e Karasev ou “melhores” como Mo Williams e até Jarret Jack, sendo um jogador de equipa que faz o que for preciso para ganhar é para aplaudir de pé.

      Pode não ser um “base titular”, mas encaixa muito melhor com o Grego que qualquer um do ano passado. Creio que a avaliação final da prestação de Delly terá mais que ver com o desempenho dos Bucks como equipa no final da época do que propriamente com as stats individuais do seu base…

  • Fiel Gavião

    diviria í para u mel timão ganhá u nbb

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados