logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 13 jan 2017 às 11:39
A pior primeira escolha do draft?

Ricardo Romanelli comenta a trajetória de Anthony Bennett, primeira escolha de 2013

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Ricardo Romanelli

Quando a pauta é escolhas de draft, muitos gostam de discutir quem foram as piores seleções na primeira posição do recrutamento. Frequentemente são citados nomes como Kwame Brown, Michael Olowokandi, Joe Smith, Andrea Bargnani, entre outros. Apesar de tanta ruindade, nessa semana um nome conseguiu se destacar dos demais: Anthony Bennett.

O canadense, selecionado na primeira escolha do draft de 2013, pelo Cleveland Cavaliers, foi dispensado pelo Brooklyn Nets nesta semana. Em menos de 4 temporadas na liga, ele já conseguiu ser dispensado por uma das piores franquias da NBA. Acho que nunca vi uma derrocada tão acentuada.

Tudo bem que o draft de 2013 não foi dos melhores, mas dali saíram alguns excelentes valores como Victor Oladipo (2), Otto Porter Jr. (3), Nerlens Noel (6), C.J McCollum (10), Steven Adams (12) e Giannis Antetokounmpo (15), apenas para citar alguns nomes. Na época, a reação a sua escolha foi de surpresa e ceticismo, e a maioria dos analistas estava correto. Ele simplesmente não tinha a menor condição de ser a primeira escolha do draft, e provavelmente não deveria nem ter sido uma escolha de loteria.

Logo em sua temporada de estréia, foi muito mal pelo Cleveland Cavaliers. Com diversas performances muito abaixo da crítica, logo ficou evidente que estávamos diante de um dos maiores erros da história do draft. Ele demorou 33 jogos para fazer mais de dez pontos em uma partida, demorando três vezes mais que todos os outros jogadores que haviam sido primeira escolha do recrutamento até então. Ele terminou a temporada com apenas 4,2 pontos e 3 rebotes de média.

No ano seguinte, tudo mudou. LeBron James optou por voltar ao Cavs, e com isso surgiu a necessidade de colocar veteranos ao seu redor. Assim, Bennett, junto com outros jovens atletas do time de Cleveland, foi envolvido na troca que levou Kevin Love, então no Minnesota Timberwolves, a dividir a quadra com James e Kyrie Irving.

A expectativa era que talvez trocando de ares, o ala teria melhores chances para mostrar seu basquete. Ledo engano. Em sua segunda temporada, vieram pífias médias de 5,2 pontos e 3,8 rebotes, além de uma lesão no tornozelo e apenas 57 partidas disputadas.

No ano seguinte, 2015-16, o já decepcionante atleta assinou contrato de um ano com o Toronto Raptors, time da cidade em que nasceu, na esperança de que jogando em casa conseguisse finalmente deslanchar.

Ele acabou fazendo uma temporada pior ainda. Passou a maior parte da campanha jogando na D-League, e fez apenas 19 partidas pelo time principal do Raptors, com ridículos 1,5 pontos e 1,2 rebotes de média.

O período no Raptors foi o que selou o destino de Bennett na liga. Dirigentes e técnicos da equipe questionaram sua paixão pelo basquete, e ficou evidente que ele não tinha a mentalidade e a capacidade necessárias para o altíssimo nível do basquete da NBA.

Para essa temporada, ele ganhou nova chance no Brooklyn Nets, que tem um dos elencos mais fracos e menos coesos da liga. Culminou com a dispensa após apenas 23 partidas e algum tempo na D-League.

Então depois de três temporadas e meia, o balanço de Anthony Bennett, primeira escolha do draft de 2013, ficou em 4,4 pontos e 3,1 rebotes de média em apenas 151 jogos por 4 equipes diferentes. É, Anthony Bennett, você possivelmente conseguiu superar os jogadores que citamos no início da matéria e merece o título de pior primeira escolha do draft da história da NBA.

Nestes três anos e meio, Bennett se mostrou um jogador desinteressado, descomprometido e com sérias falhas em seu basquete. Isso a maioria dos jogadores jovens têm, mas os que alcançam sucesso na liga estão dispostos a trabalhar para corrigir e aprender, e essa era uma disposição que ele não tinha. Acredito que seu período na NBA tenha acabado. Pode ser que algum time ainda dê alguma chance na próxima pré-temporada, mas é muito difícil que venha a compor o elenco de uma franquia da NBA novamente. Triste fim.

  • Cássio

    Já pensou the greek freak sendo a firts pick e vindo pro cavs, imagina o perímetro, irwin, antetokounmpo, james, love e thompson. Jr de 6th man, seria top demais o time.

    • Joinha

      afff, que bagulho tu fumou??

    • Thiago Pinto

      Teria sido trocado com o Wolves

      • Gustavo Rocha

        Concordo. Agora imagina o Wolves com Rubio, Zack L., Wiggins, antetokounmpo e Towns. Nada mal. O Cavs iria criar uma dinastia em outro time.

        • Big Ticket #21 #GOWolves

          Se o cavs escolhesse o grego não teria o Wiggins no wolves no caso,mais ainda sim o time ia ser muito promissor.

          • Gustavo Santos

            acho que não, pq o Cavs mandou Wiggins e o Bennet no pacote para adquirir o Love, portanto se a escolha do Cavs tivesse sido o grego ao invés do canadense, então o que o colega acima disse, faz sentido… provavelmente o antetokounmpo teria sido oferecido no pacote que foi para os Wolves

          • Big Ticket #21 #GOWolves

            Tem razão me enganei…

    • Uncle Drew

      Hoje é fácil dizer isso, mas na época Giannis era uma aposta de alto risco até sendo escolhido na metade do 1° round. Ele nunca esteve nem em rumores de ser uma escolha Top 5 daquele Draft.

  • Lucas

    vem pro Heat no lugar do Derrick Williams pelo amor de deus hahaha

  • Rodrigo Siqueira

    galera estou vendendo camisa retro do cleveland cavaliers #23 LeBron James, PRONTA ENTREGA E FRETE GRATIS!!

    link: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-828338387-camisa-basquete-cleveland-cavaliers-23-lebron-james-retr-_JM

    • David Ribeiro

      Só compraria se fosse desse mito, Bennett. Tem?

    • Vinícius Maia

      Como eu gostaria que o Cavs voltasse a usar esse uniforme. Para mim, foi o mais bonito dá história da franquia.

  • David Ribeiro

    Vocês não entenderam, ele apenas escolheu um modo diferente de ser lembrado. Agora ele é único 😉

  • rubemafonsof

    Sei q nao foi a 1 escolha mais meu sixers pegou evan tuner como 2 escolha mdss so de lembrar eu choro.

  • Rômulo Franco Cardozo

    Na época diziam que o cavs escolheu pela posição e não pelo valor absoluto do cara, mas na época se não me engano já falavam que o cara tinha problemas psicológicos… acho que é ele que não viajava de avião inclusive. Enfim o cara já “nasceu” pra NBA como uma grande aposta… que se tornou uma grande feses! rsrs

    • Uncle Drew

      O jogador de problema psicológicos e q não andava de avião é o Royce White, ele foi escolhido pelo Rockets na metade do 1° round do Draft de 2012, senão me engano.

  • Uncle Drew

    Ele sentiu o peso de ser uma 1° escolha do Draft, aliado a isso ele teve azar de ter sido escolhido pelo Cavs. O time naquele momento era uma bagunça pior q o Kings.

  • Gabriel Freitas

    Se não me engano houve algumas questões ao longo do período, o pessoal aqui é melhor informado e pode ajuda a compor:

    1. Ele quando escolhido estava lesionado e/ou se lesionou na 1 temporada (Ombro eu acho, ou vinha de lesão na Universidade);
    2. Não se definiu afinal, ele era um 3 ou 4 devido sua altura. Agora no fim acredito que se definiu que o jogo dele é de um 4, ainda mais com o small ball;
    3. Problemas de peso ao longo do período (Agravam as lesões e acusações de desinteresse), não sei vocês mas, eu realmente achei que ele ia mandar melhor em Toronto;
    4. Ele se apresentou bem pelo Canadá (FIBA) o que gerou uma surpreendente chance nos Nets.
    5. Me surpreendeu a dispensa, não acompanho os Nets mas ele aparenta estar em forma desta vez e parecia estar indo razoavelmente bem como coadjuvante, não sei, como disse a galera aqui é melhor informada…

    Acho que carrega muita pressão por ter sido nº 1 e isso obviamente tem sido um fardo.

    *Para carreira dele talvez esse seja o principal ponto, já li que será anunciado pelo Fernebache Turco (FIBA) em breve.
    Veremos como ele irá se sair, se começar a se sobressair (Duvido um pouco que aconteça) talvez tenha uma segunda chance na liga mas acho que ele pode ser um ótimo role player no basquete FIBA, talvez não entre as principais equipes como um Fernebache da vida mas, tenho essa convicção. Tomara que desenvolva seu jogo…

    Sobre o draft, o nome é loteria não a toa, óbvio existem os scouts, análises diversas e mesmo assim é uma loteria… No fim você está escolhendo um ser humano e isso aumenta a imprevisisbilidade do negócio…
    Eu particulamente escolheria o melhor talento disponível x scouts x personalidade x possibilidade de crescimento, ou seja, no fim eu também teria que ter uma dose de sorte rs

    • Uncle Drew

      Sobre o segundo tópico a questão de indefinição sobre a posição. .não veio dele, veio do Cavs. Em UNLV ele jogava como um PF q explorava o jogo físico, mas q acertava alguns arremessos de longa distância.
      Cleveland estava desesperado para preencher a posição de SF da equipe, desde a saída do LeBron. Por isso q o Bennett chegou a ter poucos minutos como um SF. O q era risível, já q ele havia acabado de se recuperar da lesão, não teve tempo suficiente para trabalhar a parte física (ele passou o Training Camp quase inteiro ainda se recuperando e colocaram o cara para jogar a partir do 1° jogo da temporada regular) e acabou sendo jogado na fogueira pelo MIKE BROWN.
      Sobre o desinteresse é estranho, já na Summer League pelo Cavs o Bennett estava em forma, tava um monstro, mostrando mt agilidade. E nos jogos pelo Nets ele mostrava disposição quando tinha minutos, tava pegando um bom número de rebotes de ataque e etc. Pode ter sido desinteresse na defesa, mas ele estava jogando bem quando era acionado.

      • Mas como será que estava nos treinos? Treinadores costumam levar isso em consideração também. O que faltou para o Bennett foi alguém que desse um voto de confiança nele, desse carta branca para tentar e errar, e sequência de jogos e bons minutos. Porque mesmo nos Nets ele continuo jogando pouco, cerca de 10 minutos se não me engano. O que é pouco para alguém que precisa reencontrar a confiança. Talvez esse seja o problema, o cara se dedica se esforça, e continua jogando pouco, ai pode ter perdido o interesse.

  • Thiago25-NBA

    Mas o cara não estava indo até que bem no Nets? O problema é que não colocavam ele para jogar. A questão tbm é que se apegaram muito no passado do mlk por outras franquias. Jogar D-League é totalmente diferente de jogar NBA, já cansei comentar isso aqui. Quem joga na D-League não são os que não tem potencial para atuar na Liga principal ou os que precisam se desenvolver? Logo, obviamente, a qualidade técnica das partidas e dos jogadores não será a mesma. Como o jogador vai se desenvolver nesse tipo de Liga? Ele precisa estar com os melhores para aprender, não com os medianos para baixo ou prospectos.

  • MiniAdams #ThunderUp

    Mostra como o Nets é uma zona sem ideia. O cara poderia render bem e o que fizeram? Não deram chance. Deram chance para Dinwiddie e não deram para ele. Querem que o cara pense o que? Nets mostrando que é mais confuso que o Kings.

  • Leonardo

    Cavs tem muita sorte,fizeram merda atrás de merda mas no final pegaram aquela 1pick que acabou sendo Wiggins

  • Gustavo Santos

    feliz é o Cavs que depois da cagada que fez ao selecioná-lo, conseguiu envolvê-lo na troca para adquirir o Love

    • Não diria feliz, porque Bennett foi apenas o brinde, o que levou Love aos Cavs foi o Wiggins. Mesmo com Love Cavaliers continua tendo jogado uma primeira escolha no lixo.

  • Rogério Rodrigues

    Galera falando que o Nets não deu chance pra ele, mas eu discordo um pouco pq só quem sabe o dia a dia e a disposição do jogador nos jogos e treinamento é a comissão técnica. Então creio eu que ele seja mesmo descompromissado e lhe falte técnica para seguir na NBA.

  • Carlos Eduardo

    Pra mim, dois problemas: ele não tinha condições de ser 1a escolha e a pressão foi demais pra ele, o que também é um defeito gravíssimo em um prospecto, se identificado; e depois não tinha nenhum cara com cacife pra ser 1a escolha.

    Mesmo hoje, eu escolheria Noel, não por ser o melhor, mas acho que ele conseguiria lidar com essa pressão, mesmo sem ser excepcional, futuro HoF. Mas o Cavs não tinha porquê escolhê-lo. E não conseguiram trocar a escolha porque ninguém via muito valor nela.

    Hoje, talvez o melhor jogador da classe seja o Antetokounmpo. Mas seria escandaloso demais escolher ele com a 1a escolha. Com a pressão talvez ele não seria o que é hoje.

    A melhor coisa pra esse draft seria não ter existido ninguém na 1a escolha!

    • Existe uma pressão natural para 1° escolha mas no Cavs da época era pior, era aquele Cavs pós LeBron, que tentava juntar os cacos enquanto James era campeão em Miami.

      Porém discordo quanto a seleção do Cavs. É sempre mais sábio selecionar o maior talento disponível independente da posição. Cavs tinha o Varejão sofrendo com lesões, e o Tristan Thompson que não teve um grande ano de rookie, fazia sentido selecionar o Noel. Ou até mesmo o Oladipo, apesar de já terem selecionado o Waiters em 2011.

      E realmente, Antetokunmpo é o melhor atleta da classe 2013, o que na época soaria totalmente absurdo, steal do Bucks. Para mim o top 3 dessa classe é, 1- Antetokunmpo, 2- C.J. McCollum, 3- Dennis Schröder. Foi um draft bem complicado esse.

      • João Marcelo S. de Almeida

        O Noel era uma grande incógnita devido a lesão grave que ele teve em Kentucky, tanto é que perdeu a 1ª temporada inteira. O Cavs buscou um jogador para jogar na posição 3, mas não entendi porque foram no Bennett que havia jogado de PF na universidade ao invés do Porter. Na minha opinião, as escolhas mais sensatas para o Cavs ali seriam Oladipo e Porter.

  • “Provavelmente não deveria nem ter sido uma escolha de loteria.” Isso já é exagero, além de ser fácil dizer hoje. Não era a mais forte, mas jogou em uma conferência decente, onde teve ótimas médias, tinha um arremesso sólido, converteu quase 40% nas bolas de 3. Os mais respeitados scouts o classificavam entre a 8° e 12° escolha. Mas ao invés disso foi selecionado pelo time errado, com a escolha errada, se tivesse sido selecionado ali pela 8°-12° pick onde era o seu lugar, talvez seu destino na liga tivesse sido outro. Sempre foi especulado que ele sentiu a pressão de ser a 1° escolha, ele claramente não estava preparado para isso. Depois do fiasco no Cavs ele perdeu de vez a confiança, ficou quebrado psicologicamente, suas jogadas de segurança, que ele fazia tranquilamente, ele passou a fazer com hesitação, com medo de errar, ai não tem jeito. E pelo que parece agora ele perdeu até o interesse e comprometimento.

    • Bom resumo, concordo

      • Coyote Brasil

        Perfeita a sua análise.

  • Gabriel Freitas

    No NBB ele seria dominante!

  • João Marcelo S. de Almeida

    Essa notícia da dispensa do Bennett pelo Nets me surpreendeu. Eu imaginava que ele não teria muitas chances no Raptors, já que o time estava brigando nas cabeças da liga, mas no Nets, o pior time da liga, tinha certeza que ele teria condições de mostrar do que é capaz. E acho também que ele é um pouco perseguido por ter sido a 1ª escolha. Só para efeito de comparação, Alex Len e Ben McLemore não vem mostrando a evolução esperada, mas continuam na liga e provavelmente continuarão após se tornarem FA

  • felipe fernando Oliveira

    Acompanha a NCAA e o draft desde de 2004 bem de perto, e me lembro bem que Bennet fez uma boa temporada por nevada naquela temporada. Como aquele draft de 2013 não tinha muitos atrativos era tido como uma loteria muito fraca. A escolha de Cleveland foi baseada naquilo que a equipe precisava naquele momento tendo em vista que aquele draft não tinha jogadores fora de serie. Alex Len e Noel estavam machucados e eram uma incógnita, Adams, Olynyk, Dieng e Gobert não seriam completamente o que a equipe tinha em mente. A escolha de Bennet foi baseada naquilo que ele apresentou em seu ano universitário. Ele é fisicamente muito forte, demonstrou uma defesa sólida e um jogo de ataque até então eficaz. Como alguns sites diziam eu até concordo, ele era baixo pra ser PF e lento pra ser SF, mas naquele momento era uma escolha tido como sólida. Ele não foi draftado pra ser um ALLS, foi escolhido pra ter ali seus 17 pontos e 8 rebotes de media. Vendo hoje o que aconteceu é fácil falar que foi um desastre, dizer “imagina Clevelando com CJ ao lada de Irving, com Adams segurando o garrafão, com o grego fazendo de tudo, e por ai vai” só lembrando que o Rookie daquela classe foi MCW, mas quem ali conseguiria segurar a onda de ser o nº 1, pois pra mim o que aconteceu com ele foi que não aguentou a pressão. Tomara que ele reencontre seu melhor jogo, e se desenvolva na Turquia, e quem sabe volte de cabeça erguida pra NBA e mostre seu jogo.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados