logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 20 fev 2017 às 11:32
Draft 2017 – Candidatos a steal

Gustavo Lima apresenta os prospectos pouco badalados que podem surpreender na NBA

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Lima

O aguardado e badalado do Draft de 2017 tem vários prospectos de elite como Markelle Fultz, Lonzo Ball, Dennis Smith, Josh Jackson, Jonathan Isaac, Jayson Tatum, Malik Monk, entre outros. Todos são novatos no basquete universitário e cotados para serem escolhidos na loteria do recrutamento, que tem tudo para ser o mais forte dos últimos anos. Aliás, há dois meses fiz um artigo sobre essa turma que promete fazer barulho na NBA.

Mas também é possível encontrar talento na classe de “veteranos” da NCAA e nos prospectos internacionais. Geralmente, os atletas que estão no terceiro (junior) ou quarto ano de universidade (senior) são cotados para serem selecionados no fim da primeira ou na segunda rodada do Draft. Na teoria, são os jogadores mais prontos fisicamente e mentalmente para encarar o basquete profissional, mas que possuem baixo teto para evolução.

No recrutamento de 2011, o então junior Isaiah Thomas (Washington) foi a última escolha. Hoje, ele é o principal nome do Boston Celtics, um dos nomes na corrida para o prêmio de MVP da temporada e vai para o seu segundo All-Star Game. Naquele ano, o ala Jimmy Butler, um senior de Marquette, foi escolhido na 30ª posição pelo Chicago Bulls. Hoje, ele já possui três seleções para o Jogo das Estrelas e uma medalha de ouro olímpica. Em 2012, o ala-pivô Draymond Green, então senior de Michigan State, foi a 35ª escolha do recrutamento. O jogador do Golden State Warriors já tem no currículo um anel de campeão da NBA, duas participações no All-Star Game, duas nomeações para o time ideal de defesa e uma medalha de ouro olímpica.

Um dos melhores novatos desta temporada é um jogador que se encaixa justamente no perfil de “prospecto pouco badalado na época do Draft“. Malcolm Brogdon, do Milwaukee Bucks, é o caso mais recente de veterano que foi um verdadeiro “achado” no recrutamento. O armador, que completou os quatro anos de universidade em Virginia, foi a 36ª escolha no último draft e tornou-se peça importante no time de Jason Kidd. Brogdon já foi titular em 12 dos 55 jogos que disputou e tem média de 25 minutos em quadra por partida. Ele, inclusive, já conseguiu um triplo-duplo na NBA. Seguramente, Brogdon será escolhido para o time ideal de novatos.

A situação que ocorreu no recrutamento passado, quando Buddy Hield (6), Taurean Prince (12) e Denzel Valentine (14), todos no último ano universitário, foram escolhas de loteria, não irá se repetir em 2017 porque a classe de novatos deste ano é muito mais talentosa do que a anterior. Em 2017, seis junior e seis senior estão bem cotados para serem draftados, e a tendência é que nenhum deles saia na loteria.

Os veteranos que mais chamam a minha atenção são o ala-pivô Johnathan Motley, que vem comandando Butler em uma excelente campanha, e o ala-armador Josh Hart, principal nome do atual campeão Villanova. Ambos deverão sair ao final da primeira rodada do recrutamento, ou seja, deverão ser selecionados por times mais consolidados, o que pode facilitar a adaptação deles à NBA.

Um dos melhores reboteiros da NCAA, Motley tem facilidade para pontuar perto da cesta, é dono de um arremesso consistente de média distância, é um sólido defensor graças aos seus atributos físico-atléticos (envergadura, agilidade lateral e força física), e vem melhorando como passador no post. Na NBA, ele vai precisar ser mais consistente nos arremessos do perímetro para atuar como stretch four, e proteger melhor o aro quando atuar na posição 5 (precisa utilizar com mais frequência seus atributos para contestar arremessos e aumentar sua média em tocos).

Hart é um prospecto que se assemelha muito a Brogdon. Líder de um time que conquistou a NCAA na última temporada, e que vem forte para buscar o bicampeonato, o ala-armador tem poucas lacunas em seu jogo. Ele compensa a falta de atleticismo com alto QI de basquete e versatilidade. Hart pontua de várias formas, é um dos melhores arremessadores do perímetro da classe deste ano, é eficiente como defensor, tem ótima visão de quadra e senso de posicionamento, e já possui a força física necessária para encarar o basquete profissional. Ele vem forte na briga pelo prêmio de melhor jogador universitário da temporada. Com todas essas qualidades, Hart é o sonho de qualquer treinador e tem tudo para se tornar um jogador sólido na NBA.

Os 12 prospectos listados abaixo são peças fundamentais e referências em suas equipes. Daí pode sair o “novo steal do Draft“.

JogadorPosiçãoAltura
Idade
Universidade
Status
Médias na temporada
Johnathan Motley ala-pivô/pivô2,06m
21 anos
Baylor
Junior
16.7 pontos
9.5 rebotes
2.2 assistências
29.8 minutos
Josh Hartala-armador1,96m
21 anos
Villanova
Senior
18.7 pontos
6.6 rebotes
3.3 assistências
40.4% nas bolas de 3
33.3 minutos
Justin Jacksonala2,03m
21 anos
North Carolina
Junior
18.5 pontos
4.7 rebotes
2.5 assistências
38.9% nas bolas de 3
31.4 minutos
Grayson Allenarmador/ala-armador1,96m
21 anos
Duke
Junior
15.4 pontos
4.3 rebotes
3.9 assistências
31.6 minutos
Dillon Brooksala2,01m
21 anos
Oregon
Junior
15.1 pontos
2.8 rebotes
3.0 assistências
41.5% nas bolas de 3
23.5 minutos
Alec Petersala-pivô2,06m
21 anos
Valparaiso
Senior
23.1 pontos
10.5 rebotes
2.1 assistências
35.6 minutos
Monte Morrisarmador1,91m
21 anos
Iowa State
Senior
15.9 pontos
4.6 rebotes
5.8 assistências
34.9 minutos
Jordan Bellala-pivô/pivô2,06m
22 anos
Oregon
Junior
11.1 pontos
8.1 rebotes
2.2 tocos
27.8 minutos
Frank Mason IIIarmador1,80m
22 anos
Kansas
Senior
20.2 pontos
4.3 rebotes
4.9 assistências
50.9% nas bolas de 3
35.7 minutos
Sindarius Thornwellala-armador1,96m
22 anos
South Carolina
Senior
20.1 pontos
7.0 rebotes
2.8 assistências
41.6% nas bolas de 3
31.6 minutos
Nigel-Williams Gossarmador1,91m
22 anos
Gonzaga
Junior
16.2 pontos
5.8 rebotes
4.7 assistências
1.8 roubada
38.6% nas bolas de 3
31.2 minutos
Jaron Blossomgameala2,01m
23 anos
Clemson
Senior
17.3 pontos
5,8 rebotes
1.0 toco
33.9 minutos

Achados dos últimos três recrutamentos (prospectos oriundos da NCAA)

Ao revisarmos os recrutamentos de 2014 e 2015, notamos mais alguns steals entre os prospectos que vieram do basquete universitário. O armador Jordan Clarkson, que foi apenas a 46ª escolha em 2014, tornou-se um dos principais jogadores do Los Angeles Lakers. Na última offseason, o jogador assinou uma extensão contratual de US$ 50 milhões, válida até 2020. Nada mal para quem entrou na NBA com um contrato não-garantido de escolha de segunda rodada.

No draft de 2015, vale destacar quatro atletas que foram selecionados no fim da primeira e na segunda rodada. Larry Nance Jr. (Lakers), Montrezl Harrell (Houston Rockets), Josh Richardson (Miami Heat) e Norman Powell (Toronto Raptors) são jogadores importantes nas rotações de suas equipes. Se continuarem jogando bem, eles deverão ganhar uma boa grana em seus novos contratos, na agência livre de 2018.

JogadorDraftPosição
Idade
Universidade
Status
Médias em 2016/17
(por jogo)
Médias em 2016/17
(por 36 minutos)
Jordan Clarkson
(Los Angeles Lakers)
46ª escolha em 2014armador
24 anos
Missouri
Junior
13.7 pontos
2.1 assistências
27.4 minutos
18.0 pontos
2.7 assistências
Larry Nance Jr.
(Los Angeles Lakers)
27ª escolha em 2015ala-pivô
24 anos
Wyoming

Senior
6.9 pontos
5.5 rebotes
22.3 minutos
11.2 pontos
8.9 rebotes
Montrezl Harrell
(Houston Rockets)
32ª escolha em 2015pivô
23 anos
Louisville
Junior
9.4 pontos
3.8 rebotes
19.1 minutos
17.7 pontos
7.2 rebotes
Josh Richardson
(Miami Heat)
40ª escolha em 2015ala-armador
23 anos
Tennessee
Senior
11.2 pontos
2.8 assistências
31.3 minutos
12.9 pontos
3.2 assistências
Norman Powell
(Toronto Raptors)
46ª escolha em 2015ala-armador
23 anos
UCLA
Senior
7.4 pontos
2.0 rebotes
17.3 minutos
15.4 pontos
4.1 rebotes
Malcolm Brogdon
(Milwaukee Bucks)
36ª escolha em 2016armador
24 anos
Virginia
Senior
9.4 pontos
4.2 assistências
25.6 minutos
13.2 pontos
5.9 assistências

Achados dos últimos três recrutamentos (prospectos internacionais)

Além dos atletas que ficam três ou quatro anos na universidade antes de irem para a NBA, outro tipo de steal pode vir do exterior. O caso que mais chama a atenção é o de Nikola Jokić, do Denver Nuggets. O pivô sérvio de 22 anos, que foi apenas a 41ª escolha no recrutamento de 2014, já é uma sensação em sua segunda temporada na NBA. Muitos, inclusive, pediram a sua seleção para o All-Star Game deste ano. Com tão pouca idade, ele já é a referência e o principal jogador do Nuggets.

No draft passado, o maior achado entre os prospectos internacionais talvez tenha sido o pivô Ivica Zubac. Selecionado pelo Lakers na 32ª posição, o jogador croata vem ganhando espaço na rotação do time de Luke Walton e, mesmo com pouco tempo de quadra, já mostrou que pode ser muito útil à equipe. Os números de Zubac por 36 minutos são espetaculares!

JogadorDraftPosição
Idade
País de origemMédias em 2016/17
(por jogo)
Médias em 2016/17
(por 36 minutos)
Nikola Jokić
(Denver Nuggets)
41ª escolha em 2014pivô
22 anos
Sérvia16.3 pontos
8.9 rebotes
4.3 assistências
26.9 minutos
21.8 pontos
12.0 rebotes
5.8 assistências
Willy Hernangómez
(New York Knicks)
35ª escolha em 2015pivô
22 anos
Espanha6.6 pontos
5.9 rebotes
15.7 minutos
15.1 pontos
13.6 rebotes
2.4 assistências
Ivica Zubac
(Los Angeles Lakers)
32ª escolha em 2016pivô
19 anos
Croácia5.8 pontos
3.9 rebotes
13.3 minutos
15.8 pontos
10.6 rebotes
2.1 tocos
Paul Zipser
(Chicago Bulls)
48ª escolha em 2016ala
23 anos
Alemanha4.1 pontos
2.3 rebotes
15.2 minutos
9.8 pontos
5.3 rebotes

O steal europeu deste ano

No recrutamento deste ano, o principal prospecto estrangeiro é o francês Frank Ntilikina. O armador foi o MVP do último Campeonato Europeu Sub-18, vencido justamente pela França. Ntilikina já é titular de sua equipe no basquete profissional e deverá ser uma escolha de loteria.

Outros jovens europeus cotados para serem selecionados na primeira rodada são o ala-pivô alemão Isaiah Hartenstein, o ala letão Rodions Kurucs, o pivô francês Mathias Lessort e o pivô letão Anzejs Pasecniks.

O meu candidato a steal é Hartenstein, que é atlético, corre bem a quadra para um jogador de 2,13m, tem a capacidade de espaçar a quadra e ser um bom stretch four na NBA, além de ser um passador em evolução, um excelente reboteiro e um defensor consistente. Aos 18 anos, ele já tem espaço no tradicional Zalgiris Kaunas, da Lituânia, e disputa a EuroLiga. Hartenstein é o protótipo do big men moderno, o que deve atrair a atenção das franquias do melhor basquete do mundo.

JogadorPosiçãoAltura
Idade
País de origemEquipeMédias em 2016/17
(por jogo)
Médias em 2016/17
(por 36 minutos)
Médias no Europeu Sub-18
(por jogo)
Frank Ntilikinaarmador1,96m
18 anos
FrançaStrasbourg (FRA)6.6 pontos
1.8 rebote
2.2 assistências
0.9 roubada
35.3% nas bolas de 3
17.2 minutos
13.8 pontos
3.8 rebotes
4.6 assistências
1.9 roubada
15.2 pontos
2.8 rebotes
4.5 assistências
2.2 roubadas
1.2 toco
58.6% nas bolas de 3
27.8 minutos
Isaiah Hartensteinala-pivô 2,13m
18 anos
AlemanhaZalgiris Kaunas (LIT)4.8 pontos
4.3 rebotes
0.7 assistência
1.0 roubada
0.5 toco
14.6 minutos
11.8 pontos
10.6 rebotes
1.7 assistência
2.5 roubadas
1.2 toco
14.7 pontos
9.5 rebotes
3.5 assistências
1.7 roubada
1.7 toco
33.3% nas bolas de 3
25.7 minutos
Rodions Kurucsala2,03m
19 anos
LetôniaFC Barcelona II (ESP)9.7 pontos
2.3 rebotes
1.2 assistência
1.0 toco
34.3% nas bolas de 3
19.5 minutos
17.9 pontos
4.2 rebotes
2,2 assistências
1.8 toco
Mathias Lessortpivô2,06m
21 anos
FrançaNanterre (FRA)10.0 pontos
6.8 rebotes
0.9 toco
22 minutos
16.4 pontos
11.1 rebotes
1.5 toco
Anzejs Pasecniks pivô2,16m
21 anos
LetôniaGran Canaria (ESP)7.6 pontos
3.3 rebotes
0.8 toco
62.5% nas bolas de 3
15.2 minutos
18.0 pontos
7.8 rebotes
1.9 toco

Quando é para criticar, a gente critica. Quando é para elogiar, elogiamos. Vocês repararam que, dos steals citados neste artigo, três deles foram selecionados pelo Lakers? A segunda franquia mais vencedora da NBA, que vive uma fase de “vacas magras”, pelo menos tem uma equipe competente de scouts. O trabalho do Lakers de garimpar talentos no final da primeira ou na segunda rodada (Clarkson, Nance Jr. e Zubac), nos últimos três recrutamentos, é digno de aplausos. O detalhe é que, no draft deste ano, o time angelino não terá nenhuma pick de segunda rodada, e, para piorar, pode ficar sem a escolha da primeira rodada, caso ela não seja TOP 3 vai para o Philadelphia 76ers. Por isso, o Lakers está ativo no mercado buscando trocar veteranos como Lou Williams e Nick Young por escolha (s) de draft.

Como todo mundo deve saber, não tem nada garantido em se tratando de Draft. Em várias oportunidades, vimos prospectos que arrebentaram na NCAA e foram um fiasco no basquete profissional (Anthony Bennett jamais será esquecido). Vários fatores são analisados quando uma equipe seleciona um jovem – potencial, teto de evolução, postura em quadra e fora dela, personalidade, atributos físicos, mentalidade, entre outras coisas. Os scouts, técnicos e assistentes que trabalham na NBA têm, na teoria, a capacidade de enxergar alguns aspectos que não têm como serem observados por quem está de fora do processo.

Por isso, fica a nossa expectativa para o próximo recrutamento. Em um draft repleto de novatos talentosos, vale a pena ficar de olho nos prospectos menos cotados, nas posições em que os “veteranos” e internacionais serão escolhidos. Tudo bem que os próximos astros deverão sair na loteria, mas nas escolhas que poucos dão valor podem sair jogadores que irão estabelecer uma carreira sólida na NBA. Os exemplos estão aí.

  • Ótimo artigo! Não apenas escolhas sólidas na 2a rodada, como verdadeiros astros. IT joga demais, mas o Draymond Green é um dos melhores jogadores da NBA, é muito completo.

  • Rodolfo

    em alguns mocks que venho vendo o Motley seria selecionado pelo Thunder.Pode ser uma boa aposta pro time.

  • nico

    e o doncic do real madrid… pode ser selecionado esse ano ?

    • Fillipe Carel

      2018

  • Fillipe Carel

    Jawun Evans e Caleb Swanigan tbm n entram nessa? ou o artigo focou mais nos Jr e sênior?

    • Maicon Gomes

      Se abranger sophomore, vou fácil de Swagão como steal.

    • gusilvalima10

      Fillipe, o foco foi falar dos JR e SR. Swanigan é um cara que acredito que vá subir nos mocks nas próximas semanas. Abraço!

  • Tárcio

    Lakers vem bem nos Steals

  • Payne “Morre Diabo”

    Desses nomes, gosto muito do Josh Hart e gosto do Jonathan Motley, Justin Jackson, Monte Morris e Pasecniks.

    O post é claramente focado em juniors e seniors, mas vejo muitos freshmans e sophomores também sendo não tão valorizados como merecem:

    Mikal Bridges é um ótimo prospecto 3 AND D, talvez o melhor do Draft nesse sentido (não sou um grande fã do Terrance Ferguson).

    Aposta minha é o Andrew Jones, muito cru, mas com bastante potencial. Apesar de que ele e o Jarrett Allen (outro prospecto para ficar de olho) devem ficar mais um ano nos Longhorns.

    Zach Collins é um prospecto que mesmo não tendo tão minutos, vem tendo ótimos números na líder do AP Ranking Gonzaga, é o terceiro maior em pontuação do time, o com melhor aproveitamento do time, tem um TS de 71.3% com um USG de 25.1%, tem média de quase 4 (3.8) blks per 40, tem um jogo sólido próximo ao aro, excelente em sofrer faltas (média de 7.9 FT per 40).

    Ethan Happ que é candidato a POY de sua conferência, não é só um ótimo jogador de College, é um bom prospecto para a NBA também. É um faz tudo em quadra, da linhagem Draymond Green, Paul Millsap, Dragan Bender, etc… Só que sem o chute desses três, que limita um pouco do seu potencial.

    Outros nomes: Donovan Mitchell, De’Anthony Melton, PJ Dozier…

    Alguns desses é bem provável que continuem mais uma temporada no College, é verdade (o Happ vi muita gente dizendo que é provável que ele fique até a sua temporada sénior, o Collins é provável que fique mais um ano, ao menos).

    • TRUETHIAGO

      Outro dia fui dar uma conferida nos números do Ferguson lá na Australia e fiquei espantado (negativamente): consta que ele atua em média apenas 15 MPG / fazendo menos de 5 PPG e com aproveitamento inferior a 40% de FG. Estou achando que não vai sair na primeira metade do 1st round, como alguns mocks projetavam até pouco tempo.

  • TRUETHIAGO

    Bom post, eu vivo comentando sobre esses caras mais velhos/fora do radar, tem sim muitos prospectos interessantes que se encaixam nesse perfil. Claro que os acertos tendem a ser maiores nas escolhas de loteria, mas temos exemplos de picks altas que bem trabalhados, especialmente numa franquia organizada, podem render frutos.

  • felipe fernando Oliveira

    Gosto também de Isac Haas não é tão badalado em Pardue como Caleb mas esse moleque será um grande steal.

  • Marcelo Desoxi

    Não vejo nenhum deste draft com mais potencial que o moleque do Real.

  • Felipe Zanetti

    Josh Hart ia cair como uma luva nos Spurs

  • Luiz Henrique Santos

    Frank Ntilikina no Bucks!

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados