logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 21 fev 2017 às 11:11
O dilema do Nuggets

Gustavo Lima analisa os caminhos que o time de Denver pode seguir nesta trade deadline

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Lima

O Denver Nuggets, oitavo colocado da conferência Oeste, com 25 vitórias e 31 derrotas, tem um dilema nesta semana em que se encerra o prazo para negociações na NBA. A equipe do Colorado tem dois caminhos a seguir até quinta-feira: um deles é fazer uma mini-reformulação no elenco, o que significaria, na prática, trocar alguns de seus veteranos ou jogadores que não estão nos planos para o futuro, e acumular escolhas de draft e atletas jovens. A outra opção é arriscar e trazer um jogador de calibre para assegurar o retorno aos playoffs após quatro temporadas. Já descartei a opção de não trocar ninguém porque acho muito improvável que isso aconteça.

Caso resolva seguir o primeiro caminho, o Nuggets vai deixar claro que estará reconstruindo o elenco em torno da estrela em ascensão Nikola Jokic. O pivô sérvio é uma das sensações da temporada e já alcançou o status de franchise player em Denver. No início de 2016/17, o técnico Mike Malone experimentou uma formação com Jokic e Jusuf Nurkic juntos em quadra. Não deu certo como esperado por causa da velocidade do jogo na NBA atual. Depois, Jokic foi para o banco e começou a produzir ótimos números. Já Nurkic foi caindo de produção até perder o lugar para o sérvio e desaparecer quase que totalmente da rotação no garrafão. Malone encontrou a formação ideal, com os alas Danilo Gallinari e Wilson Chandler se revezando na posição 4 (small ball) e Jokic atuando como o pivô principal e sendo o principal passador e finalizador do time. O QI de basquete do sérvio, que tem apenas 22 anos, é assustador. Ele compensa a falta de atleticismo com um pacote de habilidades de se tirar o chapéu. Realmente, Jokic é um jogador especial.

Com Nurkic insatisfeito por ter perdido espaço no time, o Nuggets resolveu trocá-lo com o Portland Trail Blazers. Em contrapartida, o time de Denver recebeu o contrato expirante do também pivô Mason Plumlee. O novo reforço chega à equipe para ser o reserva imediato de Jokic. Inicialmente, Plumlee não deverá renovar com o time em julho, já que a tendência é que o jogador receba ofertas mais lucrativas. O Nuggets não vai fazer loucuras para estender o contrato de um pivô reserva.

Os jogadores com mais rodagem como Gallinari (28), Chandler (29), Kenneth Faried (26) e Jameer Nelson (34) são valiosas moedas de troca. O ala italiano tem a opção de deixar o último ano de contrato e se tornar agente livre em julho. Deve pedir uma boa grana para renovar. Ele é o favorito a deixar o time nas próximas 72 horas, justamente pelo Nuggets não correr o risco de perdê-lo “de graça” na offseason. Chandler e Faried têm contratos garantidos até 2019 e, combinados, vão receber US$ 51,5 milhões nas próximas duas temporadas. Dado o aumento do teto salarial da NBA, eu diria que são contratos razoáveis. Já Nelson, o mais veterano da equipe, seria o armador reserva ideal para qualquer contender. Ele ainda é produtivo em quadra, tem uma liderança positiva junto ao elenco e seu contrato é uma barganha (US$ 9,2 milhões contando 2016/17 e a próxima temporada).

Outro que poderia entrar no pacote de disponíveis é Emmanuel Mudiay, que não dá sinais de evolução em seu segundo ano como armador principal da equipe (continua não cuidando bem da bola e o arremesso segue inconsistente). Não sei se estou me precipitando, mas não vejo o congolês com capacidade de ser a primeira opção na posição 1 em qualquer time da liga, em um futuro não muito distante, ainda mais com a classe de armadores do draft deste ano pedindo passagem. Mas Mudiay tem 20 anos e apenas uma temporada e meia na NBA. Talvez seja melhor para o jogador e para o Nuggets que ele seja trocado. A saída dele significaria mais espaço ao novato Jamal Murray, em quem a franquia aposta muito.

Ao negociar pelo menos um dos atletas citados (todos estão envolvidos em rumores de negociações nas últimas semanas) por escolha (s) de draft e jovens com potencial, o GM Tim Connelly teria a chance de moldar, com calma, um grupo ao redor de Jokic. Seria um planejamento de médio e longo prazo, sem pressão por resultados imediatos, sem pressão pela vaga nos playoffs este ano. Do atual elenco, além de Jokic, eu tentaria manter Murray (19), Gary Harris (22), Malik Beasley (19), Will Barton (25) e Juancho Hernangómez (20). Até o momento, o Nuggets tem garantidas uma escolha de primeira rodada e duas no segundo round do recrutamento deste ano.

Nas últimas duas temporadas, Connelly foi agressivo na trade deadline. À exceção da troca que levou JaVale McGee ao Philadelphia 76ers, que custou uma escolha de primeiro round à equipe (por causa do contrato indigesto do pivô), o GM do Nuggets procurou acumular ativos enquanto negociava veteranos para times com pretensões nos playoffs. Connelly mandou Arron Afflalo para o Blazers e Randy Foye para o Oklahoma City Thunder, e recebeu Will Barton (que veio a ser um dos principais reservas da equipe), uma escolha de primeira rodada (Beasley) e duas escolhas de segunda rodada. Fica a expectativa se ele vai manter a postura nesse prazo final para trocas.

Contratos dos 14 jogadores do Nuggets

Kenneth Faried: US$ 38,8 milhões garantidos até 2019
Wilson Chandler: US$ 36 milhões garantidos até 2019
Darrell Arthur: US$ 15,4 milhões garantidos até 2018 e uma player option de US$ 7,4 milhões em 2018/19
Danilo Gallinari: US$ 15 milhões garantidos nesta temporada e uma player option de US$ 16,1 milhões em 2017/18
Jamal Murray: US$ 10 milhões garantidos até 2019 e uma team option de US$ 4,4 milhões em 2019/20
Jameer Nelson: US$ 9,2 milhões garantidos até 2018
Will Barton: US$ 7 milhões garantidos até 2018
Mike Miller: US$ 7 milhões garantidos até 2018
Emmanuel Mudiay: US$ 6,6 milhões garantidos até 2018 e uma team option de US$ 4,3 milhões em 2018/19
Malik Beasley: US$ 5,1 milhões garantidos até 2019 e uma team option de US$ 2,7 milhões em 2019/20
Gary Harris: US$ 4,2 milhões garantidos até 2018
Juancho Hernangómez: US$ 4 milhões garantidos até 2018 e uma team option de US$ 2,2 milhões em 2018/19
Nikola Jokic: US$ 2,7 milhões garantidos até 2018 e uma team option de US$ 1,5 milhão em 2018/19
Mason Plumlee: expirante de US$ 2,3 milhões

A segunda opção

Malone e os dirigentes do Nuggets disseram algumas vezes, ao longo da temporada, que o objetivo era levar a equipe de volta aos playoffs. Com a boa fase do time, explicada pela ascensão de Jokic, e a oitava melhor campanha no Oeste, o sonho de chegar à pós-temporada ficou mais próximo. Mas a troca realizada nesse domingo entre New Orleans Pelicans e Sacramento Kings pode ter sido um balde de água fria nas pretensões da franquia de Denver. O Pelicans, atual 11º colocado do Oeste (23 vitórias e 34 derrotas), está a dois jogos e meio de alcançar o Nuggets e, agora, conta com o reforço do pivô DeMarcus Cousins. Se não fortalecer o elenco nesta trade deadline, acho difícil o time de Denver manter a oitava posição. Até porque Nuggets e Pelicans se enfrentam três vezes até o fim da temporada regular.

Connelly e todos os executivos da franquia devem estar avaliando se essa é a hora de arriscar e tentar uma grande troca. Nomes como Jimmy Butler (Chicago Bulls) e Paul George (Indiana Pacers) levariam o time de Denver a outro patamar. O Nuggets tem as moedas de troca necessárias para arriscar e US$ 19 milhões de espaço na folha salarial para acomodar um grande contrato. Um pacote com alguns dos nomes citados acima (à exceção de Jokic, obviamente) mais escolhas de draft, pode perfeitamente seduzir Bulls ou Pacers, no caso dessas franquias realmente estarem dispostas a abrirem mão de seus principais jogadores. O Nuggets também pode esperar a próxima offseason para tentar um movimento mais arriscado.

Classificação da Conferência Oeste

1- Golden State Warriors (47-9)
2- San Antonio Spurs (43-13)
3- Houston Rockets (40-18)
4- Los Angeles Clippers (35-21)
5- Utah Jazz (35-22)
6- Memphis Grizzlies (34-24)
7- Oklahoma City Thunder (32-25)
8- Denver Nuggets (25-31)
9- Sacramento Kings (24-33)
10- Portland Trail Blazers (23-33)
11- New Orleans Pelicans (23-34)
12- Dallas Mavericks (22-34)
13- Minnesota Timberwolves (22-35)
14- Los Angeles Lakers (19-39)
15- Phoenix Suns (18-39)

Inegavelmente, a classificação à pós-temporada serviria para dar rodagem aos jovens do time, seria importante para que uma cultura de vitórias começasse a ser implementada em Denver e ainda renderia dinheiro e visibilidade para a franquia. Mas os torcedores ou os próprios dirigentes do Nuggets devem estar se perguntando: vale a pena chegar aos playoffs na oitava posição e ser varrido pelo Golden State Warriors na primeira rodada? Não seria melhor apostar na loteria de um draft tão recheado de talentos?

Se eu fosse o GM do Nuggets, tentaria uma troca por Butler. O ala de 26 anos tem US$ 56 milhões garantidos até 2019 e uma player option de US$ 19,8 milhões em 2019/20. Caso não desse certo, iria atrás de George. Assim como Butler, a estrela do Pacers tem 26 anos, mas seu contrato é de US$ 58,5 milhões garantidos até 2019. Em ambos os casos, o Nuggets teria uma estrela por pelo menos duas temporadas inteiras ao lado de Jokic. Agora, se nenhuma troca grande se concretizasse, tentaria trocar alguns veteranos (Gallinari e Chandler, principalmente) e Mudiay.

A batata quente está nas mãos de Connelly. Resta saber se ele faz pequenas trocas com o objetivo de acumular ativos e moldar um time jovem em torno de Jokic ou se arrisca e monta um pacote para atrair um grande nome. Ou se ele derruba o articulista e não faz absolutamente nada. Façam suas apostas.

Legenda

Player option: o atleta pode optar por deixar o último ano de contrato e testar o mercado como agente livre

Team option: a equipe pode optar por não exercer o último ano de contrato com o atleta

  • Rodrigo da Silva

    única coisa aí que é Denver vai tentar manter Plumlee sim,
    Ele é a peça que une os estilo de jogo da equipe titular com Jokic com os reservas, Plumlee vai fazer o papel de “cover” de Jokic com a segunda unidade

    ele é restrito, acredito que Denver vai mante-lo

    • Victor Chittolina

      O teu ponto de vista faz todo o sentido, Rodrigo. O problema é que o Plumlee tem bastante mercado e deve receber propostas bem altas. Apesar de ser um bom jogador – provavelmente um dos melhores pivôs passadores -, é difícil botar tanto dinheiro nele quanto vai ter times oferecendo.
      Se não tivesse o Jokic, acho que deveriam pagar por ele. Mas como ele vai ser o segundo pivô, pode ser caro pagar várias milhas por um cara que vai jogar 20 e poucos minutos.

      • Ricardo

        Já eu acho que Denver vai manter o Plummlee sim . Tu acha que eles deram um pivô bem promissor e uma pick de primeira rodada de um dos drafts mais fortes dos últimos anos pra ficar com o Plumlee só por meia temporada. E vale lembrar que o Plumlee é ala – pivô , podendo jogar junto com o Jokic , e foi de ala – pivô que ele jogava la no Nets , em que o pivô era o B. Lopez , ele so passou a jogar como pivô em Portland porque o time não tinha ninguém melhor pra fazer a posição.

        • Victor Chittolina

          Pode ser, mas eu não vejo Jokic e Plumlee com características complementares. O Jokic é, basicamente, um Plumlee melhorado. Daí não sei quanto impacto esse garrafão poderia ter.
          Gosto bastante do Plumlee, acho que é um jogador pra ser titular em 80% das equipes e que pode ser muito bom. Só acho que o encaixe dele em Denver não seja TÃO bom, exatamente porque eles já tem o Jokic.

          • Ricardo

            O problema dos 2 jogando juntos é só que o time ia ficar muito lento , em comparação com o Faried ou o Galinari jogando de PF , mas até que o jogo dos 2 pode se complementar . Jokic é um 5 que sabe jogar perto da cesta e também no perímetro , tendo até um arremesso de 3 confiável e que tende a melhorar no futuro , e o Plumlee é um 4 , que por não ter um arremesso confiável tende a jogar mais perto de cesta , sendo o cara perfeito pra fazer o trabalho sujo perto da cesta , coisa que o Jokic não é muito bom a fazer . Ai Denver por ter um time mais alto e pesado teria que jogar num ritmo mais lento , que nem faz o Memphis , e como também deve passar a fazer o Pelicans .

    • Michel Moral

      Ser restrito não significa ser fácil de segurar. Às vezes até complica. Estrategicamente uns oferecem quantia muito maior do que o jogador realmente vale, apenas para que o time cubra a oferta. Basta pegar o exemplo do Nets na última FA. Ofereceu um contrato caro para o Crabbe e o Blazers teve que cobrir.

      Além disso, perceba que a maioria das equipes da liga está com dificuldade para acertar uma rotação de garrafão.

      Sem contar que, uma hora ou outra, alguém vai aceitar “um caminhão de dinheiro” para ir para um Nets da vida. Plumlee pode ser um jogador nesse perfil. É novo e deve optar pela grana.

      • Rodrigo da Silva

        Tudo depende de ofertas loucas… Denver tem bastante cap, e flexibilidade no futuro, se ele encaixar muito bem nesses meses vão tentar sim… mas se alguém vier com 15-18 milhoes por ano aí não tem o que fazer né

  • Michel Moral

    Grande texto.

    Impressionante como o Nuggets tem bons valores de mercado. Absolutamente nenhum jogador recebe mais do que vale, muito pelo contrário. Aliás, a maioria e não vai ser expirante tão cedo.

    Faried e Chandler são muito overpaid. Já eram quando assinaram a extensão contratual, agora são mais ainda.

    Além dos jogadores citados, eu tentaria manter o Mudiay também. Embora Jokic tenha assumido uma função um tanto quanto centralizadora, é bom ter um armador que consiga distribuir sete, oito assistências com facilidade. Tecnicamente, Mudiay é muito bom. Falta apenas melhorar o arremesso.

    • LP

      Po cara não entendi direito, vc disse que ninguem recebe mais do que vale e diz no parágrafo de baixo que Faried e Chandler são muito overpaid.

      Com relação ao Mudiay acho que ele será menos aproveitado com essa ascensão do Jokic eu tentaria um PG mais scorer como por exemplo Reggie Jackson, Dragic ou Brandon Knight.

      • Michel Moral

        Eu corrigi o erro logo em seguida. Antes mesmo de você publicar seu comentário. Digitei rápido demais. Mas acho que deu para entender de qualquer jeito.

        Pela agressividade da franquia no mercado, pelo menos em termos de investida, acredito que o Nuggets procure grandes jogadores. Os jogadores que você citou são verdadeiras montanhas russas. Nenhum deles demonstrou regularidade ao longo da carreira. Claro que dependendo de como for montado o restante do elenco, até pode rolar.

        Se for assim, prefiro investir no George Hill, que traz equilíbrio defensivo e sabe meter bola.

        Eu tentaria manter o Mudiay pelo menos para valorizá-lo. Quem sabe depois, se o Jokic se firmar de fato nessa condição que assumiu, aí sim pensar em se desfazer do jogador.

        O Nuggets pode se dar ao luxo de fazer isso. Não tem nenhum contrato máximo dentro do time. Fora que o único potencial para receber algo assim é o próprio Jokic. Oferecer contrato máximo para o Galinho seria loucura para qualquer time. Eu não faria.

        • LP

          É que eu não vejo o Nuggets com boas peças para troca pra conseguir uma estrela e pra mim tanto o Faried como Chandler são overpaid.

          Chandler é reserva do Galo e Faried é um jogador que não desenvolveu oq se esperava(e parece que não vai se desenvolver mais) pra mim com o dinheiro que o Nuggets paga neles conseguiria um jogador que mudaria o status do time (Ibaka ou Millsap)

          Pra mim eles são jogadores pra receber 9M, jogadores pra completar um time titular.

  • Guilherme Mardegan

    Denver deveria seguir o caminho de 76ers, Bucks e Wolves e formar um time a médio e longo prazo. Fortalecendo mais esses jovens e trazer novas aquisições no draft fará a equipe ser uma das mais promissoras da NBA.
    Se seguir a segunda opção, pode até chegar nos playoffs dependendo de quem chegar. Mas acredito que seja só nessa temporada.
    Acho que seja pouco provável que a equipe de Denver consiga segurar suas estrelas por muito tempo. Levando em conta que várias equipes da liga estará com CAP mais alto.

    Deixem opiniões!

    • LP

      Discordo acho que Denver tem que aproveitar agora que tem contratos baratos em um médio prazo e buscar formar um time vencedor pra daqui umas duas temporadas, Denver tem 30M de Cap pra gastar na FA além de ter o Mudiay, Faried e Chandler pra tentar trocar por um all star.

      • Guilherme Mardegan

        Faz sentido. Não tinha pensado nesse ponto de vista.

    • Victor Chittolina

      Eu acho que o problema de reconstruir via draft é que o caminho pode ser muito tortuoso e pouco recompensador. É preciso de uma boa dose de sorte para ter uma pick alta, mesmo com uma campanha ruim.
      Wolves conseguiu a sorte grande com duas 1st picks (sendo que o Wiggins custou o Love);
      Sixers deram tiro no escuro quando trouxeram um Embiid, mesmo machucado. Noel e Okafor hoje são moedas de troca. E a gente imagina o potencial, mas não tem certeza de como vai jogar o Simmons.
      E quanto aos Bucks, acho que ninguém mesmo imaginaria quão bom era a aberração grega. Tanto que muita gente imaginava que aquele viesse a ser o time do Jabari e não do Giannis.

      Pra mim, o time que melhor representa a reconstrução pelo draft é o Warriors. Curry, Thompson e Green foram steals. Por motivos diversos, nenhum deles tem um contrato exorbitante. Tanto que um time com melhor campanha da história tinha CAP pra trazer o Durant.

      Acho que a melhor reconstrução possível é através do draft, mas é um caminho nebuloso, com mais incertezas que certezas.

      • Guilherme Mardegan

        Exatamente. Isso que quis dizer na parte de trazer um jogador mais renomado. Butler e George são ótimos jogadores, mas não tem como saber como eles vão estar na equipe.
        PG13 ficou marcado pelo começo da década mas se machuca muito. Já Jimmy Butler acredito que seja a melhor opção para a equipe. Irá fortalecer o elenco.

        • Victor Chittolina

          Hoje, concordo que o JB está melhor que o PG. É um dos melhores SF da NBA fácil, fácil. E eu acho que é a posição mais bem servida, hoje em dia.

      • Ricardo

        Concordo com quase tudo que tu falou , só acho que o time que melhor representa a reconstrução pelo draft é OKC que draftaram 3 dos 5 melhores jogadores da liga e ainda o Ibaka , o GM deles é que só fez cagada.

        • Victor Chittolina

          Acho que tu tá certo, principalmente se considerarmos como uma RECONSTRUÇÃO. O Thunder (Supersonics) veio praticamente do nada, e moldou um time e uma identidade em torno do KD. A qualidade que eles tiveram pra enxergar os melhores talentos quando ninguém mais via é louvável. Assim como a falta de visão em liberar o cara que hoje é, pra mim, o MVP da temporada (Harden).

          O Warriors conseguiu roubar os drafts, sendo que o jogador draftado na posição mais alta foi o Curry, em sétimo. Klay foi décimo primeiro e Green foi a trigésima quinta escolha. Um absurdo.

          • Ricardo

            Dá até medo de pensar no time de OKC com West , Harden , Durant e Ibaka , nem o Warriors conseguiria bater de frente com eles. Era só eles ter dado o que o Harden tava pedindo , que era so um pouco mais que o Thunder tava oferecendo e eles ia ganhar um montão de títulos , já que na época eram todos jovens pra caramba , tendo ate chegado na final da NBA.

          • Victor Chittolina

            Eu acho que pro Harden, a troca foi boa. Ele chegou num lugar que tinha um rei (Durant) e um príncipe (Westbrook). Ele não ia conseguir ser todo esse monstro que é agora por lá. Ia faltar bola, principalmente entre ele e o West.
            Mas se conseguissem fazer todo mundo render o potencial completo, certamente estaria brigando pelo título em todos os anos. Seria favorito contra o Warriors, Spurs, Cavs ou quelquer outro.

        • Vitor Martins

          Na realidade o OKC é um ótimo exemplo de como draftar bem com escolhas altas. E isso não é tão simples, só ver o nível dos caras que o Kings draftou nos últimos anos sempre estando no topo do Draft. OKC não é um bom exemplo de reconstrução. Reconstrução envolve muito mais do que que o potencial que uma hipotética equipe poderia atingir, envolve gerenciamento e desenvolvimento de talentos. Eles não desenvolveram o Barba, ele se tornou esse jogador espetacular, nível MVP, depois que saiu. Talvez só faltasse espaço, mas ele mudou o jogo dele nesse temporada graças ao D’antoni. Se ficasse em OKC não se tornaria o que tornou. OKC também não soube gerenciar a relação Durant e West (isso dai é mais achismo meu, mas creio que Durant saiu pq não queria mais jogar com West, nas ultimas temporadas o time deixou de ser do Durant para ser do Westbrook). Também desistiram do Ibaka por causa do Adams… Enfim, reconstrução é muito mais do que colocar nomes bons ou que podem ser bons em quadra. Isso é o que falta, na minha opinião, vários GM’s entenderem.

      • Josias Filho

        Concordo com tudo que disse. O Warriors foi o maior exemplo de como formar uma equipe via draft. Possuindo 4 dos 5 titulares do 73-9 e do titulo via draft – Curry – Thompson – Barnes – Green. Levando em consideração o primeiro jogador draftado em 2010 (Curry) foram 4 anos para chegar a uma semifinal de conferencia vs Spurs e aí sim trouxeram 1 estrela já considerada na epoca como o Iggy; 5 anos para o título e 6 anos para a melhor campanha da história. Com isso acho melhor pro Denver tentar buscar um futuro ainda melhor via draft para aí sim buscar FA.

  • Também acho que o Connelly deverá se mexer se quiser que o Nuggets garanta classificação para os playoffs, o que me deixa surpreso com esse Denver é que a base jovem deles está por enquanto funcionando muito melhor que a do Wolves (que eu apostava muito por achar o time mais promissor), time veloz, que defende bem e joga sem responsabilidade, mas que sempre incomoda os melhores times da NBA, não é a toa aquela vitória em cima do Warriors, Jokic tem tudo pra ser um dos melhores pivôs da NBA daqui a poucos anos, e Jamal Murray é um shooter excelente, acho que sobre trocas, é bem complicado trocar Faried, Gallo e Chandler por causa dos altos salários, o italiano é questão de urgência senão vão perdê-lo de graça…

  • Leonardo Takara

    Se eu fosse o GM do Nuggets tentaria negociar Gallinari ou Chandler, talvez até Mudiay por boas picks nesse draft. Moldar um time em volta do Jokic parece ser a melhor das opções.

  • alan

    SE O CARA NÃO SE MEXER É POR SER INCOMPETENTE !!!

  • Marcelo Desoxi

    Não vejo lucro para o Nuggets ir aos playoffs este ano, sinceramente. Tudo bem que ter o feeling de uma postseason deve ser incrível, ainda mais para um time jovem, mas, com uma classe tão afortunada de PGs , se livrar do Mudiay e pegar um seria bom.

  • Diego Elias

    Não acredito que Gallinari ou Chandler sejam jogadores pra fazer com que Denver vá longe nem agora, nem nas próximas temporadas. Eu sinceramente não acredito que o Bird vai liberar o PG e se o Butler sair de Chicago será ou para os Lakers ou o Celtics, então o caminho mesmo é investir nas picks e aguardar a evolução dos jovens q já estão la e dos que virão.

  • DiegoP

    SE, e é um grande SE, o Denver conseguir uma negociação que traga um all star no seu prime de idade como o PG ou o Butler não tenho dúvida que essa seria a grande sacada. É muito difícil para um mercado pequeno como o do Colorado conseguir trazer um jogador desse calibre como FA. Se tiver essa oportunidade deve pegar na hora, ainda mais que tem um cara com potencial do Jokic e um cap bem flexível para montar um time bem interessante para o ano que vem e 2019 talvez gerando um interesse deles continuarem por lá.

    No entanto, não sei se o Nuggets tem as moedas necessárias para buscar essa troca, quando tem times como 76rs e C´s com condições de realizar propostas significativamente melhores. Diferente do Cousins que teve seu valor desvalorizado pelo seu comportamento e pela bagunça que é o SAC e com isso afastou interessados, não vejo nem o Bulls nem o Pacers querendo se desfazer de seus FP´s por algo que não seja irrecusável.

    Dessa forma acredito que o Nuggets deveria buscar ser um vendedor com força até quinta, esquecer o playoffs desse ano (que será muito complicado de conseguir de qualquer forma com as torres gêmeas em NOLA) e tentar se desfazer do Gallinari, do Chandler, do Nelson (todos com um valor de mercado bem razoável) e quiçá do Mudiay (se aparecer uma proposta interessante).

    Buscar conseguir algumas picks ou swaps para este e o próximo draft, dar mais minutos pra testar bem a garotada, perderá mais jogos e ainda transforma sua pick em algo bem mais interessante do que teria agora.

    Uma coisa é fato, o Connely tem uma situação de realizar algo muito interessante em Denver, agora é ver o quão ousado ele é.

  • Gustavo

    Nuggets tem muitos bons roleplayers e starters para oferecer ao mercado, mas nenhum deles é assim tão valioso (com exceção do Jokic que não vai sair).

    Não consigo ver o time de Denver montando um pacote que seja mais atrativo que Celtics, Sixers e Suns podem montar para atrair PG ou Buttler. Acho difícil o Nuggets conseguir uma estrela nessa TDL.

  • Bruno Macedo

    Tá bom vai lá troca o mundiay por uma pick e fica com quem de armador? Tem que fazer uma troca por um armador porque essas picks ai que estão dando não vai ter armador bom nelas nem o Denver tem armadores pra entrar no lugar dele, Nelson joga bem mais já passou o tempo dele ser o armador titular de um time, por isso acho difícil eles se livrar do mundiay ainda já o Gallo vai ser trocado mesmo, e principalmente tem que trocar o faried por enquanto ele tem mercado.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados