logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 1 abr 2017 às 11:40
Quem é o técnico do ano?

Ricardo Romanelli discute principais candidatos a suceder Steve Kerr na premiação

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Redação Jumper Brasil

erik-spoelstra

A disputa por diversos prêmios da NBA nesta temporada deve ser acirrada. O troféu de MVP tem gerado calorosos (e cansativos) debates. O calouro do ano também gera polêmica, com a dúvida se Joel Embiid jogou partidas suficientes, ou se Dario Saric e Malcolm Brogdon são bons o suficiente para levar o título. Outra disputa menos acalorada, porém não menos acirrada, é a de técnico do ano.

A meu ver, os nomes que seriam merecedores do prêmio são: Gregg Popovich (San Antonio Spurs), Erik Spoelstra (Miami Heat), Brad Stevens (Boston Celtics), Scott Brooks (Washington Wizards) e Mike D’Antoni (Houston Rockets). Frequentemente, o prêmio fica com um treinador que consegue levar sua equipe mais longe do que inicialmente esperado. Quin Snyder (Utah Jazz) e Rick Carlisle (Dallas Mavericks) ficam imediatamente abaixo dos listados.

Por esse critério, Popovich e Stevens já dão um passo atrás. Por mais que seus times estejam levemente melhores do que o previsto, ninguém esperava que Spurs e Celtics não chegassem ao fim do ano como candidatos ao título da NBA. Apesar de não serem líderes na corrida pelo prêmio, Popovich é o treinador mais consagrado dessa lista e pode muito bem terminar a carreira como o melhor técnico que a liga já viu. Stevens, a seu turno, é o treinador da jovem geração que parece destinado a ter o melhor futuro, e isso só deixa mais evidente o quão impressionante é o trabalho dos outros três.

Scott Brooks é o líder de um trabalho que uniu o Washington Wizards. No começo do ano, a expectativa era que o time da capital dos EUA apenas disputasse uma vaga nos playoffs, em meio a incertezas sobre a relação entre os dois melhores jogadores da franquia, John Wall e Bradley Beal, além de um fraco banco e um garrafão que não inspirava confiança. Sem promover nenhuma alteração no time titular, ele inspirou os jogadores a serem melhores. Wall faz uma temporada digna de MVP, na sombra de outros grandes candidatos ao prêmio. Beal também faz a melhor temporada de carreira, enquanto Otto Porter Jr. se consolida como um defensor e arremessador de três muito confiável. O veterano Marcin Gortat faz uma das melhores temporadas da carreira, o que ajudou o Wizards a melhorar de 27º a 11º no ranking de rebotes da NBA.

Scott Brooks

Com tudo isso, o Wizards é hoje um time que joga de igual para igual contra os líderes do Leste, e tem excelentes chances de chegar até a final da conferência. O mais notável de tudo, e argumento que diferencia Brooks dos demais, é que ao assumir o time, ele não trouxe jogadores que se encaixavam em seu estilo de jogo, como fez Mike D’Antoni, por exemplo. Ele extraiu o melhor dos jogadores que tinha e mudou o destino de um time anteriormente visto com reservas. Essa é a marca de um grande técnico. Bradley Beal disse recentemente que Brooks transformou o Wizards em uma família, e realmente, nunca existe união de um time sem atuação preponderante de seu treinador.

Falando em D’Antoni, é seguro dizer que seus feitos são menos notáveis apenas do que os de seu candidato a MVP, James Harden. Ao assumir o Rockets, ele vinha de péssimas passagens por New York Knicks, Los Angeles Lakers e Philadelphia 76ers. Já fazia quase 10 anos que tinha feito um trabalho notável no Phoenix Suns, e mesmo assim sofria críticas por não ter conseguido levar aquele time às Finais da NBA. Quando ele anunciou que Harden seria o armador da equipe, muitos pensaram que o fracasso era questão de tempo, e que o tempo era curto.

D’Antoni e Harden responderam fazendo do Rockets um dos times mais empolgantes da liga, com o armador registrando números impressionantes e liderando a corrida pelo MVP. As semelhanças com o Suns de D’Antoni são muitas, e caso Harden seja o MVP, ele seria um raro caso de técnico que ajudou jogadores diferentes em equipes diferentes a ganharem o prêmio. Ironicamente, um MVP de seu principal jogador poderia diminuir suas chances, pois a performance individual de um jogador comumente faz o trabalho de um treinador ser relativizado. Scott Brooks pode sofrer do mesmo mal pela excelente temporada de John Wall, o que nos leva a Erik Spoelstra.

Mike D'Antoni

Quem, em sã consciência, esperava que o Miami Heat ganhasse mais de 30 jogos? A offseason marcou a saída de Dwyane Wade, maior jogador da história da franquia, além de veteranos importantes como Luol Deng, Joe Johnson e Gerald Green. Hassan Whiteside ficou, e a reposição do elenco foi feita com meia dúzia de jogadores da D-League e Dion Waiters, que até então era considerado um fracasso da loteria do Draft de 2012 e vinha numa trajetória decadente na carreira.

Parecia a receita de um desastre, e por algum tempo realmente foi. No meio de janeiro, com quase metade da temporada decorrida, o Heat tinha 11 vitórias e 30 derrotas, caminhando a passos largos para mais uma loteria. De repente, tudo mudou. Spoelstra deu um jeito de inspirar seus atletas, especialmente Waiters, e desde então a equipe acumula 26 vitórias em 34 jogos, perfazendo um aproveitamento de 76%. Se esse ritmo fosse mantido durante 82 jogos, o Heat lideraria o Leste e seria terceiro colocado no Oeste. É um aproveitamento impressionante para um time como o do Heat, sem superstars e com um elenco de ex-atletas da D-League. Se existe um técnico com retrospecto próximo a 50% que mereceria o prêmio, seria Spoelstra.

Assim como no MVP, o painel de votantes leva a campanha muito em conta na eleição do melhor treinador da temporada, e esse é o maior fator contra Spoelstra, e que pode fazer com que até mesmo Popovich ou Stevens seja o eleito. Caso o Celtics termine como primeiro do Leste, essa chance aumenta bastante.

Esses foram os técnicos que mais impressionaram durante a campanha. Pessoalmente, meu voto iria para Scott Brooks. Apesar disso, qualquer um dos citados que ganhar, será merecedor do prêmio, especialmente os três que analisamos mais detalhadamente. Numa era que viu superstars da NBA menosprezando e ignorando seus treinadores, é muito bom ver tantos técnicos tendo impacto positivo e fazendo a diferença na trajetória de seus jogadores e equipes. Só podemos torcer para que esta tendência continue.

  • TheBrodie #ReturnMMB

    Mike D’Antoni e ponto final.Pra mim não tem muita discussão.Grande responsável pela bola que o Harden vem jogando, assim como ele fez com Nash.Alem de ter ressuscitado o Gordon, o Nenê e outros.

  • Hugo Thunder

    Brooks, sem dúvidas. Fez um time desacreditado e muito criticado(Beal pelo seu contrato) a brigar pela primeira colocação do leste, tirando o peso da sua costa que só fazia um bom trabalho por causa do Durant e West(n q n seja verdade) mas era muito subestimado…

  • Rogério Rodrigues

    Stevens, merece. Pois tem no elenco jogadores que ninguem acreditava, vide caras como Thomas, Crowder. Vem fazendo um bom trabalho com os draftados pela franquia. O cara ta tirando leite de pedra, na moral.

  • William Felton

    Brad Stevens. Sem “clubismo”, como vcs gostam de dizer.

    A forma pela qual ele faz o jogo do Celtics funcionar, com os jogadores que tem, pra mim é impressionante. Jogadores por jogadores, tem ao menos uns 4 elencos melhoras que o elenco Celta no leste. Então, essa primeira colocação é bastante emblemática.

    • Vinicius Ribeiro

      Me diga os 4 elencos melhores.

      • William Felton

        Cavs, Raptors, Wizards e Bucks.

        • Eduardo Rebelatto

          Bucks? Kkkkk tá de zoa né, Wizards tbm é bem discutível, raptores até pode ser, mas mesmo assim vejo no mesmo nível

          • William Felton

            Vcs supervalorizam os jogadores do Celtics, em larga medida pelas 2 otimas

          • Eduardo Rebelatto

            Wall e Beal e amanhã mais, não adianta comparar só estrelas, te considero que num eventual confronto o Wizards passa, mas agora Bucks foi muita forçado, só tem o giannis, Middleton… Parker machucado, o resto do time não é melhor em nenhuma posição comparando com o celtics

          • Eduardo Rebelatto

            Foda esse corretor kkkk

          • Rogério Rodrigues

            Subvalorizam na verdade

        • Rogério Rodrigues

          Troca o Buck pelo Pistons entao ou pelo Bulls. Em questão de nome e peso dos elencos, esses são “melhores” que o Celtics

        • Vinicius Ribeiro

          kkkkkkkkkkkkkkkkk, SÓ pode ser piada.
          Wizards e Bucks kkkkk, Raptor também tem um time pior que o Celtics.

    • Vinícius Maia

      Concordo com você cara. Não acho o elenco do Celtics grandes coisas, mas o Stevens parece estar conseguindo extrair o melhor do conjunto que tem em mãos, mesmo não sendo um grande elenco. Além disso, eu acho que o que issaiah Thomas vem jogando, em partes, é graças a Stevens. Lógico que o mérito maior é do próprio Thomas, mas é válido lembrar que Thomas era considerado um peladeiro em seus primeiros anos na liga e nas mãos do Stevens, se tornou um candidato MVP.

  • Thiago26-NBA

    Spoelstra então.

  • Vinicius Ribeiro

    Spoelstra ou Mike

  • Damon

    Spoelstra tem que tá no minimo no top 3.
    Trabalho que ele vem fazendo em miami, é sensacional.

  • Bruno Carvalho Costa

    Quin Snyder.

  • Eduardo Rebelatto

    Queria saber como o técnico do jazz fica abaixo sendo 4 colocado agora é temporada passada nem offs pegou… A grande aquisição foi o Hill mas nada trabalho o mérito dele

  • Maurilei Teodoro

    Vou de Spoelstra

  • Marcelo Desoxi

    Joga a moeda entre: Spo, Brooks e Stevens.

  • Rafael Heat

    Spoelstra merece. O que ele faz com o Heat, é inacreditável.

    Transformou um time cheio de indigentes num time competitivo. Jogando com McGruder na ala, com Babitt de PF start, fazendo James Johnson um ball handler confiável, extraindo o melhor jogo do Dragic, fazendo Waiters jogar o que nunca tinha jogado na vida.

    O que ele extraiu desse Miami Heat é um negócio assombroso.

  • The Real Jay

    Merece quem levou seu time a primeiro ou top 3 da conferência. O vencedor desse ano tem que ser Stevens.

  • Renato

    No meu entendimento o técnico do ano tem que ser um conjunto de organização de equipe + resultado em quadra.

    Seguindo essa afirmação o Stevens no meu modo de ver é o favorito. O Celtics tem um grande equilíbrio tático, e lidera a conferência leste a frente do poderoso Cavs.

    Spoelstra vem bem mais a equipe está no fim de classificação aos offs, talvez nem consiga chegar, não podemos premiar uma temporada só pelo final.

    Brooks fez o Wizards evoluir muito, mas a equipe não parece fluir coletivamente da mesma forma do Celtics,.

    D Antonni taticamente pra mim é um desastre, está tendo sucesso porque treina uma equipe com jogadores perfeitos para seu esquema, mas depende totalmente do ataque e a defesa é horrorosa.

    Em relação a qualidade de elenco do Celtics discordo dessa idéia de que o elenco é inferior aos demais. Temos na equipe titular um trio muito poderoso Thomas Bradley e Horford. Temos alguns reservas bem versáteis e juventude com Smart Brown e Olynyk, e temos um jogador coadjuvante muito importante que é o Crowder que pode jogar em 3 posições e tem muito regularidade dos 2 lados da quadra. Se isso não é um elenco de alto nível não sei mais o que seria.

  • Gustavo

    Brilhante o texto, acompanho o relator em tudo, inclusive no voto. Excelente trabalho do Brooks, pra mim ele é o COY

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados