logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 18 abr 2017 às 22:19
Ray Allen explica decisão pela aposentadoria: “Queria jogar e merecer minutos”

Propostas recebidas por arremessador nos últimos anos não atenderam suas expectativas

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Ricardo Stabolito Jr.

Ray Allen disputou sua última partida na NBA em junho de 2014, mas o anúncio da aposentadoria só viria mais de dois anos depois. Os 28 meses que separaram os dois acontecimentos foram marcados por diversas ofertas de equipes – a maioria, candidatas ao título – por seus serviços, mas o arremessador nunca foi convencido a voltar às quadras. O ex-atleta explicou que o retorno nunca acabou acontecendo porque nenhuma das propostas atingiu suas expectativas.

“A maior parte das sondagens que recebi perguntavam se estava preparado para assumir um papel de veterano reserva e mentor de atletas mais jovens. Adoraria fazer isso, teria sido algo natural para mim, mas eu queria jogar. Queria ter uma chance de entrar em quadra e merecer minutos na rotação. Não sabia se iria ser possível, então não aceitei somente por aceitar”, justificou o ex-astro de 41 anos e bicampeão da liga, em entrevista ao site “The Jump”, da ESPN.

A aposentadoria de Allen é especialmente lamentada pelos fãs da NBA porque o experiente chutador seria um encaixe perfeito na configuração do basquete atual. Ele também lamenta não poder mais jogar. “O arremesso de três pontos virou o maior objetivo e até os pivôs estão chutando agora. Certamente, eu invejo isso porque parece divertido. É claro que poderia jogar em uma NBA assim”, concluiu o ex-ala-armador, que converteu 40% das tentativas de longa distância na carreira.

  • Michel Moral

    Um veterano quando pode contribuir, entra e contribui. Simples assim. Não importa se joga 30 ou cinco minutos.

    Eu tenho sérias dúvidas sobre o retorno em alto nível de Ray Allen. Quando comentei isso aqui, veio um monte de gente postar a foto do abdome tanquinho dele, mas pra mim jogar basquete não é só manter a forma treinando paralelamente, ainda mais por quase três anos. Se eu fosse administrador de alguma equipe proporia a mesma coisa que foi proposta, inicialmente.

    Muito difícil um cara que fica tanto tempo parado voltar e exigir papel de destaque em rotação. Se fosse o Allen Iverson, diriam que é falta de humildade, mas como é um jogador com “boa reputação”, todo mundo ama e apoia.

    Vejamos o exemplo do Vince Carter. Já chegou a ser pouco utilizado em rotação e hoje é titular em Memphis. Caras assim têm a confiança e não precisam provar capacidade para jogar. Quando necessário, entram e fazem seu trabalho.

    Já imaginou se Vince ficasse exigindo isso ou aquilo só porque consegue dar 360, catavento e cravada passando a bola por debaixo das pernas? Ele faz isso aos 40.

    É um direito de Ray Allen não voltar, principalmente se não concorda com as propostas. Mas não acho prudente assegurar minutos a um jogador que vem de uma aposentadoria de quase três anos.

  • Caseh

    Fez um mimimi danado e prolongado por isso? Ah vá…

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados