logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 24 abr 2017 às 12:30
Prêmios da temporada Jumper Brasil – Técnico do ano

Integrantes do Jumper, jornalistas e analistas revelam escolhas para melhor treinador da temporada

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Ricardo Stabolito Jr.

brad-stevens-2

Calouro do ano / Reserva do ano / Atleta que mais evoluiu / Executivo do ano

Mais uma temporada regular da NBA chegou ao final na semana passada, deixando uma série de momentos históricos para guardarmos na memória, com carinho. Um capítulo dessa história, porém, ainda está pendente: os prêmios individuais da liga. Em uma mudança estratégica, os eleitos pelos membros da imprensa especializada da América do Norte com direito a voto só vão ser revelados em uma cerimônia especial agendada para 26 de junho.

No entanto, o Jumper Brasil não precisa esperar o anúncio dos selecionados pela NBA para anunciar suas escolhas – determinada, como sempre, por um colegiado que inclui a equipe de redação do site e alguns dos mais importantes e populares jornalistas e representantes da blogosfera/twittersfera especializada brasileira.

A edição deste ano da votação reuniu um grupo de 32 consultados: doze membros do Jumper, dois consultores especiais do site e dezessete convidados especiais que representam os mais diferentes meios de informação e análise brasileiros sobre a NBA. Embora realizem um grande trabalho na divulgação da liga no país, os sites, blogs e perfis de equipes da liga em português não participam da votação como medida que zela pela imparcialidade do processo.

Mas ainda faltou um consultado, né? Em uma inovação apresentada neste ano, o 30º voto – que também possui o poder de desempate – é seu, leitor do Jumper Brasil! Nós realizamos enquetes, ao longo da última semana, para cada um dos sete prêmios individuais da liga e o vencedor das pesquisas é o representante de vocês em nossa escolha.

mike-dantoni

O quinto prêmio que vamos abordar é o técnico do ano. Perguntamos a cada um de nossos 32 consultados quem acreditavam ser o melhor treinador da temporada da NBA. Todos responderam à questão e sete profissionais foram citados na votação. Confira os votos de nosso colegiado:

VotanteVoto
Alana Ambrosio
(Rádio CBN)
scott-brooks-mini
Scott Brooks
(Washington Wizards)
Caio Gasparetto
(NBAdotBR)
Erik Spoelstra mini
Erik Spoelstra
(Miami Heat)
Daniel Tenius
(Halftime / Fox Sports)
Gregg Popovich 2
Gregg Popovich
(San Antonio Spurs)
Denis Botana
(Bola Presa)
scott-brooks-mini
Scott Brooks
(Washington Wizards)
Eduardo Ribeiro
(Jumper Brasil / Lance!)
Brad Stevens 2
Brad Stevens
(Boston Celtics)
Fabio Balassiano
(Bala na Cesta / UOL)
mike-dantoni-mini
Mike D'Antoni
(Houston Rockets)
Gabriel Andrade
(@GabrielAndPaula)
Erik Spoelstra mini
Erik Spoelstra
(Miami Heat)
Gabriel Farias
(Jumper Brasil / Lance!)
mike-dantoni-mini
Mike D'Antoni
(Houston Rockets)
Guilherme Gonçalves
(Consultor Jumper)
mike-dantoni-mini
Mike D'Antoni
(Houston Rockets)
Gustavo Freitas
(Jumper Brasil / Lance!)
Brad Stevens 2
Brad Stevens
(Boston Celtics)
Gustavo Lima
(Jumper Brasil / Lance!)
scott-brooks-mini
Scott Brooks
(Washington Wizards)
Henrique Lima
(Leitura de Jogo)
Brad Stevens 2
Brad Stevens
(Boston Celtics)
Leitor Jumper BrasilBrad Stevens 2
Brad Stevens
(Boston Celtics)
Leonardo Sacco
(Yahoo!)
mike-dantoni-mini
Mike D'Antoni
(Houston Rockets)
Lucas Colisse
(Jumper Brasil / Lance!)
Gregg Popovich 2
Gregg Popovich
(San Antonio Spurs)
Lucas Pastore
(Lance!)
mike-dantoni-mini
Mike D'Antoni
(Houston Rockets)
Luís Araújo
(Triple Double)
mike-dantoni-mini
Mike D'Antoni
(Houston Rockets)
Michel Moral
(Jumper Brasil / Lance!)
quin-snyder-mini
Quin Snyder
(Utah Jazz)
Michel Zelazny
(Jumper Brasil / Lance!)
Jason Kidd 3
Jason Kidd
(Milwaukee Bucks)
Miguel Mello
(Jumper Brasil / Lance!)
mike-dantoni-mini
Mike D'Antoni
(Houston Rockets)
Pedro Brodbeck
(Blog Dois Dribles)
Brad Stevens 2
Brad Stevens
(Boston Celtics)
Pedro Nery
(Jumper Brasil / Lance!)
Brad Stevens 2
Brad Stevens
(Boston Celtics)
Renan Della Corte
(Consultor Jumper)
quin-snyder-mini
Quin Snyder
(Utah Jazz)
Ricardo Bulgarelli
(ESPN Brasil)
Erik Spoelstra mini
Erik Spoelstra
(Miami Heat)
Ricardo Romanelli
(Hoop 78)
scott-brooks-mini
Scott Brooks
(Washington Wizards)
Ricardo Stabolito Jr.
(Jumper Brasil / Lance!)
Gregg Popovich 2
Gregg Popovich
(San Antonio Spurs)
Thiago Viana
(Jumper Brasil / Lance!)
mike-dantoni-mini
Mike D'Antoni
(Houston Rockets)
Tiago Matos
(TimeOut Brasil)
Brad Stevens 2
Brad Stevens
(Boston Celtics)
Vagner Vargas
(High Five)
mike-dantoni-mini
Mike D'Antoni
(Houston Rockets)
Vinicius Donato
(Jumper Brasil / Lance!)
Brad Stevens 2
Brad Stevens
(Boston Celtics)
Vitor Camargo
(Two-Minute Warning)
Gregg Popovich 2
Gregg Popovich
(San Antonio Spurs)
Wendell Ferreira
(Prime Time / Zero Hora)
Brad Stevens 2
Brad Stevens
(Boston Celtics)

E, aqui, eis a contagem final dos votos. Houve um empate: Brad Stevens e Mike D’Antoni tiveram o mesmo número de seleções. Com a escolha de desempate de vocês, nossos integrantes, votantes convidados e leitores elegeram Brad Stevens, do Boston Celtics, como o melhor técnico do ano:

TreinadorFranquiaVoto
Brad StevensBoston Celtics9 (+)
Mike D'AntoniHouston Rockets9
Gregg PopovichSan Antonio Spurs4
Scott BrooksWashington Wizards4
Erik SpoelstraMiami Heat3
Quin SnyderUtah Jazz2
Jason KiddMilwaukee Bucks1
  • Bruno Carvalho Costa

    Meu voto é no Quin Snyder, por ser um técnico que transformou o time do Utah Jazz a um time de:
    30 vitórias + em 2014/2015
    40 vitórias + em 2015/2016
    50 vitórias + em 2016/2017

    Tudo isso além de ter levado o Jazz aos OFFS desde uns anos atrás.

    • Michel Moral

      Foi exatamente esse o meu critério na votação, embora o Stevens tenha feito um bom trabalho, ficando à frente de um time que, individualmente, é bastante inferior ao do Cavs. E mesmo assim ficou com a primeira posição no Leste.

  • Donald Trump
  • Seldon

    Brad Stevens ou Mike D’Antoni, é bem difícil definir quem fez melhor trabalho, os dois ficaram acima das colocações que se pensava para seus times, o Houston tinha nos sites que li que analisavam a futura campanha um pior desempenho em vitórias que o Boston, mas o elenco do Rockets se demostrou melhor devido a boas mexidas do Morey.

    É um pouco mais fácil de analisar o trabalho do Stevens afinal, ele é o técnico a quatro temporadas em todas improvisando seu time que saiu de 25 vitórias para os atuais 53 vitórias, dos times que foram para draft naquela primeira campanha todos foram pior que o time que ele treina na regular, inclusive o Cleveland, Milwaukee, Utah, os únicos que estão nos playoffs.

    Mike D’Antoni pega um time que venceu apenas 41 vitórias no ano anterior, mas na de 2014-2015 teve 56 vitórias, lembrando a campanha do ano passado foi marcada por muitos problemas de elenco, inclusive com queda de técnico etc (se acreditava que o time iria passar das 50 vitórias). Deve-se pensar que a saída do D12 e a ascensão de D´Antoni ajudou a motivar seu astro (Harden) e a levar o time ao patamar da campanha de duas temporadas atrás.

    Descrito as condições objetivas empatadas, fica para subjetivo, por isso eu prefiro
    http://www.vigilantsports.com/wp-content/uploads/2016/01/Brad-Stevens-youngest-NBA-head-coach.jpg
    stevens.

  • Victor Chittolina

    Eu falei muitas vezes que meu voto seria pro D’Antoni porque transformou um time 50% na terceira melhor campanha da liga, com um basquete que lembra os áureos tempos de Suns.

    Mas a pulga sempre fica atrás da orelha e é impossível não notar o grande técnico que é o Brad Stevens. Só lembrando que esse Celtics era pra ser um time em reconstrução e, no final das contas, venceu a conferência, à frente do atual campeão da NBA, de 3 All Stars.
    E o elenco dos celtas não é lá grande coisa, não. Hoje, Isaiah Thomas é um candidato a MVP, mas quando chegou em Boston, era não mais que um bom reserva, de quem poderia se esperar entre 18 e 20 pontos. E foi na mão do Stevens que ele virou esse animalzinho enfezado.

    Snyder vem, ano após ano, melhorando com o Jazz. Seria uma boa escolha também. Ele vinha fazendo campanhas muito boas sem um real FP (nunca achei que o Hayward fosse esse cara). Hoje, porém, vejo que o Gobert tem potencial pra carregar essa franquia.

    O Spo merece uma menção mais que honrosa, mesmo fora dos playoffs. Tirou leite de pedra do Heat, totalmente desconfigurado após o fim da “era Wade”, os anos mais vitoriosos da franquia. O problema é que isso aconteceu só no final da temporada e, fora dos playoffs, dificilmente vencerá.

  • Michel Moral

    Na minha visão, D’Antoni não é o melhor técnico para receber esse prêmio.

    Os grandes méritos desse time do Rockets devem ir primeiramente ao GM.

    Exceto a aquisição de Lou Williams, que estava se destacando pelo Lakers, os demais jogadores chegaram em Houston sem muita expressão.

    Eric Gordon, inclusive, foi um dos nomes menos ventilados da agência livre. Ryan Anderson era sonho de consumo de equipes emergentes, como o Pistons, tanto que acabou indo para um time que até então era emergente. O Nene, que brilhou ontem, também saiu sem grande perspectiva de Washington.

    A grande sacada do GM foi a seguinte:

    Mandou o Howard pedalar de Houston, que tinha briga de ego com Harden, e contratou um técnico que soubesse explorar o melhor jogador do seu time.

    D’Antoni é, portanto, parte do projeto do GM. Uma peça necessária para esse processo do time, que não teria como contratar grandes estrelas.

    Fazendo uma analogia com o futebol, seria o mesmo se um time contratasse o Muricy Ramalho ou um Luxemburgo hoje. Às vezes, pode ser que para um projeto bem montado, pode ser que o trabalho dê certo, mas não quer dizer que os técnicos sejam ou vivam um grande momento.

    • Vitor Martins

      D’antoni não está ultrapassado como Muricy e Luxemburgo, e não acho que seja um bom exemplo. Concordo que o GM fez um ótimo trabalho, mas muito do que a NBA tem hoje veio justamente do D’Antoni. Não reconhecer os méritos dele é demais. Não acho que seja o técnico do ano, mas não dá pra dizer que é sorte ou tudo na conta do GM. Uma comparação justa seria com o Bielsa, um técnico “louco”, ofensivo, que nunca ganhou nada de importante, mas que a filosofia do futebol moderno (Guardiola que o diga) tem muito dele. O que a NBA é hoje é fruto do time mais revolucionário dos anos 2000, o Suns dele, mesmo que tenha “fracassado”. Não acho que para enaltecer algo tenha que desmerecer outra coisa, digo isso em tudo. Pra mim o técnico do ano é o Popovich, mas se o D’Antoni ganhar por esse ano, não pelos próximos, não pelos projetos ruins anteriores, mas por esse ano também seria merecido e entenderia quem fosse votar nele.

      • Michel Moral

        Certo. Vai me dizer que os trabalhos de Luxa e Muriçoca nos anos 90 e especialmente na primeira década dos anos 2000 não mudaram o futebol brasileiro em suas respectivas gerações?

        Não gosto muito dessas comparações entre esportes, mas já que comecei, lá vai. O Muricy era tudo que o São Paulo precisava para escapar do rebaixamento em 2013, mas dizer que ele era o melhor técnico do Brasil naquele momento por ter conseguido esse feito já é demais.

        E olha que fazer com que um time, como era aquele São Paulo, sair da zona da degola é bem mais difícil do que ser campeão com um time bem encaixado.

        Eu não disse em nenhum momento que D’Antoni é um técnico só por sorte. Não sei de onde tirou isso. Muito menos questionei o trabalho dele como um dos grandes da liga. Só acho que ele é uma peça (necessária) para execução do projeto traçado pelo GM da franquia.

        Em outras palavras, eu acredito que Brad Stevens, hoje, poderia fazer bons trabalhos com qualquer time da liga. Não acho que D’Antoni tenha a mesma competência hoje.

        Meu voto foi para o Snyder, do Jazz. A razão da minha escolha é exatamente pelo desenvolvimento da equipe. Ter pego um time, com a mesma base, para torná-la uma das grandes potências da liga. Você vê que o técnico evoluiu ao longo das temporadas e hoje atingiu um nível de excelência. Difícil não dar crédito ao treinador, nesse caso.

    • Uncle Drew #DefendTheLand

      Concordo em partes mas… “Fazendo uma analogia com o futebol, seria o mesmo se um time contratasse o Muricy Ramalho ou um Luxemburgo hoje”.. Isto aqui eu não concordo.
      Eu acho até o contrário. Boa parte do sistema do Steve Kerr nesse Warriors é derivado do D’Antoni na época do Suns. Kerr inclusive trabalhou com D’Antoni em Phoenix. Os contra-ataques do Curry e Green e Klay no melhor estilo SSOL (“Seven Seconds or Less), a todo momento eles procuram jogar mais rápido para ter mais posses e abusar dos arremessos de 3pts. Os Pick And Rolls colocando um armador contra um pivô em ISO, isso é Mike D’Antoni puro!
      E foi esse Sistema evoluído do D’Antoni, elaborado pelo Steve Kerr, q virou moda na NBA, você conta nos dedos as equipe q não utilizam esse sistema.
      Se a NBA vive na era do espaçamento, velocidade e jogadores de múltiplas posições (Shawn Marion no Suns já jogava de PF, por exemplo)… É por causa do D’Antoni.
      Ele tá mais na moda do q nunca!
      O Morey tem muito mérito, mas acho q o D’Antoni merece ganhar pq ele foi o único técnico do Rockets q realmente abraçou a idéia de ser um time de 3 pts, e jogar rápido.
      McHale sempre gostava de acionar o Howard no post (acho q ele influenciou na sua contratação inclusive), jogar mais meia quadra e etc. D’Antoni todo mundo já saberia de cara q ele não iria fazer isto, e aliado a grande sacada de colocar o Harden como seu “Steve Nash”, para potencializar seu jogo, igual com o canadense em Phoenix … só encaixou ainda mais a filosofia do Morey com a do italiano e deu nesse sucesso q está o time.

      • Michel Moral

        Derivado? Muricy é discípulo do Minelli. Salvo engano, Roger Machado é discípulo de Tite. Todo treinador tem um padrinho. Eu acho isso muito bacana. Mas isso é outra conversa.

        A contribuição de um para o jogo tem reflexos na geração seguinte. Isso é natural. Precisamos reconhecer. Mas tudo passa e se aprimora.

        Eu não estou querendo tirar méritos do D’Antoni. Só acho que ele é mais uma peça necessária. Talvez, se ele der sequência por alguns anos, é bem provável que eu reconheça que estou errado. Mas ele vem de trabalhos péssimos, embora de franquia igualmente péssimas.

        • Michel Moral

          Aliás, Muriçoca é discípulo de Tele. Hehehehe

        • Uncle Drew #DefendTheLand

          Todo técnico tem sua filosofia de jogo própria, e na NBA.. é muito raro ter um treinador q simplesmente mude seu conceito de treinar, principalmente um veterano, q viu seu sistema funcionar em equipes anteriores. Phil Jackson sempre usou o triângulo. O Pop se mantém firme ao seu sistema de 2 jogadores de garrafão (raramente muda, e quando mudou, com o Boris Diaw, o francês não necessariamente espaça a quadra como um legítimo Stretch Four) e etc.
          Falei isso pq, no Knicks e no Lakers era clara a falta de sintonia entre técnico e diretoria. Knicks tinha uma base promissora ao comando do D’Antoni, mas aí troca tudo pelo Melo (jogador de Meia-Quadra e q ñ tem NADA haver com ritmo acelerado). No Lakers, já tinha o fato de ter o Kobe e Gasol, aí trouxeram o Howard, ñ tinha nem como dar certo isso!
          Nesse Rockets é o casamento perfeito. Daryl Morey é o cara mais nerd da NBA, como um fã de estatísticas.. ele gosta de arremessos de 3 pts, ritmo acelerado para gerar mais posses de bola. D’Antoni é a mesma coisa.
          É um benefício mútuo entre os dois, o Morey trouxe peças q se encaixam no sistema e o D’Antoni foi moldando o elenco (colocou o Harden como um armador, equilibrou o elenco com o Gordon vindo do banco, o Nenê é preservado para ser quase sempre eficiente para o time e etc.)

    • LP

      Meu amigo não fez muito sentido pra mim não, como voce mesmo disse o GM só pegou jogador refugo o mais disputado era o Ryan Anderson, o mérito destes jogadores terem se destacado foi do D’Antoni que conseguiu extrair o melhor deles e do Harden, Beverley e outros.

  • Donald Trump
  • LP

    Cara não consigo compreender esses votos que o Heat ta levando, Spoelstra não classificou o time pros playoffs, como ele teve mais voto que o Quin Snyder ?? Mesma coisa o James Johnson ser votado pra MIP e Jamal Crawford Of the Year como alguem olha e pensa realmente o James Johnson evoluiu mais que o Jokic, Nurkic, Anteto… ou entao que ele contribuiu mais que o Gordon ou Lou Willians vindo do banco.

    • Paulo Henrique

      Ele levou um time de D league a uma campanha 50%

  • vsr.snake

    Os melhores trabalhos foram do Stevens, D’Antoni, Brooks e do Spoelstra. Pela campanha, acho que o Stevens deveria ganhar.

    • Guilherme Petros

      Snyder e Kidd foram bem demais tbm. Mas concordo: Stevens levou o Celtics a primeiro do Leste.

    • George Raposo

      Mas a campanha do Rockets foi melhor que do Celtics. Deveria ser D’Antoni então.

      • vsr.snake

        Em win/lose sim, mas o Boston pegou a seed 1 da East, coisa que todo mundo dava como certa pro Cavs, e com um time que, apesar de bons jogadores, ainda tem defeitos importantes. Além do mais, num confronto hipotético entre os dois, o Celtics teria o mando.

  • JoaoFJ

    Spoleta concerteza

  • Gustavo Santos

    Eu votaria no brooks, não me lembro de projeções que colocavam a equipe tão bem, vi projeções colocando o time ate fora dos offs ou brigando pelas últimas duas posições, sem falar que o wizards hj tem muita constância, como não havia, so continua sem jogadas pra definir os jogos.kkkkkkk, mesmo Valéria pro dantoni, mas eu já via muito mais lógica um time com um dos melhores atletas da liga crescer assim do que o wizards que suas principais forças eram tão inconstanteis.

  • Timóteo Rezende Potin

    Nenhum voto pelo Hoibergão da Massa?? Triste…

    Fico entre o Brad Stevens e Quin Snyder. Não consigo me decidir.

  • Rafael Seferian

    Pra mim a disputa seria entre Brad Stevens e o Quin Snyder. Dar mais votos pro Spoelstra que pro Snyder é incabível pra mim. Um cara que pegou um time desmanchado, com um franchise player tido pra muitos como meia boca, com Alec e Trey forçando o jogo, e transformar em um time que passou metade da temporada na quarta colocação, com ótimas movimentações na inter temporada. Só não entendo o Ingles titular rs. o Brad Stevens é um técnico jovem, que deu um puta salto, e tem um ponto muito ao seu favor, ele venceu a conferência. Ainda assim é um jogo coletivo sem muito padrão, mas muito evoluído pras peças que tem. O Snyder pouco era mencionado no ano passado, mesmo tendo feito quase uma campanha de 50%. O Spoelstra sair de um #3 pra um #9, ainda que perdendo sua principal peça pra mim não tem sentido. Vale mencionar que o Houston do ano passado teve uma vitória a mais que o Jazz e esse ano fez uma campanha mais consistente, mas com uma ação de inter temporada das mais brilhantes dos últimos tempos, mas que foi um puta trabalho de GM, dentre eles a aposta no Bigode. Não devo tanto do resultado do Houston ao Mike, apesar de gostar muito do trabalho dele.

    • Cleyton Hettwer

      Olá, entendo perfeitamente sua visão, mas veja, segundo uma matéria da ESPN que vi esses dias, se pegarmos apenas os jogos do Heat de 2017 estaria em segundo lugar na conferência leste. Agora ao compararmos em termos de jogadores o Heat é uma porção de jogadores que não deram certo em lugar nenhum como James Johnson, Luke Babbit, Dion Waiters e Wayne Ellington, que incrivelmente jogaram bem no Heat graças ao Spoelstra, com um armador mediano como o Dragic e um pivo individualista como o Whiteside e mais uma porção de jogadores da D-League como McGruder, Okaro White dentre outros. O Jazz possui um Franchise player como o Hayward, um pivô muito bom como o Gobert e um armador mediano como o Hill, sem falar que no banco tem peças interessantes como Joe Johnson, por isso é muito mas fácil um time como o Jazz dar certo e fazer uma boa campanha do que o Heat.

      • Rafael Seferian

        Concordo, o time do Heat é limitadásso. Mas acho que pesa o time, apesar de tudo, não ter ido aos playoffs, os jogadores também tiveram um desempenho melhor doq nos últimos tempos, o Waiters, pelo menos, voltou a jogar o que jogava em Cleveland. O Whiteside amadureceu, além do jogo, a cabeça (um pouco). Ele encaixou o time com certeza, e surpreende. Mas o Spoelstra é um técnico campeão, espera-se algo do tipo dele, o Quin é um ex-técnico de D-league, que fez um trabalho de alguns anos com um resultado super efetivo (deve chegar à segunda fase dos playoffs)…. E ele é responsável direto pela evolução de alguns caras, tipo o Gobert, e até o o Ingles que eu detesto….

        • Cleyton Hettwer

          Cara gosto muito do time do Jazz e do Quin, espero que vá bem nesses playoffs e concordo com você se o critério adotado que mais pese para escolha é a campanha da equipe, o Jazz no geral foi muito melhor que o Heat e o Ingles teve uma evolução muito grande no jogo dele que deixou de ser apenas um arremessador e melhorou outros fundamentos como roubos de bola, acerca do Spoelstra, antes de ser o técnico campeão da liga ele era assistente do Pat Riley no Heat desde 97, tendo assumido o time quando Riley assumiu a presidência e montou um time estrelado pra ele que a unica coisa que ele tinha pra fazer era administrar que seria campeão, após esse ciclo dos estrelados, começa uma remontagem e é ai que o trabalho dele tem que aparecer e realmente tem aparecido, eu era muito cético e não gostava dele quando assumiu o Heat, “pô um assistente sem experiencia em lugar nenhum comandar o Heat”, mas deu certo, ele realmente tem calado minha boca. Ahhhh, cuidado que o Riley vai ir atrás do Hayward na offseason.

  • Guilherme Petros

    Foram lembrados os melhores do ano mesmo.
    Eu ficaria entre Stevens, Brooks e D’Antoni. Mas Spoelstra, Synder, Pop e Kidd fizeram trabalhos espetaculares.

  • Matheus Oliveira

    Nem um voto no Kerr ?
    Com um pouco de clubismo mas.. Meu Deus. Como pode o cara nunca estar nas disputas ? 3 anos de carreira 3 campanhas 65+ melhor time ofensivo e defensivo da liga nesses 3 anos…

    • John Stockton

      Nunca está nas disputas como se ganhou no ano passado o COY ? mas esse ano apesar de ter ganho o Durant de brinde teve uma campanha bem inferior ao ano passado . ter o melhor record da temporada não é mais do que a obrigação dele com esse super time que ele tem no Warriors . Se formos dar o COY ao time com o melhor aproveitamento então o Kerr ia ganhar todos os anos . Popovich tá no topo á mais de 20 anos e já teve muitas vezes o melhor record da temporada mas também só ganhou 3 COY durante a carreira . Os treinadores como D`Antoni , Stevens e Snyder também merecem vencer porque fizeram temporadas espetaculares com elencos MUITO inferiores ao dos Warriors.

      • Matheus Oliveira

        A questão não é só o melhor record. Fato que o time que o Kerr montou é uma máquina, único time na história a fazer 65+ em 3 temporadas consecutivas e sendo melhor time ofensivo/defensivo.
        Relembrando que o GSW nunca foi essa máquina até 14-15.
        Se isso não credencia ele pra ser o melhor técnico nas 3 últimas temporadas então…
        Até o Spoleta do Heat tá no meio e o Kerr nem ligam muito.
        Campanha inferior com KD.. Porém, não menos histórica. Nem o Bulls de Jordan fez isso..

        • vsr.snake

          Nunca tinha sido essa máquina pq os seus principais jogadores não tinham atingido o auge técnico da carreira, mas tava próximo de acontecer, visto que o trio Klay/Curry/Green vinham de constante crescimento.

          Lembremos também que a base do time campeão foi montada pelo Mark Jackson, que praticamente definiu qual seria a filosofia de jogo a ser adotada. Kerr, com sua chegada, adicionou alguns conceitos e ajustes, principalmente na defesa, que terminou de consolidar o time como contender, além da contratação de bons role players, que o time não tinha com Mark Jackson. O trabalho do Kerr foi bom, tem seus méritos (que, na minha visão, já foi reconhecido com o prêmio que recebeu ano passado), mas nunca vi nada de genial não.

  • rafael machado

    Brad Stevens merece. Vem fazendo um trabalho fantástico no Celtics ano após ano. Vamos lembrar que ele conseguiu roubar o primeiro lugar do Leste que ha tempos pertence ao time que tem Lebron James.

  • Vinicius Suiciniv

    Essa votação da Jumper peca ao não disponibilizar ao menos um comentário dos especialistas sobre o motivo de suas escolhas. Por isso os comentários aqui são bem mais interessantes…

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados