logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 17 maio 2017 às 12:39
Prospecto do Draft 2017 – John Collins

Ex-ala-pivô de Wake Forest é cotado para ser uma escolha de primeira rodada no recrutamento

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Lima

john-collins-2

John Collins

Idade: 19 anos
País: Estados Unidos
Universidade: Wake Forest
Experiência: Sophomore
Posição: ala-pivô/pivô
Altura: 6’10’’ (2,08m)

Médias na temporada 2016-17: 19.2 pontos, 9.8 rebotes, 0.5 assistência, 0.6 roubada de bola, 1.6 toco, 1.8 desperdício de bola, 62.4% de aproveitamento nos arremessos de quadra, 74.5% de aproveitamento nos lances livres, 26.6 minutos

Pontos fortes
big man que tem altura adequada para atuar nas posições 4 e 5, e já possui força física para encarar o basquete profissional
– um dos jogadores de garrafão mais atléticos da classe deste ano; corre bem a quadra e é explosivo no ataque à cesta (salta muito para cravar pontes aéreas)
– apurado jogo de costas para a cesta; trabalho de pés avançado para um atleta de 19 anos, demonstra facilidade em pontuar através de ganchos, spins, fakes e turnarounds
– sensacional como finalizador no pick and roll
– arremesso de média distância em franca evolução; mecânica de arremesso elogiável; bom aproveitamento nos lances livres o credencia como um eficiente chutador na NBA (inclusive na longa distância)
– atua sempre com muita energia, adora o jogo físico e não foge do contato no garrafão (por isso, vai muito para a linha do lance livre)
– excelente reboteiro nos dois lados da quadra graças à ótima técnica de box out, instintos, tamanho, atleticismo e controle corporal
– na defesa, utiliza bem sua agilidade lateral e impulsão para bloquear arremessos

Pontos fracos
– jogo ofensivo no perímetro praticamente nulo; era utilizado essencialmente embaixo da cesta em Wake Forest e ainda não teve seu potencial explorado como chutador de bolas de três pontos
– precisa ser mais consistente quando está de frente para o marcador; controle de bola deixa a desejar
– comete faltas bobas, pois cai com facilidade em fakes e, às vezes, o excesso de energia em quadra o prejudica na defesa
– baixo QI de basquete; se perde facilmente na defesa do pick and roll; tem dificuldades para estabelecer posição e marcar pivôs que gostam de jogar de costas para a cesta (sobra energia, faltam fundamentos)
– não é um bom defensor no um contra um; é driblado com facilidade pelo adversário; envergadura não chama a atenção e ele não é de contestar muitos arremessos
– visão de quadra limitada; não tem como característica passar a bola (quando sofre dobra na marcação, telegrafa os passes)
– seu estilo de jogo é de difícil encaixe na NBA atual, que cada vez mais privilegia o espaçamento de quadra
– se quiser ter espaço nas duas posições do garrafão, vai precisar ser mais efetivo no jogo longe da cesta

Comparações: mix de Marquese Chriss (Phoenix Suns) e Greg Monroe (Milwaukee Bucks)

Projeção: selecionado entre as escolhas 16 e 24

Confira alguns lances de John Collins

Legenda
– Sophomore (segundo ano universitário)

  • Fabiano

    Vem para o Miami vem, vai jogar em casa!

  • Menezes

    Pra mim é o melhor pivô desse draft,seria ideal na formação de small Ball.
    Seu jogo me lembra muito o do Thompson do cavs (ele é melhor ofensivamente) e o do Faired do Nuggets.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados