logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 8 jun 2017 às 14:16
Já foi?

Cavs perde a grande chance de fazer frente ao Warriors e título parece cada vez mais próximo de Oakland

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Freitas

Confesso: eu acreditava no bicampeonato do Cleveland Cavaliers. Não por considerar o time melhor que o Golden State Warriors, até porque não é, assim como no ano passado. Mas particularmente, pensava que o fator LeBron James seria suficiente para vencer seus dois primeiros jogos em casa e, a partir daí, com ajustes necessários, chegaria novamente ao título. Só que do outro lado tem um sujeito chamado Kevin Durant. E ainda: Stephen Curry mordido.

Sim, Durant queria o primeiro anel de campeão após perder pelo Oklahoma City Thunder para o Miami Heat. Ele não foi até Oakland para ser mais um ou apenas para brincar. O cara estava em busca de fazer história na NBA. Escrevo no passado, pois acho que, no máximo, teremos jogo até segunda-feira. A tendência é que acabe na próxima sexta-feira, aliás. E Curry, depois de ser MVP em 2014-15 e não conseguir o mesmo nas finais — o prêmio ficou com Andre Iguodala — estava pronto para brilhar. Tudo bem que em 2015-16, ele ficou abaixo do esperado, porém o time de agora é bem mais forte e consistente dos dois lados da quadra. Após três jogos, três vitórias do Warriors. Curry pode até não ser o MVP da série decisiva, mas terá tempo para isso na carreira. Esse é de Durant.

Por mais que eu ache possível o Cavs vencer o quarto jogo das finais, o momento passou. E passou para muito longe. Tinha uma opção na noite de quarta-feira e não conseguiu. Foi como um balde de água fria, depois de estar vencendo por sete pontos durante o quarto período e controlar o placar até quase o fim. O problema é que, de novo, do outro lado estava Durant. O impiedoso Durant. Ele foi frio e decisivo. Pegou a bola e colocou debaixo do braço para garantir que o título não sai de suas mãos dessa vez.

Uma coisa ficou clara, ao meu ver, durante esses jogos: o Warriors pontua com tranquilidade, sem pressão, por vezes, com jogadores desmarcados. Já o Cavs, só em “partos”. Ou era com Kyrie Irving driblando até a Doris Burke ou com LeBron, partindo para cima do adversário. Eles foram responsáveis por 77 dos 113 pontos de Cleveland, ou 68.1%. Faltou ajuda, mesmo que J.R. Smith tenha entendido que as finais começaram somente agora. Levou 11 pontos em 138 segundos e não reagiu. A chance que teve, após a cesta de três de Durant, a reposição de bola foi lamentável. Colocaram a laranja nas mãos de LeBron, no canto da quadra, sem espaço para poder criar nada. Ou arremessava ou acontecia o que aconteceu: Iguodala mitou! Podia chegar ao empate ali e, eventualmente, teríamos a primeira prorrogação das finais desse ano. Não aconteceu. Execução errada.

Tenho certeza que alguns vão reclamar da postura de James, ao passar a bola para Kyle Korver, com 52 segundos para o fim. Mas eu não vejo essa falha. Você tinha em quadra o melhor arremessador de três em aproveitamento pela quarta temporada na carreira — a terceira em quatro anos— e jogando bem.

Tristan Thompson está perdido no meio dessa correria. Kevin Love, pasmem, defendeu melhor do que atacou na terceira partida. Deron Williams errou os 11 arremessos tentados nessas finais. Channing Frye nem saiu do banco. O Cavs dependeu de James e Irving em demasia, como em outros momentos da temporada. Não vai dar.

E o que é esse Warriors, hein? Um time que já era vencedor, agora é histórico. Em relação ao ano passado, tinha Draymond Green com a cabeça no mundo da lua e o pé na linha da cintura do oponente. Harrison Barnes perdeu o saquinho de mira. Andrew Bogut, machucado. Curry, abaixo do que se espera de um segundo MVP, sendo o último unânime. Hoje, Green é completo e com as ideias no lugar. Barnes foi embora, assim como Bogut. Durant chegou, contestado por sua decisão na offseason, mas cala seus críticos jogando como um real candidato a melhor jogador da atualidade, enquanto Curry faz números de MVP das finais, mas não vai levar porque o camisa 35 está em outro patamar.

Você pode até reclamar sobre Durant, o que é natural. No entanto, desde que o mundo é mundo, times se reforçam em busca do título com o que podem. E convencê-lo não deve ter sido uma tarefa tão difícil. O anel fala mais alto em qualquer lugar, desde que exista uma franquia organizada e em busca de fazer história. E o Warriors está fazendo.

  • Roge Lunarde

    Texto foda,analise perfeita.
    Eu acredito em uma vitoria do Lebron no jogo 4.
    Seria legal mais 2 jogos na serie.

  • CAVSweBelieve

    Sou muito fã do LeBron James, mas temos que admitir: ele é o tipo de jogador que se mantém muito constante durante o jogo, fato que consegue médias de triplo-duplo com certa “facilidade”. LeBron é gênio, jogador extremamente regular durante a partida, de uma forma geral. Mas nunca imaginei o LeBron “fazendo a diferença” de forma pontual, do tipo “não tem como passar por cima dele, nem esse Warriors”. Ele consegue somar à partida como um todo, não existe um pico de produtividade nos momentos importantes que farão a real diferença, ou coisa do tipo, fato que criticam muito ele – se espera um jogador que ele não é.

    Qualquer pessoa no mundo iria passar para o Korver, ele é melhor arremessador. Qualquer pessoa no mundo menos Jordan, Bryant, Jabbar, etc.

    Acompanho LeBron desde o início da carreira, a questão é que esperam dele coisa que ele não é, simples assim, mas isso não é demérito algum.

    • Paulo

      Korver sentiu absurdamente o peso dessas finais, é uma pena. Isso mostra o porquê de ele terminar a carreira apenas como um bom jogador e ótimo arremessador, sendo que tinha capacidade pra ser um dos maiores chutadores da história do basquete(sim, DA HISTÓRIA).

    • J. Carlos

      Faltou Kobe

      • Luiz Fernando Azevedo

        Faltou nada…Não começa..rs

    • Vinícius Maia

      “Qualquer pessoa no mundo menos Jordan”.

      Jordan passou para Steve Kerr

      • Henrique

        Pensei a mesma coisa…kkk
        Nao da pra tirar méritos do Lebron…o cara é foda
        Ele não consegue resolver sozinho, tem que envolver o time (a final desse ano é prova disso) Somente ele e Irving carregando o time é quase impossivel virar (mais estou torcendo para ver 7 jogos..rs)

      • Greg Ostertag

        E para John Paxson, também.

        • Vinícius Maia

          Desse eu não sabia.

    • ADL

      Apesar de ser Lakers, nao, Kobe nao passaria, jamais passaria. Lebron fez o certo.

      Bryant faria o errado.
      No máximo Bryant passaria para ONeal, em uma ponte ou em uma infiltracao em que dobraram nele o BIG DIESEL ficou livre a 3 cm do aro. Somente assim

    • Danilo Mota

      Velho ele é um monstro, como conseguiu jogar tanto depois de sofrer um knockout daquele, eu ia dormir até o outro dia e ele voltou como se nada tivesse acontecido.

      • Will

        É verdade, Danilo.
        Quando o lance aconteceu, eu comentei com uns amigos que estavam assistindo o jogo comigo que aquela pancada era algo como um cruzado pegando em cheio numa luta de boxe. Qualquer outro cara com uma pancada daquela ficaria no mínimo grogue por um tempo, enquanto que o LJ instantes depois já estava de pé, comandando e pontuando como se nada tivesse acontecido. Impressionante!

  • Bruno Da Silva Francisco

    O ” se ” não existe mas tenho orgulho dos Spurs.. o único time que ficou com o “gostinho” de que ganharia um jogo facil do warriors pelo menos.. kkk
    Já esquecemos do pé do zaza e nem falamos do pé do Jr.smith no Durant.. . Kkk

  • Marcelo Bulls #VoltaMJ

    Já tinha ido quando KD assinou com o Warriors

  • Marcovaldo

    LeBron deu início à era da corrida armamentista pela formação de supertimes.
    E agora o criador está sendo destruído por sua criação.
    A história se repete: o mesmo aconteceu com a antiga União Soviética…

    https://www.theguardian.com/sport/blog/2017/jun/05/lebron-james-cleveland-cavaliers-nba-finals

    • Gustavo Freitas

      Não foi LeBron que deu início. Antes dele, vários outros supertimes foram formados. Só na década passada, posso citar o Lakers 03-04 e Celtics 07-08.

      • Henrique Gardinal

        Gustavo tenho que discordar, o Boston foi feito atraves de troca, e o lakers pegaram dois em fim de carreira (que queriam um titulo para coroar a carreira)….Lebron quando foi pro Miami, foi no inicio do auge, e abriu mao de tentar formar um grande time em Cleveland…se ele tivesse ido pra Miami agora (apesar do auge) seria um pouco diferente, pois ja teria cansado de tentar ganhar…nessa tese concordo plenamente como o Marcovaldo..
        Grande abs e parabens pelo site….é muito bom

      • v10

        Pois é.. como o Henrique disse ai também discordo Gustavo, o boston e os lakers q vc citou foram feitos através de movimentos da diretoria, seja juntando veteranos em fim de carreira como malone e payton, ou por trocas.
        Ja lebron foi o primeiro q influenciou outros jogadores a se juntarem, não foi açao de uma diretoria, eles quiseram se juntar em miami. Então na minha opinião foi ele quem começou isso sim. Porém também acho que o Durant foi ainda mais apelão que ele… mas fazer o que, na minha opinião foi o Lebron quem começou isso sim.
        E não digo como hater, adoro ver o lebron jogar… Mas ta chato ver a NBA monopolizada.

        • Henrique

          V10….concordo com vc tb…..Lebron começou e Durant conseguiu piorar a situação…..kkkk
          Obs: tb não sou hater, o Lebron ja esta na historia como um dos melhores e o cara é foda mesmo.

          • Pericles Castromán

            hahaha … eu sou Lakers logo eu não curto muito o LeBron mas eu não sou um hater e admito que o cara joga demais!! Agora o Durant ganhou um hater!! hahahah … brinks

      • Pericles Castromán

        Eu acho valido vc montar um time através de trocas igual o Celtics fizeram em 07-08, assim como acho valido o que o Lakers fez em 03-04 (Gary Payton e Karl Malone) e o Houston (Barkley, Pippen, Drexler) fez no fim da década de 90 montando super times com veteranos.
        O Kevin Durant saiu no auge da carreira e se juntou a uma equipe muito bem qualificada e montou uma panela forte! Se ele tivesse ido para um Indiana Pacers (que tem o Paul George) ou o Bulls por exemplo eu acredito que ninguém falaria nada, mas o cara ir pra um time ja bem forte (tao forte ou mais que o Cavaliers mesmo não sendo campeões no ano passado) foi forçar a barra!

        • henrique

          Pericles, concordo com vc……assino embaixo….

      • Tales

        Não sei se essa sua tese é má vontade de pensar e saber diferenciar as circunstancias ou só quer ser tendencioso mesmo, visto que é um cara que assistiu a isso tudo e mais um pouco. Não vamos chegar 10, 20 anos depois dos fatos e falar de forma superficial, como se não tivesse vivido a época; saber que nestas situações foi um tanto diferente do que aconteceu com Lebron em 2010 e com o Durant em 2016.

        O’Neal, Bryant, Malone e Payton só jogaram juntos em 20 jogos na temporada regular. Malone devia ter uns 39 anos e Payton uns 35, enfim, segue o jogo. Payton e Malone eram agentes livres e o chamado para jogar juntos veio de O’Neal. Foi uma temporada difícil e cheia de lesões.

        Até o rival Celtics, Allen tinha uns 33 anos e Garnett, 32 anos.

        O que aconteceu com LeBron foi, de fato, inédito. Programa de TV para anunciar, montar a “panela” – não gosto do termo, cada um vai para onde quer. “Vamos conseguir 1, 2, 3, 4, 5, 6 títulos”, disse ele. Durant foi um expoente desta história, perderam o pudor do negocio. E repito, está nas regras, eles vão para onde quer. Cabe a NBA tentar equilibrar esta história, afinal, não existe competição se todos forem para um único local.

        • Gustavo Freitas

          Calma. É só má vontade mesmo, mas também quis ser tendencioso. Você escolhe.

          Óbvio que eu sei a diferença. Sou torcedor do Celtics. Eu acompanho essa birosca desde o fim dos anos 80, então já vi muita coisa. Eu não tenho todo o tempo do mundo pra ficar respondendo um por um. Apenas aos que são imbecis. Ou aos que se fazem de imbecis. Também não sei. Você escolhe aí.

          Sim, o que LeBron fez, com todo aquele showzinho, foi patético e desnecessário. Só que esse tipo de união entre grandes jogadores existe há tempos. Ou você acha que um astro é trocado (nos dias de hoje) para onde ele não quer ir? Lembra do Steve Francis, quando foi selecionado pelo Vancouver Grizzlies? Deu piti e foi parar no Rockets. E iguais a ele, temos aos montes. Então, jogadores conversam com outros jogadores para saberem o que podem fazer para que consigam jogar juntos. Outro exemplo que deu zebra foi o Elton Brand e o Baron Davis. O primeiro aceitou receber menos para ficar no Clippers e o time, assim, conseguiria manter Davis. O que aconteceu? Davis foi pro Warriors e ferrou com o Clippers. Então, sim, eles conversam, se desentendem, se enrolam e fazem supertimes com trocas ou não. Com assinatura ou não. Ou você acha que Will Perdue valia exatamente um Dennis Rodman? Para.

          É muita inocência dizer: “Ah, mas foi por troca”. Claro que foi. Às vezes, rola isso num sign and trade, mas rola. E o que o time que perdeu o astro consegue nessa troca? Escolhas de segunda rodada, contrato ruim de jogador pior ainda, e mais um monte de tralha. Do contrário, o sujeito sai de graça ao fim do contrato para assinar pelo máximo que o time puder, pra no fim, lutar pelo título. Na boa, dá no mesmo. Você pode até maquiar, mas o resultado é o mesmo.

          LeBron não é santo. Não tem ninguém aqui bajulando. Só disse que ele não foi o primeiro a fazer isso. Agora, com tempo, posso dizer: ele não foi o primeiro a fazer isso de forma pública, esfregando na cara de todo mundo que levaria seus talentos para South Beach.

          Falei que ele não foi o primeiro a fazer isso. O Lakers, com velharia e tudo mais, foi montado assim, em busca do título. Só deu errado porque Karl Malone tropeçou no pé do Derek Fisher na temporada regular, ficou um monte de jogos fora pela primeira vez na carreira e, quando retornou, estava totalmente sem ritmo. Além disso, Gary Payton nunca entendeu os triângulos, Shaq estava em forma de Lua e Kobe, mais egoísta impossível. Foi um monte de merda ao mesmo tempo. Uma temporada antes, veja os números de Malone e Payton para você justificar o que escreveu aí: Malone (20.6 ppg, 7.8 rpg, 4.7 apg); Payton, entre Sonics e Bucks, teve 20.4 ppg, 8.3 apg, 4.2 rpg. Na boa, não justifica seu argumento. Passa muito longe, aliás.

          Você pode até discordar do que eu digo ou escrevo. Não tenho problema com isso. Só não seja babaca de ficar presumindo meu pensamento.

          • Aloisio Machado

            Que resposta, senhores!

            Papo chato de panela. Coisa que sempre existiu na NBA.

          • Hilton Silva

            Nunca antes na história da NBA o melhor jogador do planeta havia se juntado aos seus “miguxos” para ser campeão, ou seja, o LeBron pode não ter iniciado as panelas, mas iniciou algo muito mais vergonhoso!

          • Tales

            Em tempos em que existem pessoas que interpretam que não houve ditadura militar no Brasil, acho que chegamos ao extremo da ignorância, “ou direito de opinião”. Não me assusta tentarmos passar sempre a opinião pessoal para fatos concreto que ocorreram.

            A forma que você escreve me lembra muito o que acontece na vida acadêmica brasileira, primeiro eu tenho a tese, e depois vem os argumentos – quando na verdade deveria ser o contrário.

            Daqui a pouco Michael Jordan, com 39 anos, fez panela com Jerry Stackhouse e Larry Hughes no Wizards.

            Gustavo, você está perdendo sua parcialidade porque não considera que a idade é fator determinante nesta história toda. Nunca havia acontecido alguém com 25 anos (auge da carreira), TOP 3 da liga, se juntar com outros 2 allstars e ir buscar o título.

            Mas tudo bem, vamos continuar citando Steve Francis, ou Dennis Rodman… é tudo a mesma coisa.

          • Gustavo Freitas

            Opinião é uma coisa. Eu aceito a de todo mundo, tanto que não contestei a de ninguém. Só a sua, que veio “de carrinho” ao analisar um pensamento meu: “Não sei se essa sua tese é má vontade de pensar e saber diferenciar as circunstancias ou só quer ser tendencioso mesmo, visto que é um cara que assistiu a isso tudo e mais um pouco”. Nem te conheço para analisar algo que tenha escrito aqui antes. Aliás, mesmo que conhecesse, jamais, em hipótese alguma, diria que você possui má vontade ou queria ser tendencioso sobre algo. É justamente o seu ponto da última postagem: direito de opinião. Você tem sempre, desde que não venha com suposições sobre o que eu penso.

            Pode discordar o quanto quiser. De novo: não estou nem aí para isso. Eu até discordo do seu pensamento, mas não vou criticar a sua pessoa por causa disso. Não estou aqui para mudar o que você pensa, em hipótese alguma. Apenas apresentei o que eu acho.

            Pois bem, acho que LeBron foi somente o primeiro a dizer: “Ei, gente, eu quero um título e vou montar um supertime”. De forma nada velada, ele foi a um canal de TV para divulgar o que ia fazer na próxima temporada. E veio com um show de horrores. Isso tudo foi patético. Agora, a decisão dele é questionável se pensarmos sobre competitividade e o que se faz para alcançar seus objetivos, mas mais uma vez, é somente dele. Ele carrega isso pelo resto da carreira.

            Idade tem a ver, é claro. Mas o que Malone (20.6 ppg, 7.8 rpg, 4.7 apg), Payton (20.4 ppg, 8.3 apg, 4.2 rpg), Rodman (7.1 ppg, 16.8 rpg), e outros fizeram ao pedirem troca ou simplesmente saírem para uma equipe com chances reais de título, é a mesma coisa que LeBron queria: o anel. Isso não muda.

            Você pode fazer a dosimetria pela idade, por características de times, técnicos, colegas, até de temperatura (muita gente não gosta de jogar em Minnesota por isso, por exemplo), mas no fim das contas, o objetivo é só um. O ato de deixar determinada equipe por outra é sempre o mesmo.

        • Leonardo Augusto N. Dos Santos

          disse tudo que penso. como diz o filósofo, “o personagem é, ele próprio, intriga”

    • Vinícius Maia

      O Rockets tentou um supertime no final de década de 90 com Pippen, Barkley e Olajuwon se eu não me engano. Ninguém fala neles, porque não deu certo.

      • Henrique

        Vinicius, eles se juntaram em fim de carreira…acho isso até certo ponto normal (ultima cartada e tals)….o complicado que se continuar assim quase todos vão querer montar super times….ai o desnivel aumenta

      • Gabriel

        Ah, para! Por mais que o Heat não tivesse feito uma boa temporada em 09-10, quando fizeram esse time sabiam que a situação ia mudar. Sabiam que o time era um favorito. Tinham um mvp de finais com médias de +25PPG e pegaram mais 2 craques (sendo um MVP) na mesma situação! Eram 3 all-stars que somavam uns 75PPG. Chegaram em 4 finais desde então e ganharam 2… Por mais que não fosse um time já montado como esse do GSW, era um time que sabia onde ia chegar. É basicamente a mesma coisa no fim. Lebron foi pra lá pra fazer um supertime pra ser campeão e ponto. Se GSW é panela, isso foi tão panela quanto. Assim como aconteceu quando Allen e Garnett se juntaram a Pierce em 07-08. Nem tem o que criticar no fim… todos os GMs teriam feito o que Bob Myers fez se tivesse cap sobrando com o craque do seu time ganhando $12M e um Durant dando sopa na FA.

        • Vinícius Maia

          Eu nunca dirigi minhas críticas ao GM do gsw. Ele fez o que tinha que fazer. Minha critica é ao Durant que escolheu o caminho mais fácil ou vai dizer que se unir ao melhor time da liga para vencer é um ato de superação?

          LeBron, em sua primeira passagem pelo cavs, nunca teve um time para brigar de verdade pelo título. Durant teve isso em okc, inclusive poderia ter brigado pelo título na temporada anterior se o time não tivesse pipocado.

          LeBron não se uniu a um heat que dominava a conferência e que havia disputado duas finais consecutivas (quem dominava a conferência era o Celtics).

          Por fim, LeBron não se uniu a três all stars para formar um big four.

          O que Durant fez, foi como se Jordan se unisse ao pistons ou ao lakers, que eram os dois melhores times da sua época ou como se Kobe se unisse ao Celtics após as finais de 2008.

          O gsw talvez seja o primeiro big four da história. Não tem como colocar isso no mesmo patamar que qualquer outro time do passado. Talvez o mais próximo disso seja o Lakers em 2004 e em 2012, mas em ambos os casos, haviam veteranos que estavam buscando a última chance de serem campeões.

          • Danilo Mota

            O melhor time é o campeão, o time a ser batido no campeonato seguinte é o campeão da anterior, o GSW não era o melhor time da liga, não digo você, mas tem gente que para falar da final vem com “73 x 9 sem anel não é nada”, na hora de falar da transferência era o melhor time da liga, o OKC pipocou na final do ano passado, pipocou mais ainda na formação para esse ano, Durant não quer virar o Carmelo.

          • Vinícius Maia

            GSW continuou sendo visto como o melhor time da liga, mesmo após a vitória do Cavs. A maioria viu o título do Cavs como uma superação, mas muitos, inclusive eu, viam o GSW como um time melhor (no geral, elenco melhor e muito mais bem treinado).

          • Nilton Junior

            Cara vc ta querendo defender o indefensável. Aquele Heat foi montado pra dominar a liga, não era uma experiencia pra ver se ia conseguir vencer o Celtics. Era claramente a idéia de “vamos montar um supertime”. Tanto que o salário do LeBron era, se não me engano, mais baixo que do Wade. Mesmo o LeBron já sendo considerado o melhor jogador da liga.

          • Gabriel

            Exatamente! Eles sabiam que uma hora ou outra iam ser campeões… Independente do tamanho, os motivos e as consequências de ambos são os mesmos.

        • Nilton Junior

          Só lembrando que a chegada do Ray Allen e do Garnett foi via troca. Trabalho do GM e não via FA como o LeBron e o Bosh fizeram em 2011.

  • Paulo

    Ou Lebron abre mão de jogar com os “parças” ou nunca mais será campeão. Tem que montar um time competitivo e tirar esses amiguinhos do rei, tipo J.R Smith, Shumpert e vários outros.

    • Dillari

      faltou james jones em quadra para o cavs levar essa

      • Jonas

        Outro erro foi não ter oferecido um bom contrato para o Perkins, faltou o PERKÃO DA MASSA!

      • Leonardo Augusto N. Dos Santos

        melhor comentário disparado

    • Vinícius Maia

      Exato!

    • Chimbinha

      Shumpert e JR são dois peladeiros com um salário fora da realidade pro ” talento” de ambos

  • Gustavo Rocha

    Na temporada 14/15 os cavs tinham tudo para ser campeões, mas as lesões de Irving e Love não deixou (além é claro do brilhante jogo dos GSW). Em 15/16, GSW tinha tudo pra vencer, mas a lesão do Curry, além de atuações absurdas de James e Irving, impediu. Essa temporada, LBJ jogou o melhor basquete. Mas não vai levar tbm. Essa trilogia de CAVS x WARRIORS, pelo menos para mim, mostrou o quanto é dificil ser campeão da NBA.

    • Little Stéfi Caury

      LeBron jogou melhor. Mas GSW foi a melhor equipe, muito acima das outras.

    • henrique

      Boa analise……O grande diferencial se chama Durant….o Time ja era muito bom e com ele se tornou quase invencível (quase)….mais ainda quero ver 7 jogos…rsrs

  • Alex Alves

    Daqui a pouco vem alguém dizendo que Lebron e Irving deveriam se unir ao Rocket ou Boston rsrs

  • Lucas

    Que diferença a presença de Kerr no banco fez para K.Thompson.

    Vale ressaltar o cansaço mais o numero do 4° quarto a seguir é interessante
    https://uploads.disquscdn.com/images/ef65e86763dfec25bbee51dd780aafbc49af03a8c9040ed7672da5606cb6d46c.jpg

    • ldalles12

      Não sei se cansaço é desculpa, os minutos são parecidos. Só neste último jogo que teve diferença de cinco minutos.

  • Vadss Guera

    Para o Cavs tentar fazer frente ao Warriors nas próximas temporada terá que se abrir e se remodelar todo, só mantendo Irving e James do quinteto, trocando Love, TT JR Smith e Shumpert, vão ter que adicionar ao quinteto ao menos mais um superstar, e um all star, pra tentar formar digamos um big four. Além de ter muitas outras opções por fora aí. Próxima temporada promete muito e será uma incógnita do caralho essa OFF Season.

    • Danilo Mota

      Você criticas as panelas não, né?

  • Chimbinha

    O problema é que esse Warriors devem vir mais fortes ainda ano que vem,com um monte de veterano que dão caldo indo atrás de anel ganhando mixaria

    • Lucas

      Tipo Ray Allen, Deron Wilians, Frey, D.West é eles virão.

      • Vitor Martins

        Você citou jogadores que foram atrás do LeBron e colocou o “D.West”. É o David ou Delont? Pq o David nunca foi atrás do LeBron e Delont também não, ele foi atrás é da mãe dele rs

      • Danilo Mota

        E o Korver

      • Kevin Durant #MVP FINALS

        Sai pra lá ,queremos só o cousins

        • Will

          Cousins joga muito, é certamente um grande pivô, mas… não tem cabeça, é muito instável.
          Se ele fosse mais equilibrado seria uma ótima aposta, com certeza!

  • Danilo Celtics #Banner18

    se bobear trazem o bogut de volta pelo minimo e mete o pé no rabo desse lixo pachulia

    • Lucas Silva

      O Bogut é melhor, mas vive lesionado. O Pachulia ao menos consegue atrapalhar um pouco…rs

  • Crossover 🔥Comeback #2

    Belo texto. Também acredito que consigamos tirar ao menos esse jogo 4 do Warriors, mas como bem dito, foi um balde (e tanto) de água fria estar ganhando com aqueles 7 pontos no último período e por uma soma de pequenos erros e um KD implacável perder.

    Agora por mais que eu queira acreditar em mais uma virada (alá 3×1 ano passado), é muito difícil manter esperança contra esse time do GSW, mesmo basquete sendo basquete.

  • Uncle Drew #DefendTheLand

    Eu também acho q já era. Os jogadores estavam visivelmente abatidos na coletiva pós-jogo, vai ter q precisar de mt motivação para vencer este jogo (até tem um clichê de ser para terminar a série com honra, ter vencido ao menos uma partida em casa e blá blá blá..) e MUITA sorte ou um fator de lesão para vencer mais 3 jogos. De um time q nos últimos 31 jogos.. venceu 30 (acho)! rsrs.
    Eu vejo mt gente falando do futuro do Cavs. A curto prazo não deve acontecer praticamente nada, uma contratação de outro veterano ou algum outro role player e a vinda do Cedi Osman (turco draftado pelo Cavs há 2 anos atrás.). Cavs não tem escolha de Draft, já negociou a de 2019 pelo Korver (de maneira até esperta aliás, pq ela é protegida para o CAVS até a 10ª escolha. E o contrato do LeBron finaliza em 2018. Ou seja.. se der “ruim” o Cavs ao menos pode começar um rebuild sem tanto atraso.).
    Cavs chegou naquele msmo ponto do Miami Heat após a derrota para o Spurs, acabou a flexibilidade de negociações e o CAP está comprometido. E vc tem q saber lidar com isso quando tem o LeBron, infelizmente o cara ñ é perfeito, tem q sempre ter senso de urgência para melhorar o elenco e comprometer o futuro.
    Mesmo q troquem o Love.. ele não é suficiente para pegar um Paul George ou outro jogador mais jovem como alguns pensam, precisaria de mais ativos, algo q o Cavs ñ tem. Acho q o máximo q o Cavs pode conseguir pelo Love é um jogador mais velho (como o Carmelo Anthony), ñ deve fugir mt disto, pq ou a troca será de jogador por jogador, ou então vai ter q levar um contrato ruim junto para a outra equipe (como o J.R. por exemplo.)

    • Vinícius Maia

      ” Os jogadores estavam visivelmente abatidos ”

      Eu fiquei surpreso por um lado, pois até o LeBron estava abatido. Ele é um cara que sempre demonstra muita confiança nas entrevistas (as vezes chega a ser arrogante) e até ele estava abatido. Mas não é para menos. Nos dois primeiros jogos, houve a sensação de que o time poderia jogar melhor e não estava dando tudo de si. Mas no terceiro jogo, foi diferente. O time deixou tudo em quadra e não foi suficiente. A sensação de impotência e incapacidade nesse momento, deve ser gritante.

    • Leonardo Augusto N. Dos Santos

      vc que é um torcedor nao passional do cavs, acha que na proxima offseason pode rolar o “banana boat squad”?

      • Uncle Drew #DefendTheLand

        Nesta Offseason (de 2017) não há chance. Uma troca do Love pelo Melo eu não descartaria mas… uma troca pelo Chris Paul eu vejo como bastante improvável. Cavs ñ trocaria o Kyrie de jeito nenhum (como o Paul é Free Agent, poderia ocorrer uma possibilidade de “Sign-and-Trade”), o garoto foi feito “em casa” e ainda acertou o arremesso q deu o único título da franquia. Ele é intocável no elenco. E Paul não vai aceitar pechincha para ir para o Cavs, onde sabe se lá como.. ele iria se encaixar no elenco com Kyrie e LeBron. Acho q ele vai para o Spurs ou continua no Clippers.
        O Wade irá aceitar sua Player Option (24 milhões p/ ano ele ñ irá ganhar em canto nenhum, caso vá para a Free Agency.) e ficará no Bulls na próxima temporada. E LeBron tem contrato GARANTIDO com o Cleveland para a próxima temporada.
        Na Free Agency de 2018 talvez. Mas, sinceramente, mataria qualquer chance do LeBron ser campeão, seja no Leste ou Oeste a equipe q ele montar o “Banana Boat”. Os 4 já estão velhos, Chris Paul e LBJ poderiam quebrar um galho defensivamente mas os outros 2 são péssimos neste momento da carreira. Só se o LeBron já ñ estivesse nem aí para títulos e procurasse apenas se divertir na NBA.
        Acho q essa chance já passou na Free Agency de 2010, quando o LeBron realmente estava afim e já havia combinado com os outros 3, em 2007 (faria um acordo de 3 anos com o CAVS para poder se alinhar entre os Free Agents com os outros 3), de q se tornaria Free Agent em 2010, e q queria formar o Banana Boat. Wade e LeBron fizeram o combinado (ñ a toa são os melhores amigos entre os 4 jogadores.) enquanto Paul e Melo seguiram outros caminhos.

  • Teve pipoca all night

    Nao sou GSW, tao pouco, fã de Durant ou James. São ótimos jogadores, o segundo e o primeiro respectivamente.
    Mas a hipocrisia rola solta mesmo, ninguem aqui realmente nao mudaria de emprego, com os mesmo salario, beneficios e etc…. mas com chances reais de promocao em 1 ano??

    • ThiCavsFaria#DefendtheLand

      É normal haver uma grande hipocrisia quando se trata de uma figura pública sabe cara?! Pois quando falamos do ramo basquete, cada franquia representa um estado, se as vezes quando saímos de um emprego o chefe já nos olha torto, imagina que nesse caso o chefe seja milhões de pessoas …

      • Danilo Mota

        Se as pessoas forem viver em função de olharem torto para elas…

        • ThiCavsFaria#DefendtheLand

          A escolha é de cada um, mas lealdade é algo incrível nos esportes em geral, mas a decisão é pessoal dele, se ele se sente feliz e acha que a forma de conquistar o que ele queria pela troca de equipe não acho justo criticá-lo, pois só quem vive isso todos os dias sabe o que se passa e o que fez para chegar lá …

  • Thiago26-NBA

    Já era essa série.
    Bora pensar na próxima temporada

  • ldalles12

    Com cada um em suas características, podemos dizer que o steal do Iguodala foi o troco do toco ano passado?

  • The Real Jay

    Se o cavs não for atrás de um SG, mandar embora jogadores como Shumpert, Jr e rJefferson. Pode esquecer!

    • Vinícius Maia

      Ganhando ou perdendo, o cavs precisa fazer uma pequena reformulação nesse elenco. São muitos veteranos no elenco que, visivelmente, tem dificuldades para lidar com um jogo corrido como o do gsw.

  • ThiCavsFaria#DefendtheLand

    Cara sinceramente torço pro Cavs desde 2012 depois da temporada 24-58, meu primo torce pro 76ers e também escreve nesse blog, já vimos nossa equipe passar pelo ostracismo, e geralmente o ostracismo sempre chega depois de belas temporadas, pois o objetivo maior na minha opinião não é apenas só ser campeão e sim manter elevado o nível de basquetebol da equipe, assim como qualquer torcedor dos Cavs que acompanha a equipe a muito tempo, ano passado também não acreditávamos em uma virada mas a equipe nos surpreendeu, como diz o lema “defenda a terra” e amanhã estaremos novamente nela seja para o início de uma nova surpresa ou para lutarmos até o final …

  • ldalles12

    Enquanto não tiver a vitória 4 do Warriors, o Cavs tem chances. O história sempre pode ser feita e existe a primeira vez para tudo.

    • ThiCavsFaria#DefendtheLand

      Disse tudo cara …

    • Rafael Victor

      É isso aí!

    • Lucas Silva

      Pois é, a vitória 4 aconteceu.

      • ldalles12

        Sim e acabaram as chances do Cavs.

  • Aloisio Machado

    As discussões, invariavelmente, descambam para panelas, copos, etc. De boa, sugiro que a galera vá ver a NBB (e eu não quero aqui desmerecer o nosso campeonato nacional).

    Ali não tem panela.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados