logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 19 jul 2017 às 18:20
“Gostamos do jogador que Caboclo está se tornando”, garante presidente do Raptors

Masai Ujiri prevê ala brasileiro ganhando espaço na rotação da equipe na próxima temporada

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Ricardo Stabolito Jr.

Foi-se o tempo em que Bruno Caboclo estava “a dois anos de estar a dois anos” de jogar na NBA: o brasileiro começa a preparar-se para disputar a quarta temporada no basquete norte-americano e entrará no último ano de contrato garantido com o Toronto Raptors. Ele participou de apenas 23 jogos do time canadense desde que chegou aos EUA e passou a maior parte do tempo na D-League, mas a equipe vê o desenvolvimento do ala com muito otimismo.

“Eu quase me culpo por tê-lo trazido cedo demais, mas queríamos acompanhar seu desenvolvimento e esse foi o preço que pagamos para isso. É como se ele tivesse feito faculdade aqui. Embora o torcedor esteja impaciente porque Bruno está aqui há algum tempo, nós estamos satisfeitos com a forma como ele terminou a última temporada da liga de desenvolvimento e como vem treinando consistentemente”, afirmou o presidente da franquia, Masai Ujiri.

Caboclo nunca chegou a ser o destaque e líder do Toronto 905 que os dirigentes do Raptors – e os fãs brasileiros – gostariam que fosse, mas teve bons momentos na liga menor. Um deles aconteceu em abril, quando ele foi o cestinha da partida que garantiu o inédito título da D-League ao time afiliado do Raptors: foram 31 pontos e 11 rebotes, com cinco cestas de longa distância. Para Ujiri, esse é o tipo de atuação que evidencia o enorme potencial do atleta de 21 anos.

“Nós gostamos do jogador que Bruno está se tornando e esperamos dar-lhe alguns minutos na próxima temporada. Ele mostrou um bom progresso nos dois lados da quadra. Acho que existe valor em sua habilidade como arremessador e marcador, usando a envergadura. Ele é o protótipo do jogador que estamos procurando. Então, eu sei que seu momento vai chegar”, concluiu o executivo, anunciando que o jovem deverá ter espaço na rotação de Dwane Casey.

O Raptors surpreendeu a NBA ao fazer uma grande aposta selecionando Caboclo na 20ª posição do draft de 2014. Foi uma manobra, que, desde o dia do recrutamento, Ujiri reconhecia ser uma cartada em longo prazo da franquia. O brasileiro totalizou apenas 106 minutos de ação na NBA até agora, mas, na D-League, disputou 78 jogos (sendo 68 como titular) com médias de 11.6 pontos, 5.6 rebotes e 1.4 tocos em pouco menos de 29 minutos por noite.

  • Zack Batista
  • Danilo Celtics #Banner18

    vai entregar mto gatorade nessa temporada

    • xmaah

      2,5M pra entregar gatorade, emprego dos meus sonhos.

      • JOSE MARINHO

        E de doletas, eu nem estreiei e ja posso me aposentar rico, coisas do nosso esporte.

      • E ainda assiste os jogos na primeira fila.

    • Vinicius Suiciniv roquete

      NBA é isso a maioria só precisa de uma temporada pra se tornar “milhonário”. No fundo quem continua jogando ou é pq quer MUITO dinheiro, ou pq gosta muito de jogar, ou um misto dos dois. Se eu fosse o Caboclo voltava pra NBB de bolso cheio.

  • xmaah

    ultimo ano de contrato é bom mostrar serviço.

  • MontaEllis Imortal

    Acredito que vai ter oportunidades nessa temporada. Nao sou fã dele, inclusive acho que não vai ter potencial de NBA, mas me corrijam se eu tiver errado: esse banco do Toronto ficou fraco graças aos gastos para renovar com os titulares Ibaka e Lowry.

  • #tiTANKnicks – VEM FULTZ

    Limitado, preguiçoso e baladeiro. Será liberado em breve.

    • Lucas SEP

      Joga na mega sena Mãe Dina!

    • Jahlin Habei

      Vc é a caricatura do povo brasileiro, imundo e invejoso.

    • David Ribeiro

      Esse dorme do lado de Caboclo

    • #tiTANKnicks – VEM FULTZ

      Ainda no aguardo de alguém com o mínimo de decência que discorde de mim e queira discutir em bom nível. Aos baixos, serão ignorados.

      • Luiz

        O cara pedi decência e educação depois de chamar o garoto de preguiçoso e baladeiro com base em comentários de sites, mesmo com presidente da franquia elogiando a evolução do Caboclo. Vai entender, isso aqui ta parecendo cada vez mais página de time de futebol.

        • É semelhante a quando o presidente do Vasco foi visto almoçando e um torcedor comentou, “o time nessa situação e o cara almoçando”. HAHAHHAAHAHHA afinal, é do meio esportivo só pode viver para o esporte.

      • David Ribeiro

        Você diz: “Limitado, preguiçoso e baladeiro”

        Eu ironizo que você sabe da vida do cara demais.

        Resultado: Eu sou indecente

        (HU3HU3BR)

      • William Felton Russell

        Tem horas que parece discussão em páginas de facebook ou nos comentários do globo.com.

      • HUMota

        Mas teve alguma resposta indecente? Eu na minha inocência não vi nenhuma.

    • Com base em que você diz que o cara é preguiçoso e baladeiro? Você vive com ele? Qual o problema em ser baladeiro? Se isso não afetar as responsabilidades profissionais não tem problema algum, diversos atletas são, James Harden adora uma balada, e nem por isso deixa de ser um bom jogador.

      Quanto a ser limitado é outra história, admito não ter visto o Caboclo jogar por toda a temporada passada, então não sei se realmente evoluiu. Mas até a temporada 2015-16, ele não sabia como se movimentar na defesa, se perdia sem saber quem deveria marcar, ball handling bem mediano, só infiltrava em transição, e se limitava em ser um mero catch and shoot, e isso sem ter bom aproveitamento nos tiros de longa distância.

      • HipHipHurra

        Nem quero entrar na discussão de se o Bruno é baladeiro ou não. Porém, comparar o James Harden (talento puro) com um cara que tropeça nas próprias pernas é forçar demais a barra… hahaha.

        • Não comparei talento, quis mostrar que vida noturna não é um problema enquanto não afeta o desempenho profissional, o atleta não precisa ser um recluso, apenas ser responsável.

      • Diego Alexsander #tiTANKnicks

        Bem, primeiramente parabéns pela educação.
        Acredito que ninguém aqui mora ou convive com nenhum astro da NBA, então creio que esse argumento não pode ser base para invalidar algo dito sobre determinado jogador, caso contrário, simplesmente não poderíamos comentar aqui. Meu embasamento se dá através da mídia, incluindo opiniões e análises de companheiros do próprio Jumper. De qualquer forma, respondendo suas indagações, problema nenhum ser baladeiro. Exceto se o baladeiro é um jogador profissional, visando jogar em alto nível, na maior liga de basquete do mundo. Baladas varam a madrugada, em linhas gerais, comprometem o descanso e a regeneração muscular. Talvez isso faça alguma diferença em uma liga com quase uma centena de jogos por temporada. Há os que conseguem lidar bem com essa situação. É o caso de Caboclo? Não saberia dizer. Naturalmente quando se tem um talento nato, como Harden, tudo fica mais fácil, fora que quando se é jovem talento se sobrepõe a essas minúcias. Harden é um ponto fora da curva, Caboclo é mediano (limitado). Queria eu que fosse um cracaço de bola. Minha crítica não é fundamentada na inveja (acho que, provavelmente, escolheria um jogador de elite para invejar, se fosse o caso), mas tem por base a torcida para que ele mude de postura e evolua porque, caso contrário, ao meu ver – repito – ele será liberado em breve.

        • Podemos comentar sobre o que vemos em quadra, e o que é possível provar fora dela, agora embasar uma crítica em opinião de mídia é pura especulação. Eu não me lembro do Dwane Casey, Masai Ujiri, ou algum jogador do Raptors vir a público dizer que o Caboclo é preguiçoso e baladeiro, ou ele ser fotografado todo dia em balada. Logo isso é pura especulação, não tem valor, uma perda de tempo, e não vale a pena discutir sobre os hábitos de vida do Caboclo.

          O atleta pode ser fisicamente privilegiado, pode ter todos os atributos físico-atléticos para ser um jogador de elite, mas se não tiver dedicação ele não vira nem role player, isso serve pro Harden e qualquer outro, não importa se fora da curva ou sei lá o que. O meu ponto é que o atleta algum deve ser um recluso, é possível equilibrar trabalho e lazer. Se esse é o caso do Caboclo, eu não sei, justamente por isso acho uma bobajada especular o que ele faz em sua vida pessoal.

          • Diego Alexsander #tiTANKnicks

            O fato dele não ser fotografado todo dia na balada não implica no fato dele estar frequentemente na noite, visto que não são incomuns os casos em que ele é fotografado em situações assim. Logo, não é mera especulação como você sugeriu. Mas, ainda que fosse, se passássemos a censurar a especulação, como você parece sugerir, grande parte do jornalismo esportivo desapareceria.

          • Thalles Ferreira

            Se grande parte do jornalismo esportivo como é hoje desaparecesse, seria um bem danado pro esporte, isso sim. A maior parte do jornalismo esportivo está mais pra Fofox Sports do que pra Bola Presa.

      • felipe fernando Oliveira

        Olha Nicolas eu gosto muito dos seus comentários mas nesse terei que discordar. Sobre baladeiro, teve o episódio do Carnaval que ele arrastou bebê e que não foi bem visto pela franquia, sempre ele posta fotos em festas em Toronto e até NY nas mídias sociais dele, então ele nos dá margem pra falar que ele é baladeiro. Quando criticamos Caboclo é porque queremos ter um jogador brasileiro que domine a NBA, e não é a questão de inveja. Eu até acho que ele tem um talento bruto, que é diferente de ter talento nato. Vemos que ele tem ferramentas físicas pra ser no mínimo um bom roller, e ele não evoluiu nada. Veja Paskal Siacam em um ano de liga o quanto evoluiu ao ponto de ter bons minutos no time de cima. Bebê depois que se afastou de Caboclo melhorou, evoluiu e até vimos ele fazer bons jogos. Agora se ser baladeiro atrapalha ou não isso não sei, depende de cada um. Agora que ele parece ser displicente e não ter foco isso parece sim. Nossa torcida é que ele melhore e eleve nosso basquete tão carente.

        • Cara, ele posta foto em badala da mesma forma que posta em treino, não tem nada conclusivo sobre sua ética de trabalho e se sua vida pessoal interfere na particular. Apesar de parecer zuera, Caboclo de fato estava há 2 anos de estar há 2 anos pronto para NBA. Paskal Siacam teve 3 ou 4 anos no college. Lucas Bebê teve passagem pela liga espanhola, inclusive foi eleito o melhor defensor, enquanto Caboclo não jogava nem 10 minutos no Pinheiros, ele chegou muito cru a NBA. Esse será um ano decisivo para ele, e precisará mostrar serviço para continuar na liga.

          • Clóvis Rafael Ferreira

            Perfeito sua análise… Esse ano ou vai ou racha… Será que ele tem consciência disso? Será que está treinando para isso? Será que terá vontade para se tornar algo efetivo na NBA? Só o tempo dirá!

    • Bruno Macedo

      Típico brasileiro.

      • Diego Alexsander #tiTANKnicks

        Na verdade o típico brasileiro tende a supervalorizar figuras comuns, sem talento algum, ao passo que não valoriza os verdadeiros ídolos. Creio que não seja o caso.

        • Você tá passando vergonha cara.

        • Bruno Macedo

          Então você vive em outro Brasil porque pelo que eu vejo brasileiro só presta no futebol pro povo daqui e esportistas de fora são sempre os melhores, brasileiro tem a mania de exaltar jogadores de fora.

  • Lucas

    Espero que se ele for bem não façam o que fizeram com Bebe que vinha numa boa temporada e depois tiraram da rotação.

    • HipHipHurra

      Boa temporada? Mano dá uma olhada nos sites dos torcedores do Raptors para você ver como eles amam o 0pts.kkkkkkkk

  • HipHipHurra

    Hoje o Bruno é mais PF do que SF.

    • felipe fernando Oliveira

      Se jogar de PF não vai ter espaço mesmo. Paskal Siacam em um ano de liga evoluiu muito mais que ele

  • Beto #MPJrMav #MFFL

    Rei do camarote de Toronto.

  • Julio

    O futuro do Brasil na NBA se chama Cristiano Felício.

  • Renato Neira

    Isso aqui virou revista de fofoca? O cara tem 21 anos de vida, 3 anos na maior liga, acredito que tenha evoluído sim. O que esperar que ele se torne? Tornando-se um cidadão de bem já será excelente. Um bom jogador? Acredito que seja, caso contrário não estaria onde está. Dominante na liga? O tempo dirá. Sorte e sucesso Caboclo!

  • Arthur Garcia

    Pelo amor de Deus, Caboclo é no máximo NBB. kkkkkkkkkk

  • Não acho que irá evoluir a ponto de se tornar jogador para NBA. Hoje, provavelmente, seria reserva até mesmo nos melhores times da NBB.

    Os fóruns gringos dos Raptors, com torcedores que acompanham de verdade, mostram que não acreditam no Cabloco, simplesmente porque ele peca nos aspectos básicos do jogo.

    • Clóvis Rafael Ferreira

      Na verdade, a maioria acham que ele deveria ser melhor preparado para ser um 4 (PF) para o time jogar com 4 abertos e pela sua estatura seria perfeito… Já que hoje ele mede 6’10” e tem envergadura de 7’7″, mas dizem que ele precisa ficar mais forte para aguentar o tranco!!! A única coisa que realmente reclamam dele é a pouca velocidade para ser SF e seu controle de bola nada mais que razoável, se comparando aos BIG MANs da NBA!!!

  • AlexS.F.

    ai vai lá e não renovam com ele, Raptors fez cagada não confia no menino e tá só enrolando.

  • Vinícius Maia

    A maioria dos brasileiros que acompanham a NBA sempre vem com as mesmas conversas quando criticamos um jogador brasileiro: “inveja”, “não valoriza os compatriotas” etc, etc. Mas a verdade tem que ser dita e no caso do Caboclo, a verdade, é que o garoto deixou muito a desejar até aqui e provavelmente, seria um reserva até mesmo no fraco NBB. Eu não vejo uma desvalorização dos jogadores brasileiros por parte da torcida brazuca, pelo contrário, desde que eu acompanho basquete, eu vejo uma supervalorização. Quando a NBA ainda não era tão acessível para a maioria dos brasileiros, inclusive eu, eu costumava “acompanhar” por meio de noticias em portais como Globo.com e me lembro que cansei de ler matérias do time “Nenê tem ótima atuação em vitória do Denver” ou “Varejão tem grande noite em vitória do Cavs” e quando você ia ver os números referentes as “ótimas” atuações eram coisas do tipo “12 pts, 6 rebotes”. Faça-me o favor, isso são números de um jogador que teve uma “grande noite”? Acho legal o patriotismo, a torcida e a valorização dos brazucas que estão lá fora, mas também acho que precisamos ser um pouco mais racionais na hora de analisarmos os brasileiros no basquete norte-americano.

    • Vitor Martins

      Concordo. A gente torce, mas não pode fechar os olhos.

    • My Diguinho

      Não tem nada a ver com o explanação por alguns aqui e não é nacionalismo barato. Explico em tópicos:

      1) Se trata de opinião quando é fundamentada e embasada em dados ou vídeos q a MAIORIA não tem do mesmo. Quando se trata de torcer contra e debochar pelo simples fato do cara ser nacional, é inveja SIM. Deboche é argumento de puta.

      2) Não existe uma nação desenvolvida q não valorize seus nacionais! Até a Argentina, com jogadores podres(!!!), Os cara tratam como novo Scola ou Manu. Todo(!!!) jornalista Argentino exalta um jovem como se ali fosse o novo Sabonis se for pivô ou novo petrovic se for armador. No final não passam de amebas, mas e aí?
      Procura os jornalistas Argentinos q cobrem basquete no Twitter pra tu ver…

      3) exemplos fatídico: Neymar antes de ir por Barcelona, geral falava q era o novo Robinho!!! Tomaz Bellucci (segundo maior tenista da história do país) é considerado amarelão !!! Fabiana Muller, Futebol feminino, nenê Hilário e etc. Geral torce contra! Isso é típico do povo brasileiro! Não é uma excessão, é uma regra!

      • Tiago Pontual Waked

        Isto acontece pelo baixo nível de inteligência emocional do brasileiro.

        Muitos são frustrados em suas vidas por alguma razão e criam um objeto de desejo (uma imagem idealizada do que eles queriam) e quando o real não age como ele acha que o idealizado deveria agir, ele se frustra e sai xingando, esculhambando, difamando.

        Quando na realidade o problema está dentro deles e não fora.

        Acredito que do nosso lado devemos torcer ao máximo para que os brasileiros evoluam e consigam nível técnico suficiente para se manter na NBA e em outras fortes ligas europeias.

        E isto deve extrapolar para qq esporte, pois ser esportista não é fácil.

        Que Caboclo possa amadurecer e se desenvolver cada vez mais para encontrar seu espaço na NBA.

        Paz e luz a todos!

    • Rodrigo SMC

      Mesmo assim, são dois jogadores com 15 temporadas nas costas de NBA (Nenê e Varejão). Se comparar com outros milhares de jogadores internacionais que sequer conseguem ficar 1 temporada inteira na NBA.

      Já se pegar a classe do Draft do Caboclo (2014) e analisar os SF, tirando o Wiggins e o Parker que eram justamente os melhores do Draft, o restante dos SF eram o quê? No máximo o Doug McDermott com alguns minutos no Chicago e o Hood no Utah Jazz.. O restante ainda não se firmou.

      E se pegar ainda, a realidade do Caboclo, como um internacional que era para se desenvolver, só tinha ele e o Inglis, um francês que o Bucks apostou e tem números iguais do Caboclo e hoje está na D-League também.

  • Marcos Gordinho

    “Protótipo”, este foi o termo usado por MASAI. Pegaram um draft pobre de boas garantias
    entre os prospectos e tentaram um projeto usando Caboclo como objeto de análise. Se basearam pelo perfil genético, alto, esguio, braços longos, alguém com mínimas semelhanças com atletas de destaque como Durant, o Grego, entre outras apostas certas. Pegaram um jogador qualquer com tais características e tentaram desenvolver fundamentos, potencial físico, defesa mas esqueceram de observar em Caboclo a vontade vacilante do mesmo. Houve evolução, sem dúvida, porém um jogador de elite é feito mais pelo que vêm de dentro. Curtir festas, namoro, farras , é algo da idade dificilmente fosse ele ou outro qualquer de quaisquer nacionalidade precária igual. Puxões de orelha via mídia foram realizadas para que não ocorresse exageros além do comum. Agora, hora da análise final do projeto. Torço pela seriedade de Bruno. No mínimo um roller que seja possível ser envolvido em negócios é o que se espera. No máximo um bom roller com contrato longo e baixo. Nem desejo boa sorte, pois isto ele já teve de sobra. SAÚDE para você CABOCLO!!!

  • Vitor Martins
    • Diego Alexsander #tiTANKnicks

      HAHAHAHAHAHAHA
      BAITA SACANAGEM.

    • Clóvis Rafael Ferreira

      Vamos lá!!! Isso foi a um ano atrás e outra, ele estava desconcentrado e brincando no momento… Puta sacanagem com ele!!!

      • Vitor Martins

        Falei nada. Só postei o vídeo. Quem fez o julgamento foi vc…

  • Vitor Martins

    Raptors está no terceiro estágio do luto. Já passaram da negação (“Ah, ele não pode ser tão ruim assim, ele vai ser o Kevin Durant brasileiro”); já passaram da raiva (“meu deus! ‘Two years away from being to years away’ por uma escolha de primeira rodada?! Que isso!); agora devem estar na barganha (“Nos gostamos dele, vai dar certo! Vai sim, por favor dê certo!). Daqui a pouco chegam na depressão e finalmente na aceitação. Eles têm que aceitar que foi um escolha ridículo, ninguém ia escolher ele, deveriam ter esperado a segundada rodada. Vão gastar mais de 10mi de dólares só de salários ao final do contrato dele, tirando os treinamentos pra ele errar bandeja fácil. Essa pode até entrar pra história como uma das piores escolhas de draft de todos os tempos!

    Mas, como a esperança é a última que morre, se eles ainda acreditam eu também vou acreditar. Tomara que ele treine bastante, seja efetivo e queime minha língua. Sorte ao brasileiro, seria bastante importante numa nova seleção brasileira. Os nossos jogadores já envelheceram e não chegou ninguém nem perto do que foram Nêne, Varejão, Leandrinho, Huertas, Alex e Splitter.

  • chateadi

    O caso caboclo expõe a dura realidade da “formação” de base brasileira.
    O cara é um fenômeno em termos físicos e foi somente por isso que o Toronto o draftou. Eles sabiam desde o princípio que o cara era extremamente cru no basquete e esperavam que levando ele para os EUA, poderiam lapidá-lo em um jogador decente. O problema é que o caboclo possui defeitos que são muito difíceis de serem corrigidos com a idade dele, são deficiências técnicas e táticas que devem será trabalhadas com jogadores de 14, 15 anos. Aos 19 ou 20 anos fica muito mais complicado. Enfim, o que eu queria dizer é que a formação de base brasileira é uma porcaria. Exceto Leandrinho, nene e agora o felicio, todos os outros jogadores brasileiros que jogaram na nba foram formados na Europa.
    Eu vivenciei na prática durante décadas a formação na base no Brasil e Europa ( sobretudo França e espanha) e posso dizer que a diferença é gigante em todos os sentidos (treinamentos,estrutura, competições…). Enquanto não houver política de formação no Brasil, nunca conseguiremos rivalizar com o cenário mundial pq os jogadores brasileiros possuem demasiadas deficiências, fruto de uma formação fraca.
    E tb entra em conta, no caso do cabloco, a ganância financeira dele e de seus empresários, que priorizam o retorno financeiro rápido ao planejamento coerente da carreira do atleta. Todos sabiam que o cabloco estava totalmente cru e não jogaria na nba. Não seria melhor ter esperado 1 ou 2 anos antes de inscrever ele na draft? Durante esse período ele poderia ter ido para a Europa para polir o jogo dele. Ou então, como tinha hype em torno do nome dele, colocar o nome dele na draft e mandar para a Europa durante 3 anos antes de chegada dele na nba. O nível da d league é muito baixo, inferior ao nbb, porrtanto a chance dele de desenvolver rapidamente por lá e se impor posteriormente na nba era menor caso fosse para a Europa. Enfim, escolheram o dinheiro ao invés de um plano de carreira e agora pagarão por isso, pois será cortado da nba e vaga na Europa não encontrará, somente no nbb mesmo. Triste isso

    • Vitor Martins

      Me permita discordar um pouco amigo. Dos jogadores brasileiros, apenas Splitter e Bêbe foram formados na Europa. Varejão chegou no Barcelona com 19-20 anos, Huertas e Raul também foram mais velhos pra lá. E acho que a Europa fez um bom trabalho com Splitter e um trabalho mediano com o Bebê. Quem o viu na base sabe que ele era um monstro, não só em rebotes e tocos, mas ele tinha um arremesso que poderia ser bem trabalhado. Ele poderia ter sido um jogador com características mais próximas de um Towns ou um Porzinguis (estou falando de características apenas), mas ele mesmo deu uma entrevista que o técnico dele no Estudiantes o castigava quando ele tentava e treinava arremessos, que era pra ele ser “pivô pivô”. A base brasileira é terrível, horrível mesmo, com péssimos fundamentos, mas o caso do Caboclo não significa muita coisa. Não podemos generalizar por conta dele. A base é ruim, mas não é só por causa dela que ele é (possivelmente) um bust. E o mesmo dá pra dizer da Europa, não é pq (subjetivamente, segundo a minha análise) eles erraram com o Bebê que a formação lá é ruim. Muita coisa precisa ser melhorada, os empresários estão com olho grande em jogadores que não são formados ainda e querem leva-los logo pra NBA (como bem você falou), mas a “culpa” do Caboclo não se tornar um jogador efetivo não é só da base não, entram ai o imponderável, não pq ele tem os atributos físicos que ele vai ser um bom jogador, além da própria vontade individual dele. Algumas coisas são difíceis de mudar aos 19, mas muita coisa que poderia ser aprimorada nele que pelo jeito não foi.

      • chateadi

        fokepop

        • Vitor Martins

          Oq?

          • chateadi

            Foi mal o comentário acima, não consigo excluir.
            Então Vitor, quando fiz a analogia sobre cabloco e a formação brasileira de base é que esse exemplo é perfeito para retratar o que acontece no nosso país. Um cara extremamente talentoso, com um potencial físico absurdo, mas com deficiências igualmente absurdas em termos técnicos, táticos e cognitivos. Aspectos esses que são trabalhados na base e em jogadores jovens, qd são mais fáceis de serem moldados.
            Acho que me expressei mal qd falei sobre jogadores formados na europa, queria falar sobre jogadores que foram para a europa ainda jovens e tiveram uma experiência de amadurecimento por lá.
            Na nba moderna (não estou falando dos tempo de rolando e pipoka rsrsrs), tivemos como jogadores brasileiros na nba: nene, leandrinho, alex garcia, lucas tischer, marquinhos, varejão, baby, splitter, fab melo, scott machado, vitor faverani, bebe, cabloco, raulzinho, marcelinho huertas e felicio.
            Dessa lista excluo marquinhos, alex, lucas tischer e faverani, pois eles praticamente não jogaram ou muito pouco.
            Do que sobra vc tem nene, leandrinho e felício que foram direto do brasil para a nba e deram certo. Fab melo, baby e scott machado ( que é mais americano que brasileiro) que saíram da universidade americana(nenhum deu certo). O splitter foi com 14 anos para a europa, o varejao foi com 20 é verdade, mas jogou 2 anos em um dos top times da época que era o barcelona. Eu morava por lá na época, e lembro que sua progressão ao longo desses 2 anos foi assustadora.
            O marcelinho huertas tb via quase todo dia, jogava no estudiantes, chegou com 20 anos e na época o estudiantes era um top 4 da europa, sobretudo com jogadores formados na base. Para vc ter uma ideia, o rubio tinha apenas 14 anos e o huertas comia banco para ele!!!! Aliás, o rubio era o armador reserva do time e o marcelinho a terceira opção.
            O raulzinho passou 2 temporadas tb na espanha antes de dar o salto na nba. Por que isso? Pq é um cara inteligente, com um pai esperto que sabia que esse era o plano de carreira certo para ele.
            Sobre o caso do bebe, eu discordo do que vc falou. Primeiro que o Estudiantes é tradicionalmente um dos maiores clubes formadores de atletas da europa. Segundo que ele pode declarar o que quiser, mas quem acompanha sua carreira sabe que sempre foi um jogador fraco psicologicamente, com uma cabeça muito ruim e falta de motivação. Quem fala isso não sou eu e sim os técnicos da base dele no brasil, espanha e seus agentes da época. Eu trabalhava ou tinha contato com essa gente e eles não botavam fé nele por isso: potencial atlético absurdo e potencial intelectual fraco. Inclusive isso foi destacado diversas vezes pelo próprio staff do raptors. Então é muito fácil ele botar a culpa nos treinadores, toda história tem suas versões e eu acredito mais no que eu ouvi da boca de diversas pessoas que trabalharam com ele e tb em diversos jogos da base e profissional que assisti dele.
            Enfim, voltando ao assunto principal, a formação brasileira é ridícula sim. Nem se compara com a formação de diversos país europeus, australia, canada etc. O brasil tem 200 milhões de pessoas e não forma ninguém. Quantos atletas da base brasileira tem um futuro promissor na nba (estou falando de ser alguém de importante e não ser estilo cabloco)? Quantos atletas brasileiros realmente tiveram um papel destaque na nba?Enquanto isso a frança, por exemplo, tem pelo menos 1 atleta por ano draftado na nba e vários tendo papeis de destaque nos seus respectivos clubes. E pq? Pq o sistema de formação francês é cabuloso, vc tem centros de treinamentos de referência municipais, estaduais, regionais e federal ( a famosa insep), vc tem campeonatos em todas as categorias de base municipais, departamentais, regionais e nacionais, vc tem treinadores altamente qualificados (não só treinadores, mas psicólogos, preparadores físicos…, vc tem um sistema de detecção de atletas diretamente conectado as escolas que não permite que um jovem com potencial não seja detectado, etc…Infelizmente a nossa realidade é essa, além de todo mundo só querer saber de futebol no Brasil, nós temos um sistema de formação que praticamente não existe, totalmente defasado e desestruturado (vide exceções como Minas, Pinheiro, paulistano e olhe lá).
            Enfim camarada. espero que vc tenha entendido o meu ponto de vista, pq talvez não me expressei muito bem rsrsrs

          • chateadi

            Claro que busts vão acontecer, seja no Brasil, França ou eua. O que eu queria falar é q o jogador brasileiro geralmente tem lacunas no seu jogo que são prejudiciais a nível internacional e que não são culpa do atleta e sim da formação que ele recebeu as vezes essas lacunas podem ser corrigidas em algum lugar e citei a Europa como lugar “ideal” para isso. No caso do cabloco penso que é um misto dos dois ( sua motivação e má formação). Eu estou cansado de ver os atletas brasileiros q não sabem os fundamentos básicos do basquete e sobretudo, entender o jogo e ser capaz da boa tomada de decisão. Aí já entra tb questão o sistema educacional brasileiro, mas nem vou entrar nesse assunto pq vai render demais hehehe.

  • Baiano ✞ #7/11_C’s 🐳 👴 ☘

    Se tornando fundo de banco

  • Rafael Machado

    Bust.
    Foi trabalhado durante 4 anos em um time profissional da melhor liga do mundo, e mesmo assim não conseguiu se desenvolver. A mentalidade dele não é a de alguem q quer brilhar. Tem corpo mas não tem cabeça.

  • RaposAdams #SacramentoProud

    Se formou na faculdade de balada de Toronto! Presença garantida nas festinhas!

  • Eduardo

    Sei que não é o foco mas o Georginho pelo amor de deus, como deixaram o cara ir tentar vaga na nba, num tinha nem coragem pra arremessar na summer league, acho que os cara pensam que qualquer um pode entrar na nba.

    • HipHipHurra

      Georginho é um puta jogador cara, você que é invejoso e frustado com sua vida. hahahaha

      Não pode criticar brazuca.

    • Bruno Ribeiro-76ers

      Mas todo mundo sabia q ele era cru pra NBA… Acredito q surgiu a oportunidade e o cara foi tentar a sorte… Quando o Felício foi, muita gente (inclusive eu) também achou q não daria certo, enfim, vai q dá certo

  • HipHipHurra

    http://forums.raptorsrepublic.com/showthread.php?13340-Everything-Bruno-Caboclo/page166

    Deliciem-se. Mas criticar o cara é coisa de brasileiro frustado e invejoso. hahaha

    • HipHipHurra

      “I’m saying….. gamble failed, not a ball player, terrible. I dont hate the guy, he might be nice, he just can’t play basketball”

      • Tiago Pontual Waked

        Interessante como só selecionamos o que desejamos, não é?

        Olha a resposta que outro deu para o post de cima:

        “Lol…31 points and 11 rebounds in the D-League Finals game and
        apparently he can’t basketball. Hes shown he has potential and remains
        on course in terms of him being “2 years away from being 2 years away”.

        Is he ready for NBA minutes? Maybe maybe not, we’ll have to see next
        season, but he is by far from terrible at least at the D-League level
        and still too early to say the gamble failed.”

        • HipHipHurra

          Sim cara, a imensa maioria dos comentários de lá são elogiando ele. Pode crê.

          O que seria dos brasileiros injustiçados se não fosse pelo paladino da moralidade, Tiago Pontual Waked, que os defende dos brasileiros que são invejosos pois possuem um baixo nível de inteligência emocional?

          Estou impressionado, não se pode criticar um jogador que está há 3 temporadas na liga e jogou meia duzia de jogos (sempre no garbage team) mas pode-se generalizar sobre os brasileiros que o criticam.

          Paz, luz e coerência para você abiguinho.

          • Tiago Pontual Waked

            Caro HipHipHurra, tudo bem?

            Claro que se pode criticar, afinal todos nós temos o livre-arbítrio de fazer o que quisermos, mas não podemos esquecer que junto do livre-arbítrio vem a responsabilidade pelos nossos atos. Assim, se julgamos de forma equivocada, sem levar em conta todas as condições que envolvem o objeto julgado, devemos entender que seremos tb criticados por isso.

            Agradeço por teres publicado o fórum dos raptors, pois assim pude ler um pouco mais sobre o Caboclo na visão de quem pode acompanhar de perto.

            Se observares a proporção de críticas que o Caboclo recebe aqui e lá, perceberás que aqui é em muito maior grau do que lá, mesmo não tendo a oportunidade de vê-lo tão de perto. Esta pequena amostragem demonstra que realmente temos a tendência de criticar qd nossos representantes não atingem aquilo q nós esperamos deles.

            Se fizeres uma autocrítica, verás que deixaste de considerar a diferença de formação entre o Caboclo e os americanos, deixaste de considerar o entendimento que a direção dos Raptors tinha (e tem) sobre o tempo que o brasileiro precisaria ter para se desenvolver, deixaste de considerar que ele ainda tem somente 21 anos e que ainda pode se tornar um bom role player.

            Não sei se ele vai vingar, mas torço pra que sim. E mesmo que ele não vingue, ele terá sido mais bem sucedido do que a maioria dos brasileiros em suas respectivas profissões e por isso devemos ter respeito pelo que ele alcançar.

            Sobre a minha crítica, ela é embasada sobre a reação dos brasileiros de forma geral em relação a vários esportistas brasileiros aqui no Brasil e ao redor do mundo, principalmente depois do surgimento das mídias sociais, onde podemos nos esconder atrás de avatares e nomes fictícios. Ou seja, não é uma crítica pontual a ninguém, mas percebo que tenhas te sentido atingido e isso pode demonstrar que devas ser mais cuidadoso ao expor a tua opinião. 😉

            Paz, consciência e luz a todos nós!

          • HipHipHurra

            kkkkkkkk, blz cara. É melhor encerrar a discussão por aqui.

            Paz, luz, Novo30, Mises Brasil e sempre trabalhar em empresa que vive do Estado para todos!

            Hashtag: Paz e coerencia. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

          • Clóvis Rafael Ferreira

            Outra coisa que disseram e eu achei interessante, que ele pode ser um PF, e pegar minutagem do Patterson que saiu…

            “Looks good enough to get spot minutes this season. But you guys may be right about him probably being better at the 4. He just doesn’t seem quick enough to play the 3 on a regular basis. But his length definitely makes up for the lack of quickness.”

      • Clóvis Rafael Ferreira

        “Yea I’m kind of getting excited about Bruno a bit. I think it’s time for us to give him actual NBA minutes. The D League can only go so far in his development.”

        Eu achei muito interessante esse comentário! Está na hora de Bruno receber minutos na NBA, pois na D-League ele se mostrou acima do nível jogado por lá! Eu acho que o Caboclo terá sua grande oportunidade no início dessa temporada, terá que agarrar com unhas e dentes… E claro com um bom basquetebol!!!

  • Charles

    Contrato máximo pro Caboclo já é realidade.

  • felipe fernando Oliveira

    Vi nos sites americanos que OKC acaba de assinar contrato de dois anos com os PF/C Dakari Johnson e o francês Yanis Morin. Acho que a troca de Kanter é Singler está muito encaminhada, também vi que Denver, Brooklyn, Atlanta e Philla estão interessados no pacote.

  • Tim “Legend” Duncan

    Engraçado, as pessoas esculacham diversos jogadores aki: Carmelo não mentalidade vencedora, Rubio é bust, Sacre e Scalabrine são entregadores de gatorade; mas falar q o Caboclo não é jogador de NBA é ser invejoso.
    Tem gente q é muito hipócrita.
    7 à 1 foi pouco mesmo.

    • Diego Alexsander #tiTANKnicks

      Pouco, muito pouco.

  • Zack Batista

    Ainda não é hora de desistir do nosso Bruninho, tá certo a direção do Raptors… Caboclo pode virar um bom role player na liga, ao menos… Já que ele não virou um postulante a astro, poderiam trabalhar mais o lado defensivo dele. Não é ruim neste quesito, só precisa se posicionar melhor e ser mais combativo.

    Se ele fizer um trabalho semelhante como Andre Robison faz no Thunder, já seria um bom começo ajustando a sua carreira na liga. Ou seja, se concentrar mais em defender do que ficar procurando receber a bola pra chutar.

  • Fagner Santos

    parabéns a toronto raptors, sabe q a retribuição do caboclo não vai ser algo em vão, as pessoas de lá esforça bastante para um jogador estar apto, em como se fosse um base de futebol.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados