logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 25 jul 2017 às 08:06
Tem que existir um vilão?

A NBA faz um esforço anunciado para se tornar cada vez mais um verdadeiro show

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Ricardo Romanelli

Award Show, mudanças nos pedidos de tempo e solicitações da liga para que estrelas não descansem são apenas alguns dos detalhes do grande plano de mídia da NBA. Não faço aqui uma crítica a isso, pelo contrário. A maneira como a liga se vende é algo que deve servir de exemplo para qualquer associação esportiva no mundo. O basquete nunca esteve tão popular, e a NBA e sua expansão global são responsáveis por isso.

Mas, a partir do momento em que o que mais interessa é o espetáculo, a narrativa deve seduzir o público, e para que isso aconteça, não tem outro jeito: tem que existir um vilão.

No ano passado este “vilão” foi Kevin Durant e seu Golden State Warriors, que supostamente acabaram com a competitividade da NBA. O herói que os combateu foi o “traído” Russell Westbrook, com uma atuação tão convincente que fez com que a liga mudasse seu critério de muitas décadas para o prêmio de MVP. Não muito tempo atrás, o vilão era Kobe Bryant, que depois se tornou herói. Enfim, exemplos não faltam, e na NBA do espetáculo estão cada vez mais frequentes.

Vivemos num tempo onde fatos objetivos não importam tanto quanto a impressão pessoal que cada indivíduo tem destes fatos, mesmo que isso contrarie a realidade estrita. É a já famosa pós-verdade. E numa era como essa, todos se sentem no direito de defender absurdos sob a bandeira de ter direito a uma opinião, mesmo que sem qualquer fundamento. No debate sobre o basquete, isso não é diferente, e acaba por originar um discurso intolerante e até mesmo surdo, eu diria, pois nem ouve opiniões em contrário, quanto mais as considera.

E é neste pano de fundo de narrativas e situações microscopicamente expostas e dissecadas por vozes críticas e julgadoras que chegamos à nova polêmica da NBA: o pedido de troca de Kyrie Irving.

O Cleveland Cavaliers de LeBron James ocupava um lugar especial na narrativa dominante. Seria o único time capaz de “salvar” a NBA do Warriors. Todos contavam com LeBron, o melhor jogador do mundo para nos impressionar mais uma vez.

Aí seu melhor companheiro de equipe resolve que não quer mais fazer parte disso e a comunidade da NBA entra em choque.

De um lado, aqueles que acham que ele está certo. LeBron estaria de saída mesmo no ano que vem, então Irving teria todo direito de querer abandonar uma franquia comandado por um dono explosivo que demitiu o GM no começo da offseason e não contratou praticamente nenhum reforço.

De outro lado, aqueles que acham Kyrie um “ingrato” por estar querendo abandonar o time e ainda fazer LeBron parecer um companheiro de time ruim neste processo.

Há argumentos para os dois lados, e francamente, existem muitos detalhes de bastidores desconhecidos sobre os quais não sabemos nem nunca saberemos para podermos julgar a história como um todo, mas isso não impede que vejamos as pessoas debatendo no mesmo tom agressivo de sempre, cada qual defendendo uma destas duas correntes.

Como estou pregando a livre opinião, bem como o direito à livre divergência, vou deixar claro o que penso. Para mim, a mentalidade de Kyrie é algo raro na NBA atual. Ele parece estar ciente dos riscos de deixar o atual “super time” para tentar ser o ponto focal em outra franquia. De certa forma, é algo louvável e mostra muita personalidade. Se eu fosse um jogador com tamanha habilidade, provavelmente desejaria fazer a mesma coisa. Só assim será possível descobrir o quão bom o jogador realmente é.

Mas, de qualquer forma, respeito e entendo quem pensa diferente. Só fico triste ao ver que este é só mais um assunto onde a narrativa, o espetáculo e a busca por um antagonista dominam a pauta. Só que agora, pelo menos por enquanto, ainda não decidiram quem é o vilão.

  • Andre Messetti Christofoletti

    Irving tem esse direito. Já ganhou com o time que o recrutou, um time que não sabia que era ser campeão, uma cidade que não sentia o gosto da vitória havia décadas.
    Minha visão é que ele sabe que Lebron não ficará nos Cavs próximo ano, principalmente por culpa da equipe que não demonstra nenhuma movimentação. Os Cavs com esse time não tem capacidade de vencer o GSW. O que ele busca, é ser o que ele era antes da chegada de Lebron e o que o Russel Westbrook demonstrou que é possível. Descobrir seu máximo potencial.

    Um chute com o coração:eu vejo a ida dele para Charlotte, com troca por Kemba Walker.

  • Tiago

    Sobre a questão de precisar existir um vilão, me parece algo intrínseco a convivência em sociedade (tanto é que isso é explorado em todo tipo de entretenimento, até em coberturas jornalísticas), e a NBA também se aproveita disso pra vender seu peixe, como vc bem explicou. Quanto ao debate sobre o Irving, não vi nada mais acalorado aqui no site, excluindo-se um comentário do Tárcio (que só falou a opinião dele mesmo) que gerou uma pequena discussão.

  • Gustavo – KyrieFeelsBadMan

    Gostei do texto, porém acho que essa parte sobre o MVP do Westbrook é um pouco chata, quais eram esses critérios estabelecidos durante décadas? Quem estabelece o próprio critério de avaliação é o votante, nem sempre eles escolhem o melhor para avaliar, mas a NBA não mudou critério nenhum, até onde eu sei (me corrija se eu estiver errado), West estava elegível para o prêmio, logo estava dentro dos critérios exigidos pela liga.

    • Hebert Lemos

      Provavelmente ele quis dizer que antes só foram eleitos jogadores com campanhas top 3

      • Gustavo – KyrieFeelsBadMan

        Eu entendi isso, mas isso não é um critério da liga, se fosse o West não estaria elegível para a votação.

        • dirct

          Era um critério velado amigo ninguém dizia ou admitia mas todo mundo sabia e a história mostrava que time fora das 3 campanhas da conferência independente do que o jogador fizer seria indicado mas não ganharia o prêmio, o principal era “a qual campanha um jogador conseguiria elevar o seu time”, com o Westbrook rasgaram está regra velada e deram o MVP para um jogador de um time que não conseguiu mando de quadra, é isso ocorreu muito por dois fatores: O recorde de TD e todo o episódio da saída do Durant que como o texto cita deixou o Westbrook com a alcunha de “herói traído”.

          Queria deixar claro que não estou opinando se foi certo ou não, estou só relatando os fatos que o texto se referiu.

          • Gustavo – KyrieFeelsBadMan

            Critério esse que era dado pela simples boa e espontânea vontade pelos votantes, ou vcs estão dizendo que a NBA teria interferido, incentivando ou mandando os jornalistas votarem no West? Pq o texto se refere a um critério da LIGA.
            Acho muito errado querer minimizar a temporada histórica do cara colocando credito em um suposto show que só teria feito ele ganhar pq da mais audiência.

          • dirct

            A “tese” que as pessoas comentam não cita interferência, incentivo ou ordem. A tese diz que todo o enredo criado em volta do West teria comovido ou influenciado os votantes, as pessoas gostam de histórias bonitas e de superação e quem vota são pessoas.

            “Bad Boys revoltados” ou “Paladinos da justiça” sempre deram mais audiência e mídia do que simples jogadores profissionais que não demonstram sentimento e apenas encaram como um trabalho qualquer, o texto cita isso que a NBA queira usar um expediente que sempre foi muito explorado por outros esportes como lutas por exemplo onde existem os “caras maus” e os “caras bons” e todo mundo adora este contexto, de qualquer maneira tudo isto fica no imaginário não tem como provar que há ou que não há uma vontade deliberada de criar estes enredos.

          • Gustavo – KyrieFeelsBadMan

            Eu não nego que haja essa tendencia de termos mocinhos e vilões, porem isso é um rumo natural das coisas, eu não consigo ver a NBA usando disso pra transformar a liga em um grande circo como é o UFC por exemplo.
            Os votantes mudam, as opiniões e avaliações mudam, não adianta dizer que existia uma regra não escrita que não poderiam votar no West, pq é bobagem, ficar batendo na tecla de que “a mas nunca teve um MVP com o time na sexta campanha da conferencia”, nunca um tinha sido eleito por unanimidade por exemplo, as coisas não são mais como a 30 anos, simples.

        • Rogério Rodrigues

          Isso era uma regra não escrita amigo.
          Se acontecia de em 30 anos ninguem fora do top 3 ser eleito é pq eles tinham isso como principio.

  • Lucas

    Vejo muitos prevendo trocas em que o Cavs recebe jogadores jovens, até pode mais o que o LeBron James quer é vencer agora não pode esperar um ano até porque se não estiver em condição de vencer ele vai embora. Então o jogador ou jogadores que vier serão provados. Cavs deve querer ter LeBron por mais duas temporadas e tentar ganhar mais títulos.

  • Erich Zager

    grande parte do espetáculo é montado pela mídia e pelos jornalistas, inclusive…o fato é, tem bastante tempo que a NBA quer atingir um público que não é fã do basquete..é fã do espetáculo…e isso implica em atrair pro jogo um monte de pessoas que não entende do jogo…mal conhece as regras, mas quer continuar assistindo o show…pra esse público, que é a maioria, não adiante trazer um aspecto detalhado do jogo…análise técnica e tática nem nada disso….a turma não está preocupada com isso…e hoje a NBA tem uma concorrência, ainda que pequena, que não tinha antes com os mercados europeu e chines, por exemplo…e pra isso, a grana tem que continuar na América…alguém tem dúvidas que o mega contrato de tv que aumentou o cap dos times tem relação com isso? a tv vive de audiência…e pra ter uma audiência boa, o show tem que estar acima….traz pro brasil…um jogo do corinthians, esse ano, tá marcando por volta de 20 pontos de audiência…quando é um jogo grande….uma novela fraca das 9 na rede globo dá 33 pontos…o esporte nacional perde fácil pruma novela…hahahaha isso que eles não querem que aconteça com a NBA sob hipótese alguma…

  • DNT

    A NBA, como qualquer outra empresa do mercado global, está dando às pessoas o que elas querem, dessa forma os lucros aumentam. Num mundo totalmente líquido, onde as pessoas só veem e usam “máscaras”, todos querem se expressar e usar Hate Speech de forma livre, pois entendem que a “máscara” que usam é a correta e se acham no direito de julgar e dizer o que pensam sobre os outros, e o pior todos nós fazemos isso, por isso é inevitável que a NBA explore isso. Os vilões e heróis vão continuar aparecendo, pois são a alma do negócio, o maior exemplo disso é o UFC, usa as mesmas historinhas a anos e ainda continua sendo uma empresa extremamente lucrativa.

  • FERNANDO

    Irving está certo, a atitude do dono de demitir o GM assim sem mais nem menos, mostrou que é várzea. E outra tem que procurar seu canto msm, o LeBron mais uma vez vai sair do cavs e deixar terra arrasada para quem ficar. Irving está de parabéns de ter peito para dizer não para essa putaria, aplausos para ele, que venha para o meu Spurs pelo LMA e o Patty Mills, fazer uma dupla genial com o Leonard, no Texas ele vai ter tranquilidade para trabalhar.

    • FERNANDO

      Acho muito mais vantagem para o Cavs pegar o LMA e Mills. LMA espaçaria a quadra tb, é um cara perigoso em qualquer distância do aro assim como o Love, Mills faria uma bela composição de perímetro revezando com o Rose e Smith. Pegar o Melo é um cone com alguns pick n vejo vantagem. Muito menos o Bledsoe e um pirralho que nunca pisou na NBA. Cavs está pronto para brigar pelo título, não tem essa de rebuilding, é agora ou nunca, até pq se não for assim já é 110% de ctza que o LeBron saia ano que vem.

      • FERNANDO

        Melo e* um cone

        • Fred #TrueMagic ORL-MAGIC #1

          cone que faz 22ppg.

          • asmams

            ele n chamou o melo de cone…

      • Gustavo – KyrieFeelsBadMan

        Sai com LaMarcus pra lá…

    • Fred #TrueMagic ORL-MAGIC #1

      concordo amigo, mas nao com as linhas finais. vem pro Magicao da Massa
      Trade Kyrie, Magic vs Cavs
      Fournier
      EP
      Ross
      vs
      no Kyrie e JR

  • Gabriel De Oliveira Meira

    Muito bom o Texto, compartilho a ideia de que ocorrido com o Irving é algo dele com ele mesmo, e o que ocorre nos bastidores não há especulação que dê conta. Interessante que você diz de opiniões a esmo, pelo simples direito de opinar, faz parte da ideia de “modernidade líquida”, não se opina por fundamentação mais sim pelo liberdade de opinar e não ser responsável pela própria opinião, cuidar dela, inclusive mudando se for necessário. Interessante também que nos comentários deste texto já surgem as opiniões a esmo…kkkkk

  • Vitor Martins

    Parabéns pelo artigo, o texto é bom, e eu também não gosto de vilanizar ninguém, mas discordo um pouco da ultima parte. Não concordo que a atitude tem que ser valorizada. Acho que ele poderia ter esperado LeBron sair ano que vem para ser “o cara” do Cavs. E, se o LeBron não saísse, que ele pedisse a troca. Eles tinham uma clara chance de título. Mesmo não sendo os principais favoritos. Eu nunca vi isso, um all-star de um time Top2 (3 no máximo) pedir pra sair. Não que ele seja um vilão, mas eu acho que há muito mais tretas envolvidas do que apenas uma atitude (louvável ou não) de querer liderar um franquia. O timing é terrível. Pra mim, só faz sentido se ele realmente não suportar mais o LeBron, suas atitudes, suas cobranças e sua liderança no vestiário.

  • Marcelo Desoxi

    Eu queria saber de onde vem essa quase certeza de que o LeBron vai sair no ano que vem.
    Teve alguma declaração do jogador ou empresário que eu não vi ?

    • Vinícius Maia

      São apenas especulações. LeBron não deu nenhuma declaração sobre esse assunto. Mas a possibilidade existe. Ele deve testar o mercado

    • cleberson23 ROSE- MVP 2011

      Com a saída do kyrie e com os torcedores completamente abalados duvido ele sair de cleveland novamente

    • Gustavo – KyrieFeelsBadMan

      Uma coisa que vai pesar na decisão dele, é que ele não vai querer passar o resto da carreira perdendo em finais para o GSW, ainda mais agr que Kyrie abandonou o barco.

    • Eduardo Rebelatto

      Com a saída do irving tudo depende das troca que virão, ele não falou nada absolutamente nada, prefiro esperar que meramente acreditar no que a imprensa diz, já que em 90% dos casos ela é meramente sensacionalista

    • dirct

      Não existe uma declaração mas existe uma dedução de que neste momento da carreira Lebron só queira jogar em times com potencial de ser campeão, se vc parar pra pensar desde 2010 Lebron sempre esteve em um time com chances de anel e seria bem contraditório ele no ano que vem ficar em um time que não tem chances apenas “jogando por jogar”, isso não combina muito com o Lebron que é extremamente competitivo e o fato da relação dele com a diretoria dos CAVs não ser boa dá mais força ainda a esses rumores.

  • #HeatNation

    Engraçado não vejo ninguem falando que o Melo é um vilão por querer sair e ainda escolher dois time fortes ( Cavs e Rockets, agora Thunder) . Não entendendo essa vontade de tentar escolher o que um jogador deve fazer com sua vida profissional, torcedores queimaram a camisa do LeBron quando ele foi pra Miami e depois comemoram o título com ele. Eu entendo que a vontade de ver a franquia vencer se sobre põe ao jogador, mas eles são funcionários de uma empresa e se eles vêem oportunidades melhores em outras “empresas” eles vão atrás. Assim como na nossa vida quando uma oportunidade de um emprego melhor surge nós abraçamos.

    • Crossover 🔥Comeback #2

      Concordo em partes, o único problema na minha opinião é que o Irving não soube quando pedir essa troca. Podia ser no fim da temporada (se o Lebron permanecer em Cleveland, assim ele busca um time pra ser seu) ou podia ser no começo da janela de transferências (bons nomes disponíveis, seria polêmico mas não tanto, até porque a empresa com quem ele tem contrato à cumprir não estaria em uma situação no mínimo complicada e quanto mais o tempo passa, RUIM).

    • Fabrica de Vassilo

      São cenários diferentes. O primeiro que vc citou foi que a diretoria praticamente ficou batendo na tecla de trocar ele, e no fim das contas ele cedeu, mas a princípio ele queria era ficar. No segundo caso, o jogador tinha livre poder de decisão e cumpriu devidamente todos os anos que se comprometeu. O do Irving não, ele ainda tem uns anos que ele se comprometeu a cumprir no Cavs, porém ele não quer. Ok, pedir trocas sempre acontece, mas já que é pra foder o time, por que não “foder menos”? Ele esperou a pior hora pra querer sair, e isso é o que diferencia ou das outras saídas.

  • MinnWolves

    em 10 anos (80 a 89) Celtics ou Lakers sempre um dos dois estava na final. de 91 a 98 o bulls foi 6 vezes as finais. 2000 a 2010 o Lakers ganhou 5 títulos participando de 7 finais. Porque que só agora a supremacia de determinados times está se tornando ruim ? Realmente é a nba que está mudando ou a realidade (como citada na matéria,muito boa por sinal) que está se tornando uma preocupação para os fãs ?

    • Albert Santos

      Boa análise.

    • Paulo Bergamasco

      E muito provavelmente se o MJ nao se aposentar eram 8 titulos seguidos para os Bulls entre 91 e 98

  • Crossover 🔥Comeback #2

    Eu entendo Kyrie querer um time pra ele (seja isso fora de Cleveland ou não), e de fato é admirável essa posição dele. O problema aqui só se resume ao feeling do meu ponto de vista. Não precisava ser agora ? Definitivamente não, se o problema é só um time pra ele ser o cara, poderia muito esperar essa temporada: Lebron fica em Cleveland na próxima FA (então ele pede troca e aí procura um time pra ele); Lebron sai de Cleveland (já tem um time bom e montado pra liderar, o Love como um bom companheiro pra se ter o lado, dúvido que o Irving tenha dúvidas de que hoje ele é a segunda referência do time então Kevin não é/ou seria um problema). De um jeito ou de outro ele não estaria perdendo tempo, jogando esse ano as chances de ir novamente pra uma final (isso é algo difícil na NBA, e sem LBJ ele pode descobrir isso da pior forma quem sabe…) são enormes, porém, poderia ter pedido pra ser trocado no começo da janela, tinham bons nomes no mercado e mesmo que fosse polêmico o pedido não teria meio mundo tornando ele o vilão (que pra mim não é).

    P.S: O Kyrie complicou a situação do time sem necessidade. Esse é o único, porém, grande problema desse pedido de troca. O senhor só não teve o timing correto pra pedir isso.

  • Na história da humanidade (seja em mitos ou fatos reais) sempre tem alguém para ocupar a vaga de vilão, afinal, qualquer narrativa fica mais interessante quando se tem um antagonista. Entretanto, acho que Kyrie só se tornaria o novo vilão da NBA se fosse jogar no Warriors, o que não deve acontecer. A divergência a respeito do Irving é muito grande para ele ser rotulado de forma simplista como herói ou vilão. Alguns acham que ele é ingrato, outros que está certo, ou está sendo idiota ou apenas precipitado. Fico com essa última opção.

    Kyrie faz o caminho inverso dos superastros dos últimos anos, Curry por exemplo, ajudou a convencer o Durant, dizendo que aceitaria ser o número 2 se necessário, mas isso após ter conquistado dois MVPs, ele já havia alcançado o ápice do reconhecimento e prêmios individuais, Irving ainda não. Compreendo o desejo dele, apenas acho isso muito cedo, ele tem apenas 25 anos, ainda tem tempo para ser protagonista.

    Embora passei a considerar que talvez ele não ache ser possível vencer o Warriors, ou no mínimo algo extremamente difícil, e o momento seja mais adequado para priorizar conquistas individuais, do que focar em anéis e só acumular vices.

    • Nilton Junior

      Boa análise e esse seu último parágrafo faz total sentido. IMAGINO que o pensamento deve ser este mesmo.

    • Albert Santos

      Concordo

    • Erich Zager

      ele quer ser protagonista…só ficou claro que ele não pretende ser protagonista em Cleveland…não vejo mal nenhum nisso…não é novidade para ninguém que Cleveland não é das cidades mais atraentes dos EUA e de que o Cavs não é a franquia mais atraente…sobre o momento desta decisão, impossível que seja precipitada…dificilmente alguém vai falar que essa decisão foi feita no momento exato…alguns vão falar que foi precipitada, outros vão falar que foi tardia…pra mim, foi na hora certa….a temporada acabou e o time tem chance de trabalhar em cima da decisão do jogador assim como ele terá tempo de trabalhar as opções dele no mercado…desconhecemos as internas do time…mas com certeza essa declaração dele, nesse momento tem motivação…

  • Eduardo Rebelatto

    Tem que ser valorizado? Kkkkk o cara claramente vê que não pode ser campeão e vai jogar por números, pede pra sair quando já quase se esgotaram as boas opções de mercado, e ainda tem que ser valorizado? Kkkkk entender oq ele quer já é difícil, mas agora valorizar é demais. Você querer sair por dinheiro ou por títulos todo mundo busca entender,mas agora por números? Para… Vou repetir o que o Paulo Victor falou é eu tô sempre falando, alguém que acredita e ainda propaga que a terra é plana não deve ser levar a sério kkkk

  • Papo de Mito

    Alguém tinha alguma dúvida de que GSW e Cavaliers fariam a final da NBA, e as outras 28 equipes só fariam figuração? E a coisa foi tão desigual que o GSW quase terminou invicto nos playoffs. A NBA vai sendo vítima dela mesmo. Na próxima temporada, eu aposto com quem quiser que o GSW já está na final, e sem muito esforço. Se o Irving desfizer a panela, aí eu coloco o Cavs em dúvida como finalista do Leste. Mas o GSW é líquido e certo. E doutrinando o Oeste com extrema facilidade pelos próximos anos.

  • Fabrica de Vassilo

    Quando se avalia um campeonato como o da NBA friamente, meio que não dá muita graça. Ok, tem vários jogadores fazendo espetáculos e vários times jogando bonito, mas não dá pra sempre assistir e ser neutro. A narrativa que a gente cria é o que nos faz querendo ou não, escolher um time pra torcer, um jogador como preferido, ou aquele cara pra acompanhar mais de perto. Também cria qual time vai ser o seu rival ou qual jogador vc vai gostar menos. Alguns são mais “racionais” e menos “emotivos” criando essa narrativa, outros são totalmente o contrário. Eu costumo ser mais “emotivo” quando se trata apenas do meu time, o resto tento ser o mais racional possível na hora de criar minha narrativa. Essa epoca de offseason é a hora que os jornalistas, sem nada rolando, começam a procurar e publicar notícias e matérias opinativas e muitos e muitos rumores. E é basicamente isso que monta uma base narrativa para a próxima temporada, é isso rola todos os anos. O Warriors teve uma narrativa dos heróis, time modelo, espetáculo e basquete bonito. Bastou uma offseason pro cenário se reverter. LeBron foi de vilão a herói também duma temporada pra outra. E é sempre nessa época que se monta os cenários, muito influenciados pela mídia.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados