logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 24 ago 2017 às 18:59
Copa América começa nesta sexta-feira; confira o guia da competição

Brasil leva equipe renovada para o torneio, que, pela primeira vez, não será classificatório para o mundial

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Gustavo Lima

A 18ª edição da Copa América de Basquete Masculino começa nesta sexta-feira (25) e vai até o dia 3 de setembro, com 12 seleções divididas em três grupos. O Esporte Interativo vai transmitir a competição com exclusividade para o Brasil.

Jumper Brasil contou com a valiosa colaboração do parceiro Gabriel Andrade (@GabrielAndPaula), um dos maiores conhecedores do Basquete FIBA deste país, para produzir o guia da Copa América 2017. Fique por dentro de todos os detalhes referentes ao torneio.

A competição será disputada em três países: Colômbia, Uruguai e Argentina. Medellín (COL), Montevidéu (URU) e Bahía Blanca (ARG) vão sediar as partidas da fase de grupos, enquanto que Córdoba (ARG) receberá a fase final.

O detalhe é que, pela primeira vez, o torneio não será classificatório para o mundial nem para os jogos olímpicos.

O Brasil está no Grupo A, que ainda tem a anfitriã Colômbia, além de México e Porto Rico. A seleção comandada pelo recém-contratado Cesar Guidetti chega à competição com uma equipe recheada de jovens. A estreia do Brasil será nesta sexta-feira, contra a Colômbia, às 22h (horário de Brasília).

Já o Grupo B, sediado na Argentina, tem a seleção da casa, além de Canadá, Ilhas Virgens e Venezuela (campeã da última edição do torneio).

Por fim, o Grupo C tem o anfitrião Uruguai, além de Estados Unidos, Panamá e República Dominicana. O detalhe é que a seleção norte-americana não conta com nenhum astro da NBA e está recheada de jogadores que atuam na Liga de Desenvolvimento (G-League).

Bruno Caboclo (Brasil) e Facundo Campazzo (Argentina). Foto: Javier Corbalan/Super 4 Salta

Regulamento

Primeira fase

Divididas em três grupos de quatro seleções, as equipes se enfrentam dentro das respectivas chaves na primeira fase, que terá, ao todo, 18 partidas. Ao término dos jogos, os campeões de cada grupo, além do segundo melhor colocado do Grupo B, se classificam às semifinais.

Semifinais

Jogo 19: Campeão do Grupo C x Segundo colocado do Grupo B – 02/09 – 19h30 (Córdoba)
Jogo 20: Campeão do Grupo B x Campeão do Grupo A – 02/09 – 22h (Córdoba)

Decisão do 3º lugar

Perdedor do jogo 19 x Perdedor do jogo 20 – 03/09 – 19h30 (Córdoba)

Final

Vencedor do jogo 19 x Vencedor do jogo 20 – 03/09 – 22h (Córdoba)


Grupo A (Medellín, Colômbia)

Colômbia
Brasil
México
Porto Rico

Tabela: Porto Rico x México (25/08 – 19h30), Brasil x Colômbia (25/08 – 22h) / Brasil x México (26/08 – 19h30), Colômbia x Porto Rico (26/08 – 22h) / Brasil x Porto Rico (27/08 – 17h30), México x Colômbia (27/08 – 20h)

Brasil

Posição na última Copa América: nono lugar

Elenco
4- Davi Rossetto (armador, 23 anos, Basquete Cearense)
11- Fúlvio (armador, 35 anos, Vasco)
32- Georginho (armador, 21 anos, Houston Rockets-EUA)
18- Jimmy (ala-armador, 27 anos, Mogi das Cruzes)
9- Danilo Siqueira (ala-armador, 23 anos, Minas Tênis Clube)
5- Bruno Caboclo (ala, 21 anos, Toronto Raptors-CAN)
14- Léo Meindl (ala, 24 anos, Franca)
7- Lucas Dias (ala-pivô, 22 anos, Paulistano)
12- Rafael Mineiro (ala-pivô, 29 anos, Franca)
8- Lucas Mariano (pivô, 23 anos, Brasília)
10- Renan (pivô, 26 anos, Bauru)
13- JP Batista (pivô, 35 anos, Flamengo)

Destaque: Bruno Caboclo. O ala do Toronto Raptors, apesar de pouco atuar na NBA, é uma das grandes esperanças da renovada seleção brasileira. Um novo ciclo se inicia e o jogador de 21 anos disputará sua primeira competição oficial pelo Brasil com a missão de ser “o cara” do time.

Técnico: César Guidetti

 

Colômbia

Posição na última Copa América: não disputou

Elenco
4- Edgar Moreno (armador, 35 anos, Cimarrones-COL)
10- Hansel Atencia (armador, 20 anos, Master’s-NAIA)
7- Luis Almanza (ala-armador, 26 anos, Condores-COL)
11- Braian Angola-Rodas (ala-armador, 23 anos, Florida State-NCAA)
8- Michaell Jackson (ala, 30 anos, Academia de la Montaña-COL)
9- Stálin Ortiz (ala, 36 anos, Fast Break-COL)
12- Divier Pérez (ala-pivô, 23 anos, Academia de la Montaña-COL)
15- Jhan Paul Mejía (ala-pivô, 23 anos, CS Fullerton-NCAA)
20- Tonny Trocha-Morelos (ala-pivô, 23 anos, Texas A&M-NCAA)
22- Hanner Mosquera (pivô, 24 anos, East Tennessee State-NCAA)
14- John Jario Hernández (pivô, 33 anos, Cimarrones-COL)
23- Juan Tello Palacios (pivô, 32 anos, Neptunas-LIT)

Destaque: o elenco levado para a Copa América é fraco e relativamente desconhecido. É até difícil de se apontar um destaque. O pivô Juan Palacios é o melhor jogador colombiano em atividade, mas vale dar uma olhada no ala-pivô Tonny Trocha-Morelos, que atua por uma universidade razoável na NCAA e possui um jogo relativamente versátil para sua posição.

Técnico: Guillermo Moreno

 

México

Posição na última Copa América: quarto lugar

Elenco
7- Jorge Gutiérrez (armador, 28 anos, Trento-ITA)
11- Alex Pérez (armador, 24 anos, VEF Riga-LET)
9- Paco Cruz (ala-armador, 28 anos, Fuenlabrada-ESP)
10- Gabriel Girón (ala-armador, 29 anos, Fuerza Regia-MEX)
4- Diego Willis (ala-armador, 18 anos, Canarias Basketball Academy-ESP)
6- Idris Dawud Alvarado (ala-armador, Centauros de Chihuahua-MEX)
5- Irving Ávalos (ala, 26 anos, Santos de San Luis Potosí-MEX)
8- Edgar Garibay (ala, 27 anos, Guaiqueríes de Margarita-VEN)
12- Héctor Hernández (ala-pivô, 32 anos, Vaqueros de Bayamon-PUR)
14- Lorenzo Mata (pivô, 31 anos, Toros de Nuevo Laredo-MEX)
15- Israel Gutiérrez (pivô, 24 anos, Argentino de Junín-ARG)
13- Fernando Benítez (pivô, 27 anos, Panteras de Aguascalientes-MEX)

Destaque: Jorge Gutiérrez. Armador que já teve passagens por alguns times da NBA, Gutiérrez tem a missão de ser o protagonista da seleção mexicana na Copa América, já que o pivô Gustavo Ayón não vai disputar o torneio. 

Técnico: Sergio Valdeolmillos

 

Porto Rico

Posição na última Copa América: quinto lugar

Elenco
13- Angel Rodriguez (armador, 25 anos, Maccabi Haifa-ISR)
31- Carlos Rivera (armador, 34 anos, Leones de Ponce-PUR)
1- Alex Abreu (armador, 26 anos, Orléans Loiret Basket-FRA)
3- Mike Rosario (ala-armador, 26 anos, Piratas de Quebradillas-PUR)
14- Gilberto Clavell (ala, 28 anos, Santeros de Aguada-PUR)
6- Chris Ortiz (ala, 24 anos, Cariduros de Fajardo-PUR)
22- Emmanuel Andújar (ala, 24 anos, Santeros de Aguada-PUR)
5- Ramon Rivas Jr. (ala-pivô, 22 anos, North Georgia-NCAA)
33- Chris Gastón (ala-pivô, 28 anos, Santeros de Aguada-PUR)
11- Carlos “Yao” Lopez (ala-pivô, 27 anos, Atléticos de San Germán-PUR)
12- Jorge Bryan Diaz (pivô, 27 anos, Piratas de Quebradillas-PUR)
34- Tyler Davis (pivô, 20 anos, Texas A&M-NCAA)

Destaque: vale a pena ficar de olho no desempenho do pivô Tyler Davis, de 20 anos, que se destacou na última temporada no basquete universitário norte-americano. Em uma renovada seleção porto-riquenha, Davis pode ser o próximo grande nome do escrete caribenho.

Técnico: Eddie Casiano


Grupo B (Bahía Blanca, Argentina)

Argentina
Venezuela
Canadá
Ilhas Virgens

Tabela: Ilhas Virgens x Canadá (27/08 – 19h30), Argentina x Venezuela (27/08 – 22h) / Canadá x Argentina (28/08 – 19h30), Venezuela x Ilhas Virgens (28/08 – 22h) / Venezuela x Canadá (29/08 – 19h30), Ilhas Virgens x Argentina (29/08 – 22h)

Argentina

Posição na última Copa América: segundo lugar

Elenco
7- Facundo Campazzo (armador, 26 anos, Real Madrid-ESP)
8- Nicolás Laprovíttola (armador, 27 anos, Zenit-RUS)
3- Luca Vildoza (armador, 22 anos, Baskonia-ESP)
9- Nicolás Brussino (ala-armador, 24 anos, Atlanta Hawks-EUA)
25- Lucio Redivo (ala-armador, 23 anos, Bilbao Basket-ESP)
10- Máximo Fjellerup (ala-armador, 19 anos, Bahía Basket-ARG)
14- Gabriel Deck (ala, 22 anos, San Lorenzo-ARG)
29- Patricio Garino (ala, 24 anos, sem clube)
4- Luis Scola (ala-pivô, 37 anos, Shanxi Brave Dragons-CHI)
41- Javier Sáiz (ala-pivô, 23 anos, Regatas Corrientes-ARG)
35- Taya Gallizzi (pivô, 24 anos, La Unión de Formosa-ARG)
12- Marcos Delía (pivô, 25 anos, Murcia-ESP)

Destaques: Facundo Campazzo, principal nome da renovada seleção argentina. O armador, que fez uma boa olimpíada no Rio de Janeiro, é o responsável por armar as jogadas ofensivas dos hermanos e, de quebra, pontua bastante. Mesmo longe das melhores condições físicas, e com 37 anos nas costas, não dá para não citar Luis Scola. Considerado um dos melhores jogadores do basquete FIBA das últimas duas décadas, o ala-pivô é o recordista em partidas disputadas com a camisa da Argentina (147) e ainda pode causar estragos em um torneio de um nível técnico não tão alto como esta Copa América.

Técnico: Sergio Hernández

 

Venezuela

Posição na última Copa América: campeão

Elenco
5- Gregory Vargas (armador, 31 anos, Fuenlabrada-ESP)
19- Heissler Guillént (armador, 30 anos, Guaros de Lara-VEN)
11- Harold Cazorla (armador, 23 anos, Gigantes de Guayana-VEN)
6- John Cox (ala-armador, 36 anos, Medi Bayreuth-ALE)
22- César García (ala-armador, 27 anos, Cocodrilos-VEN)
9- Pedro Chourio (ala-armador, 27 anos, Trotamundos de Carabobo-VEN)
10- José Vargas (ala, 35 anos, Guaros de Lara-VEN)
23- Anthony Pérez (ala, 23 anos, Trotamundos de Carabobo-VEN)
43- Néstor Colmenares (ala-pivô, 29 anos, Guaros de Lara-VEN)
14- Miguel Ruiz (ala-pivô, 26 anos, Trotamundos de Carabobo-VEN)
3- José Bravo (ala-pivô, 31 anos, Bucaneros de La Guaira-VEN)
15- Windi Graterol (pivô, 30 anos, Bucaneros de La Guaira-VEN)
31- Luis Carrillo (pivô, 24 anos, Trotamundos de Carabobo-VEN)

Destaques: com sete remanescentes do time campeão da última Copa América (2015), a Venezuela confia nos veteranos Gregory Vargas e John Cox para repetir a dose este ano. Eles são os únicos do time que atuam no basquete europeu e formam uma dupla perigosíssima no perímetro. 

Técnico: Néstor “Che” García

 

Canadá

Posição na última Copa América: terceiro lugar

Elenco
Jermaine Anderson (armador, 34 anos, Chalons-Reims-FRA)
Olivier Hanlan (armador, 24 anos, Le Mans-FRA)
Junior Cadougan (armador, 27 anos, London Lightning-CAN)
Brady Heslip (ala-armador, 27 anos, Trabzonspor-TUR)
Xavier Rathan-Mayes (ala-armador, 23 anos, New York Knicks-EUA)
Ammanuel Diressa (ala-armador, 24 anos, Ryerson University-CAN)
Dyshawn Pierre (ala, 23 anos, Dinamo Sassari-ITA)
Richard Amardi (ala, 26 anos, Niagara River Lions-CAN)
Grandy Glaze (ala, 25 anos, Caballeros de Culiacán-MEX)
Murphy Burnatowski (ala-pivô, 26 anos, Fribourg-SUI)
Andrew Nicholson (ala-pivô, 27 anos, Portland Trail Blazers-EUA)
Joel Anthony (pivô, 35 anos, sem clube)

Destaques: Andrew Nicholson, jogador com experiência de cinco anos na NBA. Desfalcada de seus principais jogadores – Andrew Wiggins, Jamal Murray, Nik Stauskas, Tristan Thompson, Kelly Olynyk, entre outros, a seleção canadense confia na capacidade de pontuação de Nicholson para chegar longe na competição.

Técnico: Roy Rana

 

Ilhas Virgens

Posição na última Copa América: não disputou

Elenco
Walter Hodge (armador, 30 anos, Homenetmen-LIB)
Angel Rivera (armador, 22 anos, Stetson-NCAA)
Khalid Hart (armador, 22 anos, sem clube)
Johnathan Gray (ala-armador, 26 anos, Martina Franca-ITA)
Stephaun Adams (armador, 20 anos, Tennessee Tech-NCAA)
Deon Edwin (ala-armador, 24 anos, KTP Basket-FIN)
Jahmia Simmons (ala-armador, 19 anos, sem clube)
Justin Gray (ala, 21 anos, Texas Tech-NCAA)
Ivan Aska (ala, 27 anos, PAOK-GRE)
Cuthbert Victor (ala, 34 anos, ET Land-COR)
Javier Martinez (ala-pivô, 24 anos, sem clube)
Philip Jones (pivô, 31 anos, sem clube)

Destaque: Walter Hodge, armador que já defende a seleção das Ilhas Virgens há anos. O canhoto unirá experiência com muito volume de jogo, e será cercado por um monte de atletas jovens de universidades menores no basquete universitário norte-americano.

Técnico: Sam Mitchell


Grupo C (Montevidéu, Uruguai)

Uruguai
República Dominicana
Estados Unidos
Panamá

Tabela: Estados Unidos x Panamá (28/08 – 18h), República Dominicana x Uruguai (28/08 – 20h30) / Panamá x República Dominicana (29/08 – 18h), Uruguai x Estados Unidos (29/08 – 20h30) /República Dominicana x Estados Unidos (30/08 – 18h), Panamá x Uruguai (30/08 – 20h30)

Uruguai

Posição na última Copa América: oitavo lugar

Elenco
Bruno Fitipaldo (armador, 26 anos, Avellino-ITA)
Luciano Parodi (armador, 23 anos, Bahía Basket-ARG)
Mauro Zubiaurre (armador, 23 anos, Atenas-URU)
Jayson Granger (ala-armador, 27 anos, Baskonia-ESP)
Sebastián Vázquez (ala, 31 anos, Club Atlético Goes-URU)
Juan Ducasse (ala, 19 anos, Sunrise Christian Academy-EUA)
Nicolás Borsellino (ala-pivô, 31 anos, Biguá-URU)
Sebastián Izaguirre (ala-pivô, 31 anos, Hebraica Macabi-URU)
Hernando Cáceres (ala-pivô, 23 anos, Club Trouville-URU)
Esteban Batista (pivô, anos, 33 anos, Club Atlético Welcome-URU)
Kiril Wachsmann (pivô, 32 anos, Defensor-URU)
Gonzalo Iglesias (pivô, 24 anos, Bahía Basket-ARG)

Destaques: Jayson Granger, Esteban Batista e Bruno Fitipaldo, trio com experiência no basquete europeu e que tem o talento necessário para se sobressair em um torneio em que a maioria das seleções não está levando força máxima.

Técnico: Marcelo Signorelli

 

República Dominicana

Posição na última Copa América: sexto lugar

Elenco
Adris De Leon (armador, 33 anos, Metros STGO-REP)
Rigoberto Mendoza (armador, 25 anos, Estudiantes Concordia-ARG)
Juan Miguel Suero (armador, 24 anos, Indios de San Francisco de Macorís-REP)
Gelvis Solano (armador, 23 anos, Bergamo-ITA)
Juan Coronado (ala-armador, 33 anos, Reales LV-REP)
Victor Liz (ala-armador, 31 anos, Metros STGO-REP)
Dagoberto Pena (ala-armador, 29 anos, Estudiantes-ESP)
Sadiel Rojas (ala-armador, 28 anos, Leones SD-REP)
Miguel Dicent (ala-armador, 23 anos, Metros STGO-REP)
Angel Nunez (ala, 25 anos, Metros STGO-REP)
Juan Guerrero (ala, 24 anos, Leones SD-REP)
Edward Santana (ala-pivô, 28 anos, Titanes Licey-REP)
Angel Delgado (ala-pivô, 22 anos, Seton Hall-NCAA)
Jhonatan Araujo (pivô, 21 anos, Leones SD-REP)

Destaque: vale ficar de olho no ala-armador Sadiel Rojas, um baixinho brigador e muito atlético que faz o trabalho sujo e é fantástico em transição. O produtivo big man Angel Delgado e o experiente Juan Coronado também serão peças-chave da campanha dominicana.

Técnico: Melvyn López

 

Estados Unidos

Posição na última Copa América: não disputou

Elenco
34- Kendall Marshall (armador, 26 anos, Reno Bighorns-G-League)
31- Larry Drew II (armador, 27 anos, Sioux Falls Skyforce-G-League)
41- Xavier Munford (armador, 25 anos, Greensboro Swarm-G-League)
30- Billy Baron (armador, 26 anos, Eskişehir-TUR)
44- Reggie Williams (ala-armador, 30 anos, Oklahoma City Blue-G-League)
71- Reggie Hearn (ala-armador, 26 anos, Reno Bighorns-G-League)
73- Darrun Hilliard (ala, 24 anos, Grand Rapids Drive-G-League)
14- C.J. Williams (ala, 27 anos, Texas Legends-G-League)
62- Jonathan Holmes (ala-pivô, 24 anos, Canton Charge-G-League)
19- Jameel Warney (ala-pivô, 23 anos, Texas Legends-G-League)
87- Alec Brown (pivô, 25 anos, Windy City Bulls-G-League)
18- Marshall Plumlee (pivô, 25 anos, Westchester Knicks-G-League)

Destaque: é complicado apontar um destaque em um time recheado de atletas da Liga de Desenvolvimento e desconhecidos do grande público. O armador Billy Baron, que já tem experiência no basquete europeu, e foi um dos principais nomes do Murcia (ESP) em 2016/17, tende a se sair bem em um torneio FIBA. Aliás, ele é o único atleta do elenco que atua fora dos Estados Unidos.

Técnico: Jeff Van Gundy

 

Panamá

Posição na última Copa América: sétimo lugar

Elenco
Joel Muñoz (armador, 37 anos, Los Tigres-PAN)
José Montenegro
Jonathan King (ala-armador, 27 anos, Sonsonate-ELS)
Eugenio Luzcando (ala-armador, 22 anos, Idaho State-NCAA)
Iverson Molinar (ala-armador, 17 anos, Trinity Internacional-HS)
Tony Bishop Jr (ala, 28 anos, Kanazawa Samuraiz-JAP)
Gary Forbes (ala, 32 anos, Cocodrilos-VEN)
Ernesto Oglivie (ala, 28 anos, Isidro Metapan-ELS)
Luis Henriquez (ala, 21 anos, sem clube)
Jamaal Levy (ala-pivô, 34 anos, Weber Bahia-ARG)
Josimar Ayarza (ala-pivô, 30 anos, Echague-ARG)
Javier Carter (pivô, 26 anos, Soles-MEX)

Destaque: sempre levando um elenco bastante envelhecido, o Panamá tem como destaque o ala Gary Forbes, um pontuador de estilo fominha que já rodou a D-League. O ala-pivô Jamaal Levy, já há algum tempo no basquete argentino, é outro nome pra tomar nota em suas investidas no pick-and-roll.

Técnico:


Palpites

Copa América 2017Gustavo LimaGabriel Andrade
OuroArgentinaArgentina
PrataUruguaiEstados Unidos
BronzeBrasilBrasil
Quem vai surpreenderUruguai. Tem um trio muito interessante - Fitipaldo, Granger e Batista, e é a única seleção que vai com força máxima para a Copa América. Uruguai. Com Esteban Batista ainda produtivo no garrafão, e dois armadores de nível Euroliga como Jayson Granger e Bruno Fitipaldo, o Uruguai é uma das poucas seleções que estão completas para o torneio, podendo aproveitar a química e maior experiência internacional para avançar frente a outras equipes, como os desfalcados Brasil e Canadá.
Quem vai decepcionarCanadá / Estados Unidos. Não levaram seus principais jogadores e correm o sério risco de serem eliminados na primeira fase. A seleção norte-americana, aliás, está levando atletas desconhecidos do grande público e que não se destacam nem na Liga de Desenvolvimento (G-League).Estados Unidos. Um time completamente desfigurado, que não reúne nem a elite da Europa nem da G-League. Vai ser curioso ver essa seleção americana, que também pouco treinou. A vantagem atlética será suficiente? Quem vai arremessar nessa equipe? Química, talento puro, construção do elenco. Tudo bastante duvidoso. Não seria surpresa se nem pegassem medalha, muito mais fraco até que o time que foi levado para o Pan-Americano.
MVPFacundo Campazzo. Melhor jogador do melhor time (teoricamente) do torneio. Com a Argentina campeã, não tenho dúvidas de que o armador será agraciado com o prêmio.Facundo Campazzo. Com a lesão de Luis Scola, Campazzo sai na frente na disputa do MVP da competição, entre outras coisas por ser o melhor jogador do conjunto mais talentoso do torneio. Supercriativo com a bola em mãos, elétrico na defesa e muito veloz, terá a concorrência de Nico Laprovíttola, Billy Baron, Jayson Granger, Andrew Nicholson, Brady Heslip e Esteban Batista na disputa pelo MVP, imagino.
  • Vitor Martins

    A CBB é rídicula, mas a FIBA Americas não fica muito atrás não. Que regulamento tosco. A Argentina por ser cede já está na fase final, oi? É o mesmo que numa copa do mundo de futebol colocar o país cede já na semi-final. Não faz o menor sentido. Era só decidir o local das finais com os países já classificados.

    Ninguém me tira da cabeça que a suspensão da CBB, embora merecida, foi extremamente injusta com os times brasileiros. O Basquete nacional, com o NBB, vinha evoluindo bastante, não dava a menor chance aos outros times do do continente, dominando quase todas as competições nos últimos 3 anos. Muita gente na FIBA não gostou disso, os mesmos que criaram esse regulamento tosco, e ampliaram a suspensão aos time brasileiros também. O basquete merece mais que esses federações caídas.

  • Rodrigo Medeiros

    Excelente matéria. Uma semi entre Brasil x Argentina seria interessante. Acho que Argentina tem um time melhor que o Brasil tbm. Vai ser bom pra ver as duas seleções que estão se renovando tbm.

  • TRUETHIAGO

    Antes de mais nada, parabéns pela matéria.

    Concordo que a Argentina é a favorita, aliás, vale acrescentar/corrigir no texto que eles já estão classificados para as semi-finais, independente dos resultados dentro do grupo (mesmo se terminarem em último ou penúltimo), por sediaram a fase final em Córdoba.

    Quanto ao Brasil, vai ser interessante ver como será o desempenho de Caboclo, Georginho, Danilo, Lucas Dias e Mariano participando pela 1ª vez de uma competição FIBA. Acho que não dá para se apegar ao resultado nesse contexto e até achei os palpites de vocês (bronze) um tanto otimista. Não que seja impossível, o grupo é até acessível com a Colômbia, que não tem tradição, e México + Porto Rico sem peças importantes que poderiam desequilibrar (Barea e Ayon), porém vale lembrar que as últimas 2 participações brasileiras na Copa América foram constrangedoras, com direito a derrota até para a JAMAICA!!! Mas quem sabe né, vamos torcer… Só de chegar nas semis já seria bacana por garantir mais 2 jogos.

    Meu palpite: 1º Argentina / Uruguai / Venezuela

    • Vitor Martins

      Gostei bastante do Danilo. Um jogador muito bom dos dois lados da quadra. Merece uma vaga no quinteto titular no lugar do Leo Meindl, que parece meio deslocado jogando na 2. Parece que ele vai pra Europa, tomara que cresça bastante lá.

      • TRUETHIAGO

        Não consegui ver todos os amistosos completos, mas o Meindl já não me agrada desde aquele Pan 2015, acho um jogador bem comum, por mais que se destaque aqui no NBB.

        Aliás, naquele Panamericano o grande destaque foi o Benite, que na minha opinião poderia estar nesse grupo. Ainda é novo (27) e fez uma última temporada razoável na Espanha, bem melhor do que a sua primeira, que tinha sido realmente bem fraca.

        • Vitor Martins

          Meindl é bom, muito bom. Merece a vaga, melhorou muito desde o Pan. É um jogador muito mais completo, mas acho que está sendo mal utilizado pelo novo técnico.

          Eu já acho q defesa do Benite um dos pontos fortes cara. O Flamengo só foi campeão mundial pq o Benite marcou o Pargo na final contr o Maccabi. Foi uma das defesas individuais mais fantásticas que eu já vi no mundo FIBA. Mas os melhores jovens (menos de 28 anos) brasileiros não foram convocados: Raul, Rafa Luz, Benite, Augusto, Bêbe, Felício. Eles serão a base pra futura seleção. Formam um bom conjunto, acho que o que falta pra seleção (se bem treinada) alçar patamares superiores é um craque, um Ginobili, um Scola, um Gasol. Infelizmente o Brasil ainda não conseguiu formar um jogador desse naipe.

          • TRUETHIAGO

            Talvez minha percepção esteja errada então, nunca vi nele um grande defensor, não que fosse péssimo também, mas para mim sempre ficava devendo nesse quesito e atacando a cesta, ambos os casos pelas limitações físicas. Mas ofensivamente considero uma boa opção, tanto que na proporção pontos/por minuto, FG% e 3-PT% ele foi disparado o jogador de perímetro mais eficiente do Brasil nos Jogos do RJ. E uma das cornetadas merecidas ao Magnano é justamente pelo pouco tempo de quadra que o Benite teve, enquanto o Leandrinho jogava o dobro de tempo, mesmo que estivesse amassando o aro:

            BENITE > 7,8 ppg / 51% fg / 43% 3pt / 13MIN
            BARBOSA > 11,8 ppg / 39% fg / 14% 3pt / 26MIN

            Quanto ao futuro, tenho uma visão mais cética e/ou pessimista do que a sua, para mim existe uma incógnita gigantesca e não apenas por não termos um potencial craque (tipo Parker, Manu, Gasol e cia ltda). Sequer podemos garantir que nessa nova safra vamos encontrar um novo “Huertas”, “Alex”, “Marquinhos”, “Giovannoni”, etc.

            Raulzinho não jogou nem 10mpg na última temporada, idem para o Rafa Luz no Baskonia. Bebê sumiu da rotação de Toronto na reta final, a despeito de ter tido bons momentos na mid-season. O Tiago Splitter, com a mesma idade do Augusto Lima, era uma unanimidade na Europa e MVP da ACB.

            Veja que não é uma crítica aos jogadores atuais, eles merecem todas as considerações por estarem onde estão e terem alcançado o patamar atual nas suas respectivas carreiras, num país em que o basquete, como você sabe, respira com ajuda de aparelhos.

          • Vitor Martins

            Concordo. Compartilho dessa mesma preocupação. Não acho que é terra arrasada, mas sim, os jogadores já eram para estar brilhando mais. Mas um ponto a se observar é que mesmo brilhantes individualmente (Huertas, Leandrinho, Nêne, Varejão e Splitter tiveram carreiras sólidas no basquete), em conjunto eles não atingiram o máximo que poderiam. É uma pena. Talvez pq a concentração de talento fosse maior numa só posição (Pivô pivô, três dos 4 melhores jogadores jogavam na 5), não sei, mas como time nunca funcionaram ao máximo. Talvez um time menos talentoso possa ter um conjunto melhor. Assim espero.

          • TRUETHIAGO

            Realmente, houve esse desequilíbrio de posições e os melhores estarem concentrados no garrafão. Pode ser que uma equipe mais heterogênea, variada, possa encaixar, futuramente. A Lithuânia é mestre nisso, olhando para o elenco dos últimos 10/20 anos não vemos ninguém do calibre de Gasol ou Ginóbili, mas pelo conjunto e sistema implementado desde cedo no país estão toda hora pegando semifinal ou medalhando nos torneios.

            Terra arrasada eu também não vejo, o Brasil possui material humano para figurar num top 5 do mundo da modalidade, quero muito estar vivo para ver a seleção voltar a medalhar em Olimpíadas e Mundial. Entretanto, infelizmente, não enxergo isto acontecendo no curto e médio prazo. Falta estrutura, trabalho de base, intercâmbio… Obviamente que tem coisas boas, se não fosse o NBB, por exemplo, aí sim a tendência é que a situação estivesse calamitosa, parecida com a do Basquete Feminino.

  • Lucas SEP

    Tinha que mudar para um formato melhor, 2 grupos de 6 passando 4 de cada grupo, a FIBA poderia tbm pagar uma premiação melhor para o vencedor. Seria bom se a Copa América fosse um atrativo assim como é o torneio Europeu.

  • O basquete americano é uma instituição FALIDA! É ridículo o quanto não conseguem nem mesmo organizar um campeonato decente. Não surpreende que os estadunidenses, canadenses e todos os países quase estejam levando times B, C ou D.

  • Marcos Antônio

    FIBA Américas está de parabéns pelo ótimo regulamento! #SQN
    esse lance de eliminatórias para Copa do mundo de basquete acabaram com a função dos continentais e por aqui não seria diferente. Infelizmente vai ser um torneio bem meia bomba

  • Lucas

    Uma coisa que o Brasil pecou muito foi na renovação do elenco, agora começa do Zero mais parece que viveremos a melhor geração pós Huertas, Nene, Leandrinho e Varejão.
    Na armação temos Raulzinho titular nos proximos 5 anos alem dele a perspectiva está nos jovens Georginho e Iago que se ganhar alguns centímetros o muleque é bola, não podemos esquecer Fisher que foi para a Europa.
    Na ala tenho minhas principais duvidas mais temos Caboclo, Lucas Dias e Galvani como esperança, Caboclo alias que fez ótima partida contra a Argentina no amistoso.
    Os Pivos são desde a ultima geração a melhor posição e não será diferente nessa Felicio e Bebe prometem ser nosso garrafão mais vem ai Uchendu e Felipe dos Anjos.
    Hoje a seleção titular para 2020 no meu ponto de vista seria: Raulzinho, ?, Caboclo, Felício e Bebe.

    • Ed Cavalcanti

      Acho que no titular não jogariam com dois 5 como Felicio e Bebe, acho que cabe mais um Caboclo e Lucas Dias…

    • Vitor Martins

      Benite e Fuzaro são dois ótimos jogadores para a 2 nos próximos anos, mas acho que o melhor caminho é armação dupla. A quantidade e qualidade dos armadores só não é superior a dos pivôs. Alexey, Rafa Luz, Raul e até Huertas se envelhecer bem são realidades, Georginho, Yago, Pedro Nunes são ótimas promessas.

  • Evandro

    O guia com certeza sera mto melhor do q a Copa América.

    Parabéns pelo brilhante e explicativo guia. Ficou show.

  • Julio Zago

    Muito bom o guia, parabéns! Aliás, parabéns também ao Jumper, nós fãs do basquete agradecemos pela oportunidade de acompanhar nossa esquecida e sofrida seleção.
    Sobre o campeonato, o time da Argentina é flagrantemente mais forte que os demais, será um zebra muito grande se não vencerem.
    Falando do Brasil, na minha opinião ainda não temos um time definido, a seleção conta com alguns atletas razoáveis, mas nesse momento não vejo nenhum capaz de ser o líder técnico da equipe, vejo o Brasil muito distante das principais forças da América hoje, EUA, Canadá e Argentina.
    Se quiser voltar a figurar em uma Olimpíada o Brasil terá um longo caminho de evolução, seja na formação do grupo, equipe titular e desenvolvimento de atletas.

  • Marcos Gordinho

    Melhor guia resumido que observei desde sempre para os torneios de basquete. Parabéns pela objetividade e informação.

  • Marcelo Desoxi

    Se EUA levar o ouro , será uma facada no coração de todo mundo que preza por uma boa competição.

  • Guilherme Ferreira

    Uma competição que não vale rigorosamente nada…. bom incentivo para se acompanhar

  • Lucas

    Jumper mitou novamente

  • Jax Teller

    Pro Brasil torneio de teste, principalmente o treinador, creio que se tivesse valendo vagas importantes e a NBA liberasse os atletas e aqueles que atuam na Europa TALVEZ teríamos um time Top 5 das Américas. A matéria muito boa, vou acompanhar todos os jogos!

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados