logo lance
undo
Nacionais
Internacionais
Leste
Hawks
Celtics
Nets
Hornets
Bulls
Cavaliers
Pistons
Pacers
Heat
Bucks
Knicks
Magic
76ers
Raptors
Wizards
Oeste
Mavericks
Nuggets
Warriors
Rockets
Clippers
Lakers
Grizzlies
Timberwolves
Pelicans
Thunder
Suns
Blazers
Kings
Spurs
Jazz
Postado em 26 ago 2017 às 11:51
Brad Stevens reverencia passagem de Isaiah Thomas pelo Celtics: “Incrível”

Técnico de Boston agradece empenho e dedicação do astro, que foi trocado com o Cavaliers

Compartilhe nosso conteúdo!
Envie por email!
Compartilhe no Google+ Google +
Tweet esse post! Twitter
Compartilhar no Facebook! Facebook
Por Ricardo Stabolito Jr.

A negociação do armador Isaiah Thomas para o Cleveland Cavaliers ainda não está definitivamente acertada, mas o treinador Brad Stevens já fala do astro como ex-atleta do Boston Celtics. Em evento no Hall da Fama de Springsfield, na última sexta-feira, o técnico reverenciou a brilhante passagem e evolução do provável ex-comandado com a franquia de Massachussets.

“O que Isaiah fez em Boston nas últimas duas temporadas e meia tem sido incrível. Já disse antes o que ele significa para mim, como é importante em nosso vestiário e o tipo de companheiro de time que foi para todos. Essas são decisões realmente difíceis, a parte complicada de ser um treinador de basquete”, lamentou Stevens, negando totalmente rumores de mal-estar entre o all star e parte do elenco.

O técnico de 40 anos vive sua primeira experiência na NBA com o Celtics e crê que Thomas ajudou-o em sua adaptação tanto quanto ele contribuiu para sua ascensão ao estrelato. “Isaiah foi ótimo para mim. Inacreditável. Eu sinto-me abençoado por ter tido a chance de treiná-lo, assim como Jae [Crowder]. Aprendi muito com os dois. São caras fáceis de se trabalhar, treinar, grandes pessoas”, exaltou.

  • William Felton Russell

    INCRÍVEL mesmo! Gratidão eterna ao Pequeno Gigante!

  • Dois caras IMPOSSÍVEIS de não se admirar, independente de rivalidades: Stevens e Isaiah. Desejo o melhor para ambos.

  • Pablo Leite

    Imagino como o Thomas deve se sentir depois de jogar lesionado, com dente quebrado e após a irmã morrer e ser trocado pelos Celtics. Eu acho que esse caso do Thomas deve abrir um novo paradigma entre os jogadores da NBA sobre até onde eles estão dispostos a se sacrificar pelas franquias. Se entre a nova geração já não há tanto comprometimento assim, creio que daqui para frente vai cair ainda mais.

    • Renato Lemos

      A motivação de atletas de elite não pode ser amor à camisa. Eles são profissionais e trocas são parte do negócio. O que move esses jogadores tem que ser a competitividade interna. Thomas não fez esses esforços pra honrar a camisa do Celtics. Ou talvez até tenha feito em alguma medida, mas a motivação real dele foi o simples desejo de vencer que move todo competidor.

      • William Felton Russell

        Podemos expandir esse modelo para toda a vida geral. O mundo todo funciona desse modo. Essa vontade de vencer individual é que move e sempre moveu o mundo. Num tempo longínquo, quando o primeiro homem percebeu que poderia ganhar algo ao realizar dada ação, teve início o progresso e a prosperidade, de modo inexorável.

      • Pablo Leite

        Ok, profissionalismo e tudo o mais, mas jogar com uma grave lesão (ele) voltar para sua antiga franquia para dar um anel a ela (James) e receber menos do que merece para o time conquistar anéis ou serem mais competitivos (Duncan, Ginobili e Nowitzki) são situações que escapam, da parte de alguns jogadores, o profissionalismo. Profissionalismo é fazer igual o Simmons fez, tem uma lesão que ele pode se recuperar em 4 meses e voltar a jogar, mas para não arriscar meu futuro brilhante recheado de dinheiro, exijo voltar só na temporada seguinte.

    • CHAMPaul

      O próprio I. Thomas disse: “A NBA é um negócio.”

      Da mesma forma que o B. Celtics deve a ele, ele deve ao B. Celtics. Num todo, ambos se ajudaram.

      O A. Horford e G. Hayward vieram pelo I. Thomas. O I. Thomas poderá, na próxima Offseason, ganhar um salário máximo, e isso deve-se, além do seu talento, também a organização Celta.

      Aliás, a organização sempre exaltou, exalta e exaltará o quão importante o I. Thomas foi. Isso é a principal parte. Para mim, como torcedor, tenho um respeito imensurável por ele.

      • Pablo Leite

        A organização exalta mas troca o sujeito? o único nome que eu consigo dar para isso é conversa fiada.

        • CHAMPaul

          Ponto de vista. Respeito.

      • Gabriel S Monteiro

        Horford veio acreditando que Durant viria, não por IT e Hayward muito por Stevens!

        • CHAMPaul

          IT4: The Reason.

      • Marcos Gordinho

        Putz!!! Que definição de fã de IT. Um dos menores salários do Celtics, foi o pilar de sustentação nas duas últimas temporadas e o que ganha é um “- Obrigado por seus serviços, como demos muito tempo de quadra para você e permitimos que tivesse a bola em suas mãos para resolver nossos problemas em quadra consideramos que estamos quites pois te demos visibilidade. Agora vá para p… que pariu!”.

        • CHAMPaul

          Respeito sua opinião.

    • FSilva

      Isso. Espero que daqui em diante ninguem jogue de luto ou machucado.

  • Vargas > Duncan

    Muita gente com discurso de frieza do DA e blá blá blá …
    Para né gnt , vms dar um tempo com isso , o próprio Isaiah tava pressionando já por um contrato Máximo na próxima temporada , não queria nem saber se isso era o melhor pra franquia
    Enfim , são negócios , Boston fez oq foi melhor pra ele

    Gratidão eterna ao Isaiah , sou fã dele , mas vida que segue

    • Pablo Leite

      Como já disse o Lebron James, quando jogadores fazem o melhor para si, são mercenários traidores, que vão inviabilizar o sucesso de seus times com seus altos salários, como você mesmo está dizendo, quando os GM fazem o melhor para si e para a franquia, são negócios. Há uma clara disparidade em como a mídia e o público encaram as opções de jogadores e franquias frente ao negócio que a NBA representa.

      • Vitor Martins

        Pois é. O que o cara deveria falar? Não é como se ele convocasse uma coletiva de impressa e falasse: “galera, quero anunciar que vou pedir um contrato máximo”. Ele joga no time, é o jogador mais importante, com um salário baixo, ganhando menos que outros jogadores que chegaram por FA com contrato máximo sem prestar nenhum serviço a franquia, é perguntado: “E ai Thomas, vc acha que merece o máximo?” ele tem que responder: “De jeito nenhum! Que dêem pro Hayward. Eu só tenho um metro e meio, mereço isso não. Contrato máximo? Tô fora, pego a minha bike e vou embora”.

        • Pablo Leite

          Pois é. Eu acho engraçado esse povo, parece que liberalismo e capitalismo só existe para um lado, para as franquias, com todo seu amoralismo e decisões frias. Para os jogadores valem regras medievais, como ver o bem de todos (menos o dele mesmo), jogar pela franquia como se ele fosse um vassalo, honrar a franquia (afinal, ela é um ente imortal e você é apenas uma pequena engrenagem que vai passar), sacrifício pessoal e etc.

      • Marcos Gordinho

        Lebron! Eu te entendo agora.

    • Vitor Martins

      Mas Horford ganhar salário máximo é bom pra franquia? Se ele tava pedindo era pq merecia. Não entendo isso. Ele é o jogador mais menosprezado da NBA. Deveria ser o contrário, o que ele faz em quadra pra alguém do seu tamanho é incrível.

  • Marcos Gordinho

    Desde a saída de Wade do Heat que pondero sobre essa questão de salários. Wade já tinha anel, e como protagonista. Já era Wade all star. Era o último a precisar reduzir ganhos para formar um big3. Ok, vieram mais dois anéis, mesmo como um jogador secundário foi extremamente importante. Mas no fim o que Tio Pat deu para Wade? Além de agradecimentos, nada. Wade nem máximo queria. Bastaria um contrato bom. Umas 20mi. Duas temporadas e acho que ele se aposentaria. Aprendi que o capital não gira em torno de quanto se ganha. E sim em torno de quanto se gasta. Um atleta trabalha por quantos anos? IT não ganhou o suficiente para garantir seu futuro e o de seus entes como muitos sonham. No máximo azeitou a vida no momento. Mas se ele não arrumar um contrato bom e duradouro,nem as sequelas que o esporte traz para atletas de elite ele poderá cuidar no futuro.

© Copyright Jumper Brasil 2007-2017 - Todos os direitos reservados