Comissário Adam Silver estende contrato e segue na NBA até 2024

A comissão formada pelos donos das 30 franquias da liga anunciou, nesta quarta-feira, que o contrato do comissário Adam Silver com a NBA foi estendido até 2024. O dirigente ocupa o cargo desde fevereiro de 2014, quando sucedeu David Stern, que se aposentou depois de 30 anos na função. Os valores do acordo não foram revelados.

Silver, de 56 anos, é advogado de formação pela Universidade de Duke e pela Universidade de Direito de Chicago. Trabalhou para empresas de advocacia em Nova York e na Corte Federal, antes de chegar à NBA, em 1992. Depois de ocupar vários cargos administrativos, ele se tornou o “segundo em comando” da liga em julho de 2006, quando passou a gerenciar várias subdivisões relacionadas ao marketing e ao mercado internacional.

Foi na gestão de Silver que a NBA acertou a renovação dos acordos de televisão por um valor recorde – US$24.1 bilhões, por nove anos de contrato (2016-25), com as emissoras ESPN e TNT, ligadas respectivamente aos grupos Disney e Turner. Como a televisão consiste na principal fonte de renda da liga, o teto salarial da NBA disparou – subindo de US$70 milhões, em 2015, para US$94 milhões no ano seguinte, impulsionado pelas novas cifras.

Há dois anos, Silver liderou uma série de negociações com a Associação Nacional dos Jogadores da liga (NBPA) e costurou um novo acordo coletivo de trabalho (CBA), que eliminou o risco de locaute pelo menos até 2023 (quando o CBA expira).

Desde quando Silver assumiu o cargo, os valores combinados das 30 franquias aumentaram cinco vezes, de estimados US$12 bilhões para US$ 60 bilhões. Além disso, pelo quarto ano seguido, a NBA registrou um crescimento de público nas partidas, chegando ao número recorde de 22.1 milhões de torcedores assistindo aos jogos em 2017/18.

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • Andrey

    pobre NBA, será que o basquete sobrevive até 2024

    • Will #lakaodamassa

      Wtf ?

    • Luiz Henrique Moura Matos

      Cada louco q aparece aqui no jumper .
      Deve ser por causa das postagens no face .

    • Gabriel De Oliveira Meira

      Com certeza não, um meteoro ou um esporte alienígena mais atraente ocorrerão antes!

  • Beto cargnin

    Até o Adam Silver ganhou contrato máximo. Hahaha

  • Fabiano

    Panela de jogadores está resumindo os campeonatos a 3, 4 times… São 30! Competitividade poderia entrar em pauta

    • Guga Goll

      Diga um ano em que teve 5 candidatos aos títulos da NBA? Sempre são poucos candidatos, muitos times bons (mas sem chances reais de títulos) e outros no tank.

      • Fabiano

        Exemplo mais recente talvez.
        Que já tem tempo: Boston de Pierce Garnett, Cleveland LeBron, Orlando de Howard. Spurs de Duncan, Lakers de Kobe, Pheonix de Nash Stoudmire. Detroit Bilups e Rashed Wallace. Okc de Durant e West

        • Guga Goll

          Amigo todos estes times nunca tiveram chances de títulos no mesmo ano. Detroit foi candidato em 04 e 05. OKC começou a brilhar em 12. Magic só teve o ano de 09. E aquele Cavs que o LeBron carregava nas costas até 2010 não tinha chances reais de ganhar um anel na minha opinião, perdia para qualquer time do oeste em final. Enfim, são sempre poucos times com chances reais. Mas estes times mudam com o tempo.

        • Igor Neves

          Desses aí, só Celtics, Lakers e Spurs eram fortes candidatos. OKC foi se moldando e não chegou a lugar nenhum, Suns foi até final de conferência mas ficou só no cheirinho mesmo. Cavs na primeira passagem do Bron era horroroso, Orlando só chegou a final pra apanhar dos Lakers, nada fez depois.

    • Igor Neves

      Dá pra contar nos dedos os anos que tiveram mais de 5 times realmente candidatos ao título. E “desequilíbrio” não é de agora não, vide Lakers e Celtics nos anos 60 e 80, Bulls nos anos 90…

      • Fabiano

        Pô, anos 80 e 90. Knicks de Pat Ewing e Cia. Boston de Bird, Detroit Bad Boys, Chicago. Lakers de Magic, Portland de Drexler. pheonix de Barkley, Houston de Olajwon, San Antônio de David Robinson, Utah da dupla Stockton Malone. Seattle de Payton e Kemp… Todos tinham chances

        • Igor Neves

          Chances reais de titulos, não equipes fortes. Anos 80 e 90 foram extremamente dominados por Lakers, Bulls e Celtics. Tá na história.

          • TRUETHIAGO

            Pois é, no mínimo engraçado esse saudosismo de algo que nunca existiu. A única década em que houve uma grande variedade de campeões foi nos anos 70 (oito); todas as outras décadas sempre se limitaram a no máximo 3 ou 4 equipes, para não citar os anos 60, com apenas 2 (Celtics e Sixers).

            Curiosamente, aquele foi um período considerado de “baixa” da NBA, até pela concorrência da ABA, que embora fosse muito menos poderosa em termos financeiros, salariais, etc, na época era considerada uma liga mais vistosa de assistir, ofensiva, com mais contra-ataques, enterradas (eles que inventaram o Slam Dunk Contest), enfim, não tão focada só no jogo físico ou de garrafão. Depois veio a fusão das duas (1976) e a partir dos anos 80 que a NBA de fato se consolidou, cresceu, se tornando o que é hoje.

            Ah, a linha de 3 pontos também foi uma invensão da ABA.

      • Fabiano

        Eu prefiro ver as duas estrelas no máximo com role players e emocao. Do que 4 5 estrelas e apenas 3, 4 times. Começa a temporada a galera já praticamente crava quem será campeao

  • TRUETHIAGO

    Bom, os números estão aí, o choro é livre.