Atuação épica de Chris Paul dá vitória ao Clippers em jogo 7 contra Spurs

https://youtu.be/qoniAJMwu-o

O jogo 7 da série entre Los Angeles Clippers e San Antonio Spurs se tornou um clássico na história da NBA neste sábado (2). Os donos da casa venceram a partida por 111×109 com uma cesta de Chris Paul, que jogou três quartos com uma lesão no músculo posterior da coxa – e ainda assim teve uma das melhores atuações da carreira.

 

O armador – há anos o melhor da posição na NBA – parecia determinado a não perder para o Spurs mais uma vez em uma pós-temporada. Mesmo jogando praticamente com uma perna funcional, ele foi praticamente impecável em quadra, acertando cinco bolas de três pontos, nove arremessos em 13 tentativas e apenas um desperdício. Na defesa ele também conseguiu, de alguma forma, ser útil.

Blake Griffin não foi menos impressionante com um triplo-duplo (24 pontos, 13 rebotes, 10 assistências), mas não há dúvidas de que o destaque da noite foi Chris Paul, que ainda deu sete assistências para liderar a rotação de seis homens de Doc Rivers para a segunda fase. Na partida de hoje, cada um deles foi necessário, até mesmo DeAndre Jordan, que “permitiu” que o Spurs apanhasse o que aparentaram ser dez rebotes ofensivos no fim da partida.

J.J. Redick matou duas bolas três pontos cruciais para manter o Clippers na partida no último quarto, sempre com a característica confiança/arrogância que demonstra em quadra. Matt Barnes foi um monstro defensivo e ainda conseguiu atrapalhar a última bola do Spurs (Kawhi Leonard provavelmente não dominaria a bola, mas quem sabe o que poderia ter acontecido?). Jamal Crawford bateu pra dentro e converteu uma bandeja decisiva nos minutos finais.

As atuações dos jogadores do Spurs não foram menos históricas. Tim Duncan fez valer mais uma vez o seu status de melhor ala-pivô da história com um duplo-duplo e dois lances livres convertidos nos últimos segundos que poderiam ter levado o jogo para a prorrogação se Chris Paul não estivesse no outro time. Danny Green foi, talvez, o melhor defensor da partida apesar do box score registrar “apenas”duas roubadas de bola e cinco tocos.

Tony Parker teve mais uma atuação muito abaixo da que estamos acostumados, mas de alguma forma (talvez por conta da lesão de Chris Paul) terminou o jogo com 20 pontos. Manu Ginobili teve seu último canto durante cinco minutos no segundo tempo, quando fez oito pontos e pareceu ser “aquele” Manu. Esse pode ter sido o último jogo de sua vitoriosa carreira.

A decepção ficou por conta de Kawhi Leonard. O melhor defensor da temporada e MVP das últimas finais foi medíocre nos dois lados da quadra. Danny Green marcou melhor do que ele. No ataque, forçou arremessos que poderiam ser melhor trabalhados que talvez tenham custado a vitória.

O final do jogo 7 foi um pouco decepcionante. Não por causa do nível de  basquete apresentado, que foi absurdamente alto, mas sim porque uma das duas franquias se despediu da temporada. Muitas críticas foram feitas ao sistema da NBA que proporcionou que Clippers e Spurs se enfrentassem logo na primeira fase, mas alguém precisava vencer. Deu Clippers.

Segunda-feira (4), a semifinal do Oeste contra o Houston Rockets terá começo, e provavelmente sem Chris Paul, que vai passar por exames para saber o grau da lesão que teve na coxa.

Destaques

Spurs

Tim Duncan: 27 pontos, 11 rebotes
Tony Parker: 20 pontos, cinco rebotes, cinco assistências
Danny Green 16 pontos, oito rebotes, três assistências, dois roubos de bola, cinco tocos
Kawhi Leonard: 13 pontos, 10 rebotes
Boris Diaw: 12 pontos, quatro rebotes, três assistências
Manu Ginobili: oito pontos, sete assistências

Clippers

Chris Paul: 27 pontos, seis assistências, dois roubos de bola
Blake Griffin: 24 pontos, 12 rebotes, 10 assistências
Matt Barnes: 17 pontos, cinco rebotes, dois tocos
Jamal Crawford: 16 pontos, três assistências
J.J. Redick: 14 pontos, três rebotes, três assistências
DeAndre Jordan: sete pontos, 14 rebotes