Blake Griffin não conversa com Doc Rivers desde que foi trocado pelo Clippers

Blake Griffin chamou a atenção em sua aguardada primeira visita ao Los Angeles Clippers na carreira por mais do que os 44 pontos anotados em quadra. Diversos jornalistas atentaram para o tratamento frio que o agora astro do Detroit Pistons ofereceu a vários profissionais de sua ex-equipe. O técnico Doc Rivers admitiu que pode existir um ressentimento por parte do atleta pelo fato de ter sido trocado.

“Eu não conversei com Blake desde a troca. Isso não é algo que considere anormal, pois, infelizmente, já aconteceu várias vezes em minha carreira. A maior parte das dispensas e trocas não são muito tranquilas. Poderia citar centenas que não saíram como gostaria. Kendrick Perkins, por exemplo, era um filho para mim e informá-lo de que havia sido trocado não acabou bem”, revelou o treinador.

Não é surpreendente que as condições em que Griffin deixou o Clippers possam ter deixado um ressentimento. O atleta de 29 anos foi informado de que estava sendo negociado com o Pistons, meses após assinar uma extensão contratual onde era declarado como um “Clipper para toda a vida”, por um conhecido que trabalha nos escritórios da liga e não pelos dirigentes do time angelino.

O ala-pivô não reconhece que tenha um problema com ninguém da alta direção da franquia, mas a forma como reagiu ao ser perguntado sobre sua relação atual com Rivers não deixa esconder o rancor guardado. “Eu não preciso mais ter algum tipo de relacionamento com Doc. Não há necessidade. Ele não é mais o meu treinador”, resumiu o astro.

Rivers também prefere comentar pouco sobre a situação e acredita que a história de Griffin em Los Angeles é maior do que qualquer rixa pessoal. “Blake foi um dos grandes jogadores dessa franquia. Isso basta. Tudo além disso ficou para trás. Ele precisa ser celebrado pelo que fez para o Clippers, pois vencemos muitas partidas juntos. Realmente adorei treiná-lo. Mas, quando não se é o campeão, isso é o que acontece. Mudanças acontecem”, concluiu o experiente técnico.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Os jogadores da NBA são seres humanos demais. Fico perplexo quando percebo que não são robôs.

  • Rogério Rodrigues

    “Mas, quando não se é o campeão, isso é o que acontece. Mudanças acontecem”
    Pega essa direta Griffin, kkkkk

  • Nicolas Dias

    Bem compreensivo, o cara teve a oportunidade de escolher onde iria jogar, escolheu o Clippers e foi trocado para a fria Detroit poucos meses depois.

  • Marcos Gordinho

    Doc resumiu o que aconteceu, e Griffin viveu um grande exemplo de como ter controle de seu próprio destino, infelizmente jurando amor eterno não parece ser a melhor forma.

  • Hurin #HeatNation

    E ta errado? Blake foi profissional….