Blake Griffin: “Tenho orgulho de ter feito parte da mudança de imagem do Clippers”

Blake Griffin terá uma experiência emocionante neste sábado. O astro do Detroit Pistons vai visitar o Los Angeles Clippers – franquia que defendeu nos oito anos iniciais da carreira – pela primeira vez e deve receber muitas homenagens do time. Nada disso, diga-se de passagem, por acaso: a seleção do ala-pivô com a primeira escolha do draft de 2009 é vista como um divisor de águas na história da equipe.

“Eu tenho orgulho de ter feito parte da mudança de imagem da franquia. Quando cheguei lá, a organização não era vista como hoje – e lembro que várias pessoas falavam para recusar-me a ser escolhido pelo Clippers no draft. Não só joguei lá, mas fui bem e também tive moderado sucesso em uma equipe que diziam ser amaldiçoada”, afirmou o craque, com tom saudoso, em entrevista à ESPN.

A história de Griffin na franquia é longa e significativa, mas pode-se dizer que não acabou da melhor forma possível. O jogador de 29 anos ficou sabendo que estava sendo trocado com o Pistons por um amigo que trabalhava nos escritórios da liga, poucos meses após assinar uma extensão onde era anunciado como um “Clipper para toda a vida”. Mais um exemplo duro de que a NBA é um negócio.

“Antes de Blake, ninguém queria estar aqui ou sequer ligado a nós. Tínhamos um longo histórico de derrotas, dentro e fora das quadras. Ele foi um dos atletas que começaram a mudar isso. Não importa o que façamos a partir de agora, vai estar sempre atrelado ao que começou com Blake. Trocá-lo não foi uma decisão pessoal. Na verdade, estaremos em débito eterno com ele”, reconheceu o treinador Doc Rivers.

Griffin mudou a imagem do Clippers e posicionou a equipe competitivamente, mas muitos dirão que também não construiu uma história, de fato, campeã na franquia. Um título nunca veio, as campanhas sempre pareciam acabar antes do esperado e lesões surgiram nos piores momentos. Os números, porém, não mentem: seis das 13 aparições do time angelino nos playoffs em 48 anos de história aconteceram após a chegada do ala-pivô.

“Eu não direi que o que consegui no Clippers foi um sucesso absoluto, mas, perto do que esperavam quando cheguei na NBA, sinto que superei expectativas. Olho tudo da forma mais honesta possível. Existem coisas que gostaria de ter feito um pouco diferente, mas pude aprender com ótimos jogadores em grandes partidas. Tive grandes experiências. E, hoje, sigo em frente”, finalizou Griffin, em paz com o que realizou em Los Angeles.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Um dos meus jogadores favoritos. Tá jogando o melhor basquete da carreira e desperdiçando esse talento naquele time de várzea dos Pistons. Como eu queria ele em um time decente para vê-lo concorrendo ao MVP.

  • Tulio Machado

    Monstro! Maior jogador do Clippers na historia

  • Bruno Da Silva Francisco

    Sem choro, sem tristeza, sem alfinetadas.. parece o deRozan..
    A não pera rsrs

    • Marcos Gordinho

      Jogador também têm família, filhos, amigos, vida social… são ossos do ofício essas mudanças, porém quando um dos lados ou ambos romantiza a relação e quebra um acordo moral estabelecido deixa sim um gosto amargo que vai variar de um para outro indivíduo a superação. Fica claro que tudo são bussines, e o lado que tirar proveito primeiro sai na vantagem. Não critico atletas por agirem semelhantemente as franquias no jogo capitalista de interesses próprios, que cada um saiba o valor que têm no mercado e abusem disso!!!

  • Igor Neves

    Como torcedor dos Clippers, eu sou agradecido a esse cara. Trouxe um pouco de respeito a organização Clippers, sempre que esteve disponível jogou seu máximo e nunca desrespeitou a instituição mesmo após a saída controvérsia. Gostei da troca pq ele ganhava mt e se machucava mt também, mas esse cara pra mim é o maior Clipper da história. Se hoje a equipe tem feito boas campanhas, é pq esse cara foi escolhido em 2009 e iniciou a nossa subida de patamar. Sou Clipper graças aquela série contra o Spurs em 2015. Obrigado Blake!

    • Alexandre Wagner

      Que milagre, mais um torcedor, não estou só aqui kkkk.

      • Joao Paulo Domingues

        o/

  • Diego Costa

    Blake é monstro. Não merece esse lixo atual em que joga.

  • Ser_Humano_Vivo

    Algumas das enterradas mais impressionantes da NBA na era moderna foram protagonizadas por ele e DAJ.

    • Vinícius Maia

      Eu me arrisco dizer que Griffin foi o melhor dunker da liga pós Vince Carter. No campeonato de enterradas, lavine e Gordon bagunçada, deixando torneios passados no chinelo, mas em quadra nenhum dos dois faziam o que o Griffin fazia. A impulsão dele combinada com a força para atropelar outros jogadores durante as enterradas era algo muito absurdo.

      • Gustavo Henrique

        pau gasol sofria com ele kkkk varios highlights em cima dele

        • Tulio Machado

          o top10 do Blake deve ter umas 3 na cabeça do Gasol…

    • Tulio Machado

      Aquela dunk que assassinou a promissora carreira do Brandon Knight é absurda!

  • JASPION DA MASSA

    kkklippers

  • Joao Paulo Domingues

    Acompanhei jogos da NBA de 1990 a 1998, depois desliguei. Voltei em 2011 por causa do Blake, DJ e CP3. Pluguei no YouTube pra ver o que tava rolando e fiquei encantado com a Lob city, foram anos de jogos muito plásticos e o time mais divertido de se ver jogar neste período, pra mim, obviamente. A saída do BG foi um golpe duríssimo, embora entenda que os ciclos tem fim, esse foi cedo demais.

    • Cleiton Araujo de Oliveira

      10 era show Band kkkkkk

  • O legado dele é imenso para os padrões atuais. São poucos que conseguem impactar uma franquia como ele fez, junto de CP3 e DeAndre Jordan.
    Inesquecível aquela série contra o Spurs!

  • #procura-selebronzetes

    CP3 teve um dos melhores elencos da NBA por anos e nunca conseguiu ganhar sequer uma conferência, se me lembro bem acho que nunca chegou nem em uma final.