Pense rápido: qual a primeira lembrança que Lance Stephenson te traz na NBA? No meu caso, é essa aqui:

Contextualizando: na época um reserva sem nenhum espaço na rotação do Indiana Pacers, Stephenson havia provocado os jogadores do Miami Heat – especialmente LeBron James – após o jogo três das semifinais do Leste. Dois jogos depois veio o revide, em quadra, por parte de Pittman (que assim como ele, não era importante na rotação do time).

Na verdade, Stephenson só jogou 12 minutos em toda a pós-temporada de 2012.

A história de Stephenson na NBA poderia se resumir a isso, na verdade: mais um armador talentoso desde os tempos de colegial (quando recebeu o apelido “Born Ready”) que passou um ano não muito produtivo na faculdade e se declarou para o Draft, sendo escolhido na segunda rodada.

Então, foi pouco aproveitado em uma equipe boa, que contava com Danny Granger, Paul George e Leandro Barbosa para a sua posição. Relegado ao garbage time, ele simplesmente não rendia, pois tentava reproduzir em quadra o jogo com que brilhava nos tempos de colégio, quando era o mais rápido e o mais forte da sua idade.

Então, três fatores mudaram a carreira de Stephenson, provavelmente até a salvando, pois era questão de tempo que fosse trocado ou dispensado: a lesão de Danny Granger, a saída de Leandrinho e o fato de não jogar em qualquer time da NBA, mas no Indiana Pacers de Larry Bird e Frank Vogel.

Repentinamente, ele teve que ser o titular do time ao lado de Paul George, já que a lesão de Granger foi séria e fez com que ele perdesse a temporada, e as opções eram Sam Young, Orlando Johnson e Gerald Green. Com a titularidade, Vogel incutiu nele a importância da defesa, e o resultado foi um salto na qualidade do agora ala-armador.

Dá pra imaginar Vogel mostrando vídeos de Tony Allen marcando para Stephenson e explicando “eu só quero que você faça isso em quadra”. Ele fez, mas como o seu arsenal em quadra é muito superior ao do jogador do Memphis Grizzlies, os resultados na parte ofensiva também foram espetaculares. Com ele em quadra, o quinteto titular do Pacers se tornou o mais eficiente da NBA.

Sem a responsabilidade de pontuar – afinal, Paul George está logo ali do lado -, Stephenson floresceu com assistências pontuais e rebotes importantes, e agora todo jogo ele estava beirando o triplo-duplo. Bizarro. Além disso, ele muitas vezes é o condutor das jogadas do Pacers, relegando George Hill ao posto de spot-up shooter.

Stephenson também incutiu uma dúvida na cabeça de muitos: como ficará a situação de Danny Granger, outrora melhor jogador do time, agora que não tem mais espaço na rotação? Hoje em dia, até defensores da ideia de que os dois devam trocar de salários dentro da franquia você acha na internet.

No fim das contas, ele ainda consegue ser um dos jogadores mais divertidos em quadra, vide as dancinhas e provocações que ainda protagoniza.

Lance Stephenson estava na franquia certa na temporada certa. Se não fossem as circunstâncias, provavelmente não estaria mais na NBA, mas soube aproveitar a chance e a agarrou. Bom para o Indiana Pacers, que vê a sua escolha na 40ª posição no draft de 2010 se tornar possivelmente a melhor relação custo-benefício da NBA.

[polldaddy poll=7744568]

  • Adorei a matéria…..vou compartilhar no https://www.facebook.com/IndianaPacersBrasil

  • Ótimo texto. Lance é isso mesmo, um talento que poderia ter sido desperdiçado. É muito divertido, pelo menos pra quem torce pro Pacers, ver ele jogando. Como costumo dizer, Lance é tranqueira.

    • Leonardo Grochoski

      torço pro Celtics, mas esse cara é sensacional rsrs assisti esses tempos um jogo do Pacers contra o Clippers ele trotando hahaha muito habilidoso chega a desconcertar algumas vezes o adversário.

    • certamente que sim. A diretoria tem q fazer de tudo para não perde-lo nesta offseason: Aew..curte lá: https://www.facebook.com/IndianaPacersBrasil

  • Parabéns pelo texto Luiz Fernando… A minha maior lembrança foi na ECF de 2013, ele limitando o Wade a 10 pontos por dois jogos seguidos (não tenho certeza, mas se tratando de playoffs não lembro de outra situação que o Wade tenha sido limitado a essas pontuações em jogos consecutivos).

    Deve ser o MIP mesmo, pela campanha do Pacers. Mas seria merecido também ao Trevor Ariza !

  • O jogador mais importante desse time do pacers, a frente de paul george e o overrated roy hibbert. Joga muito mesmo esse moleque, MIP facil. a galera fala do anthony davis, mas o que ele ta jogando essa temporada é o que se esperava dele ja no ano passado

  • Anônimo

    sem falar dos crossovers….hahahahhaha

  • Michel Moral

    Acho o estilo do jogo dele muito parecido com o do Ron Artest (não o World Peace, pq pra mim são jogadores diferentes). No entanto, ele deve ter um futuro mais promissor do que teve o já veterano.

    Stephenson não é um cara que tem o talento nato. Tem muito lateral com muito mais técnica que ele, como por exemplo, Belinelli, Gerald Henderson, Jamaal Crawford, JR Smith, DeRozean, Eric Gordon, Marcus Thornton entre outros.

    Acontece que ele deve ser do tipo de profissional que treina pesado, é esforçado, deve fazer 500 arremessos depois dos treinos… Simplesmente um trabalhador. Essa é a formula do seu sucesso.

    Stephenson é merecedor de tudo que vem acontecendo na sua carreira.

    • Belinelli mais talentoso que Lance Stephenson? BLASPHEMOUS! kkkkk
      O italiano tem “facilidade” pra pontuar, apenas. Apenas.

      • Michel Moral

        É, no mínimo, mais técnico do que Stephenson.

        Ser mais talentoso não significa ser melhor, basta não confundir as coisas.

        Quando possível unir as duas coisas, talento e força de vontade melhor… Mas se for pra escolher um dos dois fico com o cara esforçado.

        Tem muito talento desperdiçado, Beasley por exemplo.

  • Me lembra o estilo old school da NBA. Ótimo jogador. Sem ele o Pacers não seria essa força que é hoje. Cada peça tem sua importância. Futuros campeões da NBA e espero que Lance não seja chamado, pela boca de gente que acabou de começar a acompanhar a NBA, de overrated, ja que na minha opinião, divide o posto de jogador mais importante do time na temporada, com o George.

    • Michel Moral

      Essa história de overrated é uma grande bobagem. Superestimado é aquele jogador que ganha muito e dentro de quadra não faz quase nada, por exemplo, ganhar 20 milhões por ano para não fazer nem 10 pts por jogo, não ser um bom defensor, não se empenhar pelo time.

      Superestimado hoje pra mim é o Sanders do Bucks. Ganha muito e até agora nada. Ameaçou que ia estourar na última temporada e agora que foi “promovido” não jogou nada. Ahhh… Mas ele é novo e promissor. Ok, mas até agora nada e ele continua ganhando.muito bem. Reclamava que não recebia a bola e hoje? Quando jogou não fez nada.

      Stephenson não tem nada a ver com isso.

      • Por isso mesmo espero que não seja chamado de overrated. Olhando comentários em outras páginas, vejo muita gente o chamando disso, quem sabe pra aumentar o argumento de que o Pacers é só P George, não sei. Sobre sua definição de overrated, vc não quis dizer overpaid? Overrated é quando joga pouco e dizem que jogam muito. Overpaid é isso que você citou.

  • Muito bom jogador,zuero demais,rsrs