“Celtics foi um time disfuncional na última temporada”, confirma Marcus Smart

O Boston Celtics teve uma campanha para esquecer na última temporada, em uma jornada que partiu do favoritismo na conferência Leste para chegar à total decepção nos playoffs. Vários rumores surgiram ao longo do ano sobre um clima ruim nos bastidores da equipe, mas nada foi confirmado por elenco e direção. Ou melhor, não havia sido até Marcus Smart resolver comentar a situação.

“Vamos falar a verdade, ok? É isso mesmo: fomos um time disfuncional na última temporada. Não há o que dizer. E todos tivemos uma parcela de responsabilidade nisso. Os atletas se davam bem e nós até saíamos juntos durante as folgas, mas, na hora dos jogos, simplesmente não sabíamos o que fazer para que tudo desse certo”, revelou o armador, em entrevista ao programa “The Jump”, da ESPN.

O caminho natural para a maior parte dos torcedores e imprensa foi culpar Kyrie Irving, com declarações questionáveis e conduta instável, pela campanha desapontadora da franquia. O armador deixou Boston como o vilão da história e assinou com o Brooklyn Nets na offseason. Smart, no entanto, reforçou que colocar a culpa pelo fracasso exclusivamente no astro é uma injustiça.

“Kyrie foi um ótimo companheiro de elenco, mas é bem difícil criar camaradagem em um grupo novo. Jogadores chamavam a atenção uns dos outros no vestiário, não estava funcionando. Ele pode não mostrado o nível técnico que esperava-se, mas havia outros quatro atletas em quadra, mais dez caras e técnicos no banco. Todos tiveram sua parte de culpa nessa história”, esclareceu.

Nesse panorama, Smart foi um dos poucos pontos positivos da temporada: foi o seu retorno ao time titular que reequilibrou a defesa do Celtics ao longo do ano. Sua abordagem performática em quadra não agrada os oponentes, mas ele não compete para se desculpar. “A diferença entre o seu jogador favorito e eu é que uso o flop na defesa, enquanto os outros se jogam no ataque”, disparou.

Boston contornou o que parecia ser um “desmanche” iminente com as saídas de Irving, Al Horford e Marcus Morris acertando as contratações de atletas como Kemba Walker e Enes Kanter. A sensação quase unânime, porém, é que o time acabou enfraquecido a agência livre. Os sonhos de favoritismo e títulos no Leste estão adiados, certo? Não, se você quiser a opinião de Smart.

“Jogamos sem Kyrie no ano passado e chegamos às finais do Leste, então nós já sabemos do que somos capazes. A forma como acho que estão nos subestimando serve como a motivação extra para que alcancemos outro patamar. É assim que gostamos que seja, sendo sincero. As coisas funcionarão para Boston na próxima temporada”, finalizou o armador, prevendo dias mais tranquilos no Celtics.   

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.