“Charlotte é a minha prioridade”, afirma Kemba Walker, às vésperas da offseason

A offseason da NBA se aproxima e os holofotes do mercado estarão voltados para Kemba Walker. O craque do Charlotte Hornets será um dos principais agentes livres disponíveis e, diante da falta de pretensões competitivas do time, muitos já apostam em sua saída da Carolina do Norte. Ele sugere, porém, que continuar na única equipe que defendeu na liga pode realmente ainda ser sua primeira opção.

“Sem dúvidas, Charlotte é a minha prioridade na agência livre. Estou aqui há oito anos e essa virou a minha casa, foram os anos mais espetaculares da minha vida. Minha família ama cidade, a torcida me ama. São poucos os jogadores que têm a chance de jogar a carreira inteira em uma única franquia – aquela que, lá atrás, deu-me a oportunidade”, disse o armador, em entrevista ao site The Athletic.

Um dos maiores argumentos para a mudança de ares de Kemba, além de buscar um cenário mais competitivo, seria sua falta de reconhecimento em um mercado pequeno. Jogar em sua terra natal, Nova Iorque, traria uma projeção imediata à sua imagem. Mas ele provou ser uma figura forte na NBA com a eleição para um dos quintetos ideais da temporada, mesmo sem chegar aos playoffs.

“Quando eu recebi a notícia, simplesmente chorei. Não sabia se teria a chance de ser escolhido para um desses times, pois não fui à pós-temporada. Às vezes, as votações resumem-se a coisas assim. As lágrimas correram pelos meus olhos na hora. Foi algo surreal para um menino do Bronx. Na verdade, ainda não consigo acreditar que aconteceu”, revelou o jogador de 28 anos, emocionado.

A entrada nos quintetos ideais teve um significado emocional inegável, mas possui também uma dimensão estratégica para a agência livre de Kemba. Com a eleição, o ídolo do Hornets tornou-se elegível a um chamado contrato “supermáximo”: são US$221 milhões por cinco temporadas, um ano e US$80 milhões a mais do que os concorrentes podem oferecer-lhe.

“Ainda não tive a oportunidade de parar e pensar direito no que quero fazer, mas isso está cada vez mais perto e realmente preciso de foco. Poder oferecer aquele quinto ano de vínculo é muito importante, com certeza, não importa a idade com que eu esteja. Mas essa decisão não vai ter nada a ver com dinheiro. Eu só amo jogar basquete, no fim das contas”, finalizou o armador.

Kemba, de 28 anos, disputou todos os 82 jogos do Hornets nessa campanha e foi eleito um dos titulares do Jogo das Estrelas pela primeira vez na carreira, por suas excelentes atuações. Ele encerrou a temporada registrando médias de 25.6 pontos, 4.4 rebotes e 5.9 assistências por noite.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.